Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Mais uma hora com o Presidente

Bruno de Carvalho, Presidente do Sporting, marcou hoje presença nas obras do Pavilhão João Rocha para mais um ‘A Hora do Presidente’, desta feita, num sítio especial e simbólico para a Direcção. Ao longo de pouco menos de uma hora, o líder ‘leonino’ abordou diversos temas do quotidiano ‘verde e branco’, nacional e internacional, desde a reestruturação financeira do Clube, à renovação daquela que é a base da equipa de futebol para a próxima época, passando pela morte de Johan Cruijff ou o lançamento do quarto ano de mandato da actual Direcção. No final da entrevista, Bruno de Carvalho anunciou ainda uma surpresa para os Sócios.

 

Três anos de mandato

“Estamos aqui num local que é emblemático e importante e que era um objectivo desta Direcção e de todos os Sportinguistas. Vamos conseguir iniciar o Pavilhão João Rocha neste mandato, vamos conseguir completá-lo e é das coisas mais importantes porque se nota a alegria e o sentimento de realização dos Sportinguistas. É algo que marca a história do Sporting CP, os Sportinguistas e o orgulho que temos em servir o Sporting CP e conseguir esta obra, que daqui a um ano estará pronta. Se olharmos para trás, temos conseguido várias coisas muito importantes para o Clube, começando pela sustentabilidade financeira, muito importante para traçarmos um caminho de crescimento. A restruturação financeira foi um documento, depois é o dia-a-dia a aplicação dos nossos rumos e políticas que vão determinar essa sustentabilidade. Temos a noção clara do que queremos fazer para que a reestruturação funcione e estejamos numa situação de sustentabilidade financeira. Houve necessidade de cortes nas modalidades, infelizmente. Agora, aumentámos, para o ano vamos voltar a aumentar e fizemos coisas como o regresso do hóquei a modalidade oficial, logo com a conquista da Taça CERS, fizemos o mesmo com o ciclismo e estamos a ser a melhor equipa portuguesa em cada prova e demonstramos que quando se arranja parceiros certos e acredita num projecto que vale a pena ficamos na frente. É muito importante porque isso é que é o Sporting e os pergaminhos do CC Tavira, que tem sido um parceiro tremendo”.

“A criação da base do futebol tem sido muito importante, a consolidação dos atletas formados em Alcochete, as renovações, as recuperações de passe. Isso leva os os jogadores a sentirem-se mais confiantes. Planeámos uma equipa para o futuro e já não estamos numa política de deixar sair os activos de qualquer forma e negligenciando os objectivos de ser campeão. Foram três anos muito complicados, mas muito prazerosos, com coisas como estar aqui, olhar e ver a obra feita”.

 

Reestruturação financeira

“Tenho lido algumas pessoas a dizerem que se tem trilhado um caminho mas falta a independência da banca. Explicar que temos uma dívida bancária, muito mais diminuída, mas uma dívida bancária. Isto não significa estar dependente da banca, só que temos de pagar a dívida. Ate já pagamos mais do que estava previsto no acordo porque temos tido resultados e receitas superiores ao que estava previsto. Não temos tido nenhum apoio adicional. Explicar que há vários actos, fizemos uma reestruturação pesada ate 2022, há uma serie de actos que vão ser feitos ao longo do tempo, não significa alteração nenhuma, está tudo planeado. A reestruturação tem mapeamento e cronograma que está a ser cumprido. Algumas pessoas utilizam estes resultados como uma prova de que o Sporting CP precisa de apoio. Não, não precisamos de apoio absolutamente nenhum. É um resultado que reflecte a primeira decisão sobre a Doyen, 14 milhões, um processo que já fizemos recurso e temos toda a esperança de que se faça justiça. E reflecte, e verifiquem com tem sido bem gerida a situação financeira do Sporting CP, a não entrada na Liga dos Campeões, com arbitragens para esquecer. Recuperámos oito milhões desses 12 que não entraram. O Sporting não precisa de nenhum apoio adicional e antes de começarmos a próxima época tudo estará resolvido porque é para isso que cá estamos. O Sporting CP não tem nenhuma dependência da banca”.

“O Sporting CP não está a ficar igual ao que encontrei porque o que temos feito tem sido tudo apresentado. Mas da forma como fomos afastados da Liga dos Campeões, tem de se arranjar soluções e temos arranjado. Temos a Doyen, que vamos recorrer e isto pode inverter-se de um momento para o outro. Éramos os que mais devíamos dos três grandes, agora somos o que menos deve, somos o que mais amortiza a dívida e temos um crescimento de receitas importante”.

 

Jogadores, renovações, equipa de futebol

“O Sporting CP vai manter a base da sua equipa de futebol. Apostamos muito na estabilidade e temos dois objectivos a nível desportivo: voltar a ser campeão de futebol de forma regular e conquistar títulos europeus a nível de Clube, o que já começámos com a Taça CERS. Voltámos a ser campeões nacionais de corta-mato longo masculino e vamos participar na Taça dos Clubes Campeões Europeus. É um objectivo que esta a ser trilhado e o investimento nas modalidades cumpre estes dois objectivos. No futebol, a maior parte dos jogadores com quem renovámos não tinham contratos a acabar. Estamos a passar uma mensagem clara para os atletas de que o Sporting CP conta com eles de forma a conseguirmos títulos de forma regular. Não estamos a renovar e recuperar passe para vender. Queremos estabilizar para poder dar as alegrias que todos nós merecemos. É necessário que o Estádio se estreie a comemorar um título nacional”.

 

Open Day do Pavilhão João Rocha

“Foi um dia muito especial para toda a Direcção e todos os Órgãos Sociais. Nós sabemos o que custa estar a reerguer este Clube e foi um motivo de orgulho e satisfação para todos nós. Foi magnífico, mais de 1.300 pessoas estiveram aqui, num local onde vão comemorar muitos títulos e passar muitas alegrias como se passaram na Nave e ver aquela alegria nos olhos foi a melhor prenda. Vale a pena porque o orgulho dos Sportinguistas está em cima. De repente, o sonho tornou-se realidade. Isto não é uma apresentação bonita numa Assembleia Geral; está aqui, existe e vamos poder estar cá dentro a gritar pelas nossas equipas”.

 

Processos a ex-dirigentes

“Os Sportinguistas ficaram satisfeitos e não vejo aquele sentimento de obscuridade que o Sporting CP vivia, num clima de suspeição constante e acusação constante. O que ficou definido foi que era exigida a auditoria, levou-se a Assembleia Geral. Foi quem quis, falou quem quis a foi aprovado por larga maioria. Os processos estão feitos e nós não escolhemos os prazos legais das coisas. Mas o mais importante é que neste momento está nos tribunais, o local certo para tirar as dúvidas. Demore cinco ou dez anos, saber-se-á se fizeram mal ou não. Não posso aceitar o argumento de que as pessoas pelo processo vão estar sob um foco: as pessoas já estavam, há vinte anos, com esse rótulo no Sporting CP. Vamos dar hipóteses às pessoas de um dia este rótulo terminar, ou para o bem ou para o mal, quando a justiça decidir. Temos de confiar na justiça”.

 

Futebol português

“A juventude que tenho permite-me ter memória elevada e no pouco tempo que tenho para descansar, recordo o que ouvi sobra as campanhas eleitorais, os fundos, os vídeo-árbitros… É engraçado porque o futebol dá uma volta a gostava de relembrar às pessoas que as grandes transformações no Mundo foram sempre feitas de forma abrupta, de um dia para o outro. Se as pessoas virem a história, o importante nunca foi feito aos bocadinhos. E o futebol é igual. Deu-se uma machadada, o futebol mudou e o meu discurso agora é o politicamente correcto que todos usam. É um orgulho ver o ‘NY Times’ entrevistar o Presidente do Sporting CP, a ‘France Football’, a ‘BBC’, o ‘The Guardian’, o ‘World Soccer’. Porque de repente se aperceberam, todos menos Portugal, de que as coisas são assim. E quem luta por princípios e valores é porque os tem e porque é firme no seu raciocínio. O Sporting CP definiu rumos e tarefas como a de acabar com fundos e introduzir novas tecnologias. Porque o Sporting CP é um exemplo claro de que os fundos não resolvem problemas nenhuns”.

 

Base da equipa na próxima época

“Conseguimos fazer renovações extremamente importantes, algumas que ninguém esperaria. O Sporting CP não quer voltar à fase de ganhar uma vez e ter de esperar muitos anos outra vez, não queremos deixar isso para o futuro. Estamos a garantir a base estrutural da equipa para a próxima época e isso é determinante para cumprirmos a promessa que fizemos para deixar o Sporting CP preparado para regularmente vencer e para isso precisa de estabilidade, manter os melhores com sentimento de reconhecimento. O Sporting CP olhava para o produto das Academias e achava que esses eram os jogadores que tinham de ganhar pouco, mas não, têm de ser olhados pelo valor que têm”.

 

Academia e expansão da marca Sporting

“É muito importante termos aberto uma série de Academias. Já temos vários atletas na formação que vêm dessas Academias espalhadas um pouco por todo o lado. As pessoas não têm a real noção da dimensão do Sporting CP e a noção que fisicamente temos mais de 400 núcleos espalhados pelo Mundo todo. Estamos presentes em todos os continentes, no mínimo, há 80 anos de forma sólida e consistente. Filiais que existem e têm força, que praticam desporto. A expansão do Sporting em primeiro lugar está ali. Vou a sítios onde já não iam presidentes há 45 anos. Não sei se há no Mundo um Clube que fisicamente tenha esta implantação ao nível mundial. Estamos a ir ao encontro deles, a expandir as nossas Academias e a voltar a dar-lhes orgulho porque a casa-mãe voltou a olhar para eles e reconheceu a importância que têm”.

 

Falecimento de Johan Cruijff

“O futebol está sempre associado à corrupção, a pessoas que se querem promover e tirar dinheiro. É importante relembrar os bons exemplos e Johan Cruijff era um belíssimo exemplo enquanto pessoa, jogador e treinador. É triste quando pessoas deste importância desaparecem, mas é bom relembrar que o futebol também tem príncipes, boas pessoas, bons exemplos. Temos de começar uma nova era onde as pessoas olhem para nós e voltem a ver um desporto que promove valores, princípios e Johan Cruijff conseguiu passar isso. A morte de Joaquim Campos a nós também nos marcou; era um senhor da arbitragem”.

 

Quarto ano de mandato

Quero acabar o nosso programa eleitoral, mas isso é curto porque das 120 medidas faltam dez ou 12, só temos falhado com a sustentabilidade ecológica. Mas queremos fazê-lo. Queremos continuar este caminho de aposta nas modalidades e de conquista, nacional e europeia, e acho que o vamos conseguir fazer. Queremos cimentar o futebol e criar as condições para sermos campeões. Isso é absolutamente fundamental. Olhamos para o ano que falta com o mesmo olhar do primeiro dia, vontade de fazer mais e melhor, não achar que chega o que fizemos. Queremos fazer muito mais”.

 

Ranking de Sócios

“É fundamental subir mais um patamar. Por isso somos um Clube fantástico, fomos eleitos os melhores adeptos da Europa, entrámos pela primeira vez no Top-10 dos clubes com mais Associados do Mundo, em sétimo lugar. Estamos a 30 mil sócios do quarto lugar e o pódio é uma meta muito importante que todos temos de cumprir. Não podemos ser apenas o clube com mais títulos a nível global nem o terceiro a nível europeu nem um dos que mais forneceu atletas olímpicos, o único com dois melhores do Mundo, uma das melhores Academias do Mundo. Também o temos de ser enquanto Associados e criámos facilidades para isso. É uma meta importantíssima de atingir na próxima época, mais 35 mil sócios pelo menos, para subirmos o nosso ranking que é importante para a nossa imagem mas também porque, desde que entrámos, as quotas vão 100% para as modalidades. Quanto mais Sócios, mais podemos reforçar as modalidades. Façam-se Sócios e os que querem regressar podem fazê-lo de forma gratuita, manter o número e pagar daqui para a frente. A dimensão do Clube e este Pavilhão necessita de mais Sócios”

 

Dá-me a tua camisola

“A partir de agora os Sócios vão começar a contribuir para a camisola alternativa Podem desenhar a sua camisola e fazer as propostas para a época 2017/18”.

 

Fonte: Site Oficial do Sporting Clube de Portugal

A hora do Presidente

Apenas consegui ver os primeiros 5 minutos antes da responsabilidade de pai se sobrepor à curiosidade do fervoroso Sportinguista.

Achei o Presidente algo desiludido e até conformado com os evidentes resultados da investigação à devassa por parte do blog Football Leaks e relativos às averiguações (ou à falta delas) relativamente à denúncia da caixa negra e dos vouchers que nela constavam como oferenda a árbitros, delegados e observadores por parte do Benfica. Parece óbvio que alguém não quer mexer na merda e os castigos de Arouca já vieram em jeito de aviso.

O sistema continua contra nós e é em campo que teremos de responder.

O resto da minha análise baseia-se no que li.

Saudando a mais ou menos anunciada candidatura de Rui Barreiro (quem?!) às próximas eleições, o Presidente lamentou o timing das críticas a esta direcção em mais uma publicação da revista sábado em semana que antecede mais um derby.

A homenagem a Peyroteo, mais do que merecida, é justa...mesmo que a Federação Portuguesa de Futebol a ignore.

Bruno de Carvalho reiterou confiança mas humildade para mais um derby, desta vez disputado em Alvalade.

Volta a vir à baila o tema dos 14 milhões de lampiões e o mais recente e não menos ridículo estudo do jornal O Jogo que dá o Porto como maior clube português no Mundo e o Benfica como o maior de Portugal com base, imagine-se, em likes do facebook. Pouco credível mas claramente na tentativa de projectar uma dimensão irrealista, tal como já havia acontecido com o inexistente estudo proclamado pela nação lampiónica. O motivo de tudo isto: a renegociação dos direitos televisivos e a tentativa de espremer todo o sumo, dividindo-o por dois. Bruno de Carvalho está atento e terá, certamente, uma estratégia para abordar tão importante temática.

A importância da abertura de 10 Academias na China foi também relevada e justificada com a aposta forte do país no desenvolvimento da modalidade. A presença do Sporting, como Clube formador de topo, faz todo o sentido para que esse desenvolvimento se concretize.

“Os governos falam sempre da não promiscuidade entre a política e o futebol. (...) mas em princípio a massa dos 10 milhões estará nos 3 grandes, por isso os governos têm medo. Mas depois olhamos para as leis e todos os inputs que se deram, até com texto jurídico, as pessoas leram a nossa visão, fizemos um trabalho profundo, bom ou mau e o que acontece é que não se fazem alterações nenhumas e continuam a ver-se leis à medida de alguns clubes, muita promiscuidade entre a política e futebol, com situações absurdas de favorecimento de clubes a vários níveis e em vários processos. Vê-se claramente que o Sporting é um clube que nunca se preocupou em forma um lobby, mas acho que deveria ter sido denunciado quando os outros o criaram. Falta mesmo visão estratégica correcta por parte do governos para o futebol”. Estas foram as palavras de Bruno de Carvalho relativamente ao conjunto de propostas apresentadas para melhoria do desporto nacional, que ainda não terão sido alvo de estudo aprofundado.

A abordagem ao mercado de Inverno será tranquila, ponderada, de ocasião e s potenciais alvos estão perfeitamente identificados.

Relativamente ao ecletismo e ao olimpismo, em ano que culmina com mais uma edição dos Jogos Olímpicos, Bruno de Carvalho disse que “O Sporting fez um grande investimento nas modalidades. É o clube do mundo com mais atletas representados em termos olímpicos. Não tenho dúvida que o Sporting honrará o nome de Portugal. Um dos nossos pilares é o ecletismo. E já agora o pavilhão está em excelente ritmo. A malfadada licença que nunca iria surgir… já está. E tenho um orgulho tremendo de todos os dias olhar para aquela obra”.

Em Dezembro, haverá nova hora com o Presidente.

Obrigado, Leonissimo ;)

A hora do Presidente

Num programa em que o objectivo é esclarecer os sócios e adeptos do Sporting, perdeu-se muito tempo a dissecar temas com que só os três estarolas convidados se preocupam.

Para começar, mais de meia hora à volta da mensagem do presidente no facebook. Diga-se que, pacientemente, o presidente tentou explicar aos senhores directores do Record, A Bola e O Jogo que no Sporting se pratica uma cultura de exigência máxima e que as palavras foras apenas condizentes com o que se passou em Guimarães e, como tal, perfeitamente justas, adequadas e das quais não riscou o seu nome nem descartou responsabilidades próprias. A ideia era sobretudo pedir desculpas aos sportinguistas e dar um alerta para o mesmo não volte a suceder.

A preocupação geral com a formação é partilhada pelo presidente que, como eu até já tinha referido anteriormente está a tentar implementar um novo modelo que levará o seu tempo até estar totalmente implementado. Há um modelo transversal a todas as equipas (que não foi revelado) e os próprios treinadores terão de adaptar as suas ideias a esse modelo.
Foram explicadas as alterações de treinadores na equipa B e de juniores com motivos que eu próprio, mais uma vez, já tinha adiantado:
- Abel saiu por vontade própria (embora o presidente não o tenha dito, fruto de um acordo entre ambos) e não havia possibilidade de contratar um treinador com as valências pretendidas. Barão passou de adjunto a principal até ser possível contratar um treinador principal (algo que só foi possível após o Gil Vicente dispensar João de Deus). João de Deus foi uma oportunidade casual que se entendeu encaixar no projecto, avançando-se para a sua contratação.
- José Lima abraçou novas funções na Academia (tal como já tinha feito no passado) e Luís Boa Morte foi aposta para tentar melhorar os resultados e a evolução da equipa de juniores.
Não gostei da forma pouco subtil como se falou da falta de qualidade (que é evidente) na equipa de juniores, mas espero que a forma como foram visados os espicace para que melhorem o seu rendimento.

A política de contratações foi alterada após avaliação da qualidades dos escalões mais altos da formação, por forma a suprir lacunas identificadas, assumindo que a ideia inicial (de contratações cirúrgicas para a equipa principal) teve de ser posta de parte. Foi feita prospecção e foram fechados negócios identificados como oportunidades de negócio em jogadores com potencial e dos quais se espera que possam vir a fazer parte da equipa principal.

Afirmação clara e inequívoca da aliança Porto/Benfica e afastamento do tipo de política seguida por ambos. O presidente do Sporting não se reunirá com Luís Duque, pois é uma pessoa com quem o Sporting tem um problema judicial e o rosto de uma afronta ao Sporting por parte da 'santa aliança'.

Não tinha gostado das declarações de Dias da Cunha, mas também não me agradou a resposta do nosso presidente, que faria melhor em não comentar ou em comentar não acenando com os possíveis resultados da auditoria.

Sobre a situação de Shikabala, gostava que o nosso presidente tivesse assumido o erro claro na sua contratação em vez de se limitar a falar do baixo valor da compra vs o valor pelo qual ainda pode vender o egípcio.

Depois de algumas alfinetadas aos três directores dos desportivos presentes em estúdio, o final do programa teve um alerta mais sério e feroz para o não-jornalismo que praticam, deixando-os claramente desconfortáveis e surpresos com algo com que não contavam.

Daqui a um mês espero nova inovação: um programa ao bom estilo do prós e contras, que possa ser um fórum ao vivo sem gráficos e dados preparados em casa. Não só para afastar as desconfianças de alguns sportinguistas em relação ao nosso presidente como para ter uma verdadeira discussão entre leões sobre o nosso Sporting Clube de Portugal.

A hora do Presidente

Cumpriu-se ontem o terceiro "A hora do Presidente", programa da Sporting TV em que Bruno de Carvalho é indagado pelos sportinguistas acerca das suas dúvidas e as esclarece em directo. A inovação deste terceiro programa foi o convite endereçado aos directores dos três jornais desportivos nacionais para participar na conversa.

Confesso que só vi parte do programa e, como tal, deixarei o meu comentário para quando tiver oportunidade de o ver calmamente na totalidade.

Para já, deixo o programa para quem não o viu e agradeço ao Master Rips pelos vídeos e pela excelente qualidade dos mesmos.

 

 

A hora do Presidente (03/10/2014)

Só hoje tive tempo para ver e ouvir com atenção o programa que esclarece os sportinguistas.
É uma alegria enorme ter Bruno de Carvalho à frente dos destinos do meu clube. 
Deixo que cada um veja (se quiser) e aconselho-o vivamente, independentemente do clube que apoiam e expresso um desejo: a bem do futebol português, desejo que todos os clubes, a Liga e a FPF venham a ter um Bruno de Carvalho.
Só assim teremos um futebol português melhor. Temos bons jogadores, bons treinadores e maus dirigentes. Com bons dirigentes, quem sabe não será possível ter uma Liga de topo e uma selecção nacional de futebol que nos orgulhe!

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Posts mais comentados