Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Hoje é dia de futebol em dose dupla. 

Às 17 horas os juniores jogam na Áustria a continuidade na Youth League, frente ao Red Bull Salzburg, detentor do troféu e mais tarde, às 20:15 horas, a equipa principal mede forças com o Porto, no Dragão, num jogo a contar para a primeira mão da meia-final da Taça de Portugal.

 

Tiago Fernandes já escolheu o onze que vai defrontar os austríacos e a novidade é o regresso de Rafael Leão à competição, após várias semanas de ausência, fruto de uma lesão num jogo da equipa B, diante do Benfica.

Luís Maximiano, João Oliveira, Tiago Djaló, João Goulart, Thierry Correia, Daniel Bragança, Bruno Paz, Miguel Luís, Tomás Silva e Elves Baldé farão companhia ao já mencionado Leão.

A eliminatória disputa-se em 90 minutos, com possibilidade de desempate através da marcação de grandes-penalidades.

 

Jesus não abriu o jogo para mais logo e lançou uma convocatória com 24 nomes, onde fica no ar o espectro do regresso de Gelson Martins às opções. O importante é não apressar as coisas, pois vêm aí objectivos muito importantes e tudo o que não precisamos é de uma recaída do extremo da nossa "cantera".

Claro que o jogo de hoje é importante mas nada se decide nestes 90 minutos. É fundamental sair do Porto com a eliminatória em aberto para que depois tenhamos a possibilidade de fechar o apuramento em nossa casa. Não perder é fundamental e só uma goleada fará do Jamor uma miragem. 

Eu acredito numa vitória pela margem mínima.

 

Quanto ao histórico na Taça de Portugal, quase dá empate técnico.

37 jogos, 12 vitórias, 12 empates, 13 derrotas. 50 golos marcados e 53 sofridos.

Foram mais as vezes que fomos eliminados do que as que passámos à eliminatória seguinte (fora as finais, onde há duas vitórias para cada lado) mas o equilíbrio é evidente, com a realização de sete jogos de desempate, quer em eliminatória a uma ou duas mãos ou mesmo em finais.

 

Há depois, também, o factor anímico. O Porto empatou dois dos últimos três jogos e o empate com o Sporting acabou por ditar o afastamento da Taça da Liga. Já o Sporting só venceu um dos últimos cinco jogos, apesar de ter conquistado um troféu pelo meio.

Uma vitória hoje, para qualquer dos lados, dará um ligeiro ascendente psicológico e quebrará uma série de empates entre ambas as equipas nesta temporada.

Vamos lá, leões!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

SPORTING CP 0-0 Porto: Rei Patrício segura o empate

No dia em que Adrien finalmente se despediu dos sócios e adeptos do Sporting foi outro dos símbolos da nossa formação a brilhar; Rui Patrício manteve a baliza inviolável e segurou o nulo que permite ao Sporting manter a distância para o Porto (1º) e para o Benfica (3º).

 

Não pude ver a primeira meia-hora que, segundo me pareceu pelos comentários que li e ouvi, foi o pior período do Sporting no jogo.

A verdade é que o Porto demonstrou em Alvalade que é um adversário forte. Moralizados por um início de época quase imaculado e onde perderam ontem os primeiros pontos na Liga, os comandados de Sério Conceição tomaram conta das operações a meio-campo, ganhando a maior parte dos duelos, mantendo assim durante um período largo o ascendente no jogo.

 

A verdade é que chegar ao intervalo com um nulo foi um bom resultado para o Sporting. Havia assim a possibilidade de corrigir posicionamentos e aumentar a intensidade.

Assim foi. O Sporting entrou melhor na segunda parte e começou a aproximar-se mais do último reduto dos portistas.

Mesmo sem criar claras oportunidades de golo, começámos a fazer sentir ao Porto que também tínhamos capacidade para assustar Casillas.

 

A verdade é que os lances de maior perigo (ainda que hipotético) saíram dos pés de Jonathan Silva, que com dois/três cruzamentos bem medidos obrigou a defesa portista a aplicar-se para impedir que Bas Dost finalizasse (o holandês podia e devia ter sido mais "rato" no aproveitamento destes lances).

A melhor oportunidade do jogo acaba por surgir numa recuperação de bola de Bruno Fernandes, após um lançamento lateral a favor do Porto. Na cara de Casillas, o português atirou muito por cima e perdeu-se assim uma boa possibilidade para somar os três pontos.

 

Enquanto isso, Patrício ia salvando tudo o que lhe aparecia no raio de acção em mais uma noite quase perfeita, não fosse um lance em que coloca a bola nos pés de um jogador do Porto, travado posteriormente por Coates.

 

A verdade é que, como já disse, o Porto se mostrou um rival forte e num jogo de futebol muito bem disputado, com entrega e intensidade de ambas as partes, ninguém conseguiu desfazer o nulo com que viríamos a chegar ao final do encontro.

 

Confesso alguma estranheza pela demora de Jorge Jesus a mexer na equipa e até pelas opções tomadas. Bruno Fernandes foi bem substituído, na minha opinião. Estava visivelmente cansado e era necessário refrescar o meio-campo ofensivo. Jesus foi conservador, optando por Bruno César em vez de Podence.

Depois disso até entendo o receio de JJ em mexer. A equipa estava bem e, embora cansados, alguns jogadores continuavam a render o suficiente para serem úteis. Mesmo assim, exigia-se mais algum rasgo, se queríamos atacar os três pontos. A entrada de Podence para o lugar de Acuña (também podia ter sido para o lugar de Gelson) não só é tardia como, feita aos 90 minutos, poucos resultados práticos poderia ter no jogo.

 

Agora vem aí a pausa para as selecções e, como disse Jesus, é esperar que aqueles que mais vão viajar joguem pouco, para não virem ainda mais cansados do que foram.

 

Nota de destaque, mais uma vez, para os adeptos do Sporting que quase lotaram o Estádio e nunca faltaram com o apoio à equipa.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Antevisão do Porto vs Sporting CP

Há quase uma década que a série de resultados em confrontos com os dragões não era tão boa. O Sporting só perdeu um dos últimos oito jogos, período no qual averbou cinco vitórias, duas das quais no Estádio do Dragão.

Temos de recuar ao tempo de Paulo Bento, com um Porto hegemónico, para encontrar tão auspicioso registo. Em duas temporadas completas, leões e dragões defrontaram-se sete vezes (5 vitórias, 1 empate e 1 derrota, sofrendo apenas um golo em todos os encontros), sendo que três das vitórias deram uma Taça de Portugal e duas Supertaças. As duas vitórias restantes, repartiram-se entre Alvalade e o Dragão.

Registos destes só voltam a ter paralelo na década de 70.

 

No entanto, se restringirmos os duelos aos disputados em terreno adversário, em jogos a contar para o campeonato nacional, verificamos que o mais normal é sair do Porto sem os três pontos.

Apenas 14 dos 82 jogos disputados acabaram com uma vitória do Sporting e, nos últimos 40 anos só vencemos 4 jogos para o campeonato em casa dos portistas.

 

As equipas encontram-se em fases diferentes. O Porto no melhor momento da época. O Sporting a tentar sair de um dos piores.

Uma vitória amanhã poderá ajudar a sair definitivamente em perseguição ao duo da frente, algo que só conseguiremos com uma exibição ao mais alto nível, perto da perfeição, até porque enfrentaremos a equipa com o melhor registo defensivo em Portugal.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

#VocêsSabemLá

Parabéns e obrigado ao André Lucas! Mais um excelente vídeo, emocionante e com perfeita noção que foi numa deslocação ao Porto que nasceu a hashtag #VocêsSabemLá.

Também por isso, recordemos e, no sábado, até os comemos, carago!

 Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Jogo grande em Alvalade. Um Clássico com casa cheia e o já habitual fervor leonino. "O Mundo Sabe que" entoará, vindo das gargantas de mais de 45 mil leões.

Uma estreia e uma provável despedida. Por mim, podem marcar um cada. Uma entrada em grande e uma saída ovacionada.

 

O Sporting recebe o Porto após 11 vitórias seguidas para a Liga (a contar com as do final da época passada), as últimas 4 sem sofrer qualquer golo (Rui Patrício não sofre golos há 415 minutos).

Uma vitória deixaria-nos isolados no comando da Liga, depois de ontem um árbitro ter voltado a ser "eficaz" num jogo do Benfica.

Todos teremos de estar em forma para arrecadar mais 3 pontos. Os jogadores, o treinador e os adeptos, não só os da curva sul mas todo o estádio tem a responsabilidade de apoiar e empurrar a equipa para a vitória, como quase sempre acontece.

 

O Porto vem moralizado, após a passagem à fase de grupos da Champions mas há 7 épocas que não vence em Alvalade, na altura com o actual treinador na baliza dos Dragões.

Há que ter os olhos atentos à movimentação de André Silva, não dar espaço aos cruzamentos de Layún e condicionar o jogo de Herrera, para evitar dissabores.

 

Para o campeonato, frente ao Porto, são 44 vitórias, 19 empates e 19 derrotas em nossa casa. Um bom registo que queremos consolidar com a segunda vitória consecutiva em casa para o campeonato, algo que não acontece desde a década de 80. 

No geral, tudo empatado. 80 vitórias, 63 empates e 80 derrotas. Hoje é o dia de desequilibrar a balança a nosso favor e estes são os 11 escolhidos.

SPOOOOOOOOOORTING!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Nós também acreditamos, Levezinho

«É muito difícil jogar no Dragão mas é essencial uma vitória para o Sporting, a equipa não pode falhar. O Benfica está a mostrar uma boa regularidade. Eu acredito no Sporting campeão»

 

Muitos não perdoaram ainda Liédson pela sua ida para o Porto e, pior do que isso, as suas declarações na chegada.

Eu já perdoei o "Levezinho" e acho que ele não só não disse aquilo de coração como se arrependeu na hora.

Esta declaração em vésperas de mais um clássico, ainda por cima decisivo para as nossas cores, é mais uma tentativa de fazer as pazes mas, mais importante que tudo, uma declaração que a mim me parece sincera.

Obrigado por tudo, Liédson! Eu quero o Sporting campeão, tu queres o Sporting campeão (mesmo que nunca o tenhas sido com as nossas cores)...NÓS QUEREMOS O SPORTING CAMPEÃO!

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

 

Mais uma final

Num momento em que a máquina de propaganda lampiã funciona a todo o vapor e Bruno de Carvalho dispara em todas as direcções, há quem nem se lembre que amanhã há mais uma final, um jogo importante que, mais uma vez, pode definir o nosso futuro na competição.

 

Naturalmente, esperamos que nada fique decidido. Só uma vitória do Sporting adia as decisões por, pelo menos, mais uma semana e, para que isso aconteça, Jorge Jesus e os nossos jogadores terão de matar (mais) um 'borrego'.

 

O Sporting não vence no Porto desde que Rodrigo Tello silenciou o Dragão e relançou então a Liga 2006/07, que o Porto haveria de acabar por vencer.

Pior que isso, nas últimas 40 épocas o Sporting tem apenas 3 vitórias em casa do Porto:

1975/76 - 2-3, com golos de Chico Faria, Manuel Fernandes e Baltasar;

1996/97 - 1-2, com golos de Beto e Pedro Barbosa;

2006/07 - 0-1, com um golo de Rodrigo Tello.

Pelo meio, 25 derrotas e 12 empates.

Há 8 épocas que não vencemos para o Campeonato e há 6 que perdemos de forma consecutiva, perfazendo a pior série de derrotas da história só igualada entre 1985/86 e 1990/91.

 

Por muito que estejamos num momento extraordinário de forma e que o Porto ande errático à espera da final da Taça de Portugal que, não salvando a época do maior investimento de sempre, pode dar um título que o Porto não vence desde a Taça de Portugal de 2012/13, não há como negar que, independentemente dos momentos de forma das duas equipas ou da classificação, jogar no estádio do Porto é historicamente dificílimo e os 16% de vitórias em toda a história comprovam-no.

 

Pior...apenas por 5 vezes o Sporting foi ao Porto nas últimas 3 jornadas e perdeu sempre.

Dessas 5 vezes só numa o Sporting foi campeão. O jogo realizou-se na última jornada, com o título já garantido (1981/82).

Também apenas numa das restantes 4 vezes o Sporting se apresentou no Porto ainda com possibilidades de disputar o título, em 1970/71. Perdemos e deixámos fugir o Benfica, que viria a sagrar-se campeão.

Nas três vezes que restam, o Sporting foi ao Porto cumprir calendário, visto que se encontrava já fora da luta pelo título.

 

Por todos estes motivos, Jorge Jesus e a sua equipa têm pela frente um dos maiores 'borregos' da história e a possibilidade de fazer algo nunca antes feito, mantendo assim acesa a chama do título.

Só uma equipa no máximo das suas capacidades, concentrada e focada alcançará o desejado objectivo, os três pontos e nós, adeptos, temos a nossa parte a fazer.

Eu acredito e vou lá estar para ajudar.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Posts mais comentados