Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Le Tour 2014 - Etapa 21

Com habitualmente, a chegada a Paris é para os sprinters e sobretudo de consagração dos vencedores, em especial o camisola amarela.

Se a etapa era para sprinters, o vencedor não poderia ser outro...o germânico Marcel Kittel voltou a mostrar que tem o sprint mais poderoso do pelotão internacional (e não me esqueci de Cavendish).

 

Em 2014 foi o italiano Vincenzo Nibali o grande vencedor do Tour. Peter Sagan, mesmo sem a tão desejada vitória numa etapa, amealhou os pontos mais que suficientes para envergar pelo terceiro ano consecutivo a camisola verde. O rei da montanha foi, surpreendentemente, o polaco Rafal Majka (supreende apenas porque não era previsível que vencesse, pois quem viu o que o polaco fez não tem dúvidas que merece a camisola das bolinhas vermelhas). Thibaut Pinot foi o vencedor entre os mais jovens (representado pela camisola branca), juntando ainda a subida ao pódio pelo terceiro lugar na classificação geral. A AG2R La Mondiale foi a equipa que no total gastou menos tempo, vencendo assim a classificação geral por equipas. Alessandro de Marchi foi o mais combativo do Tour e mereceu o dorsal com fundo vermelho que o representa.

A minha nota especial vai para Jean-Christophe Péraud que aos 37 anos consegue algo que nunca imaginou que lhe estivesse guardado depois de tantos anos em cima de uma bicicleta: foi 2º na classificação geral e mostrou uma atitude competitiva espetacular.
Em jeito de balanço, foi um bom Tour, mas podia ter sido melhor. Não tivessem acontecido as quedas de Froome e Contador e não tivesse o nosso Rui Costa abandonado a prova devido a uma bronco-pneumonia e estavamos a falar de um Tour completamente diferente. 

Isto em nada belisca o mérito da vitória de Nibali mas não teria, no mínimo, ganho tão facilmente.

CLASSIFICAÇÃO GERAL

1. ITANIBALI V. 41 ASTANA 89h 59' 06''  
2. FRAPÉRAUD J.C. 81 AG2R 90h 06' 43'' + 07' 37''
3. FRAPINOT T. 127 FDJ.FR 90h 07' 21'' + 08' 15''
4. ESPVALVERDE A. 11 MOVISTAR 90h 08' 46'' + 09' 40''
5. USAVAN GARDEREN 141 BMC 90h 10' 30'' + 11' 24''
6. FRABARDET R. 82 AG2R 90h 10' 32'' + 11' 26''
7. CZEKONIG L. 201 NETAPP-ENDURA 90h 13' 38'' + 14' 32''
8. ESPZUBELDIA H. 169 TREK 90h 17' 03'' + 17' 57''
9. NEDTEN DAM L. 67 BELKIN 90h 17' 17'' + 18' 11''
10. NEDMOLLEMA B. 61 BELKIN 90h 20' 21'' + 21' 15''
72 PORMACHADO Tiago 206 NETAPP-ENDURA
93h 07' 09'' + 03h 08' 03''
87 POROLIVEIRA Nelson 116 LAMPRE - MERIDA
93h 29' 42'' + 03h 30' 36''
89 PORPAULINHO Sergio 36 TINKOFF-SAXO
93h 35' 39'' + 03h 36' 33''
124 PORMENDES José 207 NETAPP-ENDURA
94h 06' 40'' + 04h 07' 34''

Nota para as boas prestações dos portugueses. Sérgio Paulinho viu o seu trabalho deixar de fazer sentido com o abandono do seu líder, Alberto Contador. Os estreantes Tiago Machado, Nélson Oliveira e José Mendes fizeram aquilo que nem todos conseguem: terminar uma prova de três semanas algo que, a acontecer sistematicamente, só está ao alcance dos melhores. O Tiago merece um destaque especial pelo seu espírito de sacrifício depois de, na fatídica etapa em que caíu e chegou a ser considerado fora do Tour, conseguir terminar a etapa e continuar na prova com todas as dificuldades diárias de recuperar das mazelas. Heróico!

Pena que o Rui Costa não tenha podido continuar em prova, pois era dele que se esperavam os maiores feitos lusos. 

Para o ano, hà mais!

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil