Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Uma reflexão sobre as modalidades

Ecletismo e formação são as pedras basilares do nosso Clube. A maior parte das nossas modalidades mais representativas são hoje alvo de um forte investimento que tantas vitórias nos têm dado mas esse investimento tem algo mais para além do retorno positivo das vitórias; há também o reverso da medalha, que se reflecte na maior dificuldade em integrar os atletas da formação nas nossas equipas seniores.

 

Há que avaliar duas vertentes; será o investimento (e consequente aumento de qualidade) que trava a afirmação dos nossos atletas mais jovens ou somos nós que não os preparámos suficientemente bem para que cheguem ao topo com maiores capacidades para se imporem?

Ambas as coisas estão, a meu ver, interligadas e acho que o investimento nas modalidades, do qual sou defensor, se deve reflectir no seu todo e não apenas no topo da pirâmide.

 

Vem esta reflexão a propósito de algumas situações pontuais que verifico, enquanto sócio atento às nossas modalidades.

Não acho sustentável que o projecto do voleibol continue a ignorar a vertente formativa. O projecto faz sentido, veio enriquecer o universo das modalidades e, felizmente, o Museu do Sporting, mas não podemos pensar apenas no presente.

Tanto no feminino como no masculino, o Sporting tem de apostar na formação de atletas que possam no futuro abastecer as suas equipas seniores.

 

Comecei pelo voleibol mas este "apontamento" vem a reboque de uma situação que me tem preocupado, desde há uns dois/três anos e que até acho que já antes aflorei; a formação do nosso atletismo, que é a modalidade do Sporting mais titulada e, entre as históricas, uma das mais queridas dos sócios e adeptos.

Entendo os constrangimentos da formação até aos sub-18. Não sendo um expert na matéria, arrogo-me a descortinar um dos motivos que levam a que o Sporting não tenha um único representante nos campeonatos da Europa de sub-18; os atletas praticam a modalidade sobretudo a nível local e, na maior parte dos casos, só chegam ao radar dos "grandes" quando os atletas ingressam na universidade. Claro que isto não impede que, em Lisboa, hajam talentos com potencial que o Sporting possa integrar desde cedo mas continua a parecer-me que meios menos populosos potenciam mais a prática da modalidade que o meio urbano.

 

Entendo que, hoje, a representatividade do atletismo não seja a mesma de há uns anos, fruto da evolução de algumas modalidades, do aparecimento de outras e do menor espaço mediático do atletismo em Portugal. Assim sendo, vemos a modalidade fora do top 10 de federados no país, num momento em que a vertente amadora até se tem alastrado pelo país.

Há que reforçar o scouting, descobrir talento o mais cedo possível e tentar potenciá-lo, fazendo do atletismo uma modalidade de referência no nosso país, como já foi no passado.

 

Depois de divagar um pouco sobre as causas, chego à consequência que me parece mais preocupante. O Sporting, para além de não estar representado nos europeus de sub-18, não tem também um único atleta em representação de Portugal nos campeonatos do Mundo de sub-20.

É nesta idade que devemos, também, investir. Trazer para junto de nós os melhores do país, permitir que cresçam com o nosso "know-how" e evoluam num ambiente de treino de maior competitividade.

É nesta faixa etária que devemos aperfeiçoar as lacunas que, dentro dos meus conhecimentos, me parecem as maiores. Projectar parcerias ou protocolos com as universidades pode ser um ponto a favor na hora de decidir entre nós e o nosso maior rival. Tudo deve ser ponderado na hora de captar potencial. Não é negligenciável o valor humano e a experiência adquirida de grandes nomes da modalidade, como Carlos Lopes, Fernando Mamede, Francis Obikwelu ou Naide Gomes mas temos de dar tudo na hora de recrutar os melhores.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Ainda sobre o pleno das modalidades de pavilhão...

Mais do que uma tábua de salvação, algo a que nos agarramos para amenizar as frustrações do futebol masculino, estas e outras conquistas nas modalidades devem ser, acima de tudo, motivo de orgulho.

Não nos esqueçamos disso. Muito do que é o Sporting está assente na mística das modalidades.

 

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Um triplete para os tri-campeões

 

Supertaça, taça de Portugal e Liga SportZone. Três dos quatro títulos nacionais numa época que começou com a conquista da taça de Honra da Associação de Futebol de Lisboa.

Eu tinha dito que as lágrimas seriam de alegria. Que haveria "sangue" e suor. Os jogadores deram tudo, até ao limite das suas forças.

 

Poucas equipas responderiam com esta força a tantas adversidades. Castigos, lesões, desgaste e fadiga extrema, fruto de uma época longa e muito intensa.

Junte-se a isto um adversário forte, que este ano reforçou a equipa com jogadores de muita qualidade que mudaram por completo a abordagem do Benfica a muitos dos jogos no confronto directo connosco e tínhamos a receita perfeita para nos tirarem a possibilidade de fazer aquilo que ainda não tínhamos feito.

 

Mas os nossos foram bravos, estóicos. Esforçaram-se, dedicaram-se e juraram amor e devoção a um clube. Assumiram um compromisso com tal humildade e união que o desfecho só podia ser inédito.

O Sporting é tri-campeão nacional de futsal, vencendo assim o décimo quinto título em menos de trinta anos de campeonato nacional. A hegemonia é de tal forma acentuada que o Sporting venceu o sétimo título nas últimas nove temporadas.

 

Ao contrário da maioria das vezes, concordo com o que ontem disse o treinador do Benfica. Não me lembro de um jogo nos últimos anos em que o rival tenha assumido o controlo e o domínio do jogo durante tanto tempo, frente ao Sporting. Ao contrário do que eu pensava, sobretudo devido às condicionantes que já acima enumerei, o Sporting sentiu-se desconfortável com esse domínio do rival e não conseguiu jogar no erro.

A chegada de Robinho ao Benfica trouxe aos derbies uma variável nova mas, felizmente, o resultado final foi o mesmo. O Sporting soube reagir às adversidades, ao desconforto e veio à tona a raça à qual, na maior parte das vezes, nem precisamos de recorrer.

 

Sem João Matos, sem Cavinato, sem Deo e sem Djô. Com Cardinal, Diogo e Merlim condicionados num ou mais jogos da final. Sem Nuno Dias no banco nos últimos dois jogos e com o rival a precisar apenas de uma vitória em duas oportunidades. 

Só uma verdadeira equipa ultrapassava tudo isto. Só o Sporting poderia ser feliz nestas condições. Porque temos um grupo com qualidade, união e a experiência necessária para não tremer onde a maioria soçobraria.

 

Escolher um MVP de uma final com tantas incidências é complicado mas, pelas condições em que apareceu e sem ter jogado um único minuto em jogo corrido, tenho de escolher Gonçalo Portugal. O guarda-redes leonino foi chamado a intervir em situações de grande pressão, a "frio" e com grande competência e qualidade.

Nos últimos dois jogos da final, evitou dois golos de livre directo e quatro penaltis. Algo verdadeiramente improvável para qualquer guarda-redes do Mundo, muito menos nestas circunstâncias e frente a jogadores de grande qualidade.

 

Termino agradecendo a todos o empenho, dedicação e ambição demonstrados. Aos que ficam e aos que vão, que serão sempre parte do nosso Clube, imortalizados na sua história. As lágrimas que vi na maior parte de vocês, alguns ainda durante o jogo, tocaram-me. Não que eu não soubesse da vossa dedicação, do amor ao clube ou respeito pelos sócios e adeptos mas por poder constatar isso mesmo, sem filtros.

Um homem chora e ontem foram muitos os que o fizeram...de alegria, como eu tinha perspectivado.

Parabéns a todos!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Resultados dos atletas do Sporting nos Jogos do Mediterrâneo (em actualização)

 ANDEBOL (Manuel Gaspar e Nuno Reis) 

Grupo B | Espanha 34-22 Portugal
Grupo B | Grécia 28-28 Portugal
1/4 Final | Turquia 31-29 Portugal
5º-8º Lugares | Argélia 32-33 Portugal
5º/6º Lugares | Portugal 25-31 Eslovénia / 5º Lugar

 

 ATLETISMO 

4x100m M | 3º Ancuiam Lopes -  MEDALHA DE PRATA 
Comprimento M | Miguel Marques qualificou-se para a final mas não alinhou no dia decisivo -  RECORDE PESSOAL (7,75m) 
200m F | 11º Filipa Martins
400m F | 5º Cátia Azevedo
5000m F | 2º Inês Monteiro -  MEDALHA DE PRATA 
400m barreiras F | 5º Andreia Crespo
4x400m F |
 5º Filipa Martins / Andreia Crespo / Cátia Azevedo
Disco F | 4º Irina Rodrigues
Comprimento F | 5º Evelise Veiga -  RECORDE PESSOAL (6,61m)  / MÍNIMOS EUROPEU SENIORES  / RECORDE NACIONAL SUB-23 
Vara F | 7º Marta Onofre
              7º Maria Leonor Tavares 
Triplo F | 6º Patrícia Mamona

 

 CICLISMO 

Prova de Fundo | 5º Mario Gonzalez m.t
                              6º Joni Brandão m.t
                              9º Frederico Figueiredo m.t
                            11º Alvaro Trueba m.t

 

 JUDO 

-81Kg / Quartos-de-Final | Anri Egutidze foi derrotado (ippon) pelo grego Alexios Ntanatsidis
-81Kg / Repescagem 1 | Anri Egutidze venceu Aristos Michael (Chipre) por ippon.
-81Kg / Repescagem 1 | Anri Egutidze venceu Ashraf Moutii (Marrocos) por ippon.
-81Kg / Combate Bronze | Anri Egutidze venceu Alfonso Solana (Espanha) por waza-ari -  MEDALHA DE BRONZE 

 

 NATAÇÃO 

200m livres M | 16º João Vital
1500m livres M | 6º Guilherme Pina
50m bruços M | 7º Alexis Santos
100m bruços M | 17º Alexis Santos
50m costas M | 7º Alexis Santos
100m costas M | 12º Francisco Santos 
200m costas M | 13º Francisco Santos
                            15º João Vital
200m estilos M | 3º Alexis Santos -  MEDALHA DE BRONZE 
400m estilos M | 3º João Vital -  MEDALHA DE BRONZE 
50m livres F | 22º Inês Fernandes
50m costas F | 12º Inês Fernandes
50m mariposa F | 17º Inês Fernandes
100m mariposa F | 14º Inês Fernandes
200m estilos F | 10º Inês Fernandes

 

 REMO 

LM 1x / Qualificação | Pedro Fraga apurado para as meias-finais
LM 1x / Meias-Finais | Pedro Fraga apurado para a final A
LM 1x / Final A | 2º Pedro Fraga -  MEDALHA DE PRATA 

 

 TÉNIS DE MESA 

Individual - 1ª Fase / Grupo G | Diogo Carvalho 0-4 Alexandre Robinot (7-11; 4-11; 15-17; 8-11)
Individual - 1ª Fase / Grupo G | Diogo Carvalho 4-0 Sadush Tosuni (11-8; 11-4; 11-7; 11-3)
Individual - 1ª Fase / Grupo G | Diogo Carvalho 4-0 Kreshnik Mahmuti (11-5; 11-3; 11-6; 11-5)
Individual - 2ª Fase / Grupo I | Diogo Carvalho 1-4 Omar Assar (7-11; 6-11; 7-11; 13-11; 5-11)
Individual - 2ª Fase / Grupo I | Diogo Carvalho 4-1 Ibrahim Gunduz (6-11; 11-9; 11-8; 11-8; 11-9)
Individual - 2ª Fase / Grupo I | Diogo Carvalho 4-2 Marios Yiangou (11-7; 9-11; 6-11; 12-10; 11-9; 13-11)
Individual - Quartos-de-Final | Diogo Carvalho 1-4 Alexandre Robinot (6-11; 5-11; 11-8; 6-11; 4-11)

Colectivo - 1ª Fase / Grupo B | Portugal 0-3 Eslovénia
                                                 Pares | Diogo Carvalho / Diogo Chen 0-3 Jorgic / Tokic (5-11; 7-11; 9-11)
Colectivo - 1ª Fase / Grupo B | Portugal 3-1 Grécia
                                         Singulares | Diogo Carvalho 1-3 Konstantinos Angelakis (4-11; 10-12; 11-9; 6-11)
                                                 Pares | Diogo Carvalho / Diogo Chen 3-1 Konstantinopoulos / Sgouropoulos (11-4; 4-11; 11-9; 11-7)
                                         Singulares | Diogo Carvalho 3-1 Sgouropoulos (9-11; 11-8; 11-8; 11-6)
Colectivo - Quartos-de-Final | Portugal 3-1 Itália

Colectivo - 3º / 4º Lugares | Portugal 3-2 Espanha -  MEDALHA DE BRONZE 
                                   Singulares | Diogo Carvalho 1-3 Machado Sobrados (11-5; 8-11; 10-12; 6-11)
                                           Pares | Diogo Carvalho / Diogo Chen 3-1 Franco Medina / Machado Sobrados (7-11; 11-4; 11-8; 11-3)
                                   Singulares | Diogo Carvalho 0-1 Cantero Juncal (6-11; 11-7; 7-11; 11-7; 11-6)

 

 TIRO 

P10m | 3º João Costa -  MEDALHA DE BRONZE 

 

 TIRO COM ARCO 

Individual | 17º Jorge Alves (Eliminado nos 16avos-de-final por 0-6, frente ao esloveno Rok Bizjak)
Colectivo | 5º Portugal (Jorge Alves) - Eliminado nos Quartos-de-Final por 4-5, por um ponto, frente à Eslovénia, que viria a vencer a medalha de prata

 

 VOLEIBOL DE PRAIA 

1ª Fase / Grupo A | Kibinho / Roberto Reis 2-0 Berisha / Mustafa (21-11; 21-12)
1ª Fase / Grupo A | Kibinho / Roberto Reis 0-2 Rossi / Caminati (15-21; 13-21)
Oitavos-de-Final | Kibinho / Roberto Reis 0-2 Gauthier / Thiercy (14-21; 19-21)

 

Live Streaming (link)

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

É Sporting! É Portugal!

O Sporting vence na Luz (5-5 / 0-2 g.p) e é no João Rocha que tudo se vai decidir...

 

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Um dos maiores escândalos de sempre do futsal nacional

Espero que alguém tenha gravado o jogo para compilar todos os lances polémicos do mesmo. Este entra directo para o top dos maiores escândalos de sempre do futsal português.

Só recordo uma coisa: quando a quatro minutos do final do encontro o Benfica reduz para 5-3, o resultado devia ser de 5-1. Os erros graves são incontáveis.

Isto não pode passar impune!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Carlos Nascimento voa para o Europeu

 

Carlos Nascimento foi a figura em destaque do Meeting de São João em Braga, ao vencer os 100 metros com 10.13 segundos, marca de qualificação A para o Campeonato da Europa de Berlim, ascendendo também ao quarto lugar na lista de portugueses de todos os tempos na disciplina, atrás do recordista Francis Obikwelu (9.86 segundos), de David Lima (10.05 segundos) e Carlos Calado (10.11 segundos).


Nascimento tirou 20 centésimos de segundo ao seu recorde pessoal, que datava de 19 de junho de 2016. Este é o segundo recorde pessoal do pupilo de José Silva esta época, depois de a 18 de fevereiro se ter tornado o terceiro português de sempre nos 200 metros em pista coberta, com 21.25 segundos.


Carlos Nascimento é agora o 14º no ranking europeu de 2018, numa lista liderada pelo britânico Zharnel Hughes com 9.91 segundos.

Para além deste registo, caíram mais 10 recordes pessoais, que evidenciam a progressão dos nossos atletas na mais variadas disciplinas. Fiquem com os resultados dos atletas do Sporting no meeting de S. João:

 

100m M (Final) - 1º Carlos Nascimento - 10,13'' Novo Recorde Pessoal / Mínimos Campeonato Europa
                            6º Francis Obikwelu - 10,60''
                            Elim - Miguel Tapadas - 11,16''

100m barr (Final) - 3º Catarina Karas - 14,40'' Novo Recorde Pessoal

Salto Altura M (Final) - 3º Francisco Barreto - 1,98m
                                       6º Tiago Boucela - 1,98m

Triplo Salto F (Final) - 3º Anabela Neto - 12,69m

100m F (Final) - 4º Carla Gama - 12,02''
                           6º Catarina Karas - 12,23'' 

400m F (Série) - 1º Dorothé Évora - 54,94m

400m M (Série) - 2º Tiago Horta - 48,09'' Novo Recorde Pessoal
                            3º Soufiane Bouhadda - 48,14''

400m barr F (Série) - 1º Andreia Crespo - 58,47''
                                    6º Cíntia Silvestre - 1'07,25''

400m barr M (Série) - 6º Martim Faustino - 56,09''

800m M (Série) - 6º António Rodrigues - 1'52,50''
                            9º Filipe Magalhães - 1'54,72''

Lançamento Peso M (Final) - 1º Marco Fortes - 17,37m

5000m F (Série) - 1º Catarina Ribeiro - 15'51,05'' Novo Recorde Pessoal 
                              6º Ana Ferreira - 16'42,28''
                            10º Sara Duarte - 17'52,68''
                            12º Catarina Guerreiro - 18'19,69''

Salto Comprimento M (Final) - 6º Marcos Caldeira - 7,44m
                                                    7º Bruno Costa - 7,44m

Salto Altura F (Final) - 1º Anabela Neto - 1,74m

1500m F (Série) - 6º Beatriz Rodrigues - 4'33,23''
                            11º Lília Martins - 4'40,95'' Novo Recorde Pessoal
                            12º Sandra Teixeira - 4'44,71''

1500m M (Série B) - 1º Martim Monteiro - 3'53,99'' Novo Recorde Pessoal
                                  3º Jorge Moreira - 3'58,31'' Novo Recorde Pessoal

1500m M (Série A) - 1º Paulo Rosário - 3'44,13''
                                10º Rúben Sousa - 3'48,99''
                                14º Luís Monteiro - 3'52,27'' Novo Recorde Pessoal

5000m M (Série A) - 2º Bruno Albuquerque - 14'04,03''
                                  3º Miguel Marques - 14'04,35'' Novo Recorde Pessoal 
                                  4º Hugo Correia - 14'16,53'' Novo Recorde Pessoal 
                                  5º Fernando Serrão - 14'18,90'' Novo Recorde Pessoal 

 

* * *

 

Também ontem, realizou-se o Meeting José Custódio, em Lisboa, na Pista Professor Moniz Pereira. Ficam abaixo os resultados:

 

800m F (Final) - 3º Daniela Godinho - 2'25,98''

Lançamento Peso F (Final) - 1º Jéssica Inchude - 17,11m
                                                 3º Francislaine Serra - 15,03m

Lançamento Disco M (Final) - 2º Mykyta Sudashov - 45,19m
                                                   4º Francisco Fernandes - 36,06m

Lançamento Disco F (Final) - 2º Jéssica Inchude - 48,33m

Salto Vara F (Final) - 1º Cátia Pereira - 4,20m

Lançamento Dardo M (Final) - 1º Tiago Aperta - 68,93m
                                                   4º Francisco Fernandes - 50,84m
                                                   5º Ilírio Nazaré - 50,81m

Lançamento Peso M (Final) - 3º Mykyta Sudashov - 14,42m

Lançamento Disco F (Final) - 1º Cleide Lopes - 44,36m (Juniores)

Lançamento Peso M (Final) - 2º Tiago Silva - 14,67m (Juniores)

Lançamento Disco M (Final) - 1º André Carvalho - 39,71m (Juvenis)

Lançamento Peso M (Final) - 2º André Carvalho - 11,32m (Juvenis)

Lançamento Dardo F (Final) - 3º Inês Ferrinho - 19,63m (Iniciados)
                                                  4º Lara Silva - 15,22m (Iniciados)
                                                  5º Margarida Diniz - 12,70m (Iniciados)
                                                  6º Mariana Ribeiro - 11,31m (Iniciados)

Estafeta 4x80m M (Final) - 2º Sporting CP (José Sacadura, Francisco Miguel, Diogo Pontes e Haivan Almeida) - 39,01'' (Iniciados)

Estafeta 4x80m F (Final) - 2º Sporting CP (Maria Silva, Margarida Diniz, Mariana Ribeiro e Inês Ferrinho) - 45,12'' (Iniciados)

Lançamento Martelo M (Final) - 1º Rodrigo Rocha - 21,35m (Infantis)
                                                      2º João Penacho - 20,33m (Infantis)

Lançamento Martelo F (Final) - 3º Leonor Filipe Rocha - 25,01m (Infantis)

Lançamento Dardo M (Final) - 1º Eduardo Cabral - 21,19m (Infantis)
                                                    2º Rodrigo Rocha - 20,68m (Infantis)

Lançamento Dardo F (Final) - 3º Marta Alves - 14,22m (Infantis)

Estafeta 4x60m M (Final) - 1º Sporting CP (Eduardo Cabral, Dinis Morgado, Rodrigo Ramos e João Penacho) - 31,66'' (Infantis)

Estafeta 4x60m F (Final) - 2º Sporting CP (Marta Alves, Diana Sousa, Leonor Rocha e Alice Fonseca) - 32,84'' (Infantis)

Lançamento Disco M (Final) - 1º Herédio Costa - 41,02m (Veteranos 45)

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Só na playstation

O Sporting eSports apurou-se ontem para a terceira final da época. Depois da final da Taça da Liga e da Taça de Portugal, ambas perdidas para o Grow Up eSports, chega a vez de disputar a final da Liga Portuguesa.

Foi uma noite de emoções fortes, com ambas as meias-finais dos playoff disputadas a três jogos. Na "negra", levaram a melhor o Sporting CP e a For The Win Legacy, 2º e 1º classificados da Liga, em igualdade pontual.

A final será disputada à melhor de cinco jogos, tendo o Sporting CP desvantagem à partida, por ter sido 2º classificado da fase regular. Essa desvantagem será reflectida na necessidade de vencer três jogos para nos sagrarmos campeões nacionais, visto que os empates valerão como vitória para o nosso adversário, fruto da melhor performance na fase regular, onde o confronto directo acabou com um empate e uma vitória para a For The Win Legacy.

A final disputa-se hoje, às 21:30h, com transmissão em directo na RTP Arena (link 1 / link 2).

Boa sorte, Sporting CP eSports!

Fiquem com a acção da noite passada, onde se disputaram seis grande jogos.

 

 

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Destaques do fim-de-semana

SENIORES MASCULINOS SÃO TRI-CAMPEÕES NACIONAIS DE JUDO POR EQUIPAS (SÉTIMO TÍTULO NOS ÚLTIMOS OITO ANOS)

Foto de Anri Egutidze.

 

ATLETAS DO SPORTING SOBEM AO PÓDIO UMA DEZENA DE VEZES NAS SUPER-FINAIS (TRAMPOLINS) DE GINÁSTICA

Foto de Sporting Olympics - Gabinete Olímpico do Sporting Clube de Portugal.

DIOGO ABREU e DIOGO GANHINHO campeões nacionais elite, em trampolim sincronizado
DIOGO ABREU campeão nacional elite, em trampolim individual
ANDRÉ NUNES vice-campeão nacional sénior, em trampolim individual
RAFAEL DOMINGUES vice-campeão nacional elite, em duplo mini trampolim (DMT)
INÊS MARTINS vice-campeã nacional elite, em DMT
MIGUEL MAGALHÃES e DUARTE FERNANDES 3º lugar em trampolim sincronizado - elite
BRUNA LI e TATIANA LI 3º lugar em trampolim sincronizado - elite
JOÃO DUARTE campeão nacional juniores elite, em trampolim sincronizado
BRUNA LI 3º lugar sénior, em DMT
DIOGO MARTINS e AFONSO FERNANDES campeões nacionais seniores, em trampolim sincronizado

 

EVELISE VEIGA E EDUJOSE LIMA CONQUISTAM TRÊS MEDALHAS NOS CAMPEONATOS DO MEDITERRÂNEO, EM ATLETISMO

Veiga Lima.png

EVELISE VEIGA (Medalha de ouro no salto em comprimento e Medalha de prata no triplo-salto)
EDUJOSE LIMA (Medalha de bronze no lançamento do disco)

 

INICIADOS SÃO CAMPEÕES NACIONAIS DE FUTEBOL

Image result for sporting campeão iniciados

 

JUVENIS SÃO BI-CAMPEÕES NACIONAIS DE FUTSAL (6º TÍTULO NACIONAL CONSECUTIVO, A CONTAR COM AS 4 TAÇAS NACIONAIS ENTRE 2013 E 2016)

Foto de Sporting Clube de Portugal - Futsal.

 

CADETES FEMININAS SÃO CAMPEÃS NACIONAIS DE JUDO, POR EQUIPAS

Foto de Judo Sporting Clube de Portugal.

 

SUB-14 MASCULINOS VENCEM A TAÇA DISTRITAL DE BASQUETEBOL

Foto de Sporting Clube de Portugal - Basquetebol.

 

TRÊS PÓDIOS NOS NACIONAIS INDIVIDUAIS DE JUDO, EM CADETES

Foto de Judo Sporting Clube de Portugal.

NINI VARZDUKASHVILI (-63kg) - Medalha de Prata
EDUARDO SIMONETTA (-60kg) - Medalha de Bronze
MARIA VITÓRIA (-44kg) - Medalha de Prata

 

LUÍS COSTA SOBE DUAS VEZES AO PÓDIO NA SUIÇA, EM PROVAS C1 DA UCI (2º NO CONTRA-RELÓGIO INDIVIDUAL E 3º NA PROVA EM LINHA, EM H5)

Foto de Luis Costa - Paraciclista.

 

DIOGO RIBEIRO VENCE PROVA DE CICLISMO - JUNIORES - DO LVIII CIRCUITO SAN ANTONIO DE BOLLULLOS PAR DEL CONDADO, EM HUELVA (ESPANHA)

 

SALOMÉ AFONSO BATE O SEU RECORDE PESSOAL DOS 800M, NO MEETING IBEROAMERICANO DE ATLETISMO, EM HUELVA (ESPANHA)

Salomé Afonso.png

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Juvenis do Sporting são bi-campeões nacionais de futsal

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Compromisso, união, solidariedade, entrega, foco, ambição...e glória!

Foto de Marcelo Santos.

 

Não sou mais do que ninguém por isso mas nunca duvidei de nenhum dos nossos homens do hóquei em patins. Desde o treinador e restante staff técnico e directivo a cada um dos jogadores.

Procurei por aqui palavras de desânimo da minha parte para com eles. Não encontrei.

Relembrei conversas com amigos. Nem uma dúvida.

Se os adversários eram fortes e de respeito? Com certeza.

Se tinham mais "calo" e mais talento? Admito.

Mas não tinham o nosso compromisso, união, solidariedade, entrega, foco e ambição. Não tinham a fé desmedida na sua qualidade e capacidade de superação. Não estavam como nós, sedentos de glória.

 

Os grandes ataques ganham jogos. As grandes defesas arrebatam os campeonatos. 

Sempre o ouvi dizer e, salvo raras excepções, acredito que a velha máxima se mantém.

A equipa liderada por Paulo Freitas sofreu apenas 44 golos em 25 jogos. Menos 20 que o Benfica, até ao momento a segunda melhor defesa do campeonato.

A nossa solidariedade e rigor em campo valem a segunda melhor defesa das ligas top 3 da Europa, apenas atrás do Barcelona (sofreu 47 golos em 30 jogos), campeão espanhol, vencedor da copa do Rey e campeão europeu em título.

Estes números valem um dos melhores registos defensivos da história da competição, provavelmente até um novo recorde.

 

Nunca tive dúvidas que tínhamos capacidade para enfrentar este ciclo final do campeonato. Nunca tive dúvidas que todos os atributos já trás enumerados nos aproximariam da vitória frente a adversários ofensivamente melhor apetrechados que nós.

Disse-o há uns meses: Paulo Freitas e a estrutura directiva do hóquei do Sporting foram muito inteligentes na preparação da temporada e na forma como apetrecharam a equipa, com vista à conquista do título. Fizeram-no com a consciência que a defesa era o sector a reforçar, dotando a equipa de elementos muito fortes na organização defensiva e com índices competitivos e de concentração acima da média. Exactamente o necessário para travar o fortíssimo poder ofensivo dos rivais directos. Alicerçou tudo isto com uma dinâmica de grupo muito forte.

 

A segurança defensiva de Girão, Platero e Magalhães, o talento de Font, Gil e João Pinto, a experiência e competência de Toni Pérez, Caio e Vítor Hugo (que também não faltava noutros elementos) e o contributo valiosíssimo do Zé Diogo que, na minha opinião, tem sido fundamental no crescimento do Girão, pelo que o obriga a trabalhar, pela forma como o motiva e pela cumplicidade evidente entre ambos.

Foi tudo isto e muito mais; alma, coração, orgulho próprio, sangue, suor, lágrimas e a estrelinha...a sempre necessária estrelinha de campeão, mais ainda quando partes para uma competição em que tens quatro equipas de nível muito semelhante.

A época completamente falhada da Oliveirense acabou por dificultar a tarefa do campeão que, se vencer a última jornada, fará a pontuação mais elevada dos últimos três campeonatos nacionais, sendo que este será o único onde 2º e 3º classificados ficarão ambos acima dos 60 pontos (este ano, tanto Benfica como Porto superaram os pontos do campeão da época passada).

Todas as particularidades da competição deste ano valorizam ainda mais a nossa conquista, de tal forma que até parece impossível que ainda falte disputar uma jornada.

 

É tempo de celebrar! É tempo de dar a todos os parabéns! É tempo de desejar um bom e merecido descanso! É tempo de lembrar que o peso e a responsabilidade de defender um campeonato exigirá de nós ainda mais de tudo o que tivemos este ano. Acabem o campeonato em grande, não se estraguem nas férias e cá nos encontramos para o ano. Obrigado!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Resultados do fim-de-semana (voleibol e basquetebol)

Resultados 12.png

Resultados 13.png

Resultados 14.png

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Resultados do fim-de-semana (andebol e hóquei em patins)

Resultados 9.png 

Resultados 10.png

Resultados 11.png

ANDEBOL

SENIORES

 

HÓQUEI EM PATINS

SENIORES (Resumo)

SENIORES (Jogo Completo)

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Sporting campeão da Europa de atletismo feminino em pista

O Sporting partia para o dia de hoje a treze pontos da liderança, ocupada pela equipa turca do ENKA (fruto da desqualificação na estafeta de 4x100m).

Duas vitórias nas primeiras duas provas do dia recolocaram o Sporting na luta e acabámos por chegar à prova decisiva em igualdade pontual.

A estafeta de 4x400 metros desfez as dúvidas e fez do Sporting novamente campeão europeu, depois do título em Mersin, há dois anos (no ano passado, por questões políticas e de segurança, a prova não se realizou).

Atletismo 2018.png

 

Vídeo retirado do blog O Artista do Dia

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Um universo paralelo

Foto de Sporting Rugby.

 

As modalidades do Sporting continuam a prosperar e a vencer competições, umas atrás das outras, demonstrando viver num universo paralelo e distante daquele em que habita o futebol profissional.

Modalidades que não dependem de departamentos de comunicação e onde o investimento normalmente aproxima a equipas das vitórias, alicerçado na qualidade dos intervenientes, independentemente do grau de profissionalismo das estruturas.

 

Ontem o Sporting voltou a ser campeão nacional de râguebi feminino, na vertente de sevens, repetindo a conquista da época passada.

Apenas em 24 horas, o nosso judo voltou a mostrar estar ao mais alto nível mundial (Anri Egutidze foi 5º, na China), o atletismo feminino vai lutando (embora em dificuldades) por mais um título europeu, o hóquei em patins venceu na Luz e é líder a duas jornadas do fim do campeonato, o futsal masculino e feminino continuam a sua luta pelos títulos nacionais, o andebol carimbou a presença na final da taça de Portugal e o voleibol feminino está a uma vitória do título nacional da 3ª divisão, no ano de estreia na competição.

Tudo isto apenas ontem e sabendo que o Sporting é já campeão de voleibol, andebol e ténis de mesa masculinos, entre muitos outros títulos nacionais em várias modalidades.

 

Isto prova que o investimento na qualidade e na competência dá frutos e o que difere do futebol é o número de variáveis a ponderar para obter o sucesso.

Acertar agulhas e equilibrar a competência nessas várias áreas será a chave do sucesso no futebol...pelo menos no masculino já que, no feminino, voltámos a ser campeãs nacionais e nos preparamos hoje para disputar, no Jamor, mais uma final da taça de Portugal.

Enquanto isto, no Peso da Régua, o andebol lutará também pela dobradinha e o voleibol estará em Paços de Ferreira para levantar o caneco da 3ª divisão de voleibol feminino.

 

Vamos lá a mais um dia de Sporting. Agenda Leonina para hoje (link).

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Ténis de Mesa é Tri-Campeão Nacional

Mais um ano perfeito da equipa liderada por Chen Shi Chao, com o pleno de títulos nacionais e a brilhante caminhada europeia que só terminou nas meias-finais, no ano de estreia no actual formato da prova.

Foi o nono título nacional em nove possíveis nas últimas três épocas. Um domínio avassalador que promete alargar-se na próxima época, com a possibilidade da equipa ser ainda reforçada, para atacar a Champions League.

Parabéns a todos os intervenientes em mais uma conquista para o Sporting Clube de Portugal, em especial aos atletas, que são quem joga e sua em cada vitória.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Leão rima com campeão

 

 

Jogo completo e festa do bi-campeonato de andebol

 

A performance desportiva das equipas de futebol feminino e de andebol do Sporting (apenas para mencionar os campeões consagrados este fim-de-semana) são um exemplo de excelência que deve servir de exemplo para o futebol.

Quem quer ganhar tudo joga sempre para vencer e não espera pelo último jogo para selar nenhum objectivo. No Sporting não se joga nunca para empatar e é bom que isso esteja presente em todos os que nos representam.

Parabéns aos nossos atletas e respectivas estruturas técnicas e directivas do andebol e futebol feminino, que são ambos bi-campeões nacionais e estarão ainda na decisão pelos títulos das respectivas taças de Portugal.

Excelência é isto! Esforço, dedicação, devoção e glória!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Ángel Dennis: "O Sporting é muito mais que um clube, é uma família"

Dennis 1.png

Dennis 2.png

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

O voleibol voltou...e ganhou!

Já deu para digerir todas as emoções vividas durante as mais de duas horas e meia de jogo, seguidas de uma hora de festa. Está libertada a tensão do encontro que fez do Sporting campeão nacional de voleibol, no ano em que a modalidade regressou ao Clube.

 

O jogo foi o que se esperava. Difícil, equilibrado, com momentos em que estivemos por cima e outros onde passámos por dificuldades.

Foi importante ganhar o primeiro set (25-19), que deu à equipa alguma tranquilidade.

O Benfica correu atrás do prejuízo e depressa ganhou uma vantagem que lhe permitiu gerir até ao final do segundo parcial (19-25).

O terceiro set era de extrema importância e foi decorrendo com algum equilíbrio, desfeito nos pontos finais pelo Benfica, que foi mais eficaz (22-25).

A pressão aumentou e já não havia margem de erro. Seria a terceira vez que, para ganhar, o Sporting teria de forçar o quinto set. Fê-lo com categoria, ganhando o quarto parcial com tranquilidade (25-17), graças a uma larga vantagem conseguida desde cedo.

O quinto e decisivo set foi emoção à flor da pele, nervos, insegurança e ganhou quem foi mais frio e feliz nos pontos finais. O passado recente, que fez cair as duas decisões a cinco sets para o nosso lado, poderá ter pesado nos encarnados. O Benfica chegou a ter a possibilidade de fechar o encontro mas o Sporting empatou, antes da estrelinha de campeão mostrar que estava lá. Um toque na tela, no penúltimo serviço do jogo fez cair para o nosso lado um resultado que nos estava a ser adverso e o ponto final foi impróprio para cardíacos, selando a vitória com um saboroso 16-14.

 

Vencemos nós, com justiça, como não deixaria de ser justo se tivesse caído para o lado do Benfica, num excelente espectáculo de voleibol com todos os condimentos que fazem de um evento desportivo um acontecimento apaixonante.

 

Foto de Sporting Clube de Portugal - Voleibol.

 

Por toda a desconfiança em torno do projecto, que se dispôs a fazer algo nunca antes visto no Clube, é mais do que merecida esta vitória. Nunca este grupo de trabalho se escudou dessas particularidades para desculpar o que quer que fosse.

Foram bravos, resilientes, competentes e fizeram de um projecto "piloto", se me é permitido o termo, um projecto vencedor. 

Toda a gente está de parabéns por mais este sucesso do Sporting, que tem algumas semelhanças com a histórica e inesquecível vitória da Taça CERS no ano do regresso do hóquei em patins como modalidade oficial.

 

Admito que, desde há alguns anos para cá, as modalidades e quem nos representa em todas elas têm ganho cada vez mais o meu respeito e um especial carinho. Ver o empenho e dedicação que todos demonstram e a "fibra" que temos readquirido nos últimos anos, tem em mim um efeito diferente daquele que sinto pelos protagonistas do futebol.

Talvez porque não ganham fortunas e não se sentem mais do que ninguém. Porque são profissionais, bem remunerados e com estatuto na sua modalidade, alguns deles ao nível de muitos dos que temos no futebol, mas não se colocam em bicos de pés.

Atletas que continuam a ter de provar o seu valor dia a dia, mesmo que sejam os melhores do Mundo, porque a modalidade que praticam não lhes permite reformarem-se amanhã e nunca mais fazer nada.
Cada vez mais são eles os que mais merecem o meu respeito e, hoje, mais uma vez o meu agradecimento por dignificarem e glorificarem o nome do Sporting Clube de Portugal.

Obrigado!

 

Nota final: Depois de uma casa construída pelo telhado e reforçada pelo sucesso, espero que o Sporting esteja a preparar os alicerces do seu futuro. Nenhum projecto sobrevive a médio/longo prazo sem se alimentar da formação e anseio por ver em breve umas largas dezenas de jovens de leão ao peito, prontos a seguir as pisadas de uma lenda como Miguel Maia.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

 

Hoje discute-se o primeiro título nacional da temporada, entre as modalidades de pavilhão. No Pavilhão João Rocha, o Sporting recebe o Benfica em voleibol para a "negra" que consagrará o Sporting como novo campeão nacional ou renovará o título ao Benfica.

Será o sexto título para o Sporting ou o segundo para os encarnados, que têm dominado a modalidade nos últimos anos, com quatro títulos em cinco possíveis.

 

Este regresso do Sporting foi algo atípico. É uma secção que respira Sportinguismo através do seu capitão (Miguel Maia), que não treina em Lisboa e que não vive o clube de perto.

Claro que temos atletas profissionais e de grande qualidade mas a identificação com o clube é algo importante. Sentir o pulsar do clube diariamente cria um vínculo importante que estes atletas só vivenciam em dias de jogo.

Felizmente têm sido brindados, ultimamente, com grandes apoios no Pavilhão João Rocha, factor que certamente dará aquele "boost" de motivação necessário para quebrar a hegemonia do Benfica.

 

O encontro de hoje será o oitavo entre as duas equipas, esta temporada. O Sporting conta cinco vitórias e três derrotas e o Benfica não venceu nenhum dos três encontros disputados no Pavilhão João Rocha.

Há que voltar a fazer valer o factor casa e culminar esta temporada com um Sporting campeão pela primeira vez desde 1994, período no qual o Sporting era hegemónico e viu a modalidade dissolvida pelo projecto Roquete, um ano depois.

Será difícil, o adversário tem valor e um projecto vencedor mas nós somos o Sporting e vamos mostrar o nosso valor.

Eu acredito!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal