Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Nem imaginam o que isto me deixa feliz

Atletismo 2016.png

O atletismo é das mais emblemáticas modalidades do Sporting. Carlos Lopes um dos maiores porta-estandarte da mesma, tanto no nosso país, como no Mundo.

Em palavras ao Jornal Sporting, fez a antevisão da próxima época no dia da apresentação da mesma.

"Todos nós, Sportinguistas, queremos que o atletismo volte aos seus momentos de glória. O Clube revê-se nessas vitórias, nos resultados, os recordes... Infelizmente temos andado arredados desses tempos."

"A palavra de ordem é ganhar. Houve um investimento grande nas equipas masculina e feminina. Todos os atletas ficaram a perceber melhor a dimensão que o Clube tem tido ao longo da sua história e estamos aqui todos para contribuir para que isto continue de forma eficiente e para que se mantenha e reavive a imagem que o atletismo do Sporting teve ao longo dos anos."

"Reforçámo-nos essencialmente na equipa feminina, nas equipas de crosse feminina e masculina e também no sector de pista, onde tínhamos imensas lacunas e fomos buscar jovens entre juniores e sub-23. Com a chegada destes jovens talentos vamos criar grandes problemas às equipas que estão mais bem apetrechadas."

"O crosse é uma aposta muito forte, fomos buscar atletas que dão garantias de uma competitividade enorme. Fizemos uma equipa que terá muitos anos pela frente, e que nos dá uma garantia enorme e uma segurança tremenda para o futuro, tanto no masculino como no feminino. E, aliás, demonstra que estamos atentos aos novos valores para termos a garantia de recuperar a hegemonia num futuro próximo, algo que não acontecia nos últimos anos."

"São quatro provas (Campeonato Nacional de Crosse; Campeonato Nacional de Estrada; Campeonato Nacional de Clubes e Taça dos Clubes Campeões Europeus) e quatro momentos onde os nossos atletas têm de estar no seu melhor. Todos eles foram alertados para esses focos extremamente importantes e vamos criar condições para que tudo corra de uma forma muito séria e capaz de fazermos o que pretendemos: entrar em competição convencidos de que temos uma equipa boa e preparada para discutir seja que prova for."

"Estamos a apostar na conquista de mais uma competição europeia, como a Taça dos Clubes Campeões Europeus, e temos a consciência de que tudo estamos a fazer para que isso se torne realidade. Sabemos que há momentos em que, por muita vontade que tenhamos, não somos capazes de ultrapassar as adversidades, mas tudo fazemos e faremos para que isso não aconteça."

"Nestes últimos dois anos ficámos no pódio da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Isso denota que a equipa feminina, só por si, já tem um valor muito bom. Se conseguirmos introduzir outros valores - como fizemos - para melhorar isso, ficamos com a consciência de que somos capazes. E o Sporting tem todo o interesse em que isso venha a acontecer, o que seria muito importante para o Clube e para o atletismo nacional porque pode chamar patrocinadores e fazer recair sobre o nosso país mais atenções. Queremos tornar o atletismo do Sporting numa referência, tal como já foi em anos passados, no meu tempo e do Moniz Pereira. Temos de criar a ideia de que o atletismo do Sporting começa a ter condições para trazer até nós jovens com outras mais-valias."

"A nossa mística não se perdeu, nós é que perdemos alguns valores que faziam a diferença em competição. A mística está cá e alimenta-se com os mais jovens a aprenderem com os mais velhos (como o Rui Silva ou o Francis Obikwelu). É importante passar a estes jovens talentos a mística do Clube que viveu momentos de grandeza, dentro e fora do país, e que ajudou o Sporting a ser o mais ecléctico de Portugal. E essa maneira de ser, aliada aos bons resultados, fizeram com que, durante muitos anos, eu e outros atletas abraçássemos o amor ao Sporting."

"A qualidade dos nossos jovens traz-nos algumas garantias que, num futuro próximo, podemos garantir a nossa posição de primeiros em tudo. É preciso capacidade de gestão porque muitos dos jovens que chegaram ainda estão em formação, mas também para isso fizemos uma aposta num quadro técnico de alto valor e de grande mais-valia. Queremos técnicos que sejam de qualidade para o presente, mas capazes de valorizar ainda mais estes jovens talentos para o futuro. Com estes jovens e o quadro técnico ao nosso dispor, todos em conjunto faremos a força."

"Estamos todos no mesmo barco e a tentar levá-lo a bom porto. Temos dado sinal de uma recuperação daquilo que se tinha perdido e penso que com um bocadinho de boa vontade e uma certa liberdade para podermos expressar o que entendemos ser melhor para o Clube, estamos num bom caminho. Não é num ano que se prepara o futuro, isso demora tempo e é preciso ter calma. O dinheiro é a base da sociedade e os clubes não fogem a essa realidade nem atravessam os melhores momentos, por agora, e essa dificuldade por vezes torna-se incómoda. Mas com paciência, garra, habilidade, e todos juntos, com espírito colectivo levaremos a água ao nosso moinho e conseguiremos levar o nosso barco ao tal bom porto, sem que este se afunde pelo meio."

(Sobre a presença do Presidente, Bruno de Carvalho e do vive-presidente para as modalidades, Vicente Moura) "É uma forma de valorização de toda a equipa, de todos os atletas e de toda a gente envolvida na secção do atletismo do Clube. Estamos todos unidos para criar as melhores condições para que o sucesso se torne uma realidade."

"É um ano muito, muito complicado. Não para o Clube em si, mas para os atletas, que têm uma série de situações que terão de ser bem geridas. Existe a Taça dos Clubes Campeões Europeus, no final de Maio, e os Campeonatos da Europa em Julho, e depois o Campeonato Nacional de Clubes, antes dos Jogos Olímpicos. É tudo muito seguido e gerir os atletas para estarem em boas condições físicas e mentais em Maio e novamente em Julho e Agosto exige um esforço tremendo. Tem de haver um encontro de ideias entre todos os técnicos para conseguirem calibrar a forma destes atletas em todas as provas."

"Uma prova como os Jogos Olímpicos desvia sempre o foco de atenção de um atleta, que não haja dúvidas sobre isso. Quem está a preparar os Jogos tem a visão e o sentimento de querer representar-se bem e fazer um bom papel e não é fácil gerir isso com os objectivos do Clube. Mas vamos tentar acalmar as coisas e fazer uma gestão sensata e equilibrada para que possamos todos atingir o que desejamos e consigamos reforçar uma posição bem alicerçada para o futuro."

"Naturalmente que vamos estar com mais atenção em cima, mas isso não nos preocupa. Os Jogos acontecem de quatro em quatro anos, são o maior acontecimento histórico do desporto mundial e toda a gente quer estar presente e focada nisso. Todos estamos ansiosos para ver o que acontecerá no Rio de Janeiro, onde, para nos aproximar ainda mais, se fala português. Só a Federação é que devia ter tido mais cuidado quando lançou o calendário de competições. Parece-me que não serviram os interesses nem dos clubes nem dos atletas."

"Penso que, neste momento, podemos ter entre uma a duas mãos cheias de atletas, só no atletismo. Temos de avaliar primeiro o que vai ser esta época e o que cada um conseguirá fazer ao longo do ano, mas temos atletas com níveis muito elevados e que poderão carimbar rapidamente a sua presença lá."

"Não é fácil conseguir uma medalha, muito menos de ouro. Mas temos atletas com grandes hipóteses, embora seja difícil. A Sara Moreira, na maratona, é uma das potenciais candidatas. Não sei o que acontecerá se a Jéssica Augusto participar na maratona também, mas terá possibilidades. A Patrícia Mamona, se aparecer em boa forma, é uma das candidatas a ficar nos primeiros oito classificados. Assim de repente, não sei se o João Vieira, nos 50 quilómetros de marcha, não poderá também conseguir algo... Temos imensos atletas que poderão fazer resultados fabulosos, mas temos de ver como corre a época para percebermos em que ponto é que eles lá chegam."

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal