Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Que tal está a Onda Verde?

Segue mais uma actualização das médias de assistência e taxas de ocupação dos três grandes, em casa e fora de casa.

Para se ter uma melhor percepção da realidade, vou comparar as médias de assistência em casa com e sem os jogos grandes, tal como as taxas de ocupação no próprio estádio. Fora, não vale a pena comparar a média de assistência, desde lodo porque os estádios onde cada um jogou têm lotações diferentes e, ainda por cima, há o já recorrente 'caso' de Arouca, onde Sporting e Porto jogaram, enquanto que o Benfica o fez em Aveiro.

Média em casa.png

A média de assistência no José Alvalade tem subido sustentadamente e nem a uma 2ª feira deixaram de estar quase 40 mil 'leões' no apoio à equipa.
No Dragão, sentem-se já os efeitos dos resultados. A média tem caído a pique.
Na Luz há um ligeiro decréscimo desde o derby com o Sporting, embora a tendência de descida tenha sido contrariada no último jogo em casa.

Média em casa sem grandes.png

É aqui que se vê a verdadeira militância. Os adeptos de jogo grande ficam de fora e é esta a análise que nos dá a perspectiva mais aproximada da 'realidade'. 
Sem os jogos grandes, neste momento, o Sporting tem uma média superior à de toda a época passada. A tendência crescente, volta a verificar-se.
No Dragão, nada de novo relativamente à análise anterior. A 'curva' do gráfico é idêntica mas os valores estão também acima da média de toda a época transacta.
Na Luz o valor sobe e desce ultimamente num intervalo curto. Ainda assim, os dois últimos jogos cifram as médias mais baixas da época e o Benfica é mesmo o único dos três grandes que cifra neste momento este valor médio específico inferior à média global do ano passado.

Percentagem ocupação em casa.png

A subida sustentada das médias coloca neste momento o estádio José Alvalade como o mais lotado do país (75% de taxa de ocupação média).
No Dragão, como é natural, a taxa de ocupação tem seguido a tendência da média de assistências. Depois de terem passado a maior parte da época como os que mais lotavam o estádio, os adeptos do Porto estão descrentes e são agora os que menos enchem as bancadas.
Na Luz, a taxa de ocupação está apenas ligeiramente acima da do Porto, num valor que tem oscilado sobretudo entre os 70/75%.

Percentagem ocupação em casa sem grandes.png

 

Passado o 'frenezim' de início de época dos rivais, o Sporting vem-se assumindo como o que maior percentagem de lugares ocupa no seu estádio nos jogos com os ditos 'pequenos'.
Benfica e Porto registam exactamente a mesma taxa de ocupação nos seus estádios.

Percentagem ocupação fora.png

 

Nos jogos fora, têm sido difícil contrariar a tendência. Os adeptos do Benfica são os que mais lotam os estádios dos adversários, os do Sporting têm seguido quase sempre na vice-liderança e os do Porto são os que têm demonstrado menos militância nos jogos fora.

Percentagem ocupação fora sem grandes.png

Não contabilizando os jogos grandes, a tendência de ocupação dos estádios adversários não se altera e os valores decrescem apenas ligeiramente.

Em jeito de conclusão, ha continuar a crescer e aumentar o apoio em casa mas, sobretudo, fora de casa. A Onda Verde quer o Sporting campeão!

Mitos e certezas

Ultimamente, muito tenho ouvido falar em fidelidade, ondas e números de adeptos falaciosos. É hora de cada um apelar à presença no estádio e vender os seus lugares anuais.

Quantas vezes já ouvi a teoria de que temos o estádio às moscas e que na nossa pior classificação de sempre jogávamos para 6 ou 7 mil pessoas! Pois, este post tem como objectivo encerrar certos mitos.

O Sporting, em 2012/2013, no ano trágico que nos deu a pior classificação de sempre da nossa história nunca jogou para menos de 19000 adeptos (na verdade até foram quase 20000) e na 27ª jornada, sem nada para vencer, foram mais de 30000 os presentes nas bancadas.

Quando afirmamos que somos diferentes: mais fiéis, mais dedicados, menos dependentes de resultados para nos fazermos sentir no apoio à equipa, sempre ouvimos um adepto rival a dizer que somos como os outros. Se ganhamos, enchemos o estádio, se perdemos somos meia dúzia. Isto é falso.

Este argumento é falso e a prova disso são os números, os irrefutáveis números.

São já treze temporadas sem vencer um campeonato e, ainda no velhinho Alvalade, registou-se a pior média de assistência de que me lembro: 14789 espectadores assistiram, em média, a cada jogo do Sporting. Ainda antes da construção dos novos estádios, fenómenos semelhantes aconteceram aos rivais.
Em 2002/2003 a média de assistências no Estádio da Luz foi de 22541 espectadores e, em 2000/2001, o Porto registou uma média de 17776 espectadores.

No novo milénio (15 épocas), apenas por uma vez o Sporting foi o clube com melhor média de assistências no seu estádio (28814, em 1999/2000).

Neste mesmo período, o Benfica teve 9 vezes a melhor média dos 3 grandes mas apenas nas últimas 6 épocas (curiosamente, os anos que Jorge Jesus passou na Luz) o conseguiu de forma consistente.

Nas restantes 5 temporadas, foi o Porto a superar os rivais, colocando no seu estádio mais adeptos (todas entre 2002/2003 e 2008/2009).

As temporadas deste milénio jogadas nos antigos estádios não trouxeram médias famosas e os números máximos são até muito semelhantes: Sporting (28814), Benfica (29924) e Porto (28248).

O Euro 2004 e os novos estádios tiveram o condão de 'acordar' os adeptos. A maior comodidade dos estádios, bem como a modernização a eles adjacente atraíram mais pessoas aos estádios.

No novo Estádio José Alvalade, as médias oscilam entre os 24606 e os 34988 espectadores.

No novo Estádio da Luz, as médias andam entre os 28395 e os 50033 espectadores.

No novo Estádio do Dragão, as médias foram entre 28685 e 38781 espectadores.

Curiosamente, o que se observa é que os que mais parecem andar ao sabor dos resultados são os adeptos do Benfica. A difereça de 21638 espectadores entre a melhor e a pior média no novo Estádio mostra isso mesmo. Se englobarmos todas as épocas do novo milénio, a média sobe para 27492 de diferença entre as épocas de menor e maior afluência.

Desde que o novo José Alvalade foi edificado, o diferencial resultante das médias de assistências foi de 10382. Analisando todo o novo milénio, esse diferencial sobe para 20199.

No caso do Porto (o clube que mais vitórias alcançou neste período) a diferença é idêntica à do Sporting. 10096 no novo estádio e 21005 neste novo milénio.

Em 15 temporadas as diferenças globais não são tão significativas quanto se quer fazer crer. O Sporting é, dos 3 grandes, aquele que menor média de assistências regista mas sem que se registem diferenças brutais e desadequadas aos universos de adeptos dos três clubes.
- Benfica (36959)
- Porto (31918)
- Sporting (28069)

Como se pode verificar, mesmo com um número reduzido de vitórias (apenas dois campeonatos em 15 épocas, ambos nas primeiras três temporadas deste novo milénio), os Sportinguistas são aqueles que menos definem o seu apoio pela posição na tabela classificativa.

Este tipo de análise não pretende, ao contrário das de outros clubes, assumir nenhuma espécie de superioridade. Pretende apenas desfazer mitos e comprovar factos. Não somos os que mais adeptos levamos aos estádios mas somos os mais fiéis e resilientes. Somos os mais dedicados e apaixonados e não dependemos de vitórias para estar ao lado da equipa de futebol.

Não nos assumidos como diferentes porque sim nem queremos com isso parecer melhores que ninguém. Somos diferentes e isso é um facto.

Agora, resta esperar que o efeito Jorge Jesus se faça sentir da mesma forma do que quando chegou ao Benfica (no primeiro ano de Jorge Jesus, a média subiu quase em 15000 espectadores) onde aparentemente, os adeptos iam ver a equipa que ele treinava e não a equipa da 'estrutura', que já era a mesma há quase uma década.

Para já, 20000 Gameboxes vendidas em cerca de duas semanas, parecem bom prenúncio.

Segue o infograma completo:

Média Assistências Global.png

 

Fontes: http://www.european-football-statistics.co.uk/attn.htmhttp://www.ligaportugal.pt/oou/estatisticas/espectadores/

A onda verde e a bazófia do costume

Tenho vindo a registar as assistências dos três grandes nas várias competições. Não era suposto fazer este balanço agora mas...
Farei a média com e sem os jogos grandes, pois Porto e Sporting beneficiam nos jogos fora do facto do Estádio da Luz ter uma lotação superior aos Estádios José Alvalade e do Dragão.

Vou limitar a análise aos jogos da liga, depois de já ter feito o mesmo no final da fase de grupos da Liga dos Campeões, onde o Sporting foi o líder em assistências no seu próprio estádio.

SPORTING

Nº total de jogos: 20

Jogos em casa: 11

Jogos fora: 9

Média de espectadores em casa: 35268

Média de espectadores fora: 16291

Média de espectadores em casa, excepto grandes: 33431

Média de espectadores fora, excepto grandes: 10590

 

PORTO

Nº total de jogos: 20

Jogos em casa: 10

Jogos fora: 10

Média de espectadores em casa: 33152

Média de espectadores fora: 9988

Média de espectadores em casa, excepto grandes: 31490

Média de espectadores fora, excepto grandes: 6876

BENFICA

Nº total de jogos: 20

Jogos em casa: 9

Jogos fora: 11

Média de espectadores em casa: 43451

Média de espectadores fora: 16541

Média de espectadores em casa, excepto grandes: 41146

Média de espectadores fora, excepto grandes: 9419


Confirma-se, mais uma vez que a onda verde percorre o país. O Sporting é, até ao momento, a equipa que mais adeptos leva aos jogos fora de casa se excluirmos os jogos entre os grandes, onde o Benfica beneficia do facto de já se ter deslocado ao Dragão e a Alvalade.

Incluí as médias sem os jogos grandes, pois é aí que se verifica a verdadeira militância e não nos jogos de grande cartaz. Aí, não só ultrapassamos a média registada pelo Porto, como nos aproximamos daquela que regista o Benfica.

Espero que seja possível manter até ao final da temporada esta média superior a 35000 espectadores, nos jogos em casa.

NOTA: Apenas porque me fartei de ouvir durante a semana a bazófia habitual por parte dos lampiões, com bocas do género, "Só enchem o estádio quando jogam contra nós", aqui vão uns dados estatísticos irrefutáveis.

Apenas uma vez o Benfica conseguiu pôr no seu próprio estádio mais do que os 49076 espectadores que se deslocaram a Alvalade e...adivinhem com quem foi?! Para além disso, o estádio José Alvalade, no derby, registou uma taxa de ocupação superior ao derby jogado na Luz na primeira volta (98.07%, contra 95.75%).

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Posts mais comentados