Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Andebol soma e segue; vitória categórica no Dragão

Texto alt automático indisponível.

 

Entrada em falso, sete minutos sem marcar um golo, 4-0 para o adversário.

Hugo Canela pára o jogo e reorganiza as ideias aos jogadores.

Tiago Rocha faz o 4-1 no ataque seguinte e o Sporting enceta uma perseguição ao adversário, que alcança aos dezasseis minutos (6-6).

O Porto falha o ataque, o seu treinador pede timeout, recuperam a bola, voltam a falhar e o Sporting passa para a frente do marcador no ataque seguinte.

Seguiu-se um período de equilíbrio, com vantagens para ambas as equipas, alternadas com o marcador empatado em cinco ocasiões.

A dois minutos do intervalo o Sporting passou para a frente de forma definitiva e não mais sairia da dianteira do marcador até final do encontro, sendo que a vantagem mais dilatada se cifrou nos cinco golos de diferença, por mais do que uma vez.

De realçar, mais uma vez, para além da qualidade, a capacidade mental desta equipa. Verdadeiramente imperturbáveis!

Excelente exibição de Cudic, com dez defesas fundamentais. Ruesga foi o melhor marcador leonino, com seis golos e Ghionea fez descansar Chiuffa em grande estilo (o romeno marcou quatro golos, alguns deles de belo efeito e mostrou que, jogue quem jogar, o rendimento dos pontas é sempre elevado). Frankis também fez cinco golos e a experiência de Nikcevic e Tiago Rocha tranquilizaram a equipa em todos os momentos. Nota final para o "bicho" Pedro Valdés, sempre a emergir em momentos decisivos (marcou cinco golos mas fez muito mais do que isso).

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Andebol do Sporting em alta rotação, faz paragem no Dragão

Talvez seja a melhor altura para visitar a casa do FC Porto. O Sporting vem desgastado mas muito moralizado com os bons resultados na Champions e, na antecâmara de mais um duelo europeu (no sábado, com o Silkeborg - 18:30h), nada melhor do que um jogo de exigência máxima, que não deixe que o grupo se deslumbre com a vitória épica na Rússia.

O Sporting não pode relaxar e encontrará pela frente um Porto em grande forma, com a melhor média de golos marcados por jogo e a melhor defesa da prova, com uma média de golos sofridos inferior a vinte por jogo. Acrescem aos jogos nacionais uma eliminatória na EHF Cup, onde eliminaram o Potaissa Turda, da Roménia, com duas vitória na primeira ronda de qualificação.

 

Quem vencer, cola-se ao Benfica no topo da tabela e deixará um dos rivais atrasado. Um empate deixa os encarnados líderes isolados, com apenas cinco jornadas disputadas.

Só os três pontos interessam, a fim de manter uma sequência de vitórias que alimente a esperança numa qualificação europeia, a par da liderança do campeonato nacional.

 

Hogo Canela já afirmou que o grupo está preparado e o adversário estudado, ressalvando que, mais importante que essa preparação, será a qualidade do descanso e da alimentação, devido ao elevado desgaste dos jogos da Champions.

O jogo começa às 20:30h, no Dragão Caixa e terá transmissão em directo e simultâneo na TVI24 e no Porto Canal.

 

Foto: Rui Monteiro Martins

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

ANDEBOL: Sporting começa em casa com o ABC e fecha campeonato a receber o Porto

Andebol 1.png

Andebol 2.png

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Venha de lá o emparelhamento, rumo ao bi-campeonato de andebol

Hoje (17:30h) realiza-se o sorteio da fase final do campeonato nacional de andebol.

Esta fase final é dura e só tem boas equipas. Todas as saídas são muito complicadas e nenhuma equipa das não candidatas ao título vai facilitar, porque o 4º lugar dá acesso à Challenge Cup, arrebatada no ano passado de forma brilhante pelo Madeira SAD, atirando o ABC para fora das competições europeias.

 

Competições europeias onde o Sporting fez pela vida na Champions, enquanto que Benfica e Porto foram eliminados na EHF Cup (2ª e 3ª rondas, respectivamente - o Porto ficou a um passo da fase de grupos, onde o nível já é quase de Champions). O nosso representante na Challenge Cup é o Madeira SAD, ainda em prova, nos quartos-de-final.

O meu desejo é começar já com o Porto em casa e depois visitar o Madeira SAD.

 

Porquê?

 

Porque acho que o Porto deve ser defrontado quanto mais cedo melhor (deixando assim a ida ao Dragão fora das últimas jornadas) e porque a ida à Madeira é muito perigosa. Assim, apanharíamos o Porto após a eliminatória da taça de Portugal (em casa, com o Avanca, dia 8) e iríamos à Madeira, provavelmente a meio da semana, com o Madeira SAD a ter de encaixar o jogo no meio da eliminatória da Challenge, com uma equipa russa.

 

Seja como for, é importante entrar a vencer. Acredito muito neste grupo e na equipa técnica.
O Hugo Canela vem provando que o título não foi, como muitos fizeram crer, obra do acaso nem da incompetência alheia.

O Sporting, tal como na época passada, voltou a finalizar a fase regular com a maior diferença de golos, sendo que desta vez foi primeiro classificado, tendo apenas perdido e empatado um jogo.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Sporting vence na Luz a mantém distância para a frente

O Sporting foi para o intervalo a vencer por três golos de diferença e esperava-se para ver como seria uma segunda parte, agora que Zupo já cá não mora.

Chegámos a estar em desvantagem, mas a equipa reagiu muito bem e recuperou, tendo tido o sangue frio para "matar" o jogo nos minutos finais, momentos em que antes baqueávamos.

Para quem quiser ver os minutos finais e desfrutar também de um bom momento de humor, pode e deve consultar O Artista do Dia (LINK), pois complementa bem o que se segue.

 

Ouvi a conferência de imprensa de Hugo Canela e, se já antes tinha a ideia que o nosso actual treinador mais não era do que um mero "tarefeiro" de Zupo, sem voz activa para o espanhol (por culpa de Zupo, que se acharia algo mais que hierarquicamente acima do português), depois de ouvir a explicação de Canela acerca das diferenças entre ambos, fica óbvio que não havia "química" nem sintonia de ideias entre ambos. A ideia com que Hugo Canela ficou de Zupo é, para mim, bem clara. Tirem as vossas conclusões:

Aproveito para dizer que, apesar dos rumores que dão Carlos Resende como o mais que provável treinador do Sporting na próxima época, tenho gostado muito da postura de Hugo Canela e que desejo fortemente que ele faça história nestes meses que faltam até que termine a temporada. Eu acredito nele e na equipa!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Agora é que começa a doer

Acabou ontem a fase regular do Campeonato Nacional Fidelidade Andebol 1. 

Terminou da melhor forma, com uma vitória em casa do velho rival, nos últimos segundos do jogo. Vitória esta que só não foi mais saborosa porque quase nos escapou entre os dedos quando chegou a estar segura por uma diferença de 3 golos e escassos minutos do final do encontro.

Esta tendência para relaxar nos minutos finais dos encontros tem algo de suicida e Zupo ainda não conseguiu encontrar o antídoto para o mal. E se ele já cá estava desde o ano passado, pareceu agudizar-se este ano.

A equipa parece mais intranquila e tem mais dificuldades em controlar os jogos.

O resultado foi uma fase regular ligeiramente mais fraca (menos dois pontos que no ano passado), num ano em que dois dos rivais mais directos subiram o seu nível.

O Porto fez o pleno na fase regular e limitou-se a passear classe pelos pavilhões do país. É múltiplo campeão e o novo campeão anunciado (espero que isto acabe por jogar contra os dragões).

O ABC conseguiu fazer mais três pontos que na época passada e acabou a fase regular em 2º, evitando assim o Porto antes da final dos play-off.

O Benfica manteve a performance da época passada e fez os mesmos pontos, copiando quase na perfeição até o registo de golos.

Se o ataque do Sporting parece mais forte, o mesmo não se pode dizer da defesa. Foram mais 54 golos marcados mas mais 11 golos sofridos. Claro que o nosso goal average melhorou mas é nos jogos decisivos que continuamos a facilitar. Acredito que seremos, juntamente com ABC e Porto, os mais fortes candidatos ao título e, com estes dois, averbámos 4 das 5 derrotas em toda a fase regular.

Os jogos de play-off têm outra carga emocional. São decisivos e os jogadores tendem a manter os níveis de concentração e competitividade mais elevados. É isso que espero deste grupo, onde Zupo Equisoain parece ainda não ter conseguido dar a estabilidade necessária por ser, ele próprio, instável.

Zupo protesta demasiado com a arbitragem e parece desconcentrar-se em demasia. Os timeout's parecem às vezes inócuos e vazios de ideias, quando se pretende que sejam o oposto.

Espero que esta paragem sirva para a equipa se focar nos play-off e na tarefa de recuperar um título que nos foge há 14 épocas.

O próximo adversário será o Águas Santas, equipa tradicionalmente difícil, sobretudo no seu reduto. Na fase regular vencemos ambos os jogos e, por isso, nada menos do que isso nos compete fazer numa fase a eliminar, de preferência, também em dois jogos.

Fora isto, há também uma Taça de Portugal para vencer, depois de termos eliminado o ABC, detentor da prova.

É tempo de arregaçar as mangas porque a época, a doer, começa agora.

Passagem tranquila por Fafe

Zupo tinha avisado: era proibido relaxar!

E a equipa cumpriu, venceu e colocou mais uma vez a fasquia acima dos 30 golos e a diferença acima dos 10 (apenas no primeiro jogo de pré-temporada a equipa tinha marcado menos de 30 golos e a tendência, para já, mantêm-se).

25-36 foi o resultado final e podiam ter sido mais (o Sporting visou a baliza por 66 vezes). Pedro Portela foi o melhor marcador (9 golos) e o MVP da partida.

Pedro Solha (6), Frankis Carol (5), Fábio Magalhães (3), Sérgio Barros (3), João Pinto (3), Carlos Carneiro (2), Bruno Moreira (2) João Antunes (2) e Francisco Tavares (1) marcaram os restantes golos enquanto que o guarda-redes Aljosa Cudic fez 7 defesas.

Os 11 golos de diferença deixam-nos, para já, no primeiro lugar do campeonato e esperemos que seja posição a manter até final da fase regular.

A corrigir o elevado número de falhas técnicas (18) num jogo em que o Sporting foi mais vezes sancionado com exclusões do que o adversário (espero que seja um sinal de agressividade defensiva e não uma qualquer tendência da arbitragem).

Teste passado com distinção e segue-se a recepção ao Belenenses no próximo fim-de-semana.

Não repetir erros do passado

"É importante manter a ambição e a vontade de vencer. Quando não se pode ou não se consegue ser brilhante, tem de se ser eficaz. Encerrámos uma pré-época de cinco semanas, que serviu para trabalhar a parte física e, desenvolver novos sistemas de jogo. Agora começa a sério, com a deslocação a Fafe."

"Se queremos ser campeões, a nossa defesa tem e estar a 100% e o guarda-redes também. Ao impedirmos o adversário de marcar não só não sofremos golo como temos maiores possibilidades de marcar, já que a defesa adversária está descomposta e se fizermos uma boa transição, rápida e bem definida, temos muito mais possibilidades e facilidades em marcar. O trabalho defensivo é fundamental para uma equipa que quer ser campeã."

"Sou um treinador que gosta de trabalhar com os jovens atletas. Para eles, o mais importante para evoluírem é cometerem erros e terem minutos de jogo, senão será difícil evoluírem. Tenho gostado da performance de todos."

"Será o primeiro jogo do campeonato, fora de Lisboa, frente a um recém-promovido. Isto significa perigo para a nossa equipa, não tenho qualquer dúvida disso."

"O principal neste tipo de jogos é precisamente o relaxe. Isso cria-nos problemas e há que evitar por todos os meios que tal ocorra, trabalhando com seriedade a todo o momento. Para mais, esta equipa vem de uma dinâmica de anos anteriores em que os desaires com equipas teoricamente inferiores aconteciam, portanto há que mudar. É algo que não pode ocorrer se queremos ser campeões. Há que ser humilde, respeitar o adversário, seja quem for."

As palavras são de Zupo Equisoain, treinador do andebol leonino que hoje inicia em Fafe a sua caminhada rumo ao tão ambicionado título nacional.

Importantíssimas as palavras de Zupo transcritas no último parágrafo. Só não facilitando com ninguém o título será uma realidade, sobretudo depois de observar o campeonato da época passada onde, possivelmente, foi o factor casa que nos tramou na final, onde vencemos os dois jogos em casa e perdemos os dois que disputámos fora, fruto de uma fase regular que não nos deu a possibilidade de disputar três dos cinco jogos decisivos em nossa casa.

Pelo importante factor casa e até pelo factor anímico com que se parte para o playoff, será importante ser primeiro nesta fase regular.

Disputar o título será, tenho a certeza, uma realidade. Se o pudermos fazer frente aos nossos adeptos, em nossa casa, seremos certamente mais fortes.

A magia do desporto e uma noite mal dormida

Foi um sábado de emoções fortes.

Passei a tarde à espera do prato principal. O jogo de andebol era, para mim, o jogo mais aguardado.

Quase nem passei os olhos pelo futebol, apesar do PC estar com o streaming ligado.

Nervos e mais nervos.

Não vencemos mas fomos leões.

Há que alertar os menos atentos que disputámos esta final com o hexacampeão nacional (infelizmente, heptacampeão a partir de ontem) e vencedor da fase regular da temporada que agora findou. Para além disso, uma equipa de excelente nível, com grandes valores individuais e com um orçamento bem superior ao nosso.

Como já disse, fomos leões e não jogámos com uma equipa qualquer.

Vencemos dois jogos e não quebrámos, mesmo que pudesse pesar o facto de termos partido para o terceiro jogo com duas derrotas.

Levámos o jogo para a 'negra' e lutámos.

Lutámos e vendemos bem cara a derrota a uma equipa que nos respeitou e que, em certos momentos nos temeu.

Apesar de equilibrado, o jogo pendeu quase sempre para o lado do adversário e durante a maior parte segundo tempo a diferença de golos foi-nos sempre desfavorável e a margem até folgada em nosso prejuízo.

Nos minutos finais forçámos, fomos mais aguerridos e caímos em cima dos dragões.

Afinal, nada havia a perder.

Os azuis-e-brancos acusaram a pressão, intranquilizaram-se e a diferença foi diminuindo.

Até que com o tempo de jogo esgotado e com apenas um remate para efectuar, Fábio Magalhães encheu-se de força e o rosnar do leão fez-se ouvir bem alto (em minha casa não foi diferente, ao ponto da minha mulher se assustar e afirmar que preciso de acompanhamento médico).

Aquilo que parecia impossível aconteceu e estávamos na luta. Empurrámos o jogo para o prolongamento e estávamos em vantagem numérica.

Era a oportunidade de ouro!

Mais uma vez, chegámos ao final do prolongamento com um remate por fazer e a bola nas mãos de Fábio Magalhães. O estupendo remate do jogador leonino só foi parado por uma extraordinária defesa do luso-cubano, Quintana.

É verdade que podíamos ter ganho o jogo neste primeiro prolongamento. Não só porque tivemos o ascendente psicológico, mas também porque cedo nos colocámos com dois golos de vantagem que não conseguimos gerir até final.

No terceiro prolongamento o Porto voltou a passar para o comando do marcador e fez aquilo que nós não tínhamos conseguido: geriu e venceu com mérito.

É lógico que a desilusão é grande mas não deixa de ser um orgulho ver que os nossos atletas lutaram até ao fim por um resultado diferente.

Esta é a magia do verdadeiro desporto. Hoje perdes e amanhã ganhas.

Para os que acham que esta é mais uma vitória moral, não me entendam mal.

Perdemos! Foi uma derrota! E bem dolorosa!

Mas perdemos por detalhes e com uma boa equipa.

Vi um jogo em que, ao contrário de outros, o mérito do adversário foi superior a algum possível demérito da nossa parte.

Vi um jogo em que ambas as equipas erraram e aproveitaram erros alheios.

Vi que esses mesmos erros aconteceram porque foram provocados pela qualidade de ambos os conjuntos.

Vi um grande jogo de andebol em que ninguém merecia sair derrotado mas no qual não podiam haver dois vencedores.

Parabéns aos vencedores e aos dignos vencidos!

Esta é a magia do desporto. Ontem perdemos, amanhã ganharemos!

Nas asas do sonho até ao 'mata-mata'

Golo Portela.jpg

Disse depois do jogo 2 que já não acreditava no título. Que faltava mentalidade vencedora e crença a esta equipa.

Disse que, depois de cinco derrotas, não achava possível vencer três jogos de seguida.

Acrescentei que esperava estar enganado.

Efectivamente, enganei-me. E ainda bem!

Ontem tivemos, inclusive, a sorte do nosso lado e soubemos aproveitá-la.

Seguramos bem o jogo nos momentos decisivos e matámo-lo de forma clínica.

Fomos leões na defesa e julgo ser aí que reside o segredo para parar este Porto.

Fortíssimos dos 9 metros, se pararmos a meia-distância dos Dragões com uma defesa agressiva e proactiva (em vez de reactiva) podemos ser campeões na cidade invicta.

Não direi que acredito piamente no título mas temos possibilidades. A pressão passou para o lado do adversário que terá a seu favor o público mas carregará nos ombros o peso de seis campeonatos consecutivos e de uma hegemonia que pode terminar em sua própria casa.

Força Sporting!

Inadmissível não encher Odivelas

"Os Sócios do Sporting Clube de Portugal terão entrada livre no quarto jogo do ‘playoff’ do Campeonato Fidelidade Andebol 1, frente ao FC Porto, que terá lugar amanhã, quarta-feira, a partir das 21 horas no Pavilhão Multiusos de Odivelas.

Para tal, os Associados ‘leoninos’ com quotas em dia poderão levantar o seu bilhete, mais um de acompanhante, na Loja Verde mediante a apresentação do respectivo cartão de Sócio entre hoje (das 13h às 20 horas) e amanhã (das 10h às 18h30).

Em Odivelas, o levantamento poderá ser feito apenas amanhã, a partir das 20 horas, sendo que a iniciativa estará limitada à lotação do Pavilhão Multiusos de Odivelas."

Fonte: sporting.pt

 

É importantíssimo que o apoio se traduza em casa cheia para que possamos forçar a 'negra'. Será também necessário que os que resolverem marcar presença estejam imbuídos de espírito positivo e de comunhão com a equipa. Será uma força extra que pode revelar-se determinante.

Sem margem para errar

Inqualificável a atitude da equipa de andebol no jogo de ontem.

Entrar para uma final derrotado é inadmissível.

Foi isso que aconteceu...

Uma equipa derrotada mesmo antes do apito final. Desmotivados, desconcentrados e desunidos, envergonharam os Sportinguistas e não foram merecedores de vestir a verde-e-branca.

Nada está perdido, mas a minha crença foi-se.

Não me parece que tenhamos estofo de campeões e espero ter de admitir que me enganei.

Perdemos esta final no prolongamento do primeiro jogo, pois, foi aí que deixámos de acreditar que era possível vencer.

Foi o quinto jogo com o Porto nesta temporada. O saldo não podia ser mais negativo: cinco derrotas.

Precisamos de três vitórias consecutivas para destronar o hexacampeão nacional e só atingindo a perfeição em três momentos distintos (um deles terá de ser em casa do adversário) isso será possível.

Conhecendo o percurso desta equipa ao longo desta época diria que, atingir a perfeição em três jogos consecutivos é tarefa impossível.

Acreditei. Agora já não acredito. E só não acredito porque em 130 minutos de andebol não vi crença nesta equipa.

Acham que estou a ser demasiado duro?!

Talvez, mas no Sporting luta-se até ao fim e com todas as forças, mesmo que o objectivo pareça inatingível.

Agora, mais do que crença no título, peço garra e entrega para que não pareça que foi fácil demais.

Tem de ser hoje

Hoje joga-se o segundo encontro da final do campeonato nacional de andebol.

Depois da derrota do passado fim-de-semana, no prolongamento, e em mais um jogo onde tivemos o pássaro na mão e o deixámos voar, resta-nos ganhar hoje.

Não é a última hipótese mas, caso hoje saiamos novamente derrotados, acaba-se a margem de erro e teremos de vencer os três jogos que restam.

Já provámos em várias ocasiões que temos qualidade suficiente para vencer o Porto.

Falta-nos provar que temos capacidade psicológica para ultrapassar fases de ascendente do adversário, fases essas onde temos de saber sofrer unidos para voltarmos a sair por cima.

Hoje é o jogo mais importante da época e só a vitória interessa.

Round 1 - Lost

Terminou com uma derrota no prolongamento o primeiro jogo da final do Campeonato Fidelidade 1 de andebol.

E o filme foi o habitual e ao qual já nos habituamos sempre que o adversário é o Porto.

Desconcentrações e falhas, colectivas e individuais, que nos levam a perder, invariavelmente, por pormenores.

Ponto assente: Candeias é um bom guarda-redes mas não é Quintana.

Mas, se houve jogos em que foi na baliza que se fez a diferença, este não foi um deles.

Quintana só se destacou nos primeiros 5 minutos do encontro, onde o Porto chegou a estar na frente com um parcial de 5-0. 

Equilibramos o jogo e passamos para a frente.

Tivemos vantagens de 4 golos por mais do que uma vez.

Até que o fantasma dos minutos finais nos voltou a assolar.

O nosso problema nos confrontos com o Porto não é nem individual, e muito menos colectivo...é um problema mental, que faz com que encaremos as fases finais dos jogos com um receio que contrasta com a confiança que se transpira durante outras fases dos encontros.

Mas...

Não há mal que sempre dure nem bem que se perdure.

Quarta-feira há novo jogo no Dragão Caixa e, se temos obrigatoriamente de vencer um jogo em casa do adversário para levantar o caneco, que seja este.

E, se ouvi o mister Frederico Santos falar em consolidação de sistema de jogo na preparação dos jogos da final, posso já dizer: 'mister', o sistema de jogo está impecável. Somos melhores que o Porto! Só falta acreditarmos nisso com todas as forças!

Eu acredito!

Pormenores que podem definir um campeão

Começa hoje a decidir-se o campeão nacional de andebol.

Quando às 18.30 horas, no Dragão Caixa, entrarem em campo Sporting e Porto será necessário ao leão algo mais que qualidade.

Terá de encarnar em cada um dos elementos do plantel um leão de juba bem eriçada.

Fortes e unidos na defesa e letais no ataque e contra-ataque.

O título do post não foi por acaso. 

Em três jogos com os dragões, contamos três derrotas, todas pela margem mínima e duas delas nos últimos segundos do jogo.

Nos dois jogos perdidos ao cair do pano, fomos tecnicamente superiores, porém, inferiores na raça, no querer e na concentração, sobretudo nos minutos finais.

Em cada um dos leões deve encarnar o espírito vivido em Igualada pelos companheiros do hóquei.

Há um campeonato para vencer. Nada se decide hoje mas pode começar a escrever-se a história do novo campeão nacional.

Eu acredito em vocês!

Mas entretanto, vou ali começar a desgastar o meu F5 para ver se arranjo bilhetes para a final da Taça de Portugal em futebol.

Venham a Taça e o Play-off

Hoje, às 17 horas no Pavilhão do Ginásio do Sul, joga-se o acesso à final-four da Taça de Portugal. O adversário é o São Mamede, num jogo a que todos os Sportinguistas podem assistir na SportingTV. 

Segue-se o play-off, na próxima semana e aproveito para vos deixar algumas informações importantes sobre o mesmo.

Campeonato Fidelidade Andebol 1 (Play Off - Fase Final)

Agora que acabou a fase regular do Campeonato, as equipas vão-se defrontar de forma diferente, relativamente à época transata. Os jogos serão disputados em 'Play Off', das seguintes fases:

Quartos-Final (3 Jogos - Fora; Casa; Casa)

- Serão sempre disputados à melhor de três jogos (Fora, Casa, Casa), sendo que o 3º Jogo será disputado em casa do melhor classificado na 1ª Fase.

Meia-Final (5 Jogos - 1º, 2º e eventualmente 5º Casa)
Final (5 Jogos - Regra Igual)

- Serão disputados cinco jogos (1º, 2º e eventualmente 5º jogo em casa), do melhor classificado da 1ª Fase).

1. 1/4 Final (3 Jogos)

Jogo 1 (1º x 8º) - Porto x Passos Manuel
Jogo 2 (2º x 7º) - SPORTING x Sp. Horta
Jogo 3 (3º x 6º) - ABC Braga x Madeira SAD
Jogo 4 (4º x 5º) - Benfica x Águas Santas

2. 1/2 Final (5 Jogos)

Jogo 5 (Vencedor J1 x Vencedor J4)
Jogo 6 (Vencedor J2 x Vencedor J3)

3. Apuramento 5º ao 8º Lugar (2 Jogos)

Jogo 7 (Vencido J1 x Vencido J4)
Jogo 8 (Vencido J2 x Vencido J3)

Jogo 9 (Vencido J7 x Vencido J8)
Jogo 10 (Vencedor J7 x Vencedor J9)

4. 3º e 4º Lugar (3 Jogos)

Jogo 11 (Vencido J5 x Vencido J6)

5. Final (5 Jogos)

Jogo 12 (Vencedor J5 x Vencedor J6)

Critérios:

- Nenhum jogo pode terminar empatado, aplicando-se os critérios de desempate definidos nas regras de jogo (são exceção os jogos classificativos de apuramento do 5º ao 8º Lugar, disputados apenas em 2 jogos).
- 5º ao 8º Lugar (2 Jogos), jogando primeiro fora o melhor classificado na 1ª Fase.
- 3º e 4º Lugar (3 Jogos), aplica-se as regras de jogo dos Quartos-Final.

Acessos:

1º Lugar - Champions League
2º Lugar - EHF CUP
3º e 4º Lugar - Challenge CUP

Taça de Portugal (Vencedor - Challenge CUP)

- Caso o vencedor seja o que ficou em 1º Lugar, ou em 2º Lugar, o clube vencido participará.
- Caso sejam duas das equipas dos 3 primeiros lugares, o 4º Classificado participará.

Os quatro primeiros classificados, não se defrontam nos 1/16 Final da Taça de Portugal.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal