Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Resposta de campeão

Antes de mais, há que recordar que o Sporting não vinha de uma derrota com uma equipa qualquer, num pavilhão qualquer. O Porto é o actual detentor das três competições nacionais e há 20 jogos consecutivos que vence em casa em jogos a contar para o campeonato, competição na qual não perde há 38 jogos. O Benfica foi a última equipa a vencer no Dragão Caixa, a 17 de dezembro de 2014. Sim, há mais de três anos que os dragões não perdem em casa para o campeonato e, pelo meio, apenas perderam pontos com o Valongo (dois empates), ganhando os confrontos a todos os adversários directos.

 

Para nós, o jogo com o Porto encerrou com a primeira derrota da temporada em competições nacionais e a pressão extra para o jogo de ontem esteve até mais relacionada com a sequência de duas derrotas, contando com o jogo da Liga Europeia, em Itália.

Ora, depois de um adversário como o Porto, frente ao qual dominámos o encontro no seu terreno e perdemos pela margem mínima, acabando o jogo a atacar sem guarda-redes, seguiu-se a Oliveirense.

 

A equipa de Oliveira de Azeméis, presente nas últimas duas final-four da Liga Europeia e que, apesar de crónico candidato ao título desde às uns anos para cá, nunca levantou o troféu máximo nacional apresentava-se no Pavilhão João Rocha com a pressão de ter de vencer para não perder, mais uma vez, o comboio do título.

 

Os comandados de Tó Neves até entraram bem no encontro mas, praticamente no primeiro remate da partida, João Pinto inaugurou o marcador, num lance que as imagens televisivas não conseguiram esclarecer mas que um dos árbitros, bem colocado, validou.

Estava aberto o caminho para uma vitória esmagadora e para uma resposta contundente, frente a um dos candidatos ao título, que também é uma das equipas mais fortes da Europa.

O resultado ao intervalo era de 5-1 e haveria de terminar num arrasador 9-1, com grande eficácia e enorme qualidade em boa parte das execuções e situações de finalização, mesmo as que não terminaram em golo.

O Sporting foi uma equipa dominadora, voraz, insaciável. Nem por um segundo os jogadores se contentaram com o que tinham e foram sempre à procura de mais, aproveitando e "cavalgando" a onda que atropelava completamente a equipa da Oliveirense.

 

O resultado no final do encontro não só demonstrou uma resposta cabal como uma vontade enorme de ser campeão por parte do plantel leonino.

Paulo Freitas demonstrou-se, naturalmente, satisfeito e orgulhoso da prestação dos seus atletas, que voltaram a demonstrar que são um grupo forte e coeso, digno de envergar as nossas cores e preparado para lutar por títulos.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil