Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Voz aos sócios

A minha vontade é pedir a todos os Sportinguistas que se respeitem neste mês e que, no dia 23 de junho, todos, mas mesmo todos, se apresentem na AG para dar a sua opinião.

Eu sei que ninguém se vai respeitar e isso entristece-me. Sei que vai ser um mês de palhaçada, de informação e contra-informação. De manipulação da nossa opinião. Tentem filtrar da melhor forma que possam ou entendam e votem em consciência. É o futuro do Sporting que está em jogo.

Sejam a favor ou contra a continuidade de Bruno de Carvalho, é importante que todos marquem na agenda a ida à Assembleia Geral Destitutiva. O clima não vai ser o melhor, é certo, mas que ninguém tenha medo de se apresentar para exercer o seu direito, enquanto sócio. 

Lá estarei.

Sporting Sempre!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Ultrapassada que está a Assembleia Geral, a questão dos estatutos, do regulamento disciplinar e da continuidade de Bruno de Carvalho, podemos novamente centrar as nossas atenções apenas na competição das nossas equipas.

A aprovação esmagadora dos pontos não surpreendeu. Os Sportinguistas foram chamados a votar, com a continuidade do Presidente em pano de fundo e a amostra presente revelou não ser, em nada, idêntica à dos cerca de 800 Sportinguistas que haviam estado na AG de dia 3.

O desconforto generalizado inicial com parte das propostas deu lugar a uma cedência e aprovação das mesmas com a chantagem (continuo a não encontrar um termo mais correcto) feita pelo Presidente, que sai assim com poderes reforçados e ainda mais legitimado do que nas eleições do ano passado (como se isso fosse necessário). As propostas aprovadas passaram claramente para segundo plano, em detrimento de um voto de confiança ao Conselho Directivo.

Fiz questão de estar presente na AG, votei em consciência e saí com sentimento de dever cumprido. Foi, de facto, um dia de grande fervor e onde, mais do que o Sporting Clube de Portugal, foi Bruno de Carvalho o grande vencedor.

 

Imune a tudo isto, acredito eu, esteve sempre o grupo de trabalho que hoje estará em Tondela para discutir três pontos muito importantes, após vitórias contundentes de Benfica e Porto.

Não podemos perder pontos, sob pena de deixarmos de depender apenas de nós para sermos campeões nacionais.

 

Pepa apresentou o seu Tondela como uma equipa "hardcore, de pé na chapa". Agressiva e intensa, depreendo eu. Foi isso que mostraram em Alvalade, com linhas muito juntas, saídas afoitas para o contra-ataque e agressividade consubstanciada em 20 faltas cometidas.

Infelizmente não foi este Tondela que se apresentou na recepção ao Benfica, onde foi o antagonismo daquilo que Pepa pretende, sendo permissiva e cometendo apenas 8 faltas em mais de 90 minutos. Mas isso agora não interessa nada...

 

Jesus incluiu Bas Dost na lista de convocados, que não contará com Fábio Coentrão, castigado à posteriori por acontecimentos no Estádio do Dragão, no jogo da Taça de Portugal.

O Sporting estará assim perto da máxima força. Após uma excelente vitória no Cazaquistão, resta saber se os efeitos da viagem ainda se farão sentir e se o cansaço dos jogadores-chave não é impeditivo de uma exibição suficiente para alcançar a vitória.

Jesus cometeu um erro (a meu ver) ao não levar um lateral para o banco de suplentes. Apenas Piccini está convocado e serão Acuña ou Bruno César a ocupar a lateral esquerda. Espero que as contingências do jogo não nos retirem Piccini do relvado.

Wendel está convocado e, se a lógica imperar e Bas Dost estiver apto, será o relegado para a bancada. Rafael Leão volta a estar entre os eleitos.

Ganhar hoje manterá as distâncias e deixará em aberto a possibilidade de descansar alguns elementos mais utilizados na quinta-feira.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Na falta do "avé", teremos nova AG

É inegável a "obra" de Bruno de Carvalho ao serviço do Sporting. Reequilibrou o Clube financeiramente, colocou-o na disputa dos títulos em todas as modalidades, mandou construir o Pavilhão João Rocha e dotou todas as principais modalidades de plantéis do topo, altamente competitivos.

Outros méritos haverão, uns idênticos, outros menores mas há um, em especial, que deve ser dado ao Presidente do Sporting; a mobilização dos Sportinguistas e a sua dedicação ao Clube.

Foi esta mobilização (no início, com um discurso totalmente agregador) que permitiu ao Sporting aumentar exponencialmente o número de associados e que, por exemplo, fez das últimas eleições as mais participadas de sempre.

Foi também esta mobilização e atenção redobrada dos sócios que fez com que, no passado dia 3, não aparecessem apenas os 144 sócios da AG anterior mas sim cerca de 800, que não se coibiram de mostrar descontentamento face a alguns dos pontos da AG mas sobretudo à forma como decorreu a votação aos mesmos.

Não sei como será no próximo dia 17 mas esta tentativa de ganhar tempo não me agrada. As propostas dos pontos 6 e 7, referentes aos estatutos do Clube e regulamento disciplinar do mesmo são absurdas e reveladoras de absoluto e inadequado totalitarismo, mais ainda após uma vitória esclarecedora nas últimas eleições.

No final de contas, poderá ser um dos méritos de Bruno de Carvalho o seu maior adversário, neste momento em que insite em adoptar um discurso desagregador no seio da nossa família.

O recente ultimato aos associados não faz qualquer sentido e agudiza (a meu ver) a situação de fragilidade do Presidente, que provocou toda esta situação desnecessariamente, num momento em que não havia contestação ou oposição alguma.

Têm a palavra os sócios, que devem marcar presença e votar em consciência.

 

Nota final: Há anos que ouço críticas aos adeptos do Benfica por terem permitido que Luís Filipe Vieira alterasse os estatutos, com a argumentação (válida) de que apenas pretendia perpetuar-se no poder. Vamos lá ver se é só do outro lado que se comem gelados com a testa.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Há guerras mais importantes

Só ontem tive a possibilidade de, calmamente, ouvir todo o discurso do Presidente na AG de domingo.

Mais uma vez, estou a seu lado para as lutas que comprou e aplaudo todo o trabalho feito até hoje, tanto no capítulo desportivo como financeiro.

Mas, e nem sempre há um mas, há uma guerra que acho desnecessária.

Na verdade, nem é bem a guerra que é desnecessária. É mais a extrapolação do assunto que o é, pois penso ser um assunto que podia ser tratado na 'sombra'.

Não porque não devesse ver a luz do dia mas sobretudo porque acabou por afastar os holofotes de assuntos mais importantes que foram tão bem abordados no discurso.

Não acho que o tal 'governo sombra' tenha qualquer capacidade de criar uma oposição forte. Porque o alcance das redes sociais é ainda diminuto para o 'universo leonino' e porque a minoria que tem conhecimento dos cantos e recantos onde este 'movimento' se move não lhe atribui o mínimo de credibilidade.

Tenho dúvidas que alguém, mesmo que exposto a esses pseudónimos sob perfis falsos, se deixe influenciar por tão fraca argumentação.

É notório que fazem um ataque pessoal ao Presidente e é público que estão criados anti-corpos para essa oposição, dentro dos próprios Sportinguistas. Poucos serão os que se deixam influenciar por ofensas gratuitas e acusações carentes de prova.

O trabalho do Presidente está à vista e os resultados não deixam margem para dúvidas: estamos no bom caminho e o Clube encontra-se revigorado e novamente pujante.

Poucos serão os que duvidam do trabalho levado a cabo por esta Direcção e todos têm noção que o Presidente erra, porém, todos sabemos que, com o passar do tempo, os erros diminuirão.

Compreendo o receio do Presidente perante um hipotético aumento deste grupo de opositores.

Porque está na sua cadeira de sonho.

Porque deu muito trabalho recolocar o Sporting no caminho certo.

Porque um crescimento desta mesma oposição poderá trazer de volta o Sporting do passado.

Porque o Sporting do passado não interessa e ninguém o quer de volta.

Sei que Bruno de Carvalho sabe que esta é uma minoria e talvez queira cortar o mal pela raiz mas, hoje, os Sportinguistas não são os mesmos do passado.

Somos mais atentos, mais informados, mais exigentes e mais sensatos. Não vamos em cantigas e sabemos da realidade do Clube, do país e daquilo que é o 'fenómeno futebol' à escala mundial.

Assim sendo, continuo a achar que esta luta completamente secundária. Porque está condenada à nascença e porque a oposição se move pelo ódio e puro 'ressabiamento'.

Não acho que afecte outros Sportinguistas e acho até que envergonha a maioria deles. No limite e sabendo que vivemos noutros tempos, o que este 'governo sombra' preconiza ataca e viola a maioria dos 10 mandamentos do Sportinguista.

Para terminar, acho que, independentemente do que os move, são livres de discordar ou ter uma visão diferente, na mesma medida em que outros Sportinguistas podem discordar destes ou até confrontá-los.

Por isso, Presidente, não se preocupe em demasia com eles e continue a fazer o seu trabalho, que tão bons frutos tem dado.

O tempo em demasia que lhes dedicou afastou da ordem do dia os assuntos que realmente interessam:

- Os casos Danilo e Cervi e 'onde pára o dinheiro?'

- Os sacos azuis

- A manipulação sofrida por fundos e empresários

- A contra-informação da imprensa e dos 'paineleiros'

Estas sim, são as guerras que temos de ganhar e os campos em que nos devemos mexer pois continuam a ser os jornais e as TV's a manipular a opinião pública e não as minorias da blogosfera e do facebook, até porque quem frequenta este espaço são os Sportinguistas mais e melhor informados.

Deixe lá o Dolbeth defender o Sporting fora da antena da Sporting TV, mantenha o Inácio onde está (mesmo que este às vezes ponha os pés pelas mãos, tal é a vontade de defender o Clube) e arranje lá alguém que substitua o Rui Oliveira e Costa. Ah...e ponha o gabinete de informação a trabalhar pois nem todos lêem ainda apenas o Jornal Sporting e vêem apenas a Sporting TV.

E continue a fazer o que tão bem tem feito: defender e trabalhar em prol do Sporting Clube de Portugal.

Sobre a Assembleia Geral Extraordinária

Já era mais ou menos público o conteúdo dos resultados da auditoria, o ponto mais sensível da AG de ontem.

Não estive presente e, por isso, não vou escrutinar sobre isso.

É óbvio que os antigos dirigentes lesaram, e muito, o Clube, como se pode verificar neste artigo publicado no Observador e ontem confirmado durante a Assembleia Geral.

Resta saber se o fizeram em benefício próprio, embora o mais importante a reter é que estes senhores, que nos lideraram durante década e meia, quase acabaram com o Sporting e foi Bruno de Carvalho e toda a sua equipa que se encarregaram de limpar o Clube da merda que estes lá deixaram.

Haverão consequências para os próprios ou talvez não mas o exorcismo está feito e, acredito, estamos livres do demónio.

Quanto às medidas tomadas relativamente aos processos disciplinares instaurados aos sócios Luís Filipe Fernandes David Godinho Lopes, Luís José Vieira Duque, Carlos Manuel Rodrigues de Freitas e José Filipe de Mello e Castro Guedes, transcrevo as palavras de Jaime Marta Soares, presidente da Assembleia Geral, em entrevista à Sporting TV, dada após a AG: "Dos quatro Associados em questão, dois não foi preciso agir porque pediram a exoneração; a Luís Duque foi dada a suspensão de um ano; e a Godinho Lopes, numa situação que é sempre desagradável, foi apontada a expulsão. Godinho Lopes teve as oportunidades para responder à nota de culpa. Não o fez e só a si o deve, à sua consciência. Poderá agora recorrer à Assembleia Geral ou para os tribunais comuns pois, felizmente, em Portugal todos se podem defender".

Após o retrocesso que implicou a quebra do contrato com a Somague para a construção do pavilhão, foi apresentado o projecto da Ferreira Build Power, este sim definitivo.

Seguem as fotos, dadas a conhecer durante a tarde de ontem no Facebook Oficial do Sporting Clube de Portugal:

O exorcismo

Há quem diga que se trata de uma caça às bruxas mas, mais não é do que um exorcismo.

Um exorcismo necessário, apesar do demónio praticamente não se manifestar há dois anos.

A savana estará praticamente deserta enquanto o Rampante estará amarrado por cordas com laços bem fortes. Terá com ele uma multidão de outros leões, prontos para não deixar que o demónio leve a melhor.

Como em todos os exorcismos, será um ritual longo e sofrido.

Como em qualquer um, há a promessa de que tudo terminará bem e nada será como antes.

Claro que o Rampante, depois de anos numa savana sem caça e em que a seca praticamente deixou os rios sem água, aguentará mais este desafio.

Evidentemente, haverão momentos em que o demónio estará 'por cima' e tentará sobrepôr-se. O Rampante terá de aguentar e, com a força de uma legião, tudo suportará estoicamente.

Depois?!

Depois de expulso belzebu, basta lamber as feridas, erguer a cabeça, sacudir a juba e seguir caminho, vitorioso, pronto para a caça e para ocupar a savana, novamente verdejante e com água em abundância.

Ordem de trabalhos da assembleia geral de dia 28

Ponto Um: Apresentação do projecto de construção do Pavilhão João Rocha da autoria da empresa Ferreira Build Power.

Ponto Dois: Apreciar e votar, nos termos do artigo 23.º, números 1 a 3 dos Estatutos, sobre a atribuição de distinções honoríficas a sócios.

Ponto Três: Apreciar e votar, nos termos do artigo 42.º número 1 alínea c) dos Estatutos, sobre a dissolução das seguintes sociedades participadas: Sociedade Imobiliária Lote Dourada, S.A., Sociedade Imobiliária Quinta das Raposeiras, S.A., Contruz – Promoção Imobiliária, S.A., Sociedade Imobiliária Quinta de Alvalade, S.A., SCP – Construções e Planeamento, S.A., Verdiblanc I – Promoção Imobiliária, S.A., Verdiblanc II – Promoção Imobiliária, S.A., Verdiblanc III – Promoção Imobiliária, S.A. e Verdiblanc IV – Promoção Imobiliária, S.A..

Ponto Quatro: Apresentação das conclusões dos relatórios feitos no âmbito da Auditoria de Gestão sobre a Fase – Imobiliário (1995 a 2013) e sobre a Fase 3 (mandato Filipe Soares Franco – 19/10/2005 a 05/06/2009).

Ponto Cinco: Apreciar e votar, nos termos dos artigos 42.º n.º 1 alínea i) e 49.º alínea a) dos Estatutos, o orçamento de receitas e despesas do Sporting Clube de Portugal, para o exercício de 1 de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2016, elaborado pelo Conselho Directivo e acompanhado do Plano de Actividades e do Parecer do Conselho Fiscal.

E no fim, ganhou o Sporting

Foi um sábado em grande para o Sporting!

Em dia de Assembleia Geral os Sportinguistas disseram ‘presente’ e deslocaram-se até ao Multidesportivo de Alvalade para participar em mais uma Assembleia Geral Extraordinária do Clube. Foram mais de 730 Sócios, que equivaleram a cerca de 5000 votos, numa tarde repleta de Sportinguismo e algumas novidades.

Entretanto, e porque se jogava em várias frentes, o dia começou com uma derrota do râguebi em Santarém por 17-6 num jogo a contar para a 11.ª jornada da fase regular do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão.

O leão 'arregaçou as mangas e foram só vitórias até ao final do dia.

Já com a AG em andamento, os nossos juniores, comandados por Luís Boa Morte, aproveitaram os deslizes dos mais directos adversários e venceram no terreno do Casa Pia por 1-0, carimbando assim o passaporte para a 2ª Fase do Nacional de Juniores. Luís Elói apontou o golo da vitória. À mesma hora, jogava-se o apuramento para a fase seguinte da Taça de Portugal de Andebol: mais uma vitória. 31-24 foi o resultado final, perante o Madeira SAD num jogo em que Fábio Magalhães se destacou com sete golos.

No basquetebol, as nossas seniores deslocavam-se ao pavilhão do líder, a Ovarense e de 'garras afiadas', sacaram uma excelente vitória, fechando um ciclo de três vitórias seguidas em 2015. 58-60 foi o resultado final.

O hóquei em patins leonino deslocou-se à Suíça e trouxe para Lisboa uma importante vitória na 1ª mão dos Oitavos-de-Final da Taça CERS. Depois do Basileia se adiantar no marcador, foi a vez do Sporting mostrar ao que ia e 'virar' o resultado para um brilhante 1-4. Já nos instantes finais do encontro, dois golos 'de rajada' tiraram-nos uma vantagem confortável mas deixaram-nos com um importante resultado obtido fora, tal como ontem tinha perspectivado. Vitória por 3-4 e decisão da eliminatória nas nossas mãos (João Pinto e Tiago Losna bisaram).

Mas o melhor estava guardado para o fim...

Na AG (sim, não me esqueci da AG!) soube-se entretanto que já há projecto para edificar o Pavilhão das Modalidades João Rocha. A construção, a iniciar-se ainda este ano, terá o seu ponto alto quando, em Dezembro de 2016, se proceder à inauguração do recinto que, certamente, muitas vitorias testemunhará. 

Segue um aperitivo, abrindo o apetite para o que aí virá...

Pavilhão.jpg

Pavilhão1.jpg

Pavilhão2.jpg

Pavilhão3.jpg

Pavilhão4.jpg

A mensagem do Presidente

Confesso a minha surpresa relativamente a esta mensagem do presidente e ao momento em que é proferida. Podem lê-la na totalidade aqui.

Isso não quer dizer que discorde do conteúdo da mesma. Na generalidade concordo com aquilo que consta na mensagem, que o presidente comunicou no Auditório Artur Agostinho.

Não acho que se justifique uma "readmissão" dos poderes da direcção, mas entendo o porque de Bruno de Carvalho querer sondar o universo leonino, num momento em que se ouvem mais do que anteriormente as vozes criticas.

Após comunicada a intenção de marcar uma Assembleia Geral extraordinária para Janeiro (em data ainda a definir), para aferir a vontade dos sócios acerca do rumo traçado para o clube, seguiu-se uma análise em quatro pontos.

Necessidade de criar uma cultura de exigência:

Para além dos pontos que realçam a necessidade de defesa do clube por parte dos sportinguistas há uma mensagem para os atletas do clube:

"Criar atletas comprometidos com o Clube. Como consequência, iremos perder os que não estão comprometidos com o Clube, seja qual for a sua valia técnica ou a sua idade, e isto irá acontecer até se ter promovido uma profunda mudança de atitude e mentalidade. Vai demorar anos a conseguir."

Criar estruturas profissionais:

Podemos preparar-nos para mais despedimentos, desta vez fora do âmbito da reestruturação de pessoal e serviços externos. Estes acontecerão pois a administração não vê em alguns a necessária competência para os cargos que ocupam. Estes serão substituídos por elementos em que seja reconhecida essa mesma competência. Como consequência, podem esperar-se novos focos de desestabilização.

É preciso mudar as mentalidades:

Este ponto visa um pedido aos Sportinguistas para que se assumam, sem medos. Que todos assumamos a nossa grandeza e lutemos para a justificar. Mais uma vez o enfoque na campanha de angariação de sócios.
Destaco mais uma vez uma frase que põe em cheque o comprometimento de Sportinguistas, em todos os sectores:
"É preciso deixar de ter medo de verificar de forma constante o grau de comprometimento ao projecto e caminho do Sporting Clube de Portugal por parte de todos os envolvidos desde os órgãos sociais aos colaboradores, atletas e adeptos, tomando sem receios as decisões necessárias quando o mesmo não se verifique."

É preciso lutar por valores:

Assumimo-nos como diferentes, mas muitos dos que o dizem não lutam pelos valores que preconizamos. "O Sporting tem de lutar pelo rigor, pela transparência, pela verdade desportiva e, com isso, exigir constantemente a todos os intervenientes no mundo desportivo, do Governo à Federação, à Liga, aos clubes e aos demais agentes desportivos, uma alteração de legislação, de regulamentos e de comportamentos."

Foi focada também neste ponto a constante falta de destaque dado a tudo o que de positivo tem a ver com o Sporting. Foram dados os exemplos da recepção por parte dos presidentes da FIFA e UEFA, o sucesso da reestruturação financeira e o congresso Future Of Football, factos completamente ignorados por toda a imprensa nacional. Há que lutar contra esta campanha dos meios de comunicação social que visa desestabilizar constantemente o clube, inventando factos negativos e ignorando os positivos.

"Neste momento o nosso sentimento não é de alegria perante as últimas exibições da equipa. Como responsável máximo pelo Clube, pela SAD e pelo futebol, na análise imperativa do caminho percorrido, assumo a minha responsabilidade. É necessário que os demais envolvidos assumam com a mesma frontalidade a sua quota-parte. É necessário deixarmos de ter medo de dar a cara e de justificar cada mau resultado ou má exibição com chavões ou filosofias românticas."

O parágrafo acima transcrito foi o único de toda a mensagem que me desagradou. Não são colocados os nomes nos "bois" mas, a mim, parece-me que o referido é o treinador da equipa principal. Se assim for, Marco Silva está neste momento numa posição fragilizada. Espero que os dois (ou os três, caso Inácio seja tido e achado em tudo isto) se sentem e resolvam as diferenças.

Para terminar, umas palavras sobre a possível abordagem ao mercado. Falam Sportinguistas, Marco Silva já deu a entender e fala-se na comunicação social que o Sporting precisa de se reforçar.
Bruno de Carvalho não se desvia do caminho traçado nem um milímetro. Os jogadores contratados no início da temporada foram os possíveis e os que se acharam competentes para vestir as nossas cores. São eles os reforços de inverno: os que ainda não tiveram uma oportunidade e os da equipa B.

Veremos se isto é só para acalmar os pasquins ou se é mesmo uma intransigência.

Possa eu estar presente na AG e, sem hesitações, levantarei o meu braço!

 

Assembleia geral de accionistas e relatório e contas

O Sporting emitiu ontem 4 comunicados dos quais vos deixo os respectivos links: Assembleia, Resultados e Relatório e contas. Sei que falta um, mas trata-se apenas da convocatória aos accionistas para a assembleia geral.

Leiam se quiserem ficar mais informados sobre as contas do clube.

Confesso que li mas, não sendo eu formado em economia, não posso dar-vos um retrato exacto do conteúdo lido, mas posso destacar alguns pontos que me parecem interessantes para a opinião pública em geral:

- Ponto 10 da ordem de trabalhos da assembleia geral pedida aos accionistas

Esta será apenas a ponta do iceberg que a auditoria tratará de revelar na totalidade. Atentem bem nestes três negócios completamente ruinosos.

Proposta A
O Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD propõe à Assembleia Geral da Sociedade, reunida a 1 de Outubro de 2014, que, nos termos e para os efeitos do disposto no art. 75.º, 1, do Código das Sociedades Comerciais, aprovem a propositura de acção de responsabilidade civil pela Sporting SAD, contra os ex-administradores Luiz FilipeGodinho Lopes, Luis Duque, José Filipe Nobre Guedes, e ainda contra Carlos Manuel Rodrigues de Freitas, que à data também exercia funções de administração, pelos factos envolvendo a renovação do contrato com o jogador Marat Izmaylov, que resumidamente se apresentam:
1. Entre Abril e Junho de 2011, os referidos administradores decidiram e executaram a renovação do contrato com o jogador Marat Izmaylov.
2. Com efeito, em Abril de 2011, encontrando-se ainda em vigor um vínculo laboral com a duração de mais duas épocas com o jogador Izmaylov, propuseram ao mesmo a celebração de um novo contrato válido por quatro épocas desportivas e cujas remunerações ilíquidas a pagar ao jogador ascendiam a €5.516.000,00, pelo período dos quatro anos, o que representava um aumento exponencial da remuneração do jogador com efeitos imediatos.
3. Além disso, no âmbito da referida renovação, celebraram, em Maio de 2011, com a sociedade Gondry Financial Services Limited um contrato de exploração dos direitos de imagem do jogador Izmaylov pelo valor global de € 853.360,00.
4. Finalmente, em Junho de 2011, celebram com a sociedade Sbass Limited um acordo pelo qual a Sporting SAD se obrigou a pagar uma comissão pela intermediação na renovação do contrato com o jogador, no montante de € 480.000,00.
5. O aumento exponencial dos custos da Sporting SAD que resultou da renovação do contrato de trabalho desportivo com o jogador Izmaylov foi um decisão carecida de racionalidade empresarial, porquanto: (i) a situação financeira da Sporting SAD não comportava tal aumento de custos; (ii) o jogador ainda tinha mais dois anos de contrato em vigor; (iii) o jogador tinha sido objecto de diversos processos disciplinares; (iv) o atleta tinha problemas físicos recorrentes; e (v) o rendimento desportivo do jogador desaconselhava a renovação, já que na época em que a mesma foi feita (2011/2012), à data da renovação (Abril de 2011) o jogador apenas tinha realizado uma partida oficial e durante 26 minutos de jogo. 6. Ao terem promovido a renovação do contrato do jogador Marat Izmaylov, nos termos em que o fizeram, os administradores em questão violaram culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados e, em consequência, causaram à Sporting SAD um prejuízo, cujo montante irá ser concretizado pelos serviços jurídicos competentes para o efeito.

Proposta B
O Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD propõe à Assembleia Geral da Sociedade, reunida a 1 de Outubro de 2014, que, nos termos e para os efeitos do disposto no art. 75.º, 1, do Código das Sociedades Comerciais, aprovem a propositura de acção de responsabilidade civil pela Sporting SAD, contra os ex-administradores Luiz Filipe Godinho Lopes, Luis Duque, José Filipe Nobre
Guedes, e ainda contra Carlos Manuel Rodrigues de Freitas, que à data também exercia funções de administração, pelos factos envolvendo a celebração do contrato com o jogador Jéffren Isaac Suárez Bermúdez, que resumidamente se apresentam:
1. No exercício das suas funções, os acima mencionados contrataram em Agosto de 2011 o jogador Jéffren Isaac Suárez Bermúdez, por cinco épocas desportivas.
2. O contrato de trabalho desportivo em causa estipulava uma remuneração global ilíquida para as cinco épocas desportivas de €9.338.710,00, tendo sido atribuído ao jogador outras regalias;
3. Pela transferência do jogador, os referidos decidiram também que a Sporting SAD, pagasse ao Futbol Club Barcelona o valor de €3.750.000,00;
4. Os administradores foram alertados pelo departamento médico de então para a não contratação do referido jogador sem que o mesmo fosse sujeito a rigorosos exames médicos pela Sporting SAD, atendendo ao historial clínico do jogador.
5. Apesar de tal aviso, a contratação do jogador não foi precedida de exames médicos pela Sporting SAD.
6. No âmbito da gestão de sociedades anónimas desportivas, é prática empresarial aceite que não devem ser contratados jogadores profissionais de futebol sem a realização prévia de exames médicos ou de jogadores que tenham debilidades físicas que os impeçam de exercer a sua actividade plenamente. Também era e é essa a prática da Sporting SAD.
7. No entanto, não obstante essa prática e as indicações do departamento médico da Sporting SAD, os referidos administradores decidiram a contratação do atleta, nos termos atrás referidos.
8. Ao longo das duas épocas que esteve inscrito, o jogador esteve a maior parte do tempo indisponível para prestar o seu contributo à equipa, por lesões musculares e respectiva recuperação.9. Ao terem procedido com a contratação do jogador Jeffren, sem o mesmo ter sido previamente examinado pelo departamento médico da Sporting SAD, os administradores em questão violaram culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados e, em consequência, causaram à Sporting SAD um prejuízo, cujo montante irá ser concretizado pelos serviços jurídicos competentes para o efeito.

Proposta C
O Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD propõe à Assembleia Geral da Sociedade, reunida a 1 de Outubro de 2014, que, nos termos e para os efeitos do disposto no art. 75.º, 1, do Código das Sociedades Comerciais, aprovem a propositura de acção de responsabilidade civil pela Sporting SAD, contra os ex-administradores Luiz Filipe Godinho Lopes, Luis Duque, José Filipe Nobre
Guedes, pelos factos envolvendo a celebração do contrato com o jogador Alberto Junior Rodriguez Valdelomar, que resumidamente se apresentam:
1. No exercício das suas funções, contrataram em Maio de 2011 o jogador Alberto Junior Rodriguez Valdelomar, para quatro épocas desportivas.
2. O contrato de trabalho desportivo em causa estipulava uma remuneração fixa anual ilíquida de €669.000,00, tendo sido atribuído ao jogador outras regalias; na data da celebração do referido contrato, os referidos administradores decidiram também que a Sporting SAD, pagasse ao jogador um prémio de assinatura no valor de € 836.400,00;
3. Decidiram igualmente pagar uma comissão de intermediação à Gestifute – Sociedade de Gestão de Carreiras de Profissionais Desportivos, S.A., uma comissão no valor de €492.000,00, bem como a atribuição a esta sociedade de 30% dos direitos económicos sobre o jogador.
4. A contratação do jogador foi precedida de exames médicos na Sporting SAD, sendo que o departamento médico de então alertou para as evidentes fragilidades físicas do jogador, quer no que concerne à probabilidade de instalação de uma pubalgia (o que obriga a intervenção cirúrgica), quer no
que diz respeito ao “perfil lesional recorrente” ao nível muscular, não compatível com o cumprimento do calendário desportivo.
5. No âmbito da gestão de sociedades anónimas desportivas, é prática empresarial aceite que não devem ser contratados jogadores profissionais de futebol que tenham debilidades físicas que os impeçam de exercer a sua actividade plenamente. Também era e é essa a prática da Sporting SAD.
6. No entanto, não obstante essa prática e as indicações do departamento médico da Sporting SAD, os referidos administradores decidiram a contratação do atleta e o pagamento de comissão de intermediação, nos termos atrás referidos.7. Na época 2011/2012, o Sporting realizou 56 jogos oficiais, mas o jogador apenas participou em 13, ou seja participou em menos de 25% dos jogos disputados pela equipa da Sporting SAD, tendo estado
parado quase dois terços da época desportiva por incapacidade física que havia sido expressamente prognosticada pelo exame médico que precedeu a contratação e que os referidos administradores, contrariamente à prática generalizada no sector e adoptada na Sporting SAD, decidiram ignorar.
8. Com tal prática, os administradores em questão violaram culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados e, em consequência, causaram à Sporting SAD um prejuízo, cujo montante irá ser concretizado pelos serviços jurídicos competentes para o efeito.

- Resultados do exercício 2013/2014

O resultado líquido da Sporting SAD na época de 2013/14 ascendeu a 368 milhares de euros positivos, o que compara com um resultado líquido negativo de 43.816 milhares de euros na época anterior.

A redução de gastos com pessoal teve um importante contributo na redução de gastos da Sporting SAD. Esta redução resulta da reestruturação iniciada no final do exercício 2012/13 e consubstanciada no início da época agora finda.

Assim, verificou-se uma redução de cerca de 10,5 milhões de euros nos vencimentos do plantel, sendo a restante redução justificada pela redução do número de colaboradores noutras áreas funcionais da Sporting SAD bem como a redução nos montantes suportados com indemnizações e seguros.
Em resultado, estes gastos reduziram-se em 16,6 milhões de euros, representando uma melhoria de 40% face à época 2012/13.

- Relatório e contas

O relatório e contas é importante ser lido, pois contém todas as informações financeiramente relevantes para o universo leonino, mas destaco apenas os valores das compras de jogadores para esta época efectudas até ao dia 30 de Junho de 2014 (data do final do exercício).

Simeon Slavchev - 85% do passe ao Litex por 2.5M€ com contrato válido até Junho de 2019
Paulo Oliveira - 90% do passe ao Vitória Sport Clube por 1.8M€ com contrato válido até Junho de 2019
Oriol Rossel - 100% do passe à Major League Soccer por 966m€ com contrato válido até Junho de 2019 (10% da mais valia futura terá de ser cedida ao antigo clube)
Junya Tanaka - 100% do passe ao Kashiwa Reysol / BISC Int Sports por 750m€ com contrato válido até Junho de 2019 (10% do valor de futura venda acima de 2,5M€ e 5% acima de 5M€ terá de ser cedida ao antigo clube)
André Geraldes - 80% do passe ao Istanbul BB por 500m€ com contrato válido até Junho de 2019

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal