Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

FCSB 1-5 SPORTING CP: Afinal o Steaua não era do nosso nível

Resultado justo numa exibição não tão afirmativa e segura quanto a de Guimarães.

O Sporting entrou muito bem no jogo, à procura do golo que nos colocaria de imediato na frente da eliminatória.

Doumbia (a surpresa do onze) marcou ainda antes do quarto de hora de jogo, como se exigia para marcar posição frente aos romenos.

 

Curiosamente, as ordens vindas do banco (presumo eu) para que arrefecêssemos o ânimo e abrandássemos o ritmo do jogo foram-nos mais prejudiciais do que benéficas.

Para além de algum possível nervosismo (às vezes pode até advir da descarga de adrenalina que foi marcar um golo tão importante) o mais evidente foi o desconforto do Sporting para controlar o jogo em posse e em ritmo baixo. Isto aconteceu não porque o Sporting seja incapaz de o fazer mas porque o jogador mais importante para o fazer está na prateleira. Sem William Carvalho em campo, o Sporting tem mais dificuldades em abrandar o ritmo. Porque Battaglia é um jogador mais frenético e menos cerebral (Petrovic até é o mais próximo - salvas as devidas distâncias - de William neste capítulo do jogo).

 

Incapaz de controlar o jogo, em vez de voltar a uma posição de domínio e de vertigem ofensiva (com este Sporting, ou vamos ganhar à rasca ou quase sempre dará goleada) os jogadores tremeram e, ao contrário do que vem sendo normal, a defesa ressentiu-se. Toda a linha defensiva ficou muito mal na fotografia no lance do golo dos romenos e acabámos por chegar ao intervalo com algumas dificuldades em voltar a impor o nosso jogo.

 

A entrada para o segundo tempo trouxe um Steaua a tentar tudo na busca do golo da vantagem mas, assim que o Sporting se adaptou ao novo figurino dos da casa (ao intervalo, Tanase substituiu Budescu), a diferença entre ambas as equipas voltou a sentir-se e Acuña colocou o Sporting em vantagem após grande passe de Bruno Fernandes.

Já com Bas Dost em campo (entrado para o lugar de Doumbia, que fez muito bem o papel que lhe competia) e com o Steaua a precisar de mais dois golos, entrou em campo o Sporting mortífero, eficaz e cínico.

 

A partir daqui, foi quase "cada tiro, cada melro".

Gelson, após mais uma abertura de Bruno Fernandes (que jogador!), fechou as contas da eliminatória e marcou o terceiro num excelente remate cruzado. Dez minutos depois, voltou a receber de Bruno Fernandes para servir na perfeição Bas Dost para o quarto do Sporting. O holandês não se esqueceu de agradecer a ninguém.

Faltava fechar as contas e, já com os romenos a abandonar o estádio (os que estavam em campo já pareciam ter feito o mesmo), Battaglia, após excelente jogada de Fábio Coentrão e na recarga a um remate de Bas Dost, defendido pelo guarda-redes adversário, fechou as contas do encontro num claro e inequívoco 1-5, que colocou o Sporting na fase de grupos da Liga dos Campeões.

 

Grande jogo dos nossos laterais. Piccini e Coentrão prometem muito. O português parece estar a subir de forma e, se chagarmos a ver o melhor Coentrão, podemos sonhar alto. Piccini tem muitas qualidades e parece confirmar a cada jogo que passa que, neste, Jorge Jesus não se enganou. Acredito que ambos podem crescer durante a temporada e, nos momentos menos bons, Jonathan e Ristovski parecem oferecer garantias.

Bruno Fernandes é a contratação desta temporada. Tem tudo o que um médio ofensivo precisa e vai obrigar Jesus a abdicar de uma tipologia de segundo avançado que tem procurado sem sucesso desde que Teo deixou de contar.

Gelson é dos jogadores mais decisivos que temos no plantel e voltou a demonstrá-lo.

Toda a equipa cumpriu o objectivo e só tive pena que Jesus não tenha dado mais uns minutos a Iuri Medeiros.

 

Assim que possa falo do sorteio, que nos presenteou com duelos frente à Juventus, o Barça e o Olympiacos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil