Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Os nossos medalhados olímpicos: Francis Obikwelu

A incrível história de Francis Obikwelu, medalhado de prata em Atenas 2004, no Reverso da Medalha.

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Finalmente as merecidas palavras a todos quantos as merecem

"Esta foto do André Martins, do meu André, do nosso André, faz-me encher a alma de alegria de servir este Clube!

Enorme Clube com enormes profissionais!

Lembro-me bem aquando da conquista da Taça de Portugal da comemoração com ele aos meus ombros. Que orgulho tenho nesse dia, nesse momento, nessa foto.

Um Presidente não tem de ser alguém distante, eu prefiro o calor da proximidade e o afecto de se ser família!

E o André sabe que esta é a sua casa, que esta é a sua família!

Um excelente exemplo de paixão, entrega e profissionalismo que serve de mote a um agradecimento eterno a todos aqueles que com brio e devoção defendem ou defenderam a camisola do Grande Sporting Clube de Portugal!

E são tantos e tantos que seria quase impossível enumerar todos.

Talvez aproveitar esta ocasião para voltar a referir grandes nomes que acabaram este ano as suas carreiras, mas cuja ligação ao Clube será eterna:
Francis Obikwelu e João Benedito! Que atletas, que carreiras, que elite que temos o prazer de fazer parte da nossa família!

Muito obrigado por tudo o que nos deram e por tudo o que sempre irão representar para o Sporting Clube de Portugal!

A homenagem que tiveram na III Gala Honoris Sporting demonstra bem o quanto são importantes e um exemplo para as novas gerações de atletas.

Ou para nos lembrarmos dos que já partiram mas viverão sempre na nossa história e no nosso coração como por exemplo:
Fernando Mendes, Joaquim Campos e Camilo de Oliveira.

Mas o André também me fez pensar com muito carinho e reconhecimento nos atletas cujos projectos neste momento cessaram mas que nunca deixarão de fazer parte da história do nosso Clube e serão para sempre parte da nossa família:
as atletas do basquetebol sénior feminino, equipa técnica, staff e dirigentes e os atletas da equipa sénior masculina de rugby, equipa técnica, staff e dirigentes.

Este não foi um adeus, foi um muito obrigado por tudo, os votos de grande sucesso e
um até breve, pois uma vez da família, para sempre da família!

Por todos estes sentimentos, por poder viver todos os dias a grandeza deste Clube, por poder lembrar-me de todos os que diariamente nos servem e representam com Esforço, Dedicação, Devoção e Glória o nosso Grande Sporting Clube de Portugal!

Obrigado André!"

 

Presidente Bruno de Carvalho na sua página oficial do facebook

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

O Sporting nos campeonatos da Europa de atletismo ao ar livre

Começa amanhã o Campeonato da Europa de atletismo ao ar livre. A prova decorrerá em Amesterdão e, dos 33 seleccionados, 13 são atletas do Sporting Clube de Portugal. 9 mulheres (mais de 50% da equipa feminina nacional) e 4 homens.

 

São eles: 

FEMININOS

Lorene Bazolo (Sporting CP) - 100 e 200 metros
Cátia Azevedo (Sporting CP) - 400 e 4x400 metros
Sara Moreira (Sporting CP) - 10 000 metros e Meia-Maratona
Jessica Augusto (Sporting CP) - Meia-Maratona
Vera Barbosa (Sporting CP) - 400 m barreiras e 4x400 metros
Marta Onofre (Sporting CP) - Salto com Vara
Patrícia Mamona (Sporting CP) - Triplo Salto
Irina Rodrigues (Sporting CP) - Lançamento do Disco
Filipa Martins (Sporting CP) - 4x400 metros

MASCULINOS

David Lima (Sporting CP) - 200 e 4x100 metros
José Moreira (Sporting CP) - Meia-Maratona
Pedro Ribeiro (Sporting CP) - Meia-Maratona
Francis Obikwelu (Sporting CP) - 4x100 metros

 

Entre os leões presentes em prova, temos 4 atletas já medalhados nesta mesma competição. Sara Moreira, Jessica Augusto, Patrícia Mamona e Francis Obikwelu (apenas Mamona e Obikwelu venceram enquanto representavam o Sporting).

 

Mas antes de abordar as nossas possibilidades de sucesso na Holanda, começo por fazer uma breve retrospectiva dos nossos heróis nesta competição.

 

A história começa em 1998, em Budapeste. Rui Silva inscreveu o seu nome na prova, vencendo a medalha de prata na prova de 1500 metros. Em Munique (2002), voltaria a subir ao pódio, desta vez para receber o bronze. Recordo que Rui Silva foi tri-campeão europeu e campeão mundial mas sempre em pista coberta, bem como medalhado olímpico, entre outros títulos importantes. (PALMARÉS)

 

O segundo a fazer história foi o leão mais rápido de sempre. Francis Obikwelu, no mesmo ano em que Rui Silva ganhou o bronze (2002), trouxe para Portugal a medalha de ouro nos 100 metros e a medalha de prata nos 200 metros. Em 2006 (Gotemburgo), faria ainda melhor e traria duas medalhas de ouro, nos 100 e 200 metros. Fora isto, foi também ele medalhado olímpico, entre muitos outros sucessos. (PALMARÉS)

 

Naide Gomes seguiu a ordem cronológica e, em 2006, acompanhou Francis e trouxe também ela para Portugal a medalha de prata no salto em comprimento, a que haveria de juntar outra, em Barcelona, no ano de 2010. Naide que foi bi-campeã mundial e europeia em pista coberta, entre outros títulos de grande relevância, é a única das nossas medalhadas nos campeonatos da Europa ao ar livre que já não se encontra em actividade. (PALMARÉS)

 

Por fim, Patrícia Mamona. De todos os medalhados, a única que se encontra no auge da sua carreira. Medalhada de prata em 2012 (Helsínquia), procura ainda rechear o seu currículo, depois de já este ano se ter sagrado campeã europeia de clubes ao serviço do Sporting Clube de Portugal. (PALMARÉS)

 

Quanto à expectativas para este ano, diria que temos boas possibilidades de sucesso. Temos três claras candidatas a medalhas (Sara Moreira, Jessica Augusto e Patrícia Mamona) e alguns atletas num excelente momento de forma e que podem surpreender.

Lorene Bazolo tem a 14ª melhor marca europeia do ano nos 100 metros e pode bem ambicionar uma presença na final.

Cátia Azevedo, com a 7ª melhor marca europeia do ano nos 400 metros, apresenta-se num formidável momento de forma e será interessantíssimo ver como se comporta ao mais alto nível, depois de uma época fantástica.

A estafeta de 4x400 pode também fazer uma prestação interessante. Composta por três atletas do Sporting (Cátia Azevedo, Vera Barbosa e Filipa Martins), o conhecimento entre as atletas pode ser determinante para uma prestação ao mais alto nível, numa prova em que apresentamos a 10ª melhor marca europeia do ano, conseguida em Mersin, pelo Sporting campeão europeu.

Irina Rodrigues, certamente quererá estar na final do lançamento do disco e a sua melhor marca do ano (a 8ª a nível europeu), diz-nos que este é um objectivo tangível.

Com dois atletas do Sporting na estafeta 4x100 metros (David Lima e Francis Obikwelu), abre-se aqui mais uma possibilidade de um resultado interessante. A 7ª melhor marca do ano não deve chegar para as medalhas mas promete luta pela presença na final da prova.

 

Por fim, destaco os bons momentos de forma de David Lima, Marta Onofre e Vera Barbosa que merecerão da minha parte atenção especial, embora não sejam previsíveis resultados demasiado ambiciosos. Filipa Martins vai para ganhar experiência, pois é ainda muito jovem e terá a sorte de integrar uma equipa de estafeta forte, que a pode ajudar muito. José Moreira e Pedro Ribeiro, terão objectivos mais modestos na meia-maratona mas não deixarão de merecer igual atenção.

 

Irina Rodrigues terá honras de inaugurar a prestação leonina ao serviço de Portugal, amanhã, ás 11 horas.

 

Que comecem as corridas, os saltos e os lançamentos.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Nem imaginam o que isto me deixa feliz

Atletismo 2016.png

O atletismo é das mais emblemáticas modalidades do Sporting. Carlos Lopes um dos maiores porta-estandarte da mesma, tanto no nosso país, como no Mundo.

Em palavras ao Jornal Sporting, fez a antevisão da próxima época no dia da apresentação da mesma.

"Todos nós, Sportinguistas, queremos que o atletismo volte aos seus momentos de glória. O Clube revê-se nessas vitórias, nos resultados, os recordes... Infelizmente temos andado arredados desses tempos."

"A palavra de ordem é ganhar. Houve um investimento grande nas equipas masculina e feminina. Todos os atletas ficaram a perceber melhor a dimensão que o Clube tem tido ao longo da sua história e estamos aqui todos para contribuir para que isto continue de forma eficiente e para que se mantenha e reavive a imagem que o atletismo do Sporting teve ao longo dos anos."

"Reforçámo-nos essencialmente na equipa feminina, nas equipas de crosse feminina e masculina e também no sector de pista, onde tínhamos imensas lacunas e fomos buscar jovens entre juniores e sub-23. Com a chegada destes jovens talentos vamos criar grandes problemas às equipas que estão mais bem apetrechadas."

"O crosse é uma aposta muito forte, fomos buscar atletas que dão garantias de uma competitividade enorme. Fizemos uma equipa que terá muitos anos pela frente, e que nos dá uma garantia enorme e uma segurança tremenda para o futuro, tanto no masculino como no feminino. E, aliás, demonstra que estamos atentos aos novos valores para termos a garantia de recuperar a hegemonia num futuro próximo, algo que não acontecia nos últimos anos."

"São quatro provas (Campeonato Nacional de Crosse; Campeonato Nacional de Estrada; Campeonato Nacional de Clubes e Taça dos Clubes Campeões Europeus) e quatro momentos onde os nossos atletas têm de estar no seu melhor. Todos eles foram alertados para esses focos extremamente importantes e vamos criar condições para que tudo corra de uma forma muito séria e capaz de fazermos o que pretendemos: entrar em competição convencidos de que temos uma equipa boa e preparada para discutir seja que prova for."

"Estamos a apostar na conquista de mais uma competição europeia, como a Taça dos Clubes Campeões Europeus, e temos a consciência de que tudo estamos a fazer para que isso se torne realidade. Sabemos que há momentos em que, por muita vontade que tenhamos, não somos capazes de ultrapassar as adversidades, mas tudo fazemos e faremos para que isso não aconteça."

"Nestes últimos dois anos ficámos no pódio da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Isso denota que a equipa feminina, só por si, já tem um valor muito bom. Se conseguirmos introduzir outros valores - como fizemos - para melhorar isso, ficamos com a consciência de que somos capazes. E o Sporting tem todo o interesse em que isso venha a acontecer, o que seria muito importante para o Clube e para o atletismo nacional porque pode chamar patrocinadores e fazer recair sobre o nosso país mais atenções. Queremos tornar o atletismo do Sporting numa referência, tal como já foi em anos passados, no meu tempo e do Moniz Pereira. Temos de criar a ideia de que o atletismo do Sporting começa a ter condições para trazer até nós jovens com outras mais-valias."

"A nossa mística não se perdeu, nós é que perdemos alguns valores que faziam a diferença em competição. A mística está cá e alimenta-se com os mais jovens a aprenderem com os mais velhos (como o Rui Silva ou o Francis Obikwelu). É importante passar a estes jovens talentos a mística do Clube que viveu momentos de grandeza, dentro e fora do país, e que ajudou o Sporting a ser o mais ecléctico de Portugal. E essa maneira de ser, aliada aos bons resultados, fizeram com que, durante muitos anos, eu e outros atletas abraçássemos o amor ao Sporting."

"A qualidade dos nossos jovens traz-nos algumas garantias que, num futuro próximo, podemos garantir a nossa posição de primeiros em tudo. É preciso capacidade de gestão porque muitos dos jovens que chegaram ainda estão em formação, mas também para isso fizemos uma aposta num quadro técnico de alto valor e de grande mais-valia. Queremos técnicos que sejam de qualidade para o presente, mas capazes de valorizar ainda mais estes jovens talentos para o futuro. Com estes jovens e o quadro técnico ao nosso dispor, todos em conjunto faremos a força."

"Estamos todos no mesmo barco e a tentar levá-lo a bom porto. Temos dado sinal de uma recuperação daquilo que se tinha perdido e penso que com um bocadinho de boa vontade e uma certa liberdade para podermos expressar o que entendemos ser melhor para o Clube, estamos num bom caminho. Não é num ano que se prepara o futuro, isso demora tempo e é preciso ter calma. O dinheiro é a base da sociedade e os clubes não fogem a essa realidade nem atravessam os melhores momentos, por agora, e essa dificuldade por vezes torna-se incómoda. Mas com paciência, garra, habilidade, e todos juntos, com espírito colectivo levaremos a água ao nosso moinho e conseguiremos levar o nosso barco ao tal bom porto, sem que este se afunde pelo meio."

(Sobre a presença do Presidente, Bruno de Carvalho e do vive-presidente para as modalidades, Vicente Moura) "É uma forma de valorização de toda a equipa, de todos os atletas e de toda a gente envolvida na secção do atletismo do Clube. Estamos todos unidos para criar as melhores condições para que o sucesso se torne uma realidade."

"É um ano muito, muito complicado. Não para o Clube em si, mas para os atletas, que têm uma série de situações que terão de ser bem geridas. Existe a Taça dos Clubes Campeões Europeus, no final de Maio, e os Campeonatos da Europa em Julho, e depois o Campeonato Nacional de Clubes, antes dos Jogos Olímpicos. É tudo muito seguido e gerir os atletas para estarem em boas condições físicas e mentais em Maio e novamente em Julho e Agosto exige um esforço tremendo. Tem de haver um encontro de ideias entre todos os técnicos para conseguirem calibrar a forma destes atletas em todas as provas."

"Uma prova como os Jogos Olímpicos desvia sempre o foco de atenção de um atleta, que não haja dúvidas sobre isso. Quem está a preparar os Jogos tem a visão e o sentimento de querer representar-se bem e fazer um bom papel e não é fácil gerir isso com os objectivos do Clube. Mas vamos tentar acalmar as coisas e fazer uma gestão sensata e equilibrada para que possamos todos atingir o que desejamos e consigamos reforçar uma posição bem alicerçada para o futuro."

"Naturalmente que vamos estar com mais atenção em cima, mas isso não nos preocupa. Os Jogos acontecem de quatro em quatro anos, são o maior acontecimento histórico do desporto mundial e toda a gente quer estar presente e focada nisso. Todos estamos ansiosos para ver o que acontecerá no Rio de Janeiro, onde, para nos aproximar ainda mais, se fala português. Só a Federação é que devia ter tido mais cuidado quando lançou o calendário de competições. Parece-me que não serviram os interesses nem dos clubes nem dos atletas."

"Penso que, neste momento, podemos ter entre uma a duas mãos cheias de atletas, só no atletismo. Temos de avaliar primeiro o que vai ser esta época e o que cada um conseguirá fazer ao longo do ano, mas temos atletas com níveis muito elevados e que poderão carimbar rapidamente a sua presença lá."

"Não é fácil conseguir uma medalha, muito menos de ouro. Mas temos atletas com grandes hipóteses, embora seja difícil. A Sara Moreira, na maratona, é uma das potenciais candidatas. Não sei o que acontecerá se a Jéssica Augusto participar na maratona também, mas terá possibilidades. A Patrícia Mamona, se aparecer em boa forma, é uma das candidatas a ficar nos primeiros oito classificados. Assim de repente, não sei se o João Vieira, nos 50 quilómetros de marcha, não poderá também conseguir algo... Temos imensos atletas que poderão fazer resultados fabulosos, mas temos de ver como corre a época para percebermos em que ponto é que eles lá chegam."

Será um prenúncio?

Quis a sorte que a partir de amanhã, dia 22 de agosto se disputem em Pequim os Mundiais de Atletismo, seguidos dos Mundiais de Judo, com início a 24 deste mesmo mês.

Falei em sorte, porque precisamente durante este período se celebra uma efeméride importantíssima: a que assinala os melhores Jogos Olímpicos de sempre para atletas do Sporting.

Será um prenúncio.png

Três medalhas olímpicas em 6 dias não está ao alcance de qualquer clube mundial.

Quem sabe se, na próxima semana, não se escreverá mais história.

A elite leonina nos Campeonatos do Mundo.png

 

Boa sorte aos nossos atletas! Peço apenas que dêem o melhor e se superem, com esforço e dedicação.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal