Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

A magia do lado B

A crítica foi unânime na avaliação ao trabalho de João de Deus à frente dos destinos da equipa B leonina.

Uma temporada de grande nível após um início titubeante, futebol de qualidade e evolução a todos os níveis auguram algo positivo para 2015/2016.

Estou expectante para o que poderá ser esta temporada. João de Deus preparou a equipa desde o início, algo que não fez na temporada transacta (na qual entrou já no decorrer da mesma) e, para já, pode dizer-se que tem corrido bem.

Já com uma boa base da época passada, a equipa B leonina perdeu apenas um jogo com...a equipa principal do Sporting.

De resto, quatro empates e duas vitórias, ambas sobre equipas da primeira Liga: o Nacional, por 3-2 e o Vitória de Setúbal, por 6-1.

Frente aos madeirenses, que ainda anteontem foram a Coimbra derrotar a Académica por claros 3-0, a equipa reagiu muito bem a uma desvantagem de dois golos e acabou por dar a volta ao resultado.

Já no jogo com os sadinos, houve domínio total e um resultado volumoso sobre uma equipa que, apesar de alguns constrangimentos na planificação da época, já bateu os espanhóis do Bétis por 1-0.

Francisco Geraldes tem sido um dos maiores destaques da pré-temporada. Já com 3 golos apontados é o melhor marcador da equipa, à frente de Diego Rubio, Betinho e Daniel Podence (todos com 2).

No entanto, espero uma época de afirmações e reafirmações. Betinho e Zezinho são dois jogadores que procurarão 'renascer' e nomes como Riquicho, Domingos Duarte, Ryan Gauld, Francisco Geraldes, Matheus Pereira e Daniel Podence procurarão destacar-se por forma a chamar a atenção de Jorge Jesus.

Muitos dos jogadores do actual plantel acabarão por ser emprestados e espero acompanhar a sua evolução ao longo da temporada.

Honestamente, espero uma época ao nível da anterior, pelo valor dos nossos e pelo fraco nível da 2ª Liga, embora com condicionantes que dificultam bastante a obtenção de resultados e a prática de futebol de qualidade.

Confio em João de Deus e nos jogadores que farão parte do plantel e afirmo: entusismam-me tanto as perspectivas de evolução nestes jovens quanto a possibilidade de festejar títulos com a equipa principal.

Aqui estão os golos

A equipa principal venceu o Mafra por 3-1 (Jefferson, Slimani e Tanaka marcaram os golos)

A equipa B empatou com o Atlético a 1 bola (Rubio marcou, de livre directo, o único golo leonino)

As virtudes do lado B

Já aqui elogiei várias vezes o trabalho de grande qualidade de João de Deus à frente dos destinos da equipa B leonina.

Gostei de ver que o nosso treinador percebeu rapidamente a realidade da equipa e tratou de, com a maior celeridade possível, resolver os problemas.

É bem verdade que o emagrecimento do plantel em Janeiro ajudou à reorganização do grupo mas não é menos verdade que, de um dia para o outro, João de Deus se viu privado de vários dos habituais titulares.

A verdade é que o 'mister' facilmente juntou o grupo, que não só se tornou menos numeroso como mais unido e com uma maior identificação de papéis por parte de cada um.

Para o cumprimento dos objectivos, em muito ajudou o regresso de Diego Rubio que, em meia época marcou mais golos do que aqueles que todos os outros avançados tinham marcado até à data.

Os grandes destaques da época vão precisamente para Rubio, Luís Ribeiro, Wallyson, Gelson, Francisco Geraldes e João Palhinha.

Rubio revelou-se um jogador mais maduro do que quando, há um ano e meio, tinha saído. Mesmo 'atirado' para países como a Roménia ou a Noruega, soube crescer e ganhar maturidade, reforçando a mentalidade. Termina a época a pedir uma oportunidade na equipa principal e, a meu ver, merece-a.

Luís Ribeiro mostrou tudo o que de bom um guarda-redes deve ter e, o que lhe falta em experiência, sobra em capacidade de comando, agilidade, jogo de pés e uma frieza que lhe permite, por exemplo, ser exímio na defesa de grandes-penalidades. Neste momento, para mim, põe em perigo o lugar de Marcelo Boeck, como nº2 da baliza. Porque tem qualidade, porque pode fazer-lhe bem conviver mais de perto com Rui Patrício e porque permitia um alívio no orçamento.

Wallyson é classe pura. Dono de um pé esquerdo dotado de grande habilidade, tem no posicionamento o seu maior trunfo para recuperar inúmeras bolas. Tem grande sentido colectivo e é preciso no passe, tanto curto como longo. Tem lugar de caras no plantel da próxima época onde, seguramente, crescerá ainda mais e poderá tornar-se mais intenso nas suas acções.

Gelson foi, para mim, uma surpresa. Rápido e ágil, é dotado de uma excelente capacidade técnica e de condução de bola em velocidade. Melhorou bastante a sua capacidade de decisão ao longo da época e com o passar dos jogos tornou-se mais confiante. Tem qualquer coisa de Carrillo e faz algo que o peruano não fazia com a sua idade: defende bem e tem sentido táctico, facto que lhe permite ocupar até uma das posições do meio-campo. Não me parece mal que faça a pré-época e deixar que seja o treinador da equipa principal a decidir se fica ou segue para um empréstimo num patamar mais competitivo que a 2ª Liga.

Francisco Geraldes tem uma naturalidade com a bola nos pés totalmente desconcertante. Ambidestro e com grande visão de jogo, coloca a bola onde quer. Tem alguma facilidade para aparecer em zonas de finalização e, quando melhorar essa vertente do seu jogo pode tornar-se num caso sério. Deve, a meu ver, rodar numa equipa da 1ª Liga, visto que Ryan Gauld me parece mais preparado para assumir um lugar no plantel principal da próxima época.

João Palhinha foi a maior surpresa desta equipa B, apenas porque nunca o tinha visto jogar. É o William Carvalho branco. Tem presença e força física e sabe usar o grande porte e envergadura. Recupera bolas com uma facilidade 'irritante' e sai com qualidade em posse. Resta aprimorar o passe, onde lhe falta talvez a confiança para arriscar mais um pouco. No entanto, se não lhe faltasse nada, William podia ter um problema. Tem tudo para ser de classe mundial e, antes de o emprestar de forma precipitada, acho que deve manter-se na B, pelo menos mais meia-época.

Apenas dizer que, sobre Ryan Gauld nunca existiram dúvidas do seu valor. Desde que, pela primeira vez, vi o seu toque de bola que percebi que está ali a maior transferência de sempre do nosso Clube. Ryan sempre pertenceu ao plantel principal e praticamente só jogava pela B, pois foi assim que foi traçado o seu trajecto desde o início. Espero que a lesão esteja a ser debelada com minúcia para que a próxima época seja o ano de afirmação do seu enorme talento.

Apenas uma palavra para outro dos reforços: Sacko. Há ali qualquer coisa. Velocidade estonteante e sentido de baliza. Não foi à toa que marcou 7 golos em apenas 15 jogos como titular (fez mais 16 vindo do banco de suplentes). Nunca será um tecnicista e não devemos esperar dele cruzamentos teleguiados mas é um bom abre latas e exímio para jogos em que seja necessário apostar no contra-ataque. Tem golo nos pés e julgo que devemos ser cautelosos na sua gestão de carreira.

Termino dizendo que é giro bater recordes mas o importante é ver que houve evolução individual. Foi uma época claramente ganha e tomara que a próxima dê tantos e tão bons frutos.

Parabéns a todos os elementos da equipa B e espero que continuem o bom trabalho!

O reforço do ataque

Ainda não me pronunciei sobre as notícias que veiculam a incursão do Sporting no mercado para a contratação de John Guidetti.

Hoje, surgem novos rumores, desta vez por Joel Campbell.

Não sei porquê, não acredito muito na contratação de nenhum dos dois.

Ambos são jovens promessas que tardam em se afirmar e qualquer deles tem alternado entre épocas que confirmam valor e outras que adensam a dúvida quanto às suas capacidades.

Confesso que não vejo o Sporting com capacidades para contratar a equipas de primeiro plano.

Aliás, isso tem-se visto com a contratação de jogadores em mercados periféricos e clubes de menor dimensão.

Bem sei que Guidetti está em fim de contrato mas, se isso nos pode dar uma hipótese, por outro lado pode alimentar o leilão e, como é sabido, não temos capacidade para entrar em leilões, sobretudo porque vai sempre aparecer alguém que dá mais. Só o projecto desportivo nos pode valer na tentativa de convencer o sueco a rumar a Lisboa e, para isso, ainda terá de contribuir a vontade do jogador em assinar por um projecto em vez de um saco de dinheiro (temo que o dinheiro acabe por pesar mais na decisão).

Por tudo isto, dei por mim nos últimos dias a pensar num avançado que pudesse entrar no nosso radar sem que tenhamos de vender meio plantel e, ao contrário do que muitos exigem, que não tenha créditos firmados nem grande currículo.

Isto parece não fazer sentido mas, para mim, faz. Não estar habituado a ordenados principescos e às luzes da ribalta pode fazer com que o Sporting seja a oportunidade de uma vida. Parece-me mais útil um jogador motivado a aproveitar uma grande oportunidade (como, por exemplo, actuar na Champions) do que um nome para alimentar a esperança dos adeptos e, eventualmente, mais uma futura desilusão.

Disso, já temos a nossa quota parte.

Parto do princípio que Slimani sairá. É o nosso avançado mais cobiçado (aparentemente) e para mim o mais dispensável.

Montero vive bem entre a titularidade e o banco e traz inegáveis capacidades técnicas, aliadas a um rendimento interessante

Tanaka estará a viver um sonho e parece-me uma boa opção para ter no plantel, partindo do princípio que vive bem com as oportunidades que lhe têm sido dadas.

Rubio parece-me preparado para assumir a luta por um lugar entre os titulares.

Assumindo que nem Montero nem Tanaka são pontas-de-lança puros (ao contrário de Rubio) acho que podemos continuar a precisar de um jogador mais fixo, possante e com jogo aéreo. São características com valor num campeonato como o nosso em que, por vezes, é necessário um 'destruidor de autocarros'.

Querem um nome?

Rudy Gestede.

1 metro e 93 centímetros de altura e 86 quilos de peso.

Nascido em França e formado no Metz, não conseguiu impôr-se enquanto jovem jogador.

Tem tripla nacionalidade (França, Benin e EUA) e chegou a ser internacional sub-19 em França, porém, acabou por ser internacional AA pelo Benin (6 jogos / 3 golos desde 2013).

Acabou por ficar livre e assinou pelo Cardiff. As primeiras duas temporadas não foram muito produtivas no que aos golos diz respeito, mas a equipa conseguiu subir à Premier League. Gestede partia para a terceira época a poder estrear-se numa das maiores ligas do mundo.

Perdeu espaço e, depois de pouco jogar, acabou emprestado ao Blackburn a meio da época, clube que acabou por adquirí-lo em definitivo e onde se mantêm até hoje.

Tem contrato até Junho de 2017 e está avaliado (segundo o site transfermarkt.pt) em 3.5M€.

A verdade é que, pese embora a boa contribuição do avançado (66 jogos / 33 golos / 7 assistências), o Blackburn falhou nas duas épocas a subida à Premier League.

No que às características diz respeito, Rudy Gestede é um bom finalizador, tem um exímio jogo aéreo (bem melhor que Slimani) e é bastante competente no jogo em apoio, para além de ser capaz no último passe. Apesar da envergadura, movimenta-se muito e integra-se bem nas dinâmicas colectivas. É letal no aproveitamento de cantos e livres, facto que abona e muito a seu favor.

Deixo um vídeo para abrir o apetite.

Já agora, a acompanhar o desempenho de outro francês, actual internacional sub-21. Sébastien Haller transferiu-se este ano do Auxerre para o Utrecht por 750 mil € e tem um registo impressionante (15 jogos / 10 golos / 3 assistências).

Tem um perfil físico semelhante a Gestede, está avaliado em 1.25M€ e parece-me um jogador muito interessante.

Nem sou deste tipo de especulações mas, se quiserem contratar-me como olheiro, estou desempregado.

O que acham?

Quantos recordes serão?

O momento de forma da equipa B de futebol do Sporting, depois de mais uma vitória (2-0 sobre o Atlético, com dois golos de Cristian Ponde), promete um final de época fantástico e um sem número de recordes batidos.

Desde o regresso das equipas B, este promete ser, depois de todas as dificuldades iniciais, o melhor ano da equipa B leonina.

Com a chegada de João de Deus, o emagrecimento do plantel e o 'reforço' Diego Rubio, o Sporting soma já 60 pontos e ocupa o 4º lugar na tabela, a apenas um ponto do primeiro.

Apesar de nos dois anos anteriores o campeonato se jogar a 42 jornadas (este ano são 46), o Sporting, com 36 jogos jogados, está a apenas 6 pontos dos 66 da dupla Oceano / Dominguez e a 10 dos 70 de Abel Ferreira.

O Sporting B é, a par do rival Benfica B, a equipa com mais vitórias na competição (17).

No total desta temporada, apresentamos uma percentagem de vitórias de 47% e conquistámos 56% dos pontos em disputa mas, se cingirmos a análise à prestação depois da chegada de João de Deus, notam-se melhorias: 50% de vitórias e 59% dos pontos conquistados.

A dupla Oceano / Dominguez (Oceano fez apenas 8 jogos) tem neste momento o recorde no que à posição na tabela classificativa diz respeito (4º) e João de Deus (em conjunto com Francisco Barão, que fez as primeiras 10 jornadas) pode perfeitamente melhorar a marca.

O recorde de Pontos pertence a Abel (70) embora tenha ficado em 6º lugar na classificação final. Só faltam dez pontos para bater essa marca (ainda estão 30 por disputar).

A época transacta, sob o comando de Abel, detêm também a melhor percentagem de vitórias e pontos conquistados (48% e 56%, respectivamente). Ora, este é sensivelmente o aproveitamento que a equipa tem actualmente pelo que é possível ver esta marca também ultrapassada.

Gosto da cultura de vitória que se nota estar implementada na nossa equipa secundária. João de Deus tem sabido motivar os jogadores e parece ter objectivos, internamente, bem definidos.

Nota-se ambição em todos os jogadores, que começam a acreditar ser possível fazer uma 'graçinha' mesmo que não tenham essa obrigação classificativa. Todos sabemos quais os objectivos da nossa equipa B e, na verdade, será mais fácil potenciar o valor de cada jogador, preparando-o para a equipa principal, ganhando e jogando um futebol agradável e, neste momento, tudo isso está a ser conseguido.

Ainda o ponta-de-lança

Tenho vindo a falar de Diego Rubio e do seu bom momento de forma.

Inclusive já perspectivei a próxima temporada, com a sua inclusão no plantel principal.

Tal como já aqui disse anteriormente, Slimani é transferível e não sabendo se sairá ou não, vou assumir que sim.

É unânime que precisamos de um avançado que faça vinte golos por temporada.

Será também mais ou menos unânime que não é fácil encontrar um avançado que garanta essa marca a baixo custo.

Tenho pensado várias vezes ao longo destas duas temporadas no que podíamos ter feito caso Godinho Lopes não tivesse vendido, à pressa, Ricky van Wolfswinkel para desaparecer com o dinheiro ainda antes da chegada de Bruno de Carvalho.

Sim, Ricky foi, durante duas épocas, o ponta-de-lança que garantiu os tais vinte golos (25 + 20).

Não foi bem sucedido em Inglaterra e o Norwich acabou por descer.

Está este ano em França, por empréstimo, no Sanit Étienne (o 5º classificado da Ligue 1, a apenas nove pontos do Lyon, o primeiro da tabela) e marcou, até agora, nove golos.

O seu clube, o Norwich, ainda está longe de garantir uma das posições que lhe possam permitir voltar à Premier League (embora se encontre, neste momento, em posição de garantir acesso ao play-off de subida) e na verdade, pode nem conseguir a subida.

Bem sei que os ingleses investiram qualquer coisa como 10M€ na sua contratação, mas também sei que, caso se mantenham no Championship, terão de o vender ou voltar a emprestar.

Lembro-me que o 'Iceman' disse, aquando da sua despedida que esperava um dia voltar (não sei se exactamente por estas palavras).

O que acham?

Por mim, era bem-vindo de volta!

 

Diego Rubio no Jornal Sporting

Diego Rubio.png

 

A entrevista que o Jornal Sporting nos traz hoje com Diego Rubio vale o euro que a edição impressa custa.

Humildade, maturidade e gratidão, mesmo depois de um ano e meio de travessia no deserto.

Rubio não desistiu de lutar, não desiste do Sporting e fala da equipa B com o mesmo profissionalismo do que se da equipa principal se tratasse.

Para além dos predicados acima mencionados...o passado é passado, aprendeu com ele, cresceu e regressou forte e determinado. Mostra ambição para o presente na equipa B e para o futuro, que perspectiva de leão ao peito, na principal equipa.

Assim espero!

Como comecei por dizer, a entrevista vale o custo do Jornal, mas há muito mais conteúdos verde e brancos de qualidade, por isso, vai lá comprar o Jornal ou aproveita para o assinares aqui.

E não fala bem só com os pés

As palavras são de Diego Rubio, na antevisão ao jogo de hoje com a Oliveirense.

“Queremos ganhar porque só esse resultado nos interessa. O Sporting tem de ganhar sempre e vamos fazer por isso. Sabemos que é um adversário complicado, mas a nossa missão é trabalhar para vencer a partida”.

“Tentamos estar sempre motivados, felizes e bem. Estamos muito concentrados nos nossos objectivos porque todos queremos o mesmo: ganhar. Ninguém está disposto a facilitar e, nos treinos, nota-se que todos dão o máximo, o que dificulta a vida do técnico para escolher quem joga”.

Espero que tenhas carregado a shotgun, Diego!

Rubio conta ou não?! Para mim, conta!

Ando há uns dias para falar nisto.

Estamos com dificuldades na frente de ataque. Isso é inegável.

Slimani, nos últimos dez jogos em que foi utilizado apenas fez dois golos.

Montero não tem sido opção mas também não fez muito melhor quando o foi. Três golos nos últimos dez jogos.

Tanaka tem sido quase sempre uma opção de recurso aos dois anteriores mas tem números semelhantes a Montero e Slimani se considerarmos os últimos dez jogos em que teve minutos em quantidade aceitável (também três golos nos últimos dez jogos em que fez mais do que dez minutos).

Vou incluir nesta equação Diego Rubio. Bem sei que aufere um vencimento de cerca de 700 mil euros anuais, bem fora dos valores ideais e que, para agravar a situação, o vencimento dispara com a utilização na equipa principal. Como tal, neste momento, está fora de questão a utilização na equipa principal e, apesar de ser da minha vontade que renove contrato, assinando por valores mais modestos e adequados à nova realidade do clube não sei se isso virá a acontecer.

A verdade é que Diego Rubio, sem ter feito pré-temporada no clube (a temporada na Noruega terminou em Novembro) e sem qualquer tipo de rotinas com os companheiros de equipa, chegou, viu e marcou. Foram já nove golos em apenas onze jogos na equipa B e um na Taça da Liga (este, vindo do banco).

Isto quando, em termos comparativos com os colegas da equipa principal, acredito que tem até um melhor índice de eficácia (rácio oportunidades/golos).

Numa altura em que tudo aponta para que Slimani seja vendido no final da temporada (opção que me agrada pois, apesar de ser um jogador com algumas qualidades, não é um goleador e, ainda por cima, tem mercado) e se encontra num fraco momento de forma, acho que devíamos já tentar a renovação com Rubio (se for possível, claro) e intergrá-lo de imediato na equipa principal, aproveitando desde já o pé quente do chileno e preparando a temporada seguinte.

Admitindo Montero como um '10', partiríamos para 2015/2016 com uma frente de ataque composta por Rubio, Tanaka e uma contratação de valor e, de preferência, com experiência e provas dadas (bem sei que são características difíceis de contratar com o nosso parco orçamento).

Deixo uma tabela comparativa das nossas quatro opções de ataque para atestar com números aquilo que defendo.

Comparativo avançados.png

Pólos opostos

Não é habitual usar o mesmo post para comentar os jogos da equipa B e da equipa principal, mas hoje assim será.

Foram duas vitórias. Uma na Academia e outra no Estádio dos Barreiros.

Gostei da vitória da equipa B que, assim, ocupa o 6º lugar a apenas seis pontos do 1º.

Não gostei nada do jogo nos Barreiros apesar de ter gostado da vitória.

Era suposto que fosse a equipa principal a lutar pelo título e não a equipa B mas a verdade é que, sem qualquer responsabilidade neste capítulo, a equipa B vai baralhando a luta pelo título da 2ª Liga sem que ninguém isso lhes exija.

Não quero ser demasiado duro com Marco Silva e os jogadores que têm sido utilizados na equipa principal mas ouso dizer que, neste momento, a equipa B arriscava-se a fazer melhor figura em alguns dos jogos na 1ª Liga.

Porquê?

Sobretudo porque demonstram uma atitude competitiva bastante mais evidente que os colegas do plantel principal.

Também erram o que, de resto, me parece mais 'normal' dada a inexperiência e juventude dos jogadores às ordens de João de Deus.

Depois há outra questão.

Nota-se clara evolução da equipa B. Um estilo de jogo rápido, de posse e com tentativas de jogar sem grandes correrias, sobretudo no meio campo. A equipa parece ter consolidado processos e ter ganho alguma maturidade.

Sinal evidente são, por exemplo, os últimos 10 minutos do jogo de ontem, frente ao Académico de Viseu em que, com menos um, simplesmente não houve jogo até ao apito final, tal foi a capacidade de controlo de jogo dos leões.

Claro que a reorganização de Janeiro em muito ajudou a equipa B. Ter um ponta-de-lança ajuda muito e João de Deus soube tirar partido das qualidades de Rubio, que em muito ajudaram à melhoria de toda a equipa que, finalmente, passou a ter alguém de qualidade a quem endossar a bola na frente de ataque. Rubio joga e faz jogar e isso nota-se.

O mesmo não se pode dizer da equipa principal que já jogou bom futebol esta época e que, neste momento, parece um deserto de ideias e um mar de incertezas.

Desde jogadores em défice físico ao défice de índices competitivos, nada tem ajudado a praticar bom futebol. Mais do que os resultados, chateia-me ver que a equipa regrediu em vez de consolidar processos. Deixa-me revoltado ver futebol sem rasgo e sem chama.

Dificilmente seremos alguma vez campeões nacionais a jogar da forma que fizemos ontem e que temos feito ultimamente. Poderemos vencer uma competição a eliminar, como é o caso da Taça de Portugal, mas nunca um campeonato, onde se tem de ser regular em 34 jogos.

Aliás, eu admito até que a equipa seja menos exuberante em jogos a eliminar pois é natural que exista um maior pragmatismo, em face da necessidade de não falhar, pois tudo se decide naquele momento. A mesma paciência já não tenho quando, num momento em que era suposto estarmos 'no ponto', o nosso jogo não passa de aborrecido.

Num momento em que faltam nove jogos para terminar o campeonato e temos a nossa posição praticamente definida, considero importante que se consolidem processos e se integrem jogadores com vista à próxima temporada, não só porque considero que pode trazer melhorias à equipa como também facilitará a preparação da próxima época. Fora o campeonato, a Taça tem de ser para vencer e só essa vitória com uma melhoria na qualidade de jogo nos jogos da Liga me deixará satisfeito.

Quanto à equipa B, nada lhes exijo, para além da atitude, entrega, qualidade e evolução que têm demonstrado. No fim, fazem-se as contas.

Uma nota final para Diego Rubio. Mais um grande golo e a prova de que é um avançado com qualidades raras. Bem sei que aufere um vencimento de cerca de 700 mil euros anuais, bem fora dos valores ideais e que, para agravar a situação, o vencimento dispara com a utilização na equipa principal. Para dificultar ainda mais tem o passe partilhado com fundos e o contrato termina em Junho de 2016, pelo que interessa aos fundos uma transferência que permita reaver o dinheiro investido (recordo que o Sporting adquiriu o jogador por 1M€ e, pese embora o vencimento ruinoso, já alienou partes do passe por cerca de 2M€). Com todas estas condicionantes e, partindo do princípio que Bruno de Carvalho gosta tanto do chileno quanto eu, é falar com o rapaz todos os dias, explicando-lhe que fazemos conta com ele e acenando-lhe com uma renovação de contrato mais consentânea com a realidade do clube, anulando cláusulas estúpidas e definindo objectivos que o motivem.

E não houve surpresas

Acho piada àqueles que ficam a fazer refresh em tudo o que é página de desporto à espera das últimas do mercado. Nesta janela de transferências que agora terminou, acho ainda mais piada a Sportinguistas que se tenham dado a esse trabalho. Não pela 'tarefa' em si, mas sim pelas expectativas baixíssimas de movimentações para os nossos lados.

Somos um clube com limitações financeiras, com um orçamento reduzido, sob vigilância da UEFA por causa do fair-play financeiro e estavam à espera de um craque para o Sporting?

Temos lá muitos, com Nani à cabeça (que foi a melhor jogada de mercado desta temporada em Portugal).

Foi um mês de Janeiro em que recebemos uma espécie de "Querido mudei a casa", mas em versão "Querido arrumei a casa" pois, como já disse, não havendo dinheiro para renovações, limitámo-nos a arrumar e desfazer-nos (mesmo que temporariamente) de 'coisas' que não nos eram agora úteis mas que ali paradas também só ganhavam pó - espero que ninguém se ofenda com este paralelismo.

Dois jogadores saíram em definitivo. Maurício foi vendido à Lazio por 2.65M€ e Wilson Manafá foi cedido ao Beira-Mar a custo zero, tendo o Sporting ficado com 50% do passe.

Dos mais de dois milhões e meio que nos rendeu Maurício, 300m€ foram investidos no empréstimo de Ewerton, que terá os seus ordenados suportados pelos russos do Anzhi até ao final da época. Entendo este empréstimo como um período de experiência para que os responsáveis leoninos avaliem as capacidades actuais do jogador. Se corresponder às expectativas, pagaremos os 1.5M€ acordados para a compra definitiva dos direitos do jogador e teremos reforço para a próxima época pois, parece-me que Tobias já não 'descalça' do 11 inicial.

Entre compras e vendas, saldo positivo. Gastámos menos do que recebemos, reforçamos a confiança em Tobias e não ficamos mais fracos.

Yan Zihao, cujo contrato terminava no final desta temporada, rescindiu e seguirá carreira noutras paragens.

Diego Rubio e Zezinho regressaram à Academia e integrarão a equipa B.
Rubio tinha terminado o empréstimo ao Sandnes Ulf, da Noruega, equipa que desceu de divisão mas onde Rubio fez pela vida, tendo sido o melhor marcador da equipa. Confesso que vejo potencial em Rubio. Não podemos esquecer-nos que tem ainda 21 anos e que o próprio Sporting não lhe tem facilitado a vida com empréstimos que castram a evolução. Ainda não perdi a esperança no chileno e os dois golos em dois jogos pela equipa B, para já, são bons indicadores.
Zezinho regressa após quebra do contrato de empréstimo que o ligava ao AEL Limassol até ao final da temporada. Foi um empréstimo claramente falhado onde, num campeonato pouco competitivo e com as dificuldades de adaptação normais, pelo facto de ser um país e uma cultura diferente não facilitariam a sua evolução. Confesso que já o vi jogar muitas vezes e considero ser até a melhor opção para fazer sombra a William Carvalho.

No campo dos empréstimos, tentou dar-se aos visados minutos e possibilidade de evoluir ou simplesmente de competir.

Iuri Medeiros e Fabrice Fokobo seguiram para Arouca e se Pedro Emanuel conseguir fazer o que fez com Adrien e Cédric já valeu a pena.

Filipe Chaby seguiu para a Madeira e jogará na União até ao final da temporada. Fontes próximas do clube garantiram-me que Chaby está bem entregue e que, embora apresente falta de ritmo e algumas lacunas no jogo sem bola, com ela nos pés acontece magia.

Ricardo Esgaio e Salim Cissé seguiram para a Académica. Parece-me um empréstimo com objectivos diferentes. Para Esgaio uma oportunidade de evoluir, jogando num patamar mais competitivo que a 2ª Liga. Para Cissé parece-me mais uma tentativa de dar 'montra' ao jogador com vista a um possível negócio no final da temporada.

Lewis Enoh foi um dos 'tiros no escuro' do último mercado de transferências. O risco era praticamente nulo e era uma questão de ver no que dava. Veremos se mostra alguma coisa no Leixões.

Gazela, o outro 'tiro no escuro', segue para o Salgueiros 08. Este parece-me mais óbvio que não convenceu pois nem jogou na nossa equipa B nem foi possível emprestá-lo para uma equipa da 2ª Liga.

Heldon foi emprestado ao Córdoba. Neste caso pareceu-me que o empréstimo era para Capel, no entanto, nenhum clube revelou capacidade de pagar o salário do espanhol e, devido ao excesso de opções e à paulatina afirmação de Podence, sobrou para o cabo-verdiano. Que se valorize e aproveite a experiência de competir num campeonato de topo.

Wilson Eduardo saiu, após meia época na Croácia para ingressar no Ado Den Haag, da Holanda. Diferendos no Dínamo de Zagreb terão estado na origem desta mudança. Tenho dúvidas do seu valor para integrar o plantel do Sporting, por isso, espero que as coisas lhe corram bem para que possamos daí tirar dividendos e que o Wilson possa seguir a sua carreira num clube que o deseje.

Simeon Slavchev foi emprestado para o Bolton, que disputa o Championship. Gostava que tivesse ficado. Gostei do que vi, sobretudo em casa com o Boavista para a Taça da Liga. No entanto, nota-se que precisa de jogar e no Sporting só o faria a espaços. Espero que joguem muito em Inglaterra e que tenhamos box-to-box para 2015/2016. Vou estar atento.

Rúben Ribeiro, sem espaço na equipa B, foi emprestado ao Santa Clara. Não conheço muito do jogador, como tal, vou apenas desejar-lhe sorte.

Por fim, Mama Baldé, ponta-de-lança que pouco jogou na equipa B. Tendo em conta que era suplente de Enoh e Cissé, não sei se terá valor suficiente mas, como é mais um dos que pouco vi, espero que as coisas lhe corram bem em Castelo Branco, no Benfica local.

Mais um duplo empréstimo

O Sporting anunciou ontem em comunicado os empréstimos de Salim Cissé e Ricardo Esgaio à Académica.

Espero que sejam tão bem sucedidos quanto foram Adrien, Cédric e o próprio Cissé, que regressa assim ao clube onde o Sporting o contratou.

Em novo comunicado, emitido ontem ao final da noite, foram prestados os seguintes esclarecimentos, relativamente a atletas da equipa B:

- Iuri Medeiros – Empréstimo ao FC Arouca, até final da presente época;

- Fabrice Fokobo - Empréstimo ao FC Arouca, até final da presente época;

- Filipe Chaby – Empréstimo ao União da Madeira, até final da presente época;

- Mama Samba Baldé – Empréstimo ao S.B. Castelo Branco, até final da presente época;

- Wilson Manafá – Cedência a título definitivo para o Beira-Mar, ficando a Sporting SAD com 50% de uma futura venda;

- Zihao Yan – Rescisão por mútuo acordo;

- Diego Rubio – Reintegrado na Equipa B;

- Zezinho – Reintegrado na Equipa B;

- Lewis Enoh – Empréstimo ao Leixões, até final da presente época;

O que andam eles a fazer?

Betinho - Brentford.png

Mais uma vez, Betinho ficou de fora da convocatória do Brentford, na deslocação ao campo do Bringhton. O Brentford venceu por 1-0 e está na 5ª posição, que dá acesso ao play-off para subir de divisão, mas a apenas 5 pontos do primeiro classificado.
O avançado leonino acumulou apenas 13 minutos de jogo (na 1ª jornada) e não é convocado desde o dia 21 de Outubro.

Rubio - Sandnes Ulf.png

Depois de 27 jogos, 1821 minutos e 8 golos marcados no Sandnes Ulf (Noruega), Diego Rubio está de volta à Academia. Veremos se para integrar a equipa B (já que não me parece que tenha, neste momento, lugar na equipa principal) ou à espera de novo empréstimo.

Salomão - Deportivo.png

Na recepção ao Barcelona, o Depor foi goleado por 0-4. Salomão voltou a não ser convocado.
Em toda a temporada, jogou apenas 69 minutos para a Taça do Rey e ainda não se estreou no campeonato, onde o Depor ocupa o 17º lugar (o primeiro acima da linha de água).

Kikas - Rapid Bucareste.png

Kikas ainda não se estreou nesta aventura pela Roménia. Claramente um empréstimo falhado que exige resolução. Neste momento o campeonato ainda se encontra parado na Roménia, devido à habitual pausa de inverno.

Rúben Semedo - Reus.png

O Reus perdeu este domingo, fora, com o Cornella por 2-0. Rúben Semedo não foi utilizado e fez apenas 7 jogos no campeonato em 18 possíveis. O Reus é 10º classificado com 29 pontos (5 acima da zona de despromoção e 6 abaixo do play-off de promoção).

Viola - Karabukspor.png 

Neste fim-de-semana jogou-se a Taça da Turquia e o Karabukspor descansou. Viola tem 9 jogos jogados, entre Liga Turca e Liga Europa. Os 549 minutos que tem de jogo permitiram-lhe marcar 3 golos.

Wilson Eduardo - Dinamo Zagreb.png 

O Dínamo de Zagreb é o primeiro classificado do campeonato e Wilson Eduardo tem neste momento 945 minutos de jogo, repartidos por quatro competições num total de 17 jogos. Marcou um golo, não tem sido opção para o treinador nos últimos jogos e consta que as coisas se extremaram entre ambos. Neste momento o campeonato encontra-se em pausa e regressará a 7 de Fevereiro.

Labyad - Vitesse.png

O Vitesse recebeu o PSV e perdeu por 1-0. Labyad jogou os 90 minutos mas não conseguiu ajudar a equipa a fazer um resultado positivo.
Labyad jogou 14 partidas, tendo sido utilizado em 865 minutos, nos quais marcou 4 golos.
O Vitesse ocupa o 12º lugar na tabela classificativa com 22 pontos, a cinco do 7º lugar, o último com acesso aos play-off para a Liga Europa.

Zezinho - AEL.png

Zezinho só foi utilizado em quatro jogos num total de 166 minutos. 
Este domingo o AEL perdeu por 2-1 no campo do Anorthosis e Zezinho não entrou nas contas do treinador. Relevante o facto de não participar em qualquer partida desde o dia 2 de Novembro. O AEL é neste momento o 7º classificado da Liga Cipriota e necessita ficar nos 6 primeiros para não disputar o play-off de despromoção (o 6º classificado está a 5 pontos de distância).

Iuri Arouca.png

 

O Arouca perdeu 1-0 na deslocação a Moreira de Cónegos. Iuri Medeiros estreou-se na primeira liga, entrando aos 78 minutos.
Tem neste momento 12 minutos jogados. O Arouca ocupa a 14ª posição na tabela, com apenas 15 pontos, quatro acima da linha de água.

Fokobo Arouca.png

Fokobo, na estreia pelo Arouca foi titular, tendo sido substituído aos 54 minutos, tantos quanto acumula neste momento. O Arouca ocupa a 14ª posição na tabela, com apenas 15 pontos, quatro acima da linha de água.

O que andam eles a fazer?

Estamos no final do ano, e é tempo de ver o que têm feito os emprestados nos clubes que os acolheram.

Betinho - Brentford.png

Betinho não tem sido feliz em terras de sua majestade.
No Brentford, 6º classificado do Championship, o avançado leonino acumulou apenas 13 minutos de jogo (na 1ª jornada) e não é convocado desde o dia 21 de Outubro.
Tal como já tinha referido anteriormente, vale a pena equacionar novo empréstimo ou regresso à equipa B neste mercado de Inverno.

Rubio - Sandnes Ulf.png

Julgo que Diego Rubio voltará à Academia Sporting neste mercado de Inverno, terminada que está a temporada na Noruega. O Sandnes Ulf não teve uma temporada feliz. Foi o último classificado do campeonato e desceu de divisão.
O Diego ambientou-se bem ao frio do norte da Europa. Disputou 27 jogos num total de 1821 minutos e marcou 8 golos.
Não sei o que o Sporting pretende fazer com ele, mas é de lhe dar um desafio mais exigente. Ou se segue novo empréstimo, venda ou reintegração no plantel (seja na equipa principal ou na B).

Salomão - Deportivo.png

Diogo Salomão teve um regresso para esquecer ao Deportivo. Jogou apenas 69 minutos para a Taça do Rey e ainda não se estreou no campeonato, onde o Depor ocupa o 18º lugar (o primeiro abaixo da linha de água).
Recordo que já com Bruno de Carvalho ao comando dos destinos do clube, Salomão viu o contrato (incompreensivelmente) renovado. Já não se espera grande progressão para o extremo contratado ao Real Massamá e julgo que uma venda, mesmo que a baixo custo era a melhor solução para ambas as partes.

Kikas - Rapid Bucareste.png

 

Kikas ainda não se estreou nesta aventura pela Roménia. Claramente um empréstimo falhado que exige resolução. O jogador deve voltar, conversar com a estrutura e ver qual a melhor opção para seguir a carreira, sendo que, neste momento, não há lugar para ele no Sporting.

Rúben Semedo - Reus.png

Rúben Semedo fez apenas 7 jogos no Reus (7º classificado do campeonato) em 18 possíveis. É certo que este não seria o melhor desafio em termos desportivos, mas parece-me que a intenção era dar um desafio pessoal ao atleta.
Quando regressar, no final da época, veremos se foi ou não bem sucedido.

Viola - Karabukspor.png

 

Valentín Viola só ultimamente vem cimentando o seu lugar como titular no 'onze' do Karabukspor. Tem 9 jogos jogados, entre Liga Turca e Liga Europa. Os 549 minutos que tem de jogo permitiram-lhe marcar 3 golos.
A titularidade nos últimos quatro jogos, onde jogou as partidas completas podem fazer prever uma segunda metade da época ainda mais produtiva.
O Karabukspor é o 13º classificado do campeonato, apenas dois pontos acima da linha de água.
Consta que Marco Silva fazia conta com ele e talvez já tivesse sido útil.

Wilson Eduardo - Dinamo Zagreb.png

 

O Dínamo de Zagreb é o primeiro classificado do campeonato e Wilson Eduardo tem neste momento 945 minutos de jogo, repartidos por quatro competições num total de 17 jogos. Marcou um golo, mas já há um mês que não é opção.

Labyad - Vitesse.png

Tenho pena que Labyad, emprestado ao Vitesse até ao final da presente temporada não pareça ser um profissional exemplar. Além disso tem um ordenado em nada compatível com a realidade actual do Sporting e que me parece que inviabilizará para sempre a sua utilização no Sporting.
Tem talento, mas parece ser apenas isso.
O Vitesse ocupa o 10º lugar na Eredivisie e vem tentando recuperar de um início de época em que não ganhou nenhum dos quatro primeiros jogos.
Labyad jogou 12 partidas, tendo sido utilizado em 685 minutos nos quais marcou três golos.

Zezinho - AEL.png

Zezinho tem tido dificuldades em se impor no AEL. A liga cipriota não tem sido uma boa experiência para o luso-guineense que só foi utilizado em quatro jogos num total de 166 minutos. Relevante o facto de não participar em qualquer partida desde o dia 2 de Novembro. 
O AEL é 8º e está na luta para entrar no play-off que apurará o campeão. Para isso precisa garantir um dos 6 primeiros lugares da tabela.

Claramente, a política de empréstimos desta época tem-se revelado um falhanço quase completo. Equipas e ligas pouco competitivas onde não se vislumbram grandes possibilidades de evolução para os jogadores, que mesmo assim estão com dificuldades em se afirmar em equipas de menor valia.

Veremos os ajustes que se farão em Janeiro quanto regressos e novas saídas por empréstimo.

O facto do ambiente com os outros clubes nacionais poderá estar a ser prejudicial para a política de empréstimos e veremos se há forma de contornar esse facto com tiros mais acertados.

O que andam eles a fazer?

Tendo como base um artigo publicado ontem à noite pelo Maisfutebol, debruço-me hoje sobre os jogadores do Sporting cedidos por empréstimo.

São 9 os nomes a seguir:

Defesas:
. Ruben Semedo (Reus), 3 jogos (225 minutos)

Médios:
. Zezinho (AEL Limassol), 3 jogos (105 minutos)
. Kikas (Rapid Bucareste), não utilizado

Avançados:
. Diego Rubio (Sandnes Ulf), 26 jogos/7 golos (1789 minutos)
. Wilson Eduardo (Dínamo Zagreb), 13 jogos/1 golo (768 minutos)
. Labyad (Vitesse), 6 jogos/2 golos (471 minutos)
. Viola (Karabukspor), 3 jogos/70 minutos
. Betinho (Brentford), 1 jogo/13 minutos
. Diogo Salomão (Deportivo), não utilizado

Com pouco mais de dois meses de competição já dá para ter uma ideia dos jogadores que melhor se têm dado nos clubes que os acolheram.
Diego Rubio e Wilson Eduardo são os que mais têm jogado e que mais se têm destacado.
Rúben Semedo apenas participou em três jogos de um total de dez. Tendo em conta o histórico recente do promissor defesa-central, receio que não esteja a aproveitar a oportunidade de se afirmar para que regresse mais forte e sobretudo mais empenhado e responsável. A seguir...
Zezinho, depois de ter participado dos dois jogos da 3ª pré-eliminatória da Champions, frente ao Zenit, apenas foi utilizado num dos seis jogos da liga cipriota. Não sei até que ponto, um campeonato menos competitivo será vantajoso para o jogador e não me parece que com esta utilização o AEL exerça a cláusula de compra, mesmo sendo ela baixa.
Kikas não tem nem um minuto para amostra, tal como Diogo Salomão.
Viola e Betinho nem um jogo completo fizeram, tendo utilizações muito reduzidas. Betinho chegou com a época em curso no Championship e talvez esse facto tenha prejudicado a sua afirmação, no entanto, volvidos 16 jogos oficiais desde o início da época, 13 minutos é muito pouco. Em Dezembro deve ser reanalisada a sua situação, embora espere que se afirme num campeonato muito competitivo que o pode ajudar a crescer bastante. Veremos...

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal