Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

A hora do Presidente

Num programa em que o objectivo é esclarecer os sócios e adeptos do Sporting, perdeu-se muito tempo a dissecar temas com que só os três estarolas convidados se preocupam.

Para começar, mais de meia hora à volta da mensagem do presidente no facebook. Diga-se que, pacientemente, o presidente tentou explicar aos senhores directores do Record, A Bola e O Jogo que no Sporting se pratica uma cultura de exigência máxima e que as palavras foras apenas condizentes com o que se passou em Guimarães e, como tal, perfeitamente justas, adequadas e das quais não riscou o seu nome nem descartou responsabilidades próprias. A ideia era sobretudo pedir desculpas aos sportinguistas e dar um alerta para o mesmo não volte a suceder.

A preocupação geral com a formação é partilhada pelo presidente que, como eu até já tinha referido anteriormente está a tentar implementar um novo modelo que levará o seu tempo até estar totalmente implementado. Há um modelo transversal a todas as equipas (que não foi revelado) e os próprios treinadores terão de adaptar as suas ideias a esse modelo.
Foram explicadas as alterações de treinadores na equipa B e de juniores com motivos que eu próprio, mais uma vez, já tinha adiantado:
- Abel saiu por vontade própria (embora o presidente não o tenha dito, fruto de um acordo entre ambos) e não havia possibilidade de contratar um treinador com as valências pretendidas. Barão passou de adjunto a principal até ser possível contratar um treinador principal (algo que só foi possível após o Gil Vicente dispensar João de Deus). João de Deus foi uma oportunidade casual que se entendeu encaixar no projecto, avançando-se para a sua contratação.
- José Lima abraçou novas funções na Academia (tal como já tinha feito no passado) e Luís Boa Morte foi aposta para tentar melhorar os resultados e a evolução da equipa de juniores.
Não gostei da forma pouco subtil como se falou da falta de qualidade (que é evidente) na equipa de juniores, mas espero que a forma como foram visados os espicace para que melhorem o seu rendimento.

A política de contratações foi alterada após avaliação da qualidades dos escalões mais altos da formação, por forma a suprir lacunas identificadas, assumindo que a ideia inicial (de contratações cirúrgicas para a equipa principal) teve de ser posta de parte. Foi feita prospecção e foram fechados negócios identificados como oportunidades de negócio em jogadores com potencial e dos quais se espera que possam vir a fazer parte da equipa principal.

Afirmação clara e inequívoca da aliança Porto/Benfica e afastamento do tipo de política seguida por ambos. O presidente do Sporting não se reunirá com Luís Duque, pois é uma pessoa com quem o Sporting tem um problema judicial e o rosto de uma afronta ao Sporting por parte da 'santa aliança'.

Não tinha gostado das declarações de Dias da Cunha, mas também não me agradou a resposta do nosso presidente, que faria melhor em não comentar ou em comentar não acenando com os possíveis resultados da auditoria.

Sobre a situação de Shikabala, gostava que o nosso presidente tivesse assumido o erro claro na sua contratação em vez de se limitar a falar do baixo valor da compra vs o valor pelo qual ainda pode vender o egípcio.

Depois de algumas alfinetadas aos três directores dos desportivos presentes em estúdio, o final do programa teve um alerta mais sério e feroz para o não-jornalismo que praticam, deixando-os claramente desconfortáveis e surpresos com algo com que não contavam.

Daqui a um mês espero nova inovação: um programa ao bom estilo do prós e contras, que possa ser um fórum ao vivo sem gráficos e dados preparados em casa. Não só para afastar as desconfianças de alguns sportinguistas em relação ao nosso presidente como para ter uma verdadeira discussão entre leões sobre o nosso Sporting Clube de Portugal.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal