Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Análise a Naldo

Sinceramente, não conheço o Naldo. Nunca o vi jogar nem sabia da sua existência. Esta é a mais pura das verdades.

No entanto, fui ver uns vídeos das últimas 3 épocas.

No Brasil, fez uma boa época em 2012, que lhe valeu o passaporte para a Europa. Rápido, bom tempo de entrada, rijo e pouco faltoso. Bom jogo de cabeça e posicionamento razoável mas...o Brasil não é a Europa. Previ logo problemas no controlo da profundidade e no posicionamento defensivo.

Os vídeos da época passada comprovam-no. No entanto pareceu-me com clara falta de confiança e desmotivado e, talvez por isso, não tenha conseguido explanar todo o potencial demonstardo no Brasil.

Espero que Jorge Jesus (que o conhece) possa reabilitá-lo e devolve-lhe a confiança que parece ter perdido.

Dar-lhe-ei o benefício da dúvida e entregarei todo o meu apoio.

Segue a análise do site GoalPoint que tenho partilhado a cada nova contratação (original AQUI).

Após a sucessão de nomes alinhados como futuros centrais para o Sporting CP, o anúncio da contratação de Naldo (Edinaldo Gomes Pereira) por parte dos “leões” poderá surpreender alguns, mesmo que, inicialmente, os mais distraídos possam ter confundido o nome com o “outro” Naldo, o central brasileiro (goleador) do Wolfsburg, que defrontou precisamente os “verde-e-brancos” na Liga Europa na época passada.

O PERFIL

Prestes a fazer 27 anos, a 25 de Agosto, Naldo cumpre os requisitos de experiência traçados por Jorge Jesus para a posição. O 1,88m de altura e 80kg de peso conferem-lhe também a envergadura que já era possível perceber que os “leões” procuravam noutros nomes aventados (e ainda não afastados), como Douglas. Mas para lá disso, que futebol apresenta Naldo?

A CARREIRA

Naldo alinhou na época passada no Getafe, na Liga espanhola, por empréstimo da Udinese de Itália, clube com o qual, apesar de ter contrato deste 2013, realizou apenas 16 partidas. Essa é uma particularidade da carreira de Naldo: desde 2009, a fase em que a sua carreira profissional arrancou em definitivo, o brasileiro teve contrato com três clubes (União de São João, Granada e Udinese) mas jogou em cinco emprestado (Ponte Preta, Grémio, Cruzeiro, Bologna e Getafe). Falhada a passagem por Itália, foi precisamente a época passada aquela em que, ao serviço do Getafe, realizou mais jogos, números que analisamos na infografia anexa, numa comparação com o desempenho de outro central brasileiro que, quando contratado, não inspirou elevadas expectativas, o benfiquista Jardel. O comparativo exigente serve-nos sobretudo (como sempre sucede nestas análises GoalPoint) para melhor enquadrarmos os números, já que para lá das Ligas diferentes os atletas alinharam por equipas com argumentos e objectivos totalmente distintos, com impacto evidente no desempenho individual e colectivo.

…E O FUTEBOL

Os números de Naldo são os expectáveis num central que alinhou numa equipa “pequena”: eficácia de passe baixa para um central, participação inexistente no jogo ofensivo (0 assistências e apenas 1 passe para ocasião) e, por outro lado, números mais generosos nas intercepções e alívios. Ainda assim existem variáveis que sugerem preocupação, tal como a média pouco impressionante de duelos aéreos ganhos (tendo em conta a estatura do defesa) e a baixa percentagem de desarmes realizados com sucesso. Naldo não será responsável solitário pela permeabilidade defensiva do Getafe mas não deixa de sobressair o facto de que nos 30 jogos que realizou apenas em dois os espanhóis não sofreram golos, enquanto que, sem Naldo em campo, o Getafe registou “três folhas limpas” em… oito encontros.

Outro número desanimador num central com a envergadura de Naldo é o fraco registo de remates (apenas seis e um único enquadrado em toda a época) mas que confere com os indicadores da sua carreira: em 152 partidas marcou apenas sete golos o que permite concluir que, por exemplo, as subidas ofensivas nas bolas paradas não serão um ponto forte do seu jogo.

OS “LEÕES” FICAM POR AQUI?

Se somarmos os números pouco vistosos às naturais dificuldades de adaptação de um central de equipa pequena a um futebol de candidato, é legítimo suspeitar da probabilidade de Naldo constituir a solução prioritária que o Sporting procura para o eixo defensivo. E mesmo que Jorge Jesus deposite em Naldo elevadas expectativas, arriscamos a previsão de que o Sporting não ficará por Naldo no que respeita ao reforço do centro da sua defesa, um dos poucos – senão o principal – problemas que afastou os “leões” de voos mais altos na época passada.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil