Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Os mais valorizados da Copa

A empresa brasileira Pluri Sportmetric fez um estudo que visa identificar os jogadores presentes no Mundial do Brasil que mais se valorizaram.
Este é o TOP 20:

1.º Joel Campbell (Costa Rica), 70,2%, de 5,2 para 8,9
2.º Enner Valencia (Equador), 69,0%, de 4,2 para 7,1
3.º Keylor Navas (Costa Rica), 65,1%, de 4,3 para 7,1
4.º Guillermo Ochoa (México), 64,9%, de 3,7 para 6,1
5.º Marcos Rojo (Argentina), 64,6%, de 5,7 para 9,4
6.º Cláudio Bravo (Chile), 64,4%, de 5,9 para 9,7
7.º Sergio Romero (Argentina), 58,8%, de 3,4 para 5,4
8.º Daley Blind (Holanda), 58,5%, de 5,3 para 8,4
9.º De Vrij (Holanda), 55%, de 11,1 para 17,2
10.º Memphis Depay (Holanda), 54,3%, de 4,6 para 7,1
11.º Divock Origi (Bélgica), 51,7%, de 8,4 para 12,8
12.º Julian Green (EUA), 49,1%, de 3,4 para 5,1
13.º James Rodriguez (Colômbia), 44,5%, de 37,1 para 53,6
14.º Raheem Sterling (Inglaterra), 38%, de 17,9 para 24,7
15.º André Schürrle (Alemanha), 34%, de 21,1 para 28,3
16.º Juan Cuadrado (Colômbia), 32%, de 20,6 para 27,2
17.º Ezequiel Garay (Argentina), 27,1%, de 14,4 para 18,3
18.º Paul Pogba (França), 26,9%, de 36,1 para 45,8
19.º Antoine Griezmann (França), 25,8%, de 22,1 para 27,8
20.º Raphael Varane (França), 25,5%, de 21,6 para 27,1

O sportinguista Marcos Rojo foi dos que mais se valorizou, valendo mais do dobro do que valia antes do Mundial e os cerca de 10 milhões de euros que vale neste momento são um indicativo para a base negocial do Sporting. Eu diria que, se é para vender, que seja pelo dobro!

É engraçado ver que Garay aparece nesta lista avaliado em 18.3 milhões de euros, depois de ter sido vendido para o Zenit por 6 milhões, ou seja, um terço do seu valor de mercado. Depois de vários negócios em que compraram jogadores sobreavaliados, eis que finalmente o Zenit faz um grande negócio na compra de um jogador.

O incrível Mundial de James Rodriguez fez disparar a sua cotação para 53.6 milhões de euros!

Estes estudos têm a credibilidade que cada um lhes quer dar, mas acho estranho Slimani não figurar nesta lista.

O 11 do Mundial

Cada um tem a sua opinião. Esta é a minha e desafio todos a usar a caixa de comentários do blog para escolher o seu 11. 

O golo do Mundial - Top 3

Desafio-vos a deixar as vossas escolhas na caixa de comentários. Escrevam o vosso top 3 e farei um post com o top 3 dos leitores do blog.

Está encontrado o novo campeão do Mundo

Terminou ontem o campeonato do Mundo com uma vitória da Alemanha sobre a Argentina por 1-0, após prolongamento.

Bom jogo de futebol com intensidade, qualidade de jogo e oportunidades de golo. Qualquer equipa podia ter vencido, mas um lance de grande classe do menino Göetze resolveu a partida no minuto 113. 

Era o fim esperado para a maioria: a Alemanha a afirmar-se como a grande potência futebolistica mundial.

Mundial - Holanda no pódio

O jogo que ninguém quer jogar foi ganho pelos holandeses, que não deram hipóteses aos brasileiros, vencendo por um claro 3-0. Não me vou alongar na análise o jogo, pois não o vi com a atenção desejada. 
Ainda assim, aproveito para fazer uma reflexão: será mesmo necessário fazer um jogo para atribuír o 3º lugar?!

Não me parece necessário 'obrigar' duas equipas tristes e desmotivadas por falhar o acesso a uma final do campeonato do Mundo a jogar um 'jogo de consolação', quando a maior parte dos jogadores não queria nada para além de umas férias. Tal como no campeonato da Europa, onde não há jogo de atribuição do 3º lugar, julgo que os responsáveis da FIFA deviam ponderar replicar o exemplo para campeonatos do Mundo futuros.

Para terminar, digo apenas que a imagem que a equipa brasileira deixa perante o seu povo é medíocre e deve merecer uma profunda reflexão por parte dos responsáveis da CBF.

A final menos desejada

Jogou-se ontem a segunda meia-final do Mundial e depois da eliminação estrondosa do Brasil, aos pés da demolidora Alemanha (que mesmo com um pacto de não-agressão celebrado ao intervalo marcou dois golos na segunda metade) o pior que podia acontecer aos brasileiros era ver a grande rival Argentina na final do Maracanã.
Foi exatamente isso que aconteceu. Jogo fraco, com poucas oportinudades de golo, embora com ligeiro ascendente argentino só podia dar em penaltis. Romero foi o herói do dia ao defender as duas grandes penalidades que colocam o sportinguista Marcos Rojo na final do Mundial e consequentemente cada vez mais longe de voltar a vestir a "verde e branca" (infelizmente).
Agora, que ganhe o melhor!

"Heptatombe" no Mineirão

O Brasil entrava em campo desfalcado pelas ausências de Neymar (por lesão) e Thiago Silva (por castigo) e isso fazia pender o favoritismo para o lado alemão.

Ninguém previa que o Brasil entrasse em campo derrotado, mas foi isso que aconteceu. Olhava-se para Dante e Bernard com desconfiança, pois não estavam à altura dos que substituíram. A Alemanha percebeu o estado anímico dos brasileiros e carregou desde o início em cima da baliza do desamparado Júlio César. O primeiro golo surgiu aos 11 minutos e serviu para abanar o castelo de cartas canarinho. Aos 23 Miroslav Klose fez história (marcando o seu 16º golo em 20 jogos em 4 Mundiais, e tornou-se o maior goleador de sempre da competição) e o castelo de cartas "verde e amarelo" desmoronou-se! O choque foi de tal maneira grande que os alemães passaram a jogar sem oposição e aos 29 minutos o resultado já se fixava num histórico 5-0 (Toni Kroos aos 25' e 26' e Khedira aos 29') que seria o resultado no final da primeira metade.

A segunda parte era uma mera formalidade, mas Felipão tentou abanar a equipa e retirou do jogo Hulk e Fernandinho, entrado para os seus lugares Ramires e Paulinho. Em 5 minutos os brasileiros falharam 2 "golos feitos" que poderiam ter galvanizado um pouco a equipa, apesar da evidente desrganização defensiva e anarquia ofensiva. Aos 58 minutos entra aquele que materializaria o "score" final dos alemães, André Schürrle (golos aos 69' e 79'). Estava consumada e evidenciada em números a maior humilhação da história da canarinha que, julgo eu, fará incliusive passar para segundo plano o famoso Maracanazo.
Oscar marcaria o tento de honra dos brasileiros em cima do minuto 90 num momento estranho que arrancou das bancadas mais assobios que aplausos.
Não me parece justa a execução pública feita a Luiz Felipe Scolari. Foi ele que juntou estes jogadores e os tornou num grupo unido que, no ano passado venceu "sem espinhas" a Taça das Confederações, derrotando na final a bi-campeã europeia e campeã mundial Espanha, com um contundente 3-0. O Brasil não chegou a convencer verdadeiramente nesta Copa, mas Felipão não joga, e os jogadores que com brilho ganharam a Taça das Confederações foram os mesmos que agora acabaram por envegonhar o país. As responsabilidades devem ser justamente repartidas por todos.

Mundial - Meias Finais

Antes do Mundial começar, a minha previsão indicava uma final entre França e Argentina, com a vitória a sorrir aos argentinos.

Visto que os franceses não passaram às meias finais, arrisco num Alemanha - Argentina e mantenho a convicção de que os argentinos serão os próximos campeões mundiais.

No jogo de tribuição do último lugar do pódio, antes do Mundial, previa um Brasil - Itália, com os brasileiros a fazer aquilo que os alemães fizeram em 2006, quando também jogaram em casa e ficaram em 3º (batendo Portugal). A previsão do Brasil como 3º classificado mantêm-se, mas para isso acontecer terão de bater a Holanda.

Vamos ver se é desta que acerto, embora esteja mais que provado que as previsões não são o meu forte!

Espero pelo menos que os espetáculos nos 4 jogos que restam sejam de qualidade e tenham mais golos do que têm tido os últimos jogos.

A "pipita" Navas

"Pipita" Higuaín colocou a Argentina, 24 anos depois, nas meias-finais de um Mundial. Serviços mínimos da seleção argentina foram suficientes para deixar para trás a Bélgica de Marc Wilmots que veio fazer declarações deprimentes que denotam a típica "azia" de quem perde (disse que a Argentina é uma equipa banal com um jogador extraordinário) quando podia simplesmente ter dado os parabéns aos vencedores, mesmo que tenham vencido sem grande brilho. A Argentina foi uma justa vencedora e aguarda a Alemanha nas meias-finais.
O sonho da Costa Rica terminou nos penaltis, frente à Holanda, onde van Gaal surpreendeu quando no minuto 120 trocou de guarda-redes (entrou Krul para o lugar de Cillessen), sendo Krul determinante ao parar duas grandes penalidades. A Costa Rica cai nos quartos de final depois de não ter perdido um único jogo, mesmo tendo defrontado 3 campeões mundiais (Uruguai, Itália e Inglaterra), um campeão europeu (Grécia) e uma Holanda, também campeã europeia e três vezes finalista vencida de um Campeonato do Mundo (embora não tenha saído vencedor em nenhuma).

Kaylor Navas foi, mais uma vez, a figura da partida. Parou todos os remates dos holandeses e mesmo quando isso não foi possível, teve os ferros da baliza como aliados. A Holanda acaba por passar às meias-finais, mas qualquer equipa podia tê-lo conseguido. Nunca é demais elogiar o espírito de união e sacrifício desta equipa costa-riquenha que mostra ao mundo que da união se faz a força! Se querem voltar a ser finalistas, os holandeses vão ter de fazer muito melhor para vencer os argentinos.

A lei do mais forte

Prevaleceu a lógica e a primeira meia-final está definida. Alemanha e Brasil lutarão por um lugar na final do Maracanã.

No jogo que opôs a França à Alemanha, os alemães tiraram vantagem de excesso de respeito demonstrado pelos franceses. Ainda antes da França ter entrado no jogo, já Hummels tinha feito o 1-0. Sendo a Alemanha uma equipa de posse de bola, que normalmente domina o jogo do princípio ao fim, adivinhava-se uma tarefa difícil para os franceses que, ainda assim, podiam ter marcado, mas Benzema esteve muito perdulário e Neuer foi uma muralha intransponível.

Entre brasileiros e colombianos, assistimos a um verdadeiro jogo entre equipas sul-americanas. Grande entrega e algum excesso de faltas de ambas as equipas. O jogo da Colômbia foi prejudicado por um golo de Thiago Silva ainda dentro dos primeiro 10 minutos. Os colombianos entraram em stress e não tiveram cabeça para pôr a bola no chão e ir à procura do resultado com calma. Quiseram ir para cima do Brasil à toa e, com isso, beneficiaram os canarinhos que ampliaram a vantagem na segunda parte num livre muito bem executado por David Luiz. James ainda reduziu de grande penalidade, cometida por Júlio César sobre Bacca, mas era mais o desespero que a clarividência.

Franceses e colombianos podem ir para casa de cabeça bem levantada e é uma pena não ver nem mais um minuto do melhor jogador deste Mundial, James Rodríguez.

Mundial - Quartos de Final

A minha previsão feita antes do Mundial prognosticava estes jogos nos quartos de final. Como se pode ver, acertei apenas em 4 equipas.

Brasil - Uruguai

México - Itália

França - Portugal

Argentina - Alemanha

No dia 27, fiz aqui uma nova previsão e apenas falhei o México, que perdeu com a Holanda nos descontos.

Estes são os jogos dos quartos de final:

Brasil - Colômbia

França - Alemanha

Holanda - Costa Rica

Argentina - Bélgica

Desta vez vou divulgar já as minhas duas previsões para as meias finais (a que fiz antes do Mundial e a que vou fazer agora):

Antes do Mundial Agora
   Brasil - França         Brasil - França
  Itália - Argentina    Holanda - Argentina

 

Argentina 1 Suiça 0 (a.p)

E o Sporting Clube de Portugal estará representado nos quartos de final do Mundial do Brasil, pelo guerreiro Marcos Rojo!

Bom jogo de futebol com uma organização defensiva quase irrepreensível dos Suiços, que nunca se expuseram em demasia, mas ainda assim assustaram a baliza de Romero por mais que uma vez.

Mais uma excelente exibição de Rojo, com um pulmão inesgotável (correu mais de 12km) e uma entrega ao jogo que lhe é característica. Pena o cartão amarelo, que o afastará do jogo dos quartos de final, mas que poderá ser bom para que descanse e regresse em força, quem sabe para as meias finais. 

O jogo só foi resolvido no minuto 118, com Di Maria finalizar uma jogada a passe de Messi. Messi que, estranhamente, foi nomeado pela FIFA como "man of the match" depois de ter feito um jogo mediano, deveria estregar o troféu a Di Maria que foi sempre o mais inconformado e o mais perigoso, para além de ter resolvido o jogo.

Alemanha 2 Argélia 1 (a.p)

Excelente réplica da seleção argelina que com ou sem ramadão fez suar os arrogantes germânicos. Não gosto da Alemanha e muito menos do seu selecionador (aquele ar de superioridade que fez no golo de Ozil, irrita-me!). Slimani fartou-se de trabalhar e fez um jogo muito bom. A Argélia cai de pé e, 6ª feira às 17h, defrontar-se-ão as duas seleções que menos aprecio (Alemanha e França). Desta vez, estou pelos franceses (que segundo o meu prognóstico, feito ainda antes de começar o Mundial, serão um dos finalistas). Allez les blues!

Costa Rica 1 Grécia 1 (5-3 após g.p)

A surpresa deixou de o ser. Perante uma Grécia que parece um gato de rua que já gastou as suas sete vidas e depois tem sempre mais uma, a Costa Rica foi superior e mereceu a passagem inédita aos quartos de final deste mundial.
Confesso que já me chateia este tipo de jogo da Grécia, que parece uma equipa dos distritais que vai jogar à Luz ou a Alvalade (sem desrespeito pelas equipas dos regionais, até porque muitas delas jogariam o jogo pelo jogo, ao contrário dos gregos). Mesmo com um treinador português (facto que poderia levar-me a torcer pela passagem da Grécia), confesso que a minha vontade foi sempre ver a Grécia ser goleada por qualquer equipa que lhe aparecesse no caminho.
Os costa-riquenhos adiantaram-se no marcador ao 52 minutos por Bryan Ruiz. Estava confirmado o ascendente da Costa Rica perante a Grécia, mas aos 66 minutos Óscar Duarte foi explulso e os gregos, lentamente, foram desfazendo a estratégia hiper-defensiva. 

Os comandados de Jorge Luís Pinto mostraram garra e espírito de união até ao minuto 90, mas o jogo era com a Grécia (que tinha garantido a passagem aos oitavos de final nos descontos, de pénalti). Aos 90+1, Sokratis Papastathopoulos igualou a partida e forçou o prolongamento.

Este golo, em teoria, desmoralizaria os jogadores da Costa Rica que, também pelo facto de serem mais inexperientes, teriam grandes possibilidades de soçobrar. Nada mais errado...espírito de sacrifício, união, força de vontade e não menos importante, um estádio inteiro a torcer por eles. Aguentaram os 30 minutos do prolongamento, jogados sob pressão intensa dos gregos e levaram a decisão para a marca de grande penalidade.

Aí, Kaylor Navas foi o herói, ao defender o remate de Gekas. Não é menos importante referir que todos os marcadores de pénaltis da Costa Rica fizeram o seu papel - converteram as 5 grandes penalidades e fazer história!

Confesso que estou fã desta equipa da Costa Rica e que espero que mantendo a mesma atitude e competitividade, possam passar a Holanda.

Holanda 2 México 1

Fosse o futebol um jogo justo e o vencedor teria de ser decidido em 120 minutos ou grandes penalidades. Os mexicanos foram melhores que os holandeses em grande parte do jogo e adiantaram-se no início da segunda parte, por intermédio de Giovani dos Santos num excelente remate cruzado de fora da área.
Até aos 88 minutos o México geriu bem a vantagem, ora controlando o adversário, ora beneficiando de ter entre os postes um dos melhores guarda-redes deste Mundial (Guillermo Ochoa). Foi no minuto 88 que Wesley Sneijder empatou o jogo na sequência de um canto, em que a bola sobra para fora da área e só parou nas redes de Ochoa. O México tremeu e Pedro Proença deu 6 minutos de compensação. Eu já estava a esfregar a mãos de contentamento por mais 30 minutos de futebol, mas Rafael Márquez não quis...derrubou Robben na grande área e Huntelaar arrumou com o jogo convertendo o penálti que manda o México para casa.

Bom Mundial para os aztecas que tinham feito uma qualificação sofrível. Para a Holanda (finalista vencida do último Mundial) o sonho continua!

Colômbia 2 Uruguai 0

Mais uma grande exibição daquele que é, até ao momento, o melhor jogador (goleador e rei das assistências também!) do campeonato do Mundo, James Rodríguez!

Jogo praticamente de sentido único e domínio total dos colombianos perante um Uruguai que se ressentiu demais da ausência do genial, mas louco, Luis Suaréz.

Mais 2 golos de James. O primeiro é daqueles que estão apenas ao alcance dos génios da bola (não apenas pela execução, mas sobretudo pela intencionalidade de toda a ação) - a bola vem no ar e o jogador do Mónaco, antes de 'matar' no peito, teve tempo para olhar pelo 'canto do olho' para se enquadrar totalmente no tempo e no espaço e fazer aquilo que todo o mundo viu...receção orientada para um remate pronto, sem hipóteses para Muslera, que ainda tocou na bola com as pontas dos dedos. O segundo golo é uma tremenda jogada de equipa, a mostrar que para além do génio de James, há toda um equipa de qualidade para o seguir (e já ninguém se lembra que Falcao falhou o Mundial por lesão).

Excelente jogo em prespetiva para os quartos de final, frente à seleção anfitriã.

Brasil 1 Chile 1 (3-2 após g.p)

Por um centímetro se ganha, por um se pode perder!

Este primeiro jogo dos oitavos de final da Copa foi intenso e emotivo, embora não muito bem jogado.

Felipão apostou no onze habitual e julgo que a "canarinha" joga demais no coração, na força dos brasileiros que apoiam no estádio e na bola no Neymar, à espero que o menino resolva.
Os chilenos pareceram-me com a lição bem estudada, mais organizados e mais calculistas (o que é perfeitamente compreensível e inteligente).

Os brasileiros marcaram primeiro, por intermédio de David Luiz (a FIFA atribuiu o golo ao futuro jogador do PSG, mas continuo com dúvidas se não foi Jara quem introduziu a bola na própria baliza), mas a vantagem durou pouco mais de 10 minutos, quando Alexis Sanchez repôs a igualdade que prevaleceria até ao minuto 120.

Nas grandes penalidades, foi notória alguma ansiedade de ambas as partes. Acabaram por levar a melhor os brasileiros com penaltis convertidos por David Luiz, Marcelo e Neymar (falharam Willian e Hulk). Os chilenos converteram apenas duas grandes penalidades (Aránguiz e Marcelo Díaz) enquanto que Pinilla, Alexis Sanchez e Gonzalo Jara não conseguiram bater Júlio César (que defendeu os remates de Pinilla e Alexis). E como um centímetro pode fazer a diferença, o azarado Gonzalo Jara, que colocou bem o remate, não teve a sorte deste ter batido um centímetro mais dentro do poste, acabando a bola por percorrer a linha de golo e sair do lado contrário da baliza.

O Brasil segue em frente, rumo ao hexa num jogo em que a passagem não assentava mal aos chilenos.

Mundial - Oitavos de Final

Fiz uma previsão antes do Mundial e posso dizer-vos que sou péssimo nessa tarefa. Errei 7 das 16 equipas que passaram aos oitavos de final!

Previsão Realidade
Brasil - Espanha Brasil - Chile
Colômbia - Uruguai Colômbia - Uruguai
Holanda - México Holanda - México
Itália - Costa do Marfim Costa Rica - Grécia
França - Bósnia França - Nigéria
Portugal - Bélgica Alemanha - Argélia
Argentina - Equador Argentina - Suiça
Rússia - Bélgica Bélgica - Estados Unidos

Mas fazer previsões pode ser engraçado. Depois de ter falhado em quase metade das equipas, dificilmente posso fazer pior. 

QUARTOS DE FINAL

Brasil - Colômbia

França - Alemanha

México - Costa Rica

Argentina - Bélgica

E vocês, o que acham que vai acontecer?

 

Afinal nem era preciso um milagre!

Foi o melhor jogo de Portugal no mundial e, na verdade, os 4 golos de diferença pelos quais precisávamos de ganhar até poderiam ter entrado. Faltou competência na hora de finalizar. Cristiano Ronaldo falhou pelo menos três golos que o melhor CR7 não falharia. Éder foi inexistente no jogo e julgo que Varela tinha mesmo sido a melhor opção de início.

Todos os jogadores terminaram de rastos, o que diz muito sobre as condições em que todos chegaram a este campeonato do mundo. O jogo nem acabou sem a tradicional substituição por lesão. Desta vez foi o guarda-redes Beto o infeliz contemplado.

Bom esforço da seleção, mas em partes do jogo com pouca clarividência. 
Balanço negativo da participação na Copa. Não passámos por culpa própria, num grupo em que éramos sem dúvida a segunda melhor equipa.

É tempo de ponderar o futuro. Eduardo, Bruno Alves, Ricardo Costa, João Pereira, Raúl Meireles, Hélder Postiga, Hugo Almeida parecem-me os casos mais graves de falta de fulgor nas carreiras e de princípio de fim de ciclo. Há que renovar a seleção e preparar o futuro para que não corramos o risco de não estar presente no próximo Campeonato, que se realiza em 2016.

O milagre

Portugal joga amanhã às 17h (de Portugal continental), em Brasília, o último jogo do grupo G do Mundial. Há que acreditar no milagre, mas mais do que isso, há que lutar por ele!

É apenas isso que peço ao treinador e aos jogadores: luta, muita luta e, já agora, muita gana, pois os africanos serão um osso duro de roer. Vamos aproveitar que o presidente ganês já encheu os bolsos de dinheiro dos jogadores e encher-lhes um saco de bolas para levarem de volta para o Gana!
Paulo, não há que inventar (já o fizeste vezes de mais!). Esta é a equipa:

Beto: defende o que aparecer!
Bruno Alves: sê um muro intransponível!
Pepe: mostra o teu valor e não os teus defeitos e valoriza e respeita um país que te deu tudo!
Veloso e João Pereira: mexam o cú!
William: faz o que sabes!
Amorim: mostra lá ao Meireles como se faz!
Moutinho: dá um ar de tua graça!
Varela e Nani: carreguem para cima deles!
Ronaldo: nem precisas de correr muito. Usa o teu faro e põe a redondinha na baliza...3 vezes!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Posts mais comentados