Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

"Nunca pensei que poderia ser campeão do Mundo"

Estas foram palavras do nosso capitão, Cristiano Ronaldo, após o empate com os EUA. Julgo que a possibilidade lhe passou pela cabeça antes do Mundial quando afirmou que acreditava que este podia ser o ano de Portugal. Aquilo com que CR7 não contava (por desconhecimento das reais limitações inerentes à sua lesão ou por acreditar na capacidade de recuperar mais cedo que o esperado) era com a sua (e de alguns dos companheiros) incapacidade física para ajudar a seleção com o seu melhor futebol: "Nos últimos tempos não tenho estado da maneira que esperava. Para mim era fácil, bastava não vir ao Mundial e tinha terminado a época com título de campeão europeu. Estou aqui e dou a cara, como sempre. Ninguém vai ao Mundial sem querer demonstrar o seu futebol, brilhar, correr. Isso é impensável neste grupo, mas há coisas que não se conseguem, como correr mais, ou ter mais qualidade."

Ronaldo "caiu na real" e disse aquilo que quase todos os portugueses já tinham visto: "Temos que ser humildes e saber a capacidade que temos. Neste momento, há melhores seleções e melhores jogadores que os nossos. Somos uma equipa média, se calhar, sim. Seria mentir se dissesse que éramos uma seleção de topo. Temos limitações, lesões... Temos uma equipa limitadíssima!"; "Estamos frustrados e tristes. Sem estar ao melhor nível, não conseguimos competir com as equipas de topo."

CR7 falou também das possibilidades de qualificação para os oitavos-de-final, dizendo: "Matematicamente é possível, mas é uma tarefa quase impossível. No entanto, no futebol tudo pode acontecer. Estamos tristes porque queríamos fazer melhor. Queríamos dar mais, mas ainda está tudo em aberto. Vamos até ao último jogo."

Ouvi alguns comentadores a "descascar" no capitão, dizendo que este se estava a desresponsabilizar e a deitar as culpas das más prestações para o resto dos companheiros. Neste país só se aplaudem os politicamente corretos! Se o Cristiano viesse com o típico discurso de que estava tudo bem, que fora apenas mais um precalço e que tudo era possível, seria melhor?! Não acho! Ronaldo não teve medo de "pôr o dedo na ferida" mesmo que, para alguns, seja fácil apontar-lhe o dedo e vir com a conversa que ele responde melhor em campo do que em conferências de imprensa.

Cristiano Ronaldo não tem, de facto, o dom da palavra mas disse aquilo que todos os outros e sobretudo o nosso selecionador nunca terá coragem de admitir: Não somos uma equipa de topo!

 

Mais sobre mim

imagem de perfil