Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

SPORTING CP 0-0 Marítimo: Ahhh...Doumbia...

A verdade é que foi um bom jogo da equipa do Sporting. Em termos de qualidade de jogo e até de intensidade, sem ser o ideal, foi melhor do que aquilo que eu esperava. Faltaram os golos, não por falta de oportunidades.

O essencial foi amplamente conseguido. Os jogadores mostraram que estão aptos e são capazes de ajudar o Sporting na mesma medida (ou quase) daqueles que o têm feito mais frequentemente.

 

Jonathan (para mim, o melhor em campo) voltou a mostrar que, de quando em vez, Coentrão pode sair para ir fumar um cigarrito e Ristovski foi uma agradável surpresa para quem, como eu, nunca o tinha visto jogar.

Os centrais estiveram bem e Petrovic mostrou que nem sempre a primeira imagem é a que fica (ninguém me tira da cabeça que aquele sérvio enorme que cá andou na pré-época 2016/2017 era outra pessoa).

Alan Ruiz foi, durante grande parte do tempo em que esteve em campo, um dos melhores e dou por mim a perguntar se dá para fazer isto mais vezes e de forma mais consistente, mesmo que a intensidade deste jogo não tenha sido a intensidade normal da maioria dos jogos. O Bruno Fernandes telefonou e diz que não dá.

 

Num plano inferior estiveram:

Salin que, como tinha dito ontem, não acrescentará mais do que aquilo que Pedro Silva poderia acrescentar. Jogo de pés fraco e algum nervosismo que espero só ter acontecido por ser dia de estreia.

Mattheus Oliveira e Iuri Medeiros fizeram ambos uma primeira parte fraca e apagada, com o brasileiro a começar a espreguiçar-se ainda no final do primeiro tempo, enquanto que o português só acordou já na segunda parte. As substituições de ambos já vinham no papel desde o intervalo e é pena, pois ambos estavam a subir de forma quando saíram. Eu tinha esperado mais um pouco para os substituir.

Bruno César fez um jogo como lhe é habitual sempre que nos últimos tempo actua na ala esquerda ofensiva. A sua incapacidade em ganhar lances no 1x1 torna a sua presença em campo muitas vezes dispensável.

 

Guardo Doumbia para o fim porque apareceu sempre no sítio certo para fazer a coisa errada. Com isto enquadro a sua exibição na parte dos que corresponderam ou dos que ficaram aquém? Não sei, e por isso falo dele como o carteiro que apareceu sempre nos sítios certos à hora certa mas que se enganou no destinatário da maioria da correspondência. Foi pena, pois teve nos pés (e na cabeça) oportunidades suficientes para construir um resultado positivo. Caso esteja a guardar os golos para ocasiões mais importantes, perdoo-o. Se não for o caso, um dia vou cobrar-lhe estes.

 

Os jogadores que entraram deram mais alguma dinâmica mas não trouxeram grandes ideias. 

 

Voltando ao essencial, não comprometemos o apuramento para a final-four da Taça da Liga e ainda ganhámos opções para ajudar nas competições que realmente são importantes.

Bom jogo, bom teste aos menos utilizados e boas "dores de cabeça" para Jesus.

Venha o Moreirense!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal