Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Será este o melhor modelo para a equipa B?

Vejo habitualmente os jogos da equipa B e este fim-de-semana voltei a fazê-lo. 

Há quem critique ou apoie a inclusão de jogadores do plantel principal e, neste jogo, foram Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo, André Martins e Matheus Pereira os escolhidos para ajudar a cumprir os objectivos da equipa comandada por João de Deus.

Já foram várias as vezes que aqui abordei a temática da nossa equipa secundária, na maioria das vezes apenas para elogiar ou criticar momentos específicos.

No entanto, acho que nunca fiz uma análise àquilo que entendo ser o melhor para estruturalmente, servir ambos os conjuntos e os jogadores mais especificamente.

Não o fiz pois não havia ainda chegado a uma conclusão sobre o tema e, neste momento, encontro-me em condições de assumir uma posição.

Os objectivos da equipa B parecem-me óbvios. Fazer evoluir os jovens jogadores, preparando-os para atingir o plantel principal e atingir objectivos competitivos, vencendo o máximo de jogos possíveis.

Assim sendo, parece-me óbvio que os mais jovens evoluem mais rápida e consistentemente se tiverem ao seu lado jogadores mais experientes.

Basta analisar a exibição deste fim-de-semana de Rúben Ribeiro e compará-la com as anteriores, por exemplo.

Acabam por, como se costuma dizer, matar-se dois coelhos com uma só cajadada. Os jogadores da equipa principal que não são utilizados não perdem ritmo e os da equipa B evoluem de forma mais célere e sólida.

Assim sendo, proponho um plantel curto às ordens de João de Deus mas suficiente para que semanalmente possa fazer-se um trabalho de qualidade. Talvez 18 jogadores + 3 guarda-redes, admitindo a inclusão nos trabalhos de 2/3 juniores que demonstrem encontrar-se num patamar superior aos restantes colegas de escalão.

Não vou para já elaborar esboços para a próxima época mas arriscarei o exercício assim que esta acabe.

Qual a vossa opinião?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    GAG 16.03.2016

    Dei o exemplo do Rúben Ribeiro porque é evidente que não tem valor suficiente para vir a integrar a equipa principal (até tem apenas mais um ano de contrato e acho que pode sair) mas a diferença no rendimento dele antes e no último jogo foi notória. Bastou-lhe ter o apoio directo de jogadores como Tobias, P. Oliveira e André Martins para a sua confiança subir, tomar melhores decisões e estar mais atento.
    Temos juniores de grande qualidade, desde guarda-redes a pontas-de-lança. Pedro Silva já o provou este ano e nomes como Pedro Empis, Guilherme Ramos, Bubacar Djaló e Ronaldo Tavares serão mais falados na próxima época. Gil Santos e Bruno Paz ainda têm mais um ano de juniores e, sobretudo o Paz tem uma qualidade acima da média.
    Esta é uma das mais preparadas gerações de juniores.
    Obrigado pelo elogio e um abraço. SL
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    imagem de perfil

    Blogs Portugal