Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

Sporting CP 1 Nacional 0 - Estamos no Jamor!

O jogo de ontem teve, infelizmente, semelhanças com o de Paços de Ferreira mas, felizmente, um desfecho diferente em que os rostos fechados e desiludidos da Capital do Móvel deram lugar a sorrisos rasgados de alegria.

Foi um jogo de nervos.

Começou melhor o Nacional mas equilibramos e os últimos 20 minutos da primeira parte já foram razoáveis.

Quando Slimani falhou pela primeira vez percebi que era mais um daqueles jogos. Podia vir a corre bem mas...tudo podia acontecer.

A verdade é que tivemos sempre o domínio territorial e da posse de bola. O Nacional jogou na expectativa e apostou nos remates de longe e nas bolas paradas. A estratégia de Manuel Machado quase dava resultado, não fosse Patrício estar em noite inspirada. Tirou duas ou três bolas de golo (uma dela verdadeiramente fantástica) e foi um dos melhores em campo.

Enquanto isso, continuávamos a falhar golos, ora por Slimani, ora por João Mário. Slimani levou-me ao desespero. Péssimo jogo de cabeça para alguém que, supostamente, é exímio cabeceador e um outro falhanço dentro da pequena área onde nem na bola acertou. Quem me conhece e já falou comigo de futebol e do Sporting sabe que não morro de amores pelo argelino.

Curioso como se nota muito mais o nervoso da equipa em frente à baliza adversária do que em acções defensivas.

Ao mesmo tempo parece inacreditável como como não consentimos maior perigo. O nosso meio-campo teve muitos furos abaixo do que já os vimos fazer. Nenhum dos três jogou bem e nota-se por demais o cansaço (sobretudo em Adrien).

Nani também esteve apagado enquanto que Carrillo foi bem mais preponderante (tivesse Slimani aproveitado os dois golos cantados oferecidos pelo peruano e teria sido uma noite tranquila).

Marco Silva fez bem em retirar João Mário para lançar Mané, porém, errou logo de seguida ao retirar Carrillo para colocar André Martins (e isto nada tem a ver com o médio português mas sim com o facto de termos em Carrillo o único verdadeiro desequilibrador).

Sofremos e roemos as unhas até ao minuto 85...Ewerton resolveu a eliminatória e, de cabeça, sentenciou o jogo e deu como certa a nossa presença no Jamor.

Objectivo mínimo cumprido! Agora, falta levantar o caneco.

Até lá, há muito para jogar e, espero eu, algumas oportunidades para que outros se mostrem e os mais utilizados descansem.

Mais sobre mim

imagem de perfil