Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Deixem-se de merdas

Este post acaba por vir na sequência do de ontem, escrito pelo Barbosa08.

Será que os adeptos em geral já se deram conta que o que se está a fazer no Sporting é praticamente inédito?!

O Sporting está em 1º lugar no campeonato e, independentemente se conseguirá ou não manter essa posição até ao fim, não tenho dúvidas que lutará pelo título até ao final.

Ora:

No ano passado o Benfica gastou em custos com o pessoal 59 milhões de euros. O Porto 65. E o Sporting 25.

O Benfica tinha sob contrato 26 jogadores com vencimento superior a 1 milhão de euros anuais. O Porto 17. E o Sporting 5.

Destes jogadores, no Benfica, 16 ganham mais de 2 milhões de euros anuais. No porto são 12. E no Sporting 2.

Partindo destes dados objectivos e tendo em conta o investimento do Sporting este ano, posso partir do princípio que:

Entre saídas e entradas, Porto e Benfica terão dificuldades em diminuir a massa salarial e, se o conseguirem, o valor não passará de residual. O Sporting aumentará esses valores anuais para valores casa dos 30/35 milhões de euros (números de merceeiro, feitos por estimativa pois, naturalmente, excluído Jorge Jesus, desconheço os contratos dos jogadores contratados).

Assim sendo, o Sporting continuará a gastar metade ou pouco mais do que isso do que os rivais em encargos com o pessoal.

No máximo, o Sporting terá neste momento uns 8/9 jogadores a auferir valores anuais acima de 1 milhão de euros, enquanto que os rivais terão certamente entre 15 a 25 cada.

O Sporting gastou 9 milhões de euros em contratações. Porto e Benfica não divulgaram ainda os valores das contratações mas, pela análise dos jogadores contratados no exercício da época passada, posso observar que apenas em Carcela e Taarabt, o Benfica gastou 6 milhões de euros. O Porto gastou 3 milhões só em Hernâni. Faltam ainda os outros...e não são tão poucos quanto isso.

É verdade que o Sporting investiu forte, tendo em conta aquilo que era a sua matriz recente mas não o faz em valores que sequer se assemelhem aos dos rivais. A nossa dívida é inferior à dos rivais, bem como o passivo.

Tudo isto para vos dizer que o Sporting investiu e fê-lo com uma margem de erro mínima enquanto que os rivais continuam a comprar para encher plantéis alheios e satisfazer favores a agentes e fundos. Mesmo assim, oiço Sportinguistas a criticar tudo, desde a formação às políticas desportiva e financeira.

O Sporting fez um esforço para ser feliz e fazer felizes os Sportinguistas.

Por isso, saiam do sofá e detrás dos computadores. Façam-se sócios. Vão aos estádios (sobretudo ao nosso). Apoiem o Sporting e sintam-se parte um Clube que se quer assumir vencedor e que, para isso, precisa do máximo apoio possível.

Só com um estádio cheio de forma consecutiva a nossa força será sentida e respeitada num país que nos queria sempre pequeninos.

Deixem de ter vergonha. Assumam a paixão e o amor para o Clube dando e não apenas esperando receber.

Vistam a verde e branca e saiam à rua. Façam-no sempre que vos apetecer e não apenas quando o Sporting ganha.

Orgulhem-se de ser leões de corpo e alma e participem activamente na vida do Clube.

Deixem-se de merdas e desculpas esfarrapadas.

O Sporting somos nós e sem nós não há campeões!

*"Eu podia ter escrito isto": O copo meio vazio

É o velho chavão: há quem veja o copo meio cheio, e há quem o veja meio vazio. 
O que não nos falta neste momento são razões para nos inserirmos no primeiro grupo: líder isolado do campeonato; excelente plantel; o melhor treinador em Portugal; diferença pontual para os rivais (isso do jogo em atraso é muito bonito mas é preciso ganhá-lo).
Mas o que me faz escrever, é este sentimento de "copo meio vazio". 
E o que é que me faz sentir assim? A resposta está no número de adeptos presentes no último jogo: 40 140. 
Por mais que me tentem convencer, isto não é uma casa digna de uma equipa que se quer campeã. Seria fácil dizer que é muito mais que noutros jogos de semelhante importância (a importância é relativa pois ganhar ao carnide ou vencer o Arouca, vale os mesmos 3 pontos). Mas e isso chega? Eu respondo com uma pergunta: Como se sentiria um Ruiz perante uma enchente contra um Tondela? 
Não sabem? Então eu ajudo:

Por isso peço-vos, aliás, suplico:
vão a Alvalade! 
Ao sábado à tarde mas também na sexta à noite. Contra o carnide mas também contra o Moreirense. Não compareçam só quando vocês podem, compareçam quando tiverem várias razões para não poder ir (o jantar de aniversário do colega, aquela estreia de um filme, a chuva). Vão pelos 11 bravos que vão carregar nos ombros todos os nossos sonhos. 
 
Sem nós não há campeões!

Texto escrito por: Barbosa08

*Esta é uma nova rubrica no blog. Não tem dia nem hora marcada e destina-se apenas aos leitores que queiram participar de forma activa. Naturalmente, está sujeita ao envio prévio via email (que se encontra na barra lateral do blog) e a aprovação da minha parte.

Vem aí 'o crónico'

Nos últimos dois anos, fundamentais para a recuperação e o ressurgimento do Sporting no panorama desportivo nacional, o leão mudou.

Passou a ser liderado por um verdadeiro guerreiro. Exigente, determinado, inconformado, competente e apaixonado.

Os ingredientes eram fundamentais para que o Sporting voltasse a ser 'o crónico', mas ainda não eram transversais a todos os que lideravam as várias equipas.

A época 2015/2016 parece ser a da mudança de mentalidade. Deixaram de haver bons rapazes. O politicamente correcto deixou de existir. Só há ambição, exigência, determinação, paixão e trabalho.

Jorge Jesus no futebol e Zupo Equisoain no andebol personificam o 'estereótipo' pretendido. Nuno Dias e Nuno Lopes apreenderam-no ainda melhor no Sporting, depois de provarem o doce sabor do sucesso. Nas outras modalidades, as menos mediáticas, o sabor da vitória nunca nos tem sido negado.

O objectivo para este ano foi a aposta na liderança. Líderes fortes, formas equipas fortes. Equipas fortes estão nas decisões e ganham mais vezes. Ganhar mais vezes vai fazer-nos a todos felizes e fará o Clube crescer, alimentará o ego e trará novas e renovadas esperanças e responsabilidades.

Trazer 'o crónico' de volta parece estar cada vez mais perto e isso também se deve a nós. Que acreditámos na direcção, lhe demos confiança e com ela seguimos, mesmo sabendo que o caminho não será fácil.

Mais do que nunca, o Sporting precisa de todos nós. Da nossa exigência, mas também do nosso apoio. Só juntos traremos de volta 'o crónico'.

O leão entrou com o pé direito

O JOGO

É inequívoco: o Sporting foi melhor e venceu com justiça.

Um golo de diferença parece até curto para a superioridade demonstrada mas, ainda assim, satisfatório.

Afinal, só a vitória interessava e o objectivo foi conseguido.

O Sporting, assente num processo defensivo muito bem assimilado foi, tal como Jesus disse no final do jogo, prefeito defensivamente e só duas ou três desatenções nos deram alguns calafrios. Rui Patrício não fez uma defesa difícil.

Visto que o processo ofensivo apresenta ainda falhas, foi benéfico enfrentar uma linha defensiva sem rotinas onde três dos quatro elementos não eram habitualmente titulares.

Não fossem os dois tampões defensivos do adversário e a mobilidade dos jogadores do Sporting tinha feito mais mossa.

Só um golo mal anulado a Teo Gutiérrez impediu o Sporting de ir em vantagem para a segunda parte e depois de um reinício onde o Sporting voltou a assumir o domínio acabou por marcar após desvio de Teo a remate de Carrillo. Tudo isto depois de uma expulsão perdoada a Sílvio.

Tempo de Jorge Sousa errar ao não marcar um penalti sobre Gaitán, ainda que não tenha invertido a tendência de prejudicar os verde-e-brancos.

Seguiram-se 10 minutos onde entregámos a iniciativa de jogo ao adversário e, não fosse a clara falta de ideias dos encarnados, podíamos ter sofrido.

Jorge Jesus percebeu isso e lançou Mané para o lugar de Teo, desviando Ruiz para o centro do terreno. O Sporting recuperou a posse de bola e a iniciativa de jogo.

Já com Mitrioglu em campo, a entrada de Semedo foi importante para estancar o jogo directo do adversário. Gelson Martins estreou-se nos descontos para queimar tempo num período em que o Sporting geriu muito bem a vantagem e a posse de bola.

Primeiro título da época e segundo consecutivo. Agora, é só manter o ritmo.

O HOMEM DO JOGO

Que bom que é ter dificuldades em nomear um só jogador. Para mim foi João Mário mas podia ser qualquer outro.

OS TREINADORES

Jesus foi inteligente quando 'atacou' Vitória com a colagem do mesmo ao seu modelo de jogo.

Colocou o adversário sobre brasas e o menos experiente Vitória tremeu.

Não acho que o Benfica deste ano tenha grande coisa de Jorge Jesus e acho que Jesus sabia isso quando proferiu as declarações, três dias antes do jogo.

Mind game puro com os resultados que se pretendiam.

O ESTILO DE JJ

Não gosto especialmente do seu egocentrismo mas adoro a sua genuinidade e transparência.

Jesus é claro nas declarações, não envia mensagens cifradas, não é mesquinho, não manda recados e recadinhos e recusa-se ao politicamente correcto.

Aliando a isto uma qualidade inquestionável enquanto treinador, é um claro upgarde relativamente ao passado recente.

109 anos de histórias para contar

Parabéns, meu querido Sporting!

Hoje, assim me dirijo a ti, como se de um membro da família te tratasses.

Na realidade, é isso que és: o patriarca de uma grande família.

Três milhões, dizem. Talvez nem tantos, creio.

Independentemente disso e imaginando que somos efectivamente todos esses...nem todos estiveram sempre contigo.

Como em todas as grandes famílias, muitos são os que te veneram e admiram enquanto outros te invejam.

A verdade é que nem todos querem o teu bem. Alguns querem o que te pertence e que construíste sob base forte e à custa de muito suor e dignidade.

Foram esses, as ovelhas negras da família, que te capturaram. Depositaram-te numa cave escura e disseram-te que nunca de lá sairias.

Roubaram-te tudo e enganaram o resto da família.

Disseram-nos que estavas bem. Nós acreditámos.

Venderam-nos sonhos e ilusões, alegando que falavam por ti.

Tu, grande Sporting, passaste anos nessa cave, enquanto nós pensámos que estavas bem.

Tiraram-te os anéis mas nunca deixaste que te cortassem os dedos.

A tua dignidade permaneceu intacta mas o cansaço tomou conta de ti.

Perdeste a esperança e nós nunca te procurámos.

Pensávamos que estavas bem.

A depressão tomou conta de ti. Estavam a destruir-te. Trataram-te como lixo e abusaram de ti.

Preparavas-te para o pior. A corda estava ali, suspensa, fazia anos.

Há muito que não vias a luz do dia e quase acabaste com o sofrimento.

Mas não tiveste coragem. Não ias deitar por terra mais de um século de histórias, mesmo que as últimas fossem verdadeiras tragédias.

Sentiste que não tinha acabado e que o moribundo, fechado na cave, haveria de espernear e lutar antes que o asfixiassem.

Gritaste! Gritaste o mais alto que conseguiste!

Tentaram calar-te!

Tentaram...mas já era tarde.

Finalmente nós ouvimos. E quisemos saber onde estavas.

Conseguímos resgatar-te.

Saíste da cave, convalescente, mas depressa te reergueste. Afinal, és da raça dos que nunca vergam.

Hoje, recuperaste o vigor de outros tempos. Nós, continuámos a amar-te e venerar-te e passou a ser-nos mais fácil identificar quem não te quer bem.

Não vamos deixar que voltes para à cave.

Estás vivo e de saúde. Estás forte.

Ainda não estás pujante mas lá chegarás....lá chegaremos!

Sim porque nós, que te amamos, não mais te vamos abandonar.

Hoje é dia de festa! 109 anos não se fazem todos os dias e não são todos que vivem depois de ultrapassar uma sentença de morte.

Parabéns, meu amor!

Parabéns, Sporting Clube de Portugal!

O Grande Sporting está de volta e veio para ficar!

Hoje é um dia especial!

Quando a 27 de Abril de 2014 resolvi criar este meu cantinho leonino não tinha nada de específico em mente.

Fi-lo por impulso. Hoje nem acho o nome o mais feliz, embora glorifique dois dos expoentes máximos de uma conquista importante.

Impulsionado por um Sportinguismo que me inunda a alma, despertei graças a um presidente que me fez ter vontade de fazer mais.

 

Queria sentir-me parte da família leonina e fiz a minha parte. Cartão de sócio na mão, Gamebox na carteira, camisola da Missão Pavilhão vestida e Jornal Sporting debaixo do braço.

Senti-me parte da família leonina. Família essa que tem um dos seus máximos expoentes num dos cantos desta blogosfera verde...A Tasca do Cherba. Foi o Cherba em conjunto com todos os 'tasqueiros', que em muito engrandecem aquele local mítico, que fizeram com que tivesse vontade de me exprimir e dar a minha opinião publicamente, neste espaço que é meu e de todos vós.

Hoje é um dia especial!

Não porque passei um ano a escrever essencialmente sobre o Sporting mas porque o Sporting, o Grande Sporting está de volta.

Este fim-de-semana encheu-me de orgulho e revolta.

Parecem sentimentos contraditórios...

O orgulho que senti ao ver o futsal disputar com todas as forças um título europeu e com que testemunhei uma conquista europeia histórica do nosso hóquei em patins aliou-se à revolta contra aqueles que quiseram matar o Sporting.

Sportinguistas que quiseram que fôssemos um clube de futebol e quase conseguiram com isso matar um clube desportivo, a maior potência desportiva nacional.

Hoje é um dia especial!

Porque o Sporting está de volta e para isso não precisou de se vender!

Porque bastou voltar às origens. Porque chegou cerrar fileiras e lutar. Porque houve união e comprometimento.

Comprometimento.

Esta é a chave do sucesso e o motivo pelo qual o Presidente se senta no banco de suplentes da equipa de futebol e não o faz nas outras modalidades.

Porque o que move as modalidades, o verdadeiro coração do ecléctico Sporting Clube de Portugal, não é o dinheiro.

O que move as modalidades do Sporting é o orgulho de representar uma grande instituição e a sede de conquistas.

Porque num ano em que se baixaram custos para que o hóquei pudesse regressar, é precisamente o hóquei que nos dá um título europeu.

Porque todas as modalidades do Sporting têm, neste momento, possibilidades de vencer títulos mesmo num ano de contenção.

Porque no final de uma conquista europeia temos um jogador que não jogou um minuto a agradecer a oportunidade de representar o Sporting e de marcar um penalti que, emocionadamente, elegeu como o momento da sua carreira.

Porque vemos um presidente que acreditou num director, que por sua vez confiou num treinador, que consequentemente motivou os jogadores a acreditar que era possível ter sucesso.

Porque para o sucesso teve de haver muito trabalho, luta, entrega e união.

Obrigado a todos os que engrandecem o Sporting!

Hoje é um dia especial e eu estou feliz porque voltou o grande, ecléctico e vencedor Sporting Clube de Portugal!

Saudações leoninas

Final da manhã no Porto.

Saí de casa. Passei pelos correios, pela frutaria e, por fim, pela padaria.

Tenho o miúdo ao colo e a fruta numa das mãos. Espero pelo troco enquanto pego no pão.

Ao meu lado, dirige-se a mim um rapaz, com sotaque açucarado do Brasil: "Saudações leoninas!", disse.

Não foi tímido. Disse-o alto e bom som depois de vislumbrar na minha carteira o cartão de sócio do Sporting Clube de Portugal e enquanto tirava da sua própria carteira o que lhe pertencia.

Sorri e retribui, algo timidamente, a saudação.

Já ia sair e voltei-me para trás. Disse-lhe: "Somos os melhores! Os melhores não têm de ser os que ganham mais vezes."

No caminho para casa pensei em como o orgulho leonino está, finalmente, restituído depois de um período negro na nossa história.

Em quase oito anos no Porto, são muitas as vezes que passeio a verde e branca pela invicta. Nunca um dos nossos se dirigiu a mim com esta cumplicidade e orgulho de pertencer à família leonina.

Amigo, se me estás a ler, desculpa não te ter dado um abraço.

Comunicado à CMVM

COMUNICADO
Nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores
Mobiliários, A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, FUTEBOL, SAD informa ter chegado a acordo com o Manchester United Football Club Limited para a
aquisição, a título definitivo, dos direitos desportivos e 100% dos direitos económicos do jogador Marcos Rojo, pelo valor total € 20.000.000,00 (vinte milhões de euros), pagos em três prestações: € 10.000.000,00 pagos de imediato e duas prestações de € 5.000.000,00, cada, pagas em 1 de Dezembro de 2014 e 1 de Julho de 2015.
Do valor acima referido e de acordo com o contratualizado, serão pagos ao Spartak de Moscovo € 4.000.000,00, em proporção dos valores recebidos pela SPORTING SAD do Manchester United.
Mais se informa que o referido acordo prevê ainda o direito da Sporting SAD a receber 20% da mais valia numa futura transferência do jogador por montante superior a € 23.000.000,00.
Em simultâneo a SPORTING SAD chegou ao acordo com o Manchester United para a cedência temporária, livre de encargos, para a SPORTING SAD do atleta Nani, até ao final da época 2014/2015.Em relação à DOYEN SPORTS INVESTMENTS LIMITED, e em consequência da resolução com justa causa do contrato celebrado com esta entidade para a comparticipação dos direitos económicos do Jogador, a SPORTING SAD
informa que restituirá, de imediato, à Doyen o valor investido por esta entidade, nos termos legais.
Com esta operação, o Conselho de Administração da Sporting SAD comunica que pretende afectar, em termos legais a definir, 9 milhões de euros à construção do Pavilhão do Sporting Clube de Portugal, continuando a Missão Pavilhão em funcionamento até ser angariado o valor de 1 milhão de euros.
O concurso de adjudicação para a construção do Pavilhão está na fase de conclusão, prevendo –se que as necessárias autorizações dêem entrada nas entidades competentes, designadamente na CML, com a maior celeridade, para que o início da construção do novo Pavilhão do Sporting seja uma realidade o mais breve possível.

 

Alguns pontos a destacar do comunicado do Sporting à CMVM:

Melhor do que a vinda de Nani para o Sporting por empréstimo de uma época é o facto de contarmos com o talentoso jogador enquanto o Manchester United suporta todos os custos com o jogador.

Quanto à venda de Rojo e depois da resolução dos contratos com a Doyen, ficam distribuídos os valores como se a totalidade do passe pertencesse ao Sporting. O Sporting terá direito a 20% de uma futura mais valia de uma venda acima de 23M€. O Spartak receberá a parte que lhe estava à partida destinada e a Doyen recebe o valor investido no jogador, aquando da sua vinda para o Sporting. Veremos se, no futuro, estes números aumentarão com base num processo que certamente decorrerá nos tribunais, opondo a Doyen ao Sporting, esperando que a direação saiba o que está a fazer (até agora merece todo o crédito). 

A melhor notícia do dia são os 9M€ que serão encaminhados desta transferência para a construção do novo Pavilhão João Rocha, continuando a Missão Pavilhão ativa até ser angariado o valor restante de 1M€ (faltam, neste momento, 690.000€). O próprio João Rocha (onde quer que esteja) estará certamente orgulhoso do que Bruno de Carvalho conseguiu fazer pelo clube em menos de 2 anos:

- Os adeptos voltaram a ter orgulho no clube e querem fazer parte dele, tornando-se sócios.

- A equipa de futebol profissional voltou ao caminho certo.

- As modalidades parecem renovadas e voltaram a ser valorizadas por todos (elas que sempre refletiram a alma do clube).

- O pavilhão será, a breve trecho, uma realidade.

Sem dúvida, o Sporting Clube de Portugal está de volta! Que orgulho!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal