Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Boas notícias

Acho impossível não ver a confirmação da introdução do vídeo-árbitro como uma vitória para a verdade desportiva (e para o Sporting, o único Clube que desde o início luta pela sua implementação em Portugal).

Há que entender que o vídeo-árbitro não se propõe a resolver todos os problemas do futebol português mas sim um dos que mais influencia resultados e dá ou tira campeonatos: o erro grosseiro.

 

Os restantes problemas, a seu tempo, serão resolvidos ou menorizados na sua influência (espero eu). Para já, só posso ficar contente por esta medida que, mesmo tardia, vem a tempo de ajudar os árbitros a decidir melhor e a serem mais justos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Porque "choram" os lagartos?

des·por·to |ô|
(francês desport, hoje sport)

substantivo masculino

1. Prática regular de uma actividade que requer exercício corporal e que obedece a determinadas regras, para lazer, para desenvolvimento físico ou para demonstrar agilidade, destreza ou força

 

du·e·lo |é|

substantivo masculino

1. Combate premeditado entre dois adversários, e com armas iguais.

2. [Figurado]  Contenda entre dois

 

com·pe·tir
(latim competo, -ere, visar o mesmo fim que outro, encontrar-se, coincidir)

verbo transitivo e intransitivo

1. Lutar por algo ou alguém contra um adversário; entrar em competição. = DISPUTAR, RIVALIZAR

2. Participar numa competição desportiva (ex.: vai competir com a campeã actual; os atletas nacionais competem amanhã).

verbo transitivo

3. Pretender suplantar em valor ou qualidade

 

 

Porque em Portugal há clubes, que entram em competições, em várias modalidades, modalidades essas que obedecem a regras, onde é suposto suplantar em valor ou qualidade os adversários mas se percebe no dia a dia, nos vários campos, pavilhões, pistas (...) que as armas não são iguais.

 

 

É por isto que nós, lagartos (não aprecio o termo mas tenho conhecimento que, historicamente, nada de ultrajante lhe está associado, embora a maioria - adeptos de outros clubes - o use com desdém), "choramos". Dia após dia, em toda e qualquer modalidade.

Porque sentimos que constantemente são atropeladas as regras, por pessoas que em nada contribuem para a sanidade do desporto nacional e muito menos para a sua justiça. Porque constantemente retiram armas a uns para as dar a outros. Porque validam a falta de fair-play, a tentativa de ludibriar, a mentira.

 

Em Portugal não se pratica desporto, porque as pessoas do desporto só lá estão para se servir dele, seja por estatuto ou para retirar dividendos, muitas das vezes, na maioria, atropelando todas as regras do civismo.

 

Aquilo que se passou ontem no pavilhão da Luz, a menos de 6 minutos do final do jogo entre o Benfica e o Sporting em hóquei em patins foi uma canalhice, uma tentativa clara de ludibriar e a validação da mesma. Tudo em prejuízo do Sporting Clube de Portugal.

 

Um jogo até então bem arbitrado, bem jogado e equilibrado (o resultado naquele momento era 3-3) acabou com uma luta literalmente desigual que acabou por decretar a derrota do Sporting.

Claro que o Sporting poderia ter perdido na mesma. Tuco foi infantil, na forma como nos deixou a jogar com dois jogadores de campo, Guillem Pérez assumiu o erro que nos voltou a deixar de novo na mesma posição desvantajosa, falhámos penaltis e livres directos mas, mais importante que isso, fomos impedidos de lutar de igual para igual.

 

Parabéns aos jogadores do Sporting! Um forte abraço a cada um deles. Foram enormes e nunca da nossa parte vos faltará apoio. Não se deixem abalar. Jogar no Sporting, infelizmente, tem estas "particularidades". Talvez sejam essas "particularidades" que tornam cada vitória especial e a valer por três, como bem dizia o Rui Jorge.

 

Seguimos unidos, de cabeça erguida e sem medo de nada. Conscientes que damos o melhor e que, se mais não alcançamos, é porque não nos deixam. Que nunca se sintam desvalorizados. O verdadeiro valor está em levar o leão ao peito!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Isto sim, é verdade desportiva

Apenas o Jornal Record deu ontem honras de capa a algo, julgo eu, inédito no desporto em Portugal e que em muito promove a verdade desportiva.

Como o eco foi praticamente nulo, vou fazer a minha parte, até porque isto vai ao encontro daquilo que o Sporting defende e que eu apoio convictamente em todas as modalidades.

Disputou-se no domingo a Taça Hugo dos Santos em Basquetebol. O jogo colocava frente-a-frente Porto e Benfica e decidiu-se graças ao visionamento das imagens televisivas, que impediram que o jogo fosse levado para prolongamento.

"A perder por três, a responsabilidade de lançar nos últimos segundos foi dada a Carlos Andrade. O cesto foi celebrado efusivamente pelos adeptos benfiquistas, mas logo veio a indicação de que era necessário ver as imagens televisivas. E, assim sendo, depois de alguns segundos de suspense, veio a confirmação: foram mesmo só dois pontos e a Taça foi para o norte."

Parece que só o futebol continua resistente a avançar rapidamente para a credibilização do jogo.

Parabéns à Federação Portuguesa de Basquetebol e ao árbitro Sérgio Silva que tomou a decisão de aceitar ajuda numa decisão difícil e decisiva.

Não nos comem por parvos

Temos pregado, sozinhos, pela verdade desportiva e está na altura de passar das palavras aos actos. Se somos nós os principais prejudicados, somos nós que temos de nos queixar!

queixa.png

Sabendo de antemão que tudo isto vai ser julgado por juízes parciais que irão, com certeza obedecer ao seu 'dono' e agora ainda mais, sabendo que os donos da Liga o são assumidamente, é lógico que não dará em nada esta queixa na Liga.

Mas, não podíamos ficar calados! 

Aproveito para deixar um obrigado ao Cherba e à Tasca por este artigo de opinião de Bernardo Ribeiro a propósito deste caso.

Ah pois é.jpg

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal