Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Quando pareciam reunidas as condições para que a final da taça de Portugal se pudesse disputar dentro da normalidade possível, Bruno de Carvalho voltou falar.

Peço apenas a todos os que nos representarão em campo que façam o melhor pelo Sporting, por eles e por nós, adeptos, que não temos culpa e somos impotentes para travar tudo o que se tem passado.

Ganhem a taça, festejem com os que estiverem no Jamor (que lá vão pelo Sporting e por vocês) e confiem que tudo se resolverá pelo melhor.

A tranquilidade regressará. 

Força! Sporting Sempre!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

O dia de ontem esteve longe de ser bom. 

A derrota do hóquei, que acabou com o sonho da Liga Europeia. A derrota do andebol, que pôs fim a uma série de vitórias histórica. A derrota dos juniores no Seixal, que entregou o título ao Benfica. A derrota na quinta etapa do nacional de rugby feminino (sevens), que adiou a possibilidade de renovar o título na competição e a derrota do futsal feminino, também com o Benfica, que nos deixou fora da Taça de Portugal.

Demasiadas derrotas para um clube que se quer vencedor. Só o futsal masculino manteve a normalidade e ultrapassou com classe o Benfica, com uma exibição consistente e de qualidade, em dar hipóteses de sucesso ao rival.

 

Hoje é dia de vencer mais uma taça de Portugal de futsal, num dia histórico para o GD Fabril, adversário inédito nesta fase da prova.

A equipa de futebol feminino pode confirmar a presença das duas equipas seniores de futebol nas respectivas finais do Jamor, enquanto que o voleibol feminino fecha hoje uma época de estreia perfeita, com o último jogo do campeonato nacional da terceira divisão, onde o Sporting já é campeão.

Há ainda a última etapa da Vuelta Aragón, onde o Sporting/Tavira pode tentar sobressair na etapa decisiva, em terreno montanhoso, com Alejandro Marque com hipóteses na geral individual e a equipa classificada em quinto, na tabela colectiva.

 

O prato forte do dia fica para as 18 horas, com a deslocação da equipa de futebol aos Barreiros, onde o Marítimo promete dificultar muito a vida ao Sporting na luta pelo acesso à Champions League da próxima época.

Uma vitória garante o acesso às fases preliminares da liga dos milhões e atira o Benfica para a Liga Europa.

Após mais uma semana internamente conturbada, com recados e respostas completamente desnecessárias, confio numa boa resposta da equipa, após dias em que me senti pouco confiante.

Acho que os jogadores deixarão tudo em campo e tudo farão para terminar a época com duas vitórias antes de um defeso que se adivinha conturbado.

 

Enquanto isto, os nossos iniciados, vão empatando a uma bola no Olival, com o Porto, num jogo que é importante vencer para não deixar fugir o Benfica na classificação geral.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Déjà vu: um dia repleto de Sporting

Eu já vi este filme! Não tentem dizer-me que não...

Os rapazes de verde-e-branco de patins calçados e stick em punho. Uma meia-final em casa do adversário. O Reus como possível oponente na final.

Eu já vi este filme! E fiquei muito feliz no final!

 

Admito, o Sporting não é o favorito a vencer a Liga Europeia de hóquei em patins. Do outro lado está a equipa do Porto, crónico finalista (sempre vencido desde a nova designação) e actual líder do campeonato nacional. 

O Porto tem oito finais perdidas nos últimos vinte e um anos, duas delas perdidas em casa. Uma para o Bercelona (o último dos presentes na final-four deste ano) e outra para o Benfica.

Resumindo, teremos de ultrapassar a equipa da casa, campeã nacional em título e líder do nosso campeonato para depois nos cruzarmos com o campeão europeu ou o actual campeão espanhol, que também lidera destacado a OK Liga deste ano.

 

O Sporting é o underdog e já se deu bem com este estatuto.

Eu já vi este filme! E acaba com o levantar de uma taça e pessoas a chorar de alegria. No ringue e em casa.

Não tenham medo de ser felizes!

 

Mas nem só de uma meia-final europeia se faz este, sábado, que tem três derbies decisivos, dois deles em meias-finais da taça de Portugal. As equipas masculina e feminina tentarão, em Gondomar, ultrapassar o eterno rival e marcar ambos presença nas respectivas finais da prova rainha.

Também a contar para a Taça de Portugal joga a equipa de futebol feminino, que enfrentará o Estoril, um osso que se tem mostrado bem duro de roer.

 

Mas há mais, muito mais, como se pode comprovar com uma Agenda Leonina (link) com 49 eventos desportivos para acompanhar este sábado.

 

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

 

Hoje discute-se o primeiro título nacional da temporada, entre as modalidades de pavilhão. No Pavilhão João Rocha, o Sporting recebe o Benfica em voleibol para a "negra" que consagrará o Sporting como novo campeão nacional ou renovará o título ao Benfica.

Será o sexto título para o Sporting ou o segundo para os encarnados, que têm dominado a modalidade nos últimos anos, com quatro títulos em cinco possíveis.

 

Este regresso do Sporting foi algo atípico. É uma secção que respira Sportinguismo através do seu capitão (Miguel Maia), que não treina em Lisboa e que não vive o clube de perto.

Claro que temos atletas profissionais e de grande qualidade mas a identificação com o clube é algo importante. Sentir o pulsar do clube diariamente cria um vínculo importante que estes atletas só vivenciam em dias de jogo.

Felizmente têm sido brindados, ultimamente, com grandes apoios no Pavilhão João Rocha, factor que certamente dará aquele "boost" de motivação necessário para quebrar a hegemonia do Benfica.

 

O encontro de hoje será o oitavo entre as duas equipas, esta temporada. O Sporting conta cinco vitórias e três derrotas e o Benfica não venceu nenhum dos três encontros disputados no Pavilhão João Rocha.

Há que voltar a fazer valer o factor casa e culminar esta temporada com um Sporting campeão pela primeira vez desde 1994, período no qual o Sporting era hegemónico e viu a modalidade dissolvida pelo projecto Roquete, um ano depois.

Será difícil, o adversário tem valor e um projecto vencedor mas nós somos o Sporting e vamos mostrar o nosso valor.

Eu acredito!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Hoje fui buscar um atlas, antes dos miúdos acordarem. O mais velho só tem quatro anos mas percebe a importância do Sporting para mim. Respeita essa paixão e tenta cultivar nele o mesmo amor. Fá-lo para me agradar, mas um dia sentirá por este Clube uma paixão desmedida, capaz de mover montanhas para tocar o céu. Uma paixão que o deixará eufórico nas maiores alegrias e deprimido nas maiores adversidades. A paixão que o guiará, se ele quiser, por toda uma vida de fervor leonino que valerá tanto ou mais a pena do que a de todos nós.

Pois bem, ele acordou e eu mostrei-lhe o atlas, com a perfeita noção de que é inteligente o suficiente para reter um conjunto de coisas que lhe farão crescer o "bichinho".

 

"Filho, isto aqui é a Europa e cada um destes espacinhos é um país. Hoje, o Sporting pode vir a ser o melhor da Europa, em futsal. Basta ganhar um jogo e seremos os melhores de todos estes países."

"Vamos ganhar! Vou gritar tão alto que eles vão correr mais, saltar mais e marcar mais golos"

 

Ele sabe que nós somos importantes. Sabe que a nossa força define a força com que os nossos lutam em campo. Sabe que nós não vamos só ver... vamos apoiar!

Sabe que a nossa voz, esteja ela em que parte do Mundo estiver, servirá de alimento à força daqueles que, em campo, lutam por um Sporting melhor, maior, vitorioso.

Sabe isto tudo com a noção que há mais do que um resultado possível mas eu, eu sei que hoje o resultado só pode ser um.

Porque vocês, mais do que ninguém, merecem ser os melhores de todos aqueles países. Merecem atingir o céu ao serviço do Sporting e mostrar a estes miúdos que o Sporting não é apenas tão grande como os maiores da Europa mas pode, também ele, ser o maior, o melhor!

 

Hoje não seremos cinco, catorze, vinte e um e muito menos três milhões e meio. Hoje seremos um e vamos lutar com todas as nossas forças e fazer o nosso melhor para chegar ao topo da Europa.

 

Foto de Sporting Clube de Portugal - Futsal.

 

O Sporting não é só futebol mas hoje também há futebol. Num fim-de-semana que tem decorrido dentro das melhores previsões, com vitórias catadupa, resta terminar em beleza, com uma vitória no voleibol, que nos coloque na frente da final, mais três pontos no futebol feminino, que nos aproximem do bi-campeonato, o tão desejado título europeu de futsal, que há tanto tempo perseguimos e uma vitória com o Boavista, que nos mantenha na luta por todos os objectivos no futebol.

 

Parece pedir muito, mas ontem a equipa de voleibol mostrou que vale mais do que aquilo que havia mostrado no Pavilhão do Benfica, devolvendo o 3-0 do primeiro jogo.

No Estoril, as nossas leoas do futebol feminino terão de mostrar uma capacidade superior para ultrapassar um adversário que nos colocou dificuldades há oito dias, na primeira mão da meia-final da taça de Portugal.

Em Saragoça, teremos pela frente o campeão europeu, que no ano passado nos goleou na final. Nada disso vai pesar e acredito plenamente que este ano a taça vai ser nossa. Somos fortes, coesos, temos qualidade e preparámo-nos convenientemente para nos apresentarmos nesta fase da época na melhor forma possível, com a melhor equipa possível. Hoje podemos escrever mais uma página dourada da nossa história, que poderá gravar na memória o dia 22 de abril como mais um dia de afirmação europeia do grande Sporting Clube de Portugal.

No José Alvalade enfrentaremos o Boavista e o cansaço, sabendo que depois da tempestade vem a bonança. Os nossos leões souberam ultrapassar esta fase de maior volume competitivo com dignidade e competência, carimbando a final da taça de Portugal sem deixar cair as esperanças em fazer melhor na Liga Portuguesa. Vencer hoje continuará a garantir que só dependemos de nós para lutar pela Champions, alimentando o sonho do título.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Clássico é clássico. É jogo de emoções fortes, que ninguém quer perder. Este anuncia-se como uma segunda parte de 90 minutos, onde o Porto vem com vantagem de um golo.

Não importa se jogaste dois jogos numa semana ou apenas um. Todos os disponíveis estarão aptos, motivados e concentrados para fazer o melhor. É uma final que está em jogo e ninguém quer falhar a tarde mágica que sempre se vive no Jamor.

Na nossa última visita ao Estádio Nacional fomos felizes e queremos todos voltar a sentir essa felicidade.

 

Jogue quem jogar, seremos um. Coesos, solidários e ambiciosos, sabendo que teremos de correr atrás e marcar pelo menos um, para levar a eliminatória ao desempate.

Nem um possível prolongamento nos pode assustar. Estamos mais desgastados mas teremos a mesma vontade. Provavelmente estaremos mais lentos mas iremos ainda mais juntos. 

Desde os onze que joguem de início, passando pelos sete do banco, os milhares na bancada e os milhões em todo o Mundo, todos lutaremos por mais uma tarde no Jamor, entre bifanas, grelhados, muita cerveja e o desejo de deixar mais uma taça no Museu.

 

Eu acredito!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Não há margem de erro. O Sporting já tem 53 jogos disputados esta época mas faltam apenas mais seis que, se tudo correr bem, serão sete. 

Há, neste momento, um desgaste tremendo entre os jogadores mais utilizadose, para se ter uma noção, em 2015/16, a média de minutos de utilização entre os 15 jogadores mais utilizados era de 2617 (semelhante aos 2595 da temporada passada). Este ano Jesus sobrecarregou os 15 mais utilizados com, em média, mais de 3000 minutos (3006, para ser mais preciso).

Hoje temos 11 jogadores com mais de 3000 minutos de jogo, enquanto que, nas duas temporadas anteriores, apenas 5 ultrapassaram essa fasquia em cada época. Sinal claro de menor rotatividade, numa temporada em que se preparou tudo para ter um plantel mais profundo mas onde muitos jogadores nunca foram opção para Jorge Jesus. As lesões limitaram essa rotatividade mas não são desculpa para que tenhamos o restante do plantel com menos de 1400 minutos cada.

 

Seja como for, não é já tempo de fazer essa rotatividade. Há que assumir que Jesus apostou sempre nos que mais confiava e vai continuar a fazê-lo, admitindo que isso possa ter consequências na preparação da próxima época, visto que Rui Patrício, Sebastián Coates, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Marcos Acuña acabarão a época com mais de 4000 minutos disputados e um Mundial pela frente, antes de se voltarem a apresentar em Alcochete para a pré-temporada.

Que sirva de exemplo para o futuro e não se voltem a cometer os mesmos erros, nem de gestão nem de abordagem ao mercado. O Sporting tem jogadores de valor nos seus quadros que merecem mais tempo de utilização e melhores oportunidades para evoluir e nos ajudar.

 

Hoje teremos um jogo muito complicado. O Belenenses de Silas empatou em casa com o Benfica e venceu o Porto. Iremos a Belém com avisos sérios e a saber com que contar.

Teremos de fazer o que nenhum dos rivais conseguiu e ganhar pontos a algum deles ou a ambos, visto que se defrontam duas horas antes, no Estádio do Benfica.

É importante garantir o segundo lugar para preparar a próxima temporada com a Champions em pano de fundo. Eu acredito que voltaremos a ouvir o hino da Champions em 2018/19!

 

Consulta toda a actividade na Agenda Leonina (link). Há mais motivos de interesse.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting: alimentemos o sonho

A tarefa é quase impossível, não há como negar. O Sporting não é favorito, perdeu 2-0 em Madrid e terá de virar em casa uma eliminatória frente a um Atlético que ainda não perdeu este ano nas competições europeias.

A diminuir ainda mais as nossas possibilidades está uma tendência do Sporting para sofrer golos em casa, em jogos europeus, enquanto que o Atlético normalmente marca a jogar fora de casa. Os leões sofreram golos em quatro dos seis jogos disputados em casa, enquanto que os espanhóis marcaram em três dos cinco encontros jogados fora de portas.

 

Para ultrapassar o Atleti de Diego Simeone o Sporting terá de fazer história, igualando algo que só fez por duas vezes, ambas em 1963/1964, na histórica conquista da Taça da Taças. 

Nessa época, o Sporting disputou doze encontros europeus, sendo que o recorde são quinze, disputados em 2004/2005, na caminhada até à final da Taça UEFA, perdida em Alvalade para o CSKA. 

Hoje o Sporting fará o décimo quarto jogo europeu da época (tantos como em 2001/2012, onde "caímos" nas meias-finais) e, caso ultrapasse o Atlético de Madrid, fará história e cifrará um novo máximo de jogos europeus numa única temporada; dezasseis, que poderão vir a ser dezassete.

Para isso, como já disse, terá de fazer algo só conseguido há mais de 50 anos onde a equipa vencedora da Taça das Taças eliminou por duas vezes adversários com os quais tinha perdido por dois ou mais golos na primeira mão.

A primeira vez aconteceu na primeira eliminatória da prova, onde uma derrota por 2-0 em Itália, com a Atalanta, foi anulada em Alvalade (3-1). Nessa altura os golos fora não desempatavam a eliminatória e o Sporting acabou por vencer o jogo de desempate por 3-1.

Depois da histórica eliminatória com o APOEL, na qual o Sporting cifrou aquela que é, ainda hoje, a maior goleada de sempre das competições europeias (16-1), seguiu-se o Manchester United de Bobby Charlton, Denis Law e George Best. Depois de uma derrota por 4-1 em Inglaterra, o Sporting rubricou em casa a mais épica "remontada" da sua história, trucidando os ingleses por esclarecedores 5-0.

A história terminou como todos sabemos, a levantar o único troféu europeu da nossa história, em Antuérpia.

 

O Sporting fará hoje o 53º jogo da temporada e, numa época em que tanto se fala de desgaste físico, em 1963/1964, convém lembrar que o Sporting realizou 45 jogos oficiais, com a particularidade de se viver uma era em que as substituições não eram permitidas a não ser em caso de lesão.

Nesse ano o Sporting acabou por ser 3º no campeonato (posição que ocupa neste momento), pagando a factura europeia nas competições internas, onde também não passou dos oitavos-de-final da Taça de Portugal.

No entanto, tudo o que é recordado dessa época está hoje em lugar de destaque no Museu Sporting e ninguém se recorda do lugar em que acabámos o campeonato.

 

É isto que hoje os nossos jogadores devem ter em mente. Há história para fazer e, se querem um dia ser recordados e ter lugar de destaque na nossa memória colectiva, terão de replicar aquilo que fizeram Morais, Hilário, Pedro Gomes, Osvaldo Silva, Mascarenhas e restantes elementos do plantel que venceu a Taça da Taças (todos me merecem o mesmo respeito).

A nossa época pode ainda valer muito a pena e um possível 3º lugar no campeonato pode ser completamente apagado da nossa memória se hoje ultrapassarmos o Atlético e nos candidatarmos verdadeiramente à vitória na Liga Europa, não esquecendo que temos ainda uma Taça de Portugal ao nosso alcance.

 

Não há bicho papão que retire ambição ao leão. Não pode haver estatística ou probabilidade que nos impeçam de perseguir o sonho. Tudo teremos de fazer para correr atrás dele e só juntos conseguiremos.

Hoje não quero tratamentos diferenciados no estádio. Não quero assobios, não quero tarjas, não quero saber de presidentes, treinadores, jogadores ou adeptos. Hoje somos todos Sporting e pelo Sporting!

Somos um e vamos para cima dos espanhóis com a força de um gigante leão feroz, unificado por milhões de pequenos leões que, fazendo jus à raça, caçam em bando.

Nós, na bancada e um pouco por todo o Mundo, seremos os "leões" que defendem o nosso território enquanto que, em campo, onze a catorze "leoas" tratarão de capturar e matar uma presa de grande porte que alimentará o nosso sonho de voltar a vencer um troféu europeu.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting (mas nem parece)

Têm sido quase três dias difíceis e instáveis sem qualquer justificação para tal mas, se algo de positivo há a retirar de todo este triste episódio, é a união no seio do plantel profissional de futebol, que tem tudo para ter saído reforçada.

Diga-se que, pese embora as críticas (naturais) aos erros dos jogadores, depois da publicação do Presidente no facebook, foi notório o tom de crítica a Bruno de Carvalho, tendo os jogadores, de certa forma, sido defendidos por uma boa parte dos adeptos. Não há, como já não poderia haver antes, desculpa alguma para falta de união, espírito de sacrifício e vontade de vencer.

 

O conflito interno pareceu ter ficado sanado com o comunicado da administração, que decretava, a bem do Sporting, silêncio até final da época, período no qual seria resolvida em definitivo a situação.

Hoje Bruno de Carvalho voltou a publicar no facebook, fazendo com que o voto de silêncio até maio não tenha durado nem 24 horas, atacando novamente os jogadores, desta vez com acusações de plantarem notícias nos jornais, entre outras "revelações".

Nota importante: isto acontece a horas do jogo com o Paços de Ferreira, para o qual já partimos em 4º lugar e com a segunda mão dos quartos-de-final da Liga Europa em pano de fundo.

 

Vou tomar como verdadeira a acusação de notícias plantadas (e afirmo já aqui que não a tomo como tal, por inexistência de provas e de confiança na palavra do Presidente - por motivos óbvios). Ora, as notícias plantadas na comunicação social que nós, adeptos, não devemos ler por só mentirem sobre o Sporting, são assim motivo para voltar a resolver as coisas no facebook, cometendo o mesmo erro de antes?!

Faltam (ou sobram, embora prefira não as proferir) palavras para esta (falta de) estratégia de comunicação.

 

Quanto ao jogo, verei com atenção mas sem a emoção habitual. Estou demasiado triste com isto tudo. Vamos acabar a temporada com a dignidade possível e, no fim, acertem-se as contas.

O Sporting é nosso e espero que os sócios sejam chamados, no final, como parte integrante da solução.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Nem vale a pena dizer que o jogo é importante. É o primeiro de dois que dão acesso a uma meia-final europeia. Basta isto para perceber a importância e responsabilidade desta eliminatória. Responsabilidade sobretudo em garantir compromisso total e máxima competência, sabendo que não somos favoritos e que, do outro lado, está uma equipa que, não raras vezes, tem batido o pé a Barcelona e Real Madrid na Liga espanhola, esteve em três meias-finais e duas finais da Champions nos cinco anos transactos e, antes disso, venceu duas vezes a Liga Europa.

Estamos a falar do 4º classificado do ranking da UEFA, frente ao 38º. De uma equipa que é das melhores da Europa frente a uma que pretende, quem sabe, trilhar o caminho que o Atleti trilhou para chegar onde está hoje (com as devidas distâncias que a realidade nos impõe).

 

Hoje, no novo Wanda Metropolitano, precisamos de um Sporting no seu melhor para inclinar a nosso favor esta eliminatória.

O Atletico não sofreu golos em 16 dos 23 jogos desta temporada em sua casa, não sofre um golo no seu reduto há oito mas, ainda assim, entre conjuntos de maior e menor nomeada, sete equipas foram a Madrid vencer ou empatar.

É possível trazer para Lisboa um resultado que nos alimente as esperanças de estar na meia-final da Liga Europa.

 

Acho que, marcando no estádio do Atletico, teremos boas possibilidades de seguir em frente. Das oito equipas que marcaram em casa dos "colchoneros", sete não perderam o jogo e esse é um padrão demasiado consistente para ser ignorado. Só em seis ocasiões o Atleti marcou mais de dois golos em casa, indicador claro que não são uma equipa que marca muitos golos.

Precisaremos de ser rigorosos na defesa, dinâmicos no ataque posicional e verticais no ataque rápido. Temos jogadores capazes de o fazer mas, para isso, têm de estar no seu melhor, motivados e concentrados.

 

Juanfran está de regresso nos espanhóis e William e Doumbia voltaram a entrar nas contas de Jesus, que não deve abdicar do onze habitual para este tipo de jogos. Rui Patrício, Piccini, Coates, Mathieu e Coentrão formarão o sector defensivo. William, Battaglia e Bruno Fernandes serão o trio de meio-campo e Gelson, Acuña e Bas Dost estarão encarregues de atacar a baliza de Oblak.

 

A eles, leões!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

O dia começou com o domínio do Sporting no atletismo, com vitórias colectivas e individuais em ambos os géneros, nos campeonatos nacionais de corta-mato longo, às quais se juntará certamente mais uma vitória no masculino do nacional de clubes em natação.

No hóquei em patins, depois de um grande jogo, com 5-5 no final do prolongamento, o Porto mostrou-se mais eficaz e venceu por 0-3 no desempate através de grandes penalidades, enquanto que o futebol feminino goleou o Cadima por 8-1.

A equipa B saiu da zona de despromoção com o empate a uma bola em Matosinhos (golo de Pedro Marques) e o judo arrecadou duas medalhas de bronze na Taça da Europa de Juniores.

Segue-se o andebol, antes do futebol enfrentar um jogo que tem de ser encarado como uma autêntica final.

Estes são os 19 convocados por Jorge Jesus para tentar levar de vencido o Rio Ave de Miguel Cardoso, que se apresentará no José Alvalade sem Chico Geraldes e Gelson Dala, impossibilitados de dar o seu contributo frente ao clube que os enviou por empréstimo para Vila do Conde.

 

Antes da pausa para as selecções e de um momento ímpar sem competição, é importantíssimo que mantenhamos a distância para os rivais, afim de manter viva uma perseguição difícil (Porto e Benfica já venceram os seus jogos desta jornada).

Com Wiiliam e Coates de volta aos convocados e, certamente, ao onze inicial, espera-se uma entrada de leão que possa desmoralizar o Rio Ave e os seus intentos de levar pontos para o norte do país.

Mantém-se a expectativa para ver se é desta que Wendel se estreia de leão ao peito, sendo que o mais importante é somar mais três pontos à nossa caminhada nesta Liga NOS.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Hoje joga-se no Pavilhão João Rocha a primeira mão das meias-finais da Champions League de ténis de mesa. O encontro disputa-se à mesma hora do futebol, que na República Checa tentará carimbar a passagem aos quartos-de-final da Liga Europa. Espero que os Sportinguistas não neguem apoio à nossa equipa de ténis de mesa, que precisa de um apoio massivo para bater o bi-campeão europeu em título, que tem entre as suas fileiras dois jogadores top 15 mundial. Um apoio entusiástico pode fazer a diferença, algo que nenhum de nós conseguirá fazer sentado no sofá. Quem puder, faça o favor de se deslocar ao Pavilhão João Rocha. A entrada é livre.

 

TTC Fakel Gazprom é o bi-campeão europeu em título e tinha, aquando da inscrição, três atletas entre os melhores 12 do Mundo. 

Ovtcharov (alemão) era 5º mas chegou a ser líder do ranking mundial, posição que perdeu entretanto para o compatriota Boll. Mizutani (japonês) era 6º e hoje encontra-se no 14º posto. Samsonov (bielorrusso) era o 12º da hierarquia mundial e está hoje no 24º posto.

Muitas vezes o ranking pouco significa, pois só reflecte a participação do atletas em provas do circuito ITTF mas não deixa de ser um indicador da valia de cada um.

 

Do nosso lado teremos Aruna Quadri (22º do Mundo), João Monteiro (55º) e Diogo Carvalho (245º e bi-campeão nacional individual).

Temos argumentos para, num dia bom, em que tudo nos saia bem, levar a melhor sobre a equipa russa.

Um resultado de 3-1 já seria suficiente para aumentar a ansiedade do adversário para a segunda mão. Um 3-2, apesar de posítivo, já dificulta bastante a nossa tarefa mas tudo é possível.

Na fase de grupos perdemos 3-1 na Rússia, com João Monteiro a ser o único a superiorizar-se a um adversário (Ovtcharov). Aruna e Carvalho perderam ambos 3-1 com Mizutani e Samsonov, respectivamente.

Em casa ganhámos 3-1 na última jornada da fase de grupos mas defrontámos outros jogadores, visto que os russos já estavam apurados para os quartos-de-final.

 

Volto a frisar que a presença massiva dos Sportinguistas no Pavilhão João Rocha é fundamental para levar de vencido o TTC Fakel Gazprom.

 

Enquanto isto, estarei com meio olho na SIC, no jogo da República Checa, onde o futebol pode atingir os quartos-de-final da Liga Europa, fase onde não marcamos presença desde 2012, quando atingimos as meias-finais (eliminados pelo Athletic Bilbao).

Jesus já convocou alguns dos recuperados de lesões e castigos, que estarão escudados por três jogadores da equipa B, convocados à condição, para precaver alguma indisponibilidade. Ivanildo Fernandes, Rafael Barbosa e o repetente Ronaldo Tavares acompanharam os restantes jogadores da equipa principal.

 

A vitória por 2-0 na primeira mão dá algum conforto mas não nos transmite nenhum descanso. É importante entrar bem no jogo, marcar cedo e depois, aí sim, gerir o jogo e o agregado da eliminatória.

Temos tudo na nossa mão e a obrigação de passar aos quartos-de-final, evitando sobressaltos e ataques cardíacos à nação leonina.

 

Vamos lá, leões!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

As visitas a Chaves são tradicionalmente difíceis. Entre campeonato e taça de Portugal, foram dezasseis as visitas a Chaves e o Sporting só venceu três (!!!) vezes - todas seguidas, entre 1992 e 1995.

De 1995 para cá, foram quatro empates e duas derrotas. Outro facto relevante é que o Sporting marca poucos golos ao Desportivo, em sua casa. O jogos pautam-se pelo equilíbrio e os resultados mais dilatados são dias vitórias do Sporting por 0-2 e 1-3. Nos dezasseis encontros disputados em casa dos flavienses o Sporting marcou apenas 21 golos, tantos quantos sofreu.

 

A derrota em Tondela foi a primeira do Chaves com equipas que não um dos grandes desde a eliminação da taça de Portugal, em novembro, nos Açores. Dai para cá, em 14 jogos, o Chaves só perdeu com o Benfica, o Porto e, agora, o Tondela. O percurso em casa não é perfeito nem sequer regular. Quatro vitórias, cinco empates e três derrotas (com Benfica, Feirense e Porto). Ainda assim, fica evidente que não é fácil trazer os três pontos de trás-os-montes.

 

Há baixas de ambas as partes mas é do lado leonino que se fazem sentir as maiores ausências. Faltam os dois laterais habitualmente titulares, Bruno Fernandes, Acuña e Bas Dost acaba de regressar de lesão. Teoricamente, esperam-nos noventa minutos complicados mas nem sempre as coisas são o que parecem.

Cabe-nos a nós descomplicar e fazer com que as coisas aconteçam e os três pontos caiam para o nosso lado.

Já há onze oficial, por isso, vamos a eles, leões!

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

É hoje o primeiro dia do resto da nossa época.

Por muito que não queiramos ver o quão decisivo é o jogo de hoje e esta eliminatória com os checos do Viktoria Plzeň, a verdade é que pode definir muito daquilo que será a nossa época e o sucesso ou insucesso da mesma.

Jesus tem puxado a si os holofotes, tem puxado dos galões e chamado a atenção dos media para um técnico revolucionário e talhado para estas competições, com eliminatórias decididas a dois jogos.

Tudo o que resta para conquistar da nossa época, será disputado nesses moldes. Liga Europa e Taça de Portugal (está já com a 1ª mão da meia-final jogada - e perdida, no Dragão) jogam-se no sistema que Jesus tanto gosta, culminando com finais a um jogo, onde nem sempre o técnico do Sporting foi feliz. Teremos de nos centrar nestas frentes, sem descurar a perseguição ao segundo lugar do campeonato, objectivo ao nosso alcance e no qual não dependemos de ninguém para além de nós próprios.

 

Vejo muita gente pronta a desculpar um potencial fracasso com o valor do Viktoria Plzeň e dos seus jogadores e com as baixas por lesão do nosso lado.

Não há desculpas!

Temos melhores jogadores, temos um treinador que se diz melhor que os demais (e que tem qualidade) e somos, enquanto clube, uma equipa com mais tradição nas competições do que os checos.

O Sporting está já a fazer a melhor temporada europeia entre as últimas cinco épocas e os checos já igualaram a pontuação obtida nas competições europeias em 2013/14 (também a melhor das últimas cinco).

 

Claro que não é igual ir a jogo com ou sem Dost, Doumbia, Piccini ou Rafael Leão. Há que saber montar uma estratégia que potencie os restantes e motive a ir a jogo um ou outro que não esteja a jogar com tanta regularidade.

Noto mais uma vez que vamos no risco de não ter um único defesa no banco. Terão de ser Palhinha, Petrovic ou William a tapar um possível buraco no centro da defesa, enquanto Battaglia, Bruno César e Acuña o farão nas laterais (caso necessário).

Oportunidade incrível para Ronaldo Tavares que poderá mostrar-se numa competição europeia, sendo que a oportunidade não é menor para que Montero possa mostrar serviço e, quem sabe, agarrar um lugar no onze para o que resta da temporada.

 

Quanto aos checos, claro que têm alguns jogadores de qualidade e com experiência mas vê de um período sem competição e desde que voltaram ao activo contabilizam apenas uma vitória em quatro jogos.

São uma equipa completamente ao nosso alcance e aquela que todos os restantes clubes da Liga Europa gostariam de ter apanhado pela frente. Calhou-nos a nós e é hora de mostrar a nossa superioridade.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

É ganhar ou ganhar

Não tenho tempo para dizer grande coisa sobre o jogo de mais logo. Desejo apenas que lutem como leões e ganhem.

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Jesus convocou 21 jogadores para a recepção ao Moreirense de Petit, treinador que tem por hábito dificultar-nos a vida.

Entre Boavista, Tondela e Paços de Ferreira, são 6 pontos roubados ao Sporting em encontros para o campeonato. Em, seis jogos para a Liga Portuguesa, só ganhámos três a equipas orientadas pelo ex-médio internacional português. O único jogo que o Sporting venceu por uma margem superior à mínima, foi ao primeiro embate, com o Boavista, em 2014/15.

Desde que chegou ao Sporting, em quatro embates com Petit, Jorge Jesus apenas venceu um jogo, tendo empatado os outros três. Mais do que nos jogadores, veremos se este registo não pesa na forma como o nosso treinador possa abordar o encontro.

 

Seja como for, não há desculpas para um mau resultado. O Sporting é infinitamente melhor que este Moreirense, que é uma equipa com grandes carências, facilmente demonstradas pela posição na classificação geral. Os cónegos seguram a lanterna vermelha e convém que essa situação se mantenha no final desta jornada.

Jesus quis alimentar as conversas pré-jogo, entre os adeptos, que gostam sempre de fazer a sua equipa e mandar o seu "bitaite". Dos 21 convocados, três acabarão na bancada. Veremos quais.

Jogue quem jogar, vá quem for para o banco, os três pontos terão de ser nossos.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Depois das vitórias de ontem do hóquei em patins (1-3, em Tomar) e do andebol (17-36, em Santo Tirso, para a Taça de Portugal) e do empate da equipa de pool português (bilhar) na segunda jornada do apuramento de campeão (8-8, frente ao Orange Pool Club) é hoje a vez do futebol jogar para a Liga Europa.

 

Já ontem tinha dado a minha opinião (link) acerca do que faria para hoje mas duvido que Jorge Jesus me faça a vontade.

Acredito num onze mais próximo do habitual e com menos poupanças do que as que eu faria.

Os cazaques virão certamente com vontade de entrar bem na partida e só um golo cedo lhes devolverá esperanças na luta pela passagem à fase seguinte.

 

Ao Sporting basta um jogo seguro defensivamente para estar nos oitavos-de-final da Liga Europa, fase da prova onde o Sporting não marca presença desde 2012, ano em que só parámos nas meias-finais, eliminados em Bilbao.

Reitero mais uma vez a enorme vontade de assistir à estreia europeia a titular de Rafael Leão, não só pela oportunidade ao jovem da nossa Academia mas também porque acho que é jogo para o miúdo "partir a loiça".

Acredito em mais uma vitória e mais um salto no ranking de clubes da UEFA.

SPOOOOOOOOOORTING!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Ultrapassada que está a Assembleia Geral, a questão dos estatutos, do regulamento disciplinar e da continuidade de Bruno de Carvalho, podemos novamente centrar as nossas atenções apenas na competição das nossas equipas.

A aprovação esmagadora dos pontos não surpreendeu. Os Sportinguistas foram chamados a votar, com a continuidade do Presidente em pano de fundo e a amostra presente revelou não ser, em nada, idêntica à dos cerca de 800 Sportinguistas que haviam estado na AG de dia 3.

O desconforto generalizado inicial com parte das propostas deu lugar a uma cedência e aprovação das mesmas com a chantagem (continuo a não encontrar um termo mais correcto) feita pelo Presidente, que sai assim com poderes reforçados e ainda mais legitimado do que nas eleições do ano passado (como se isso fosse necessário). As propostas aprovadas passaram claramente para segundo plano, em detrimento de um voto de confiança ao Conselho Directivo.

Fiz questão de estar presente na AG, votei em consciência e saí com sentimento de dever cumprido. Foi, de facto, um dia de grande fervor e onde, mais do que o Sporting Clube de Portugal, foi Bruno de Carvalho o grande vencedor.

 

Imune a tudo isto, acredito eu, esteve sempre o grupo de trabalho que hoje estará em Tondela para discutir três pontos muito importantes, após vitórias contundentes de Benfica e Porto.

Não podemos perder pontos, sob pena de deixarmos de depender apenas de nós para sermos campeões nacionais.

 

Pepa apresentou o seu Tondela como uma equipa "hardcore, de pé na chapa". Agressiva e intensa, depreendo eu. Foi isso que mostraram em Alvalade, com linhas muito juntas, saídas afoitas para o contra-ataque e agressividade consubstanciada em 20 faltas cometidas.

Infelizmente não foi este Tondela que se apresentou na recepção ao Benfica, onde foi o antagonismo daquilo que Pepa pretende, sendo permissiva e cometendo apenas 8 faltas em mais de 90 minutos. Mas isso agora não interessa nada...

 

Jesus incluiu Bas Dost na lista de convocados, que não contará com Fábio Coentrão, castigado à posteriori por acontecimentos no Estádio do Dragão, no jogo da Taça de Portugal.

O Sporting estará assim perto da máxima força. Após uma excelente vitória no Cazaquistão, resta saber se os efeitos da viagem ainda se farão sentir e se o cansaço dos jogadores-chave não é impeditivo de uma exibição suficiente para alcançar a vitória.

Jesus cometeu um erro (a meu ver) ao não levar um lateral para o banco de suplentes. Apenas Piccini está convocado e serão Acuña ou Bruno César a ocupar a lateral esquerda. Espero que as contingências do jogo não nos retirem Piccini do relvado.

Wendel está convocado e, se a lógica imperar e Bas Dost estiver apto, será o relegado para a bancada. Rafael Leão volta a estar entre os eleitos.

Ganhar hoje manterá as distâncias e deixará em aberto a possibilidade de descansar alguns elementos mais utilizados na quinta-feira.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Foi nesta Liga Europa e na extinta Taça UEFA que o Sporting cimentou o seu estatuto europeu entre os 20/30 melhores clubes.

Apesar de não ser um fã entusiasta da Liga Europa reconheço que é o patamar ideal para cavalgar lugares no ranking, com o objectivo mínimo de ser top 20 na Europa.

Temos alguma tradição nesta competição, onde nos últimos quinze anos marcámos presença numa final, duas meias-finais e três quartos-de-final.

Há duas temporadas que o Sporting não participa numa eliminatória europeia. Estávamos na primeira temporada de Jorge Jesus e, depois de uma fase de grupos em que fomos 2º, à frente do Besiktas e atrás do Lokomotiv de Moscovo, caímos precisamente na fase que hoje integramos frente ao Bayer Leverkusen, com duas derrotas.

 

Hoje o Sporting é 44º no ranking e uma época bem sucedida a nível europeu poderá significar uma recuperação até 10 posições na tabela (mais coisa, menos coisa).

Essa recuperação será essencial para que nos livremos de sorteios adversos, sobretudo na Liga dos Campeões, prova onde temos de cimentar presença na fase de grupos.

 

O histórico europeu recente, nos jogos fora de casa não nos é nada favorável. O Sporting só venceu 18 dos últimos 26 encontros e perdeu 6 dos últimos 8 desafios fora de portas.

O jogo de hoje é importantíssimo para as nossas aspirações à presença nos oitavos-de-final, numa prova que exige uma longa caminhada até ao jogo decisivo, em Lyon.

 

Jesus convocou 21 jogadores, poupou Mathieu ao frio e ao relvado sintético de Astana e afirmou vontade de estar na final, borrando a pintura ao centrar mais uma vez o discurso no "eu", em vez de no "nós", dizendo um par de barbaridades.

Espero que esta vontade de ser bem sucedido na Europa leve o Sporting à tão desejada campanha europeia que dignifique o clube e lhe reponha algum do estatuto entretanto perdido.

 

O Astana apenas venceu um dos três jogos em casa na fase de grupos e será um adversário com pontos de contacto com o Steaua de Bucareste, que defrontámos no playoff da Champions. Uma equipa perigosa fora de casa, fruto da sua competência no ataque rápido e contra-ataque mas completamente ao alcance do Sporting.

Um bom resultado hoje será meio caminho andado para marcar presença na fase seguinte da Liga Europa e até acredito que o possamos alcançar poupando 2/3 jogadores do onze habitual utilizado por Jorge Jesus.

 

Vamos lá recolocar o Sporting no grupo dos melhores da Europa.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Dia de testar a fibra deste grupo de trabalho, de ver se contratámos mesmo jogadores com a tal mentalidade de campeão.

Um grupo de campeões não perderá nunca uma oportunidade de ouro para vencer numa semana em que ambos os rivais escorregaram.

Um grupo de campeões não vacilará e, com maior ou menor dificuldade, ultrapassará o Vitória Sport Clube e reafirmará a sua candidatura ao título de campeão nacional.

 

Jesus, como líder desse grupo, deve encarar o jogo sem inventar e sem ter medo. São duas das coisas que o nosso treinador tende a fazer em jogos de elevada pressão e que não podem passar-se hoje.

O previsível é que aposte nos do costume, revelando algum conservadorismo, pouco compreensivo quando tem um plantel bem apetrechado com qualidade e soluções em quase todas as posições.

Hoje é o dia de apostar nos que estão melhor, em vez daqueles que, na sua cabeça, são os melhores. Nem sempre apostar nos melhores, nos que melhor compreendem as suas ideias, nos aproximará do sucesso.

Há que gerir bem os recursos à disposição e aproveitar o melhor de cada um em cada momento, não esgotando nem desperdiçando esses mesmos recursos.

Mais do que ser criativo na procura de soluções para os problemas (que os temos), há que ser objectivo.

 

Hoje é dia de ser líder, de afirmar que queremos o primeiro lugar e fazer por merecê-lo.

Os adeptos, que certamente não faltarão à chamada, merecem essa resposta.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal