Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Eu e CR7

Leem o título e pensam: "Mas o que é que este gajo tem em comum com o Cristiano Ronaldo?" Nada, excepto aquilo de que certamente só eu me recordo.

Joguei futebol federado desde os 10 anos e aos 13 surguiu a oportunidade de ir treinar ao Sporting Clube de Portugal. Após uma observação, eu e dois colegas de equipa fomos prestar provas com o plantel de iniciados. Entrei pela mítica 10A. Num gabinete, foram-me pedidos os meus dados, transmitidos alguns valores que me ajudariam (caso viesse e vestir oficialmente a "verde e branca") e foi-me dado o exemplo do expoente máximo do que tem de ser "um jogador formado no Sporting". As palavras foram mais ou menos estas: "Miúdo, vêm cá treinar muitos jovens... se queres ficar, tens de mostrar o teu valor! Mas tens também de ter muita vontade, espírito de sacrifício e coragem. Temos aí um miúdo que veio muito novo da Madeira. Ao início foi muito complicado para ele, mas ultrapassou as dificuldades e tem um grande futuro pela frente. Se queres cá ficar, tens de ser como ele!".

Tenho 29 anos (os mesmos que Ronaldo) e, nessa altura, já se falava nele fora do círculo de Alvalade.

Equipámos com o plantel num balneário improvisado debaixo das bancadas. Seria impossível não me lembrar, pois o teto era "às escadinhas". Éramos muitos para pouco espaço e fomos equipando uns de cada vez. Vesti o equipamento de treino e esperei no corredor pelos restantes para subirmos juntos ao relvado anexo ao estádio. Subitamente, um dos jogadores dirige-se a mim:

Ele - Jogas a que posição?

Eu - Ponta de lança

Ele - (fazendo peito e olhando para um companheiro) Olha, mais um para a minha posição!

É escusado dizer quem era. O miúdo já tinha pinta e tiques de craque. Aquilo motivou-me e até fiz um bom treino (4 golos na peladinha). Ao mesmo tempo, foi-me permitido assistir a um treino daquele que é hoje o melhor do mundo. A bola era dele, só dele, e ninguém lha tirava. Foi demais!

Não fiquei porque não bastava ser bom, teria de ser craque, fora de série. No fundo, teria de ser "apenas" como o miúdo da Madeira.

Voltei a treinar no Sporting aos 16 anos, mas não foi igual... Deu para espreitar os cantos da nova Academia de Alcochete e para vestir um novinho equipamento do Sporting, com o 7 nas costas (o meu preferido)! Não foi de forma oficial, mas o orgulho foi o mesmo! Só faltou lá aquele miúdo magrinho e alto para me dizer que o lugar já tinha dono!

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Luke Psywalker 03.05.2014

    Não é óbvio??.. Claro que era o Saleiro!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    imagem de perfil