Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

O adeus: três anos de Jesus

Image result for jorge Jesus despede

 

Três anos e dois títulos menores depois, o Sporting e Jorge Jesus seguem finalmente caminhos distintos.

Uma supertaça (no primeiro jogo oficial ao serviço do Clube) e uma taça da Liga (esta época) são um legado demasiado modesto para tão credenciado treinador.

 

Nem tudo o que correu mal foi culpa de Jesus mas é impossível descartá-lo de culpas no capítulo desportivo.

Claro que o Sporting só não foi campeão em 2015/2016 por "acidente" e há até indícios graves que nos fazem reclamar uma vitória moral mas o que veio depois não deu continuidade ao que de tão bom Jesus trouxe ao Sporting o ano de estreia.

A novela da saída para o Porto no final dessa época reforçou-lhe a posição e, com o vínculo prolongado por mais um ano e aparente poder total sobre as decisões do futebol, Jesus borrou a pintura.

O Sporting começou a comprar caro e o orçamento para o futebol disparou de forma inversamente proporcional à qualidade do futebol apresentado mas, mais importante do que isso, aos resultados desportivos foram ainda mais insatisfatórios, com uma época completamente falhada em 2016/2017 e a deste ano bem longe daquilo a que obrigava o maior orçamento de sempre.

 

Ironicamente, a saída de Jorge Jesus acaba por ser melhor para o próprio do que para o Sporting. O momento conturbado que o clube vive colocará enorme pressão no novo treinador. Enquanto isso, JJ estará a "esfolar" milhões aos árabes, enquanto espera pelo despedimento de Sérgio Conceição.

A Jesus, obrigado pela época 2015/2016, mesmo que o título nunca venha a confirmar-se e o lamento por ter saído um ano mais tarde do que devia, embora entenda que não era uma decisão fácil despedí-lo com o Porto à procura de treinador.

Obrigado também pelo respeito que, enquanto homem e líder merece pela postura neste final de época e por ter abdicado do ano que lhe restava no contrato, facilitando a saída.

O resto, bem...o resto já lá vai. São três anos de esperanças renovadas e de uma política desportiva com a qual não concordo e à qual espero que não regressemos. Três anos sem festejar nada de relevante, factor merecedor de clara e ponderada reflexão.

 

Por agora, mais do que saber quem sucede a Jesus, é tempo de clarificar as questões extra-desportivas, assumindo sem problemas que se avizinha uma temporada muito difícil para o Clube, na qual é impossível não assumir que o sucesso desportivo da mesma se encontra, à partida, comprometido.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal