Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Tenho saudades de Alvalade! Os jogos a meio da semana têm-me afastado de casa e tenho compensado com o apoio em jogos fora mas...não é a mesma coisa.

Não há nada como a nossa casa, o nosso lugar, os companheiros de sempre e os de ocasião.

Hoje é dia de regressar a casa, ver os amigos, desfrutar de mais um jogo do Maior Clube do Mundo e regressar a casa tarde, bem tarde, mas com um sorriso no rosto.

O adversário é o Vitória minhoto, um dos mais apetecíveis em casa, diz a história. História essa que nem sempre é amiga e por vezes pode mesmo ser madrasta.

É tempo de deixarmos de pensar em história e começar a escrever novas páginas para memória futura e isso começa em cada jogo, em cada domingo como o de hoje em que apenas três pontos interessam.

Não quero saber da chuva nem da trovoada. Só quero ter o prazer de voltar a casa e ver o Sporting vencer.

Óbvio que, para isso, teremos de ultrapassar um supermotivado Vitória que será certamente muito agressivo, tentará quebrar a nossa dinâmica de jogo e explorará o contra-ataque.

Confio na nossa qualidade colectiva e individual e acredito que resolveremos os problemas que o adversário nos tentará colocar.

Espero que William volte a jogar, pois representa um acréscimo importante de qualidade e estabilidade para a equipa.

Agora vou entrar em estágio e mais logo gritarei durante duas horas.

SPOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

Hoje joga o Sporting

Já ontem falei um pouco do jogo de hoje, daquilo que me parece ser a actualidade do nosso futebol e do que espero para mais logo.

Naturalmente, espero uma inversão da imagem deixada no jogo em casa, frente ao Lokomotiv.

Espero uma equipa motivada por um ambiente deveras adverso e empolgante.

Espero alterações no 'onze', que Jesus já prometeu e que em nada comprometerão o objectivo principal, que é o jogo de domingo para o campeonato.

Ainda que, no discurso do treinador, a Liga Europa pareça uma competição apenas para rodar a equipa, não podemos esquecer o prestígio e a imagem que deve deixar-se sempre que o Sporting se apresenta numa competição europeia.

A nossa história nada menos exige do que a vitória em cada jogo e acredito que os jogadores que subirão ao relvado só terão em mente os três pontos.

Mais do que simples rotação, espero que os menos utilizados encarem o jogo como uma verdadeira oportunidade de mostrar serviço.

Temos alguns dos habituais titulares longe do melhor momento de forma e esta é a melhor altura para marcar posição.

Anseio por ver Jonathan jogar, tenho saudades de William, confio em Mané e Gelson, quero ver a classe de Montero e, pelas palavras de Jesus na antevisão, 'cheira-me' que podemos ter Tanaka.

Matheus terá, quase de certeza, os primeiros minutos pela equipa principal e espero que os encare com seriedade e vontade de mostrar o seu enorme talento. Já agora, dava jeito que fosse lançado com um resultado favorável, pois dá sempre outra tranquilidade.

Jogue quem jogar, espero vencer e ter novamente o prazer de ver o Sporting jogar bom futebol, algo com que não temos sido presenteados ultimamente, pois as exibições têm sido sofríveis.

SPOOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

Dúvidas

Pese embora o facto do Sporting ser um dos primeiros classificados do campeonato português, não tenho a mínima dúvida que a cabeça de Jorge Jesus está neste momento 'a mil' e cheia de dúvidas.

Porque a equipa não segue em crescendo.

Porque perdeu uma das melhores (na verdade, a melhor) individualidades.

Porque aquele que é, assumidamente, o seu primeiro avançado é o que menos rende.

Porque temos vários jogadores em sub-rendimento.

Porque as segundas-linhas ou não têm correspondido ou não têm a mesma qualidade das primeiras escolhas.

Porque o próprio Jorge Jesus tem feito más opções, por vezes nos momentos errados.

Não duvido que, hoje, JJ não é o mesmo homem confiante e seguro do início de época. Tenho quase a certeza que muito do que tem sido feito foi questionado e ainda bem que assim é.

Assumo que Jesus tem as suas preferências para o modelo de jogo que preconiza e que tem sido difícil prescindir de alguns elementos por achar que são os melhores, mesmo que no campo estes não correspondam

Em última instância, diria que Jorge Jesus possa estar a ser algo teimoso.

Jefferson atravessa um momento de forma miserável.

Está difícil descobrir quem será o melhor par para o meio campo e o regresso de William traz mais dúvidas que certezas.

Ruiz está lento de processos e demasiado previsível.

Na frente, Slimani é o favorito mas o trabalho de desgaste do argelino e a sua entrega não parecem suprir as lacunas do seu jogo ofensivo. Além disso, mostra-se pouco eficaz e, a verdade, é que nenhum parceiro parece assentar-lhe que nem uma luva, começando a ser útil questionar se o problema não será dele. Neste momento, para além dos colegas de sector, até Mané precisa de menos tempo para marcar e tem a mesma influência em lances de golo.

Assim sendo e não colocando nunca de parte o objectivo para o jogo de amanhã que, naturalmente, passa pela vitória e pelo amealhar dos três pontos, isto seria o que eu faria com aqueles que Jesus convocou.

Devo apenas dizer que acho que o onze testado não deve ser mais uma revolução mas sim um verdadeiro teste para domingo.

Patrício nem é questão. É ele e mais dez!

Tendo em conta que não há ainda um indiscutível à direita, a minha opção seria Esgaio. Porque ataca melhor e porque o jogo de domingo é em casa.

Se Ewerton estiver em condições físicas, deve formar dupla com Naldo. Se a sua chamada apenas se deve à indisponibilidade de Paulo Oliveira, que jogue Tobias.

Jonathan tem de ser titular. Jeff tem sido um sonâmbulo a defender e uma nódoa a atacar.

Se William está em condições, deve jogar e, atendendo ao momento de forma, mais do que às características, Adrien Silva é o único com capacidade para suportar um William a ganhar ritmo.

Gelson tem sido opção consistente e é para manter. Não é tempo de lhe retirar confiança.

Ruiz deve dar lugar a Mané que, pelo menos, é mais rápido e define melhor na hora de visar a baliza. Além disso acho útil explorar o entendimento de Mané com Montero.

Como já perceberam, Montero tem de jogar. Porque é aquele que menos tempo precisa para encontrar o golo e porque é o mais inteligente e mais dotado tecnicamente. No fundo, porque é o nosso melhor avançado.

Mesmo que Teo não pareça estar no melhor momento de forma, acho que está por testar o seu entendimento com o compatriota.

Boeck, João Pereira, Ewerton, Aquilani, Matheus, Ruiz e Slimani iriam para o banco, tendo o argelino a tarefa que melhor lhe assenta, a de 'abre-latas', no caso do jogo pedir um jogo mais directo. Matheus, seria o desequilibrador que faltou no Bessa e que, na bancada, se viu impossibilitado de dar o seu contributo.

Claro que não é isto que eu penso que Jesus fará mas é aquilo que, à luz do que tenho acesso (pois não treino com os jogadores), me parece o melhor para a equipa.

Escolha quem escolher, espero um resultado e uma imagem diferentes daquilo que mostrámos em casa, frente aos russos.

Médios com golo

Ter médios com capacidade de chegar à frente a marcar golos é algo que nos faz falta.

William, Adrien, André Martins, Aquilani e João Mário não parecem ter essa apetência e, de todos, só João Mário marcou em lances de bola corrida esta temporada (1 golo ao Tondela).

Nos lances de bola corrida, dois terços dos golos foram concretizados por Teo e Slimani, os pontas-de-lança e, num modelo de jogo que privilegia as trocas constantes de posição e chegada a zonas adiantadas com muitos jogadores, parecem-me poucos os golos apontados pelos restantes jogadores.

Apenas Carrillo, Mané e João Mário (uma vez cada) facturaram em lances de ataque organizado ou contra ataque.

A equipa parece demasiado dependente dos 'finalizadores' e os médios revelam demasiadas lacunas na hora de visar a baliza (João Mário talvez seja o expoente máximo dos golos falhados).

Na minha opinião, mais do que o modelo de jogo, são as características dos médios que não dão para muito mais e, por isso, anseio pelas Taças para perceber se Jorge Jesus tem a audácia de experimentar algo novo.

É notório que a equipa B não joga exactamente da mesma forma que a equipa principal ou, se joga, é óbvio que os jogadores têm características muito diferentes.

Salvando-se as diferenças de exigência dos dois contextos, não deixa de ser verdade que se consideram os adequados aos estadios evolutivos dos jogadores, pelo que vou deixar todos em pé de igualdade.

Claro que a equipa B não tem finalizadores como a equipa principal, daí que eu ache que o sistema utilizado seja ainda um 4-3-3, com Francisco Geraldes a ser um '10 puro' em vez do tal '9 e meio' que tem sido Teo Gutierrez na equipa principal mas não posso ignorar o facto de mais de dois terços dos golos da equipa B serem marcados pelos médios, em lances de bola corrida.

Francisco Geraldes e Ryan Gauld já marcaram por duas vezes e Zezinho fez o gosto ao pé uma vez. Aqui estão cinco dos sete golos dos nossos B's na 2ª Liga.

São médios como Gauld e Geraldes que fazem falta na equipa principal, principalmente Gauld, por ser mais versátil e entender melhor os momentos defensivos. Jogadores que não tremem com o guarda-redes adversário pela frente e atiram a contar.

Espero que Jorge Jesus dê a ambos a oportunidade de jogar e mostrar o que valem, mesmo que tenha de ser na Taça da Liga. A resistência tenderá a ser menor quando se verificar que, no nível superior o rendimento de ambos tenderá a ser ainda melhor.

Ainda a tempo de repor a verdade

Já passaram mais de duas semanas desde que Portugal perdeu a oportunidade de se sagrar campeão europeu de sub-21 e só agora me passou pelos olhos um artigo que repôs alguma justiça.

William Carvalho foi o melhor jogador do torneio e o único dos atletas do Sporting a merecer a honra de figurar no 'onze' da competição.

Foram, a meu ver, cometidas duas injustiças: a não inclusão de João Mário e Paulo Oliveira nesse mesmo 'onze'.

Pois, se quanto a João Mário, não vi quem olhasse as coisas pelo mesmo prisma que eu, o mesmo não aconteceu com Paulo Oliveira.

O artigo é do site Outside of the Box e esta foi a avaliação do defesa central do Sporting.

"Invadindo a primeira equipa de Portugal ainda este ano, Oliveira foi um de vários do lado de Portugal que chegaram ao torneio com montes de experiência. Oliveira foi indiscutivelmente o melhor defesa do torneio, comandando a rectaguarda de Portugal que apenas concedeu um golo em toda a competição. O epítome do defesa central moderno, Oliveira pareceu extremamente confortável com bola e foi a principal razão pela qual Portugal acumulou tanta posse de bola e iniciou os ataques a partir da sua área."

Reposta que está a verdade, resta aguardar que Oliveira encontre o parceiro ideal para liderar a defesa leonina rumo ao título nacional.

Sobre William Carvalho

"A Sporting SAD vem, por este meio, exprimir a sua indignação pelo facto de o futebolista William Carvalho ter regressado dos trabalhos da Selecção Sub-21 com um fractura de stress na tíbia sem que tal facto tenha sido comunicado pelo corpo clínico da Selecção Nacional de Sub-21 ou por qualquer um dos seus dirigentes à Direcção Clínica do Sporting Clube de Portugal.

Só ontem, segunda-feira, no regresso de William Carvalho aos treinos, o corpo clínico do Sporting Clube de Portugal identificou um problema com o jogador e, curiosamente, só hoje de madrugada a Federação Portuguesa de Futebol enviou ao Sporting Clube de Portugal os boletins clínicos referentes aos sete jogadores do Sporting que participaram no Campeonato da Europa de Sub-21.

O boletim clínico da Selecção, referente ao jogador William Carvalho, diz que o jogador nunca apresentou qualquer problema físico. O jogador nega e refere que o departamento clinico estava a par das queixas do jogador.

Como resultado, o jogador William Carvalho enfrenta um tempo de paragem entre 10 a 12 semanas."

Comunicado Sporting Clube de Portugal

Foram notórias as dificuldades de William Carvalho para terminar o jogo da fase de grupos do Euro Sub-21 com a Suécia. Os sinais de lesão não eram evidentes mas soou em mim o alarme.

O jogo terminou sem que William fosse substituído.

Não acredito que não tenham sido feito exames de diagnóstico no imediato e a prova de que foram é a ocultação dos relatórios até ontem.

No jogo com a Alemanha, voltou a ser titular e nem foi poupado, mesmo com a equipa a golear.

Na final voltou a jogar 120 minutos e duvido que tenha alinhado nos dois últimos encontros sem dores (dada a natureza da lesão) e sem uma dose elevada de anti-inflamatórios.

O Sporting foi o único lesado em todo este processo e, pior do que isso, foi feito de parvo por parte da FPF.

Não me irrita o facto de ser William o lesionado. É óbvio que é um dos mais influentes da equipa mas isso, por si só, não arruína os objectivos colectivos.

O que me irrita é que a FPF, propositadamente, não informou o Sporting que o jogador se lesionou.

Irrita-me que o jogador não não tenha avisado o Sporting das queixas e que não não se tenha recusado a jogar lesionado.

Irrita-me que façam o clube de parvo e que se fiquem a rir, quando só há uma selecção de jeito graças ao Sporting.

Agora, espero que o Slavchev mostre porque foi contratado e que outros mostrem vontade e qualidade para lutar pelo lugar.

 

Hoje há mais

Enquanto por cá se tenta desvalorizar William Carvalho, lá fora há quem lhe dê o devido e real valor.

A análise é de Josh Ashdown, após o jogo com a Alemanha e eu vou tentar traduzir, para que todos a ela tenham acesso (se alguém com melhor entendimento do Inglês do que o meu detectar erros graves, que se chegue à frente).

"Houve um momento - bem, na verdade foram vários, mas um sobressaiu - no Estádio Andruv, sábado à noite, que resumiu o domínio absoluto de William Carvalho sobre o meio campo da Alemanha na humilhação dos favoritos por 5-0, aos pés de Portugal. A bola caiu perdida a meio do meio-campo português. Dois alemães caíram sobre ela mas, em apenas dois passos, o jogador do Sporting bateu ambos como que esmurrando-os. Uma ligeira oscilação depois e os dois jogadores de branco estavam sobre a relva, os seus desarmes tinham desaparecido no ar e Portugal estava a caminho de um novo contra-ataque.

Num Campeonato da Europa de Sub-21 onde as performances colectivas se têm sobreposto às individuais, Carvalho e o seu colega de equipa Bernardo Silva, dois diamantes diferentes no meio-campo português, têm sido os destaques individuais. Qualquer onze ideal escolhido após a final de 3ª feira deve ter exactamente o esquema táctico que Rui Jorge usa para a sua equipa.. Fazer outra coisa será subestimar o impacto deste par.

Horst Hrubesch tentou combatê-los jogando com os dois homens que havia colocado no meio-campo defensivo em 4-2-3-1 na fase de grupos - Emre Cam e o jogador do Bayern de Minuque, Joshua Kimmich - como homens mais avançados num 4-1-4-1 mas isso simplesmente serviu para oferecer a Carvalho maior espaço para explanar todas as suas capacidades. O treinador da Alemanha recorreu à sua estratégia habitual na segunda parte mas sem sucesso.

Can, em particular, teve com o jogo um castigo severo. O jogador do Liverpool fez um bom torneio no meio-campo mas a diferença entre ele e Carvalho é abismal. A este nível, Can tem grande presença - está fisicamente um ou dois passos à frente da maioria na sua faixa etária - mas empalideceu perante a do o seu homólogo português, cuja influência é tal que parece ter a sua própria gravidade, passando todo o jogo conformado e curvado perante a sua atracção.

Arsenal e Manchester United foram associados a Carvalho no verão passado, quando este foi chamado à equipa de Portugal para o Campeonato do Mundo do Brasil. Miguel Veloso, João Moutinho e Raúl Meireles inicialmente afastaram-no da equipa mas ele acabou por iniciar o jogo final da fase de grupos, contra o Gana, naquela que acabou por ser a única vitória de Portugal no torneio.

Na altura, ele não escondeu o desejo de jogar em Inglaterra ou Espanha mas a cláusula de rescisão de 45M€ foi suficiente para afastar os pretendentes. Fica evidente neste torneio que era uma pechincha.

Arsenal e United requisitaram credenciais para observar o torneio mas não estão sozinhos - Bournemouth, Aston Villa, Bolton, Brentford, Brighton, Burnley, Charlton, Crystal Palace, Everton, Fulham, Liverpool, Manchester City, Middlesbrough, Reading, Southampton, Stoke, Sunderland, Swansea, Tottenham, Watford, West Ham e Wolves também o fizeram, já para não falar de Milan, Ajax, Dortmund, Atlético Madrid, Internazionale, Barcelona, ​​Bayern de Munique, Juventus, Paris Saint-Germain entre muitos outros grandes clubes da Europa.

É impossível que não tenham ficado impressionados. Carvalho, que na fase de grupos cobriu mais terreno do qualquer outro jogador, mesmo que às vezes não pareça forçado a mais do que uma simples corrida, eclipsou não apenas Can e Kimmich em Olomouc mas também Johannes Geis, que entrou no torneio com uma reputação crescente, e Max Meier, o substituto de Geis ao intervalo.

Pierre Hojbjerg, que espera fazer parte da equipa principal do Bayern de Munique, de Pep Guardiola, na próxima época, falhou miseravelmente a tentativa de se impor na meia-final em que a Dinamarca perdeu frente à Suécia. Há um extraordinário médio neste torneio e é o nº6 de Portugal.

O único rival do jogador de 23 anos pelo prémio de melhor jogador do torneio é o seu colega de equipa. Depois de ver limitadas as suas opções no Benfica, Bernardo Silva foi contra o fluxo geral de saídas do Mónaco e chegou ao Estádio Loius II por 15.75M€, em Janeiro. Enquanto Carvalho fornece um controlo elegante, sem esforço - fez mais passes  do que qualquer outro - Silva é especialista em evitar adversários. Os dois da frente de Portugal jogam quase como extremos fazendo do nº10 essencialmente um pivot atacante.

Quando ele foi substituído cinco minutos após o intervalo, já Portugal tinha quatro golos de vantagem, foi ovacionado de pé por grande parte da assistência neutra. A mudança significou uma troca para algo parecido com um 4-4-2 para a equipa de Rui Jorge, oferecendo a Carvalho a oportunidade de mostrar a sua versatilidade - uma carga do lado direito chamou particularmente a atenção e logo após a hora recuperou mais uma bola perdida e deu três toque antes de disparar por cima da barra onde outros teriam simplesmente avançado desenfreadamente para a baliza.

Se Portugal conseguir ganhar o Europeu Sub21 pela primeira vez, em muito o devem ao homem do Sporting. Independentemente do resultado, os grandes da Europa têm muito em que pensar."

Resumindo, é isto:

Para mais tarde recordar

Nunca duvidei da capacidade da nossa selecção para eliminar a Alemanha.

Mais, sempre tive a convicção de que jogaríamos a final.

Mas nunca me passou pela cabeça que o fizéssemos com uma goleada.

Classe, temos para dar e vender. Experiência também. Segurança, idem. Mas esta eficácia não é habitual.

Esperava vencer pela margem mínima, até porque ainda não tínhamos marcado mais do que um golo por jogo.

Não foi assim e pudemos assistir a uma vitória categórica dos nossos miúdos, quase todos eles com capacidade para lutar por um lugar na principal selecção.

PAULO OLIVEIRA foi, mais uma vez, o verdadeiro 'BOSS'. Ganhou todos os duelos e impôs respeito aos alemães. Jorge Jesus precisa efectivamente de um patrão...felizmente, não será necessário gastar dinheiro.

TOBIAS FIGUEIREDO foi o complemento perfeito ao patrão Oliveira. Esteve, também ele, intratável nos duelos e a defesa não tremeu.

RICARDO ESGAIO continua a marcar pontos como defesa direito. Percebe como poucos os momentos em que deve ou não subir no terreno e defende com competência. Levou um amarelo necessário e foi sempre mais seguro que o colega do lado esquerdo.

WILLIAM CARVALHO, para nós, que o conhecemos, foi igual a si próprio. Correu mais de 11.5 quilómetros e foi a mancha que 'engoliu tudo no meio-campo. Todas as jogadas saem dos seus pés e se, para nós, é tudo normal, para outros não.
A UEFA voltou a designá-lo como o melhor em campo e a reacção dos adeptos a cada toque na bola é elucidativo disso.

JOÃO MÁRIO foi um dos melhores em campo. Para mim foi mesmo o melhor, mas é difícil nomear apenas um jogador numa equipa que esteve em tão bom plano colectivo.
Assistiu, marcou e passeou classe com os seus pés de veludo.

Bernardo voltou a mostrar grande qualidade. Sérgio Oliveira, muito bem. Ricardo e Cavaleiro marcaram. José Sá voltou a manter as redes invioláveis.

Fomos enormes e o vigésimo jogo sem perder pode significar um inédito título europeu com selo de qualidade 'made in Alvalade'.

Devagar, devagarinho, até ao Rio de Janeiro

A equipa de sub-21 portuguesa garantiu ontem, com a presença nas meias-finais do campeonato da Europa, a participação nos Jogos Olímpicos do próximo ano, no Brasil.

Foi um jogo em ritmo morno. Rui Jorge confiou na experiência e capacidade dos nossos jogadores para gerir o jogo sem arriscar muito e sem nos expormos muito ao erro.

Acabou por correr bem mas espero que haja um plano B para que aspiremos à vitória no Europeu.

Estamos com uma costela 'italiana' e, embora os próprios italianos tantas vezes se tenham dado bem com esta abordagem, não é garantido que a mesma resulte para nós. 

Alé disso, temos na nossa equipa para ser mais agressivos ofensivamente visto que, defensivamente, temos estado em muito bom plano.

PAULO OLIVEIRA foi mais uma vez um dos melhores em campo e uma barreira praticamente intransponível. Num jogo em que não houve grandes destaques individuais, foi dos que esteve em melhor plano.

TOBIAS FIGUEIREDO estreou-se, rendendo o lesionado, Tiago Ilori. Não desiludiu e, para a boa exibição e segurança defensiva, em muito contribuiu o conhecimento do seu colega de sector com quem tem rotinas criadas.

RICARDO ESGAIO fez aquilo que me parece lhe ter sido pedido. Foi seguro defensivamente, salvou um golo feito e não se aventurou muito no ataque.

WILLIAM CARVALHO foi, como sempre, o pêndulo e o gestor de ritmos de todo o meio-campo. Não foi exuberante mas foi eficaz. Falhou, ainda na primeira parte, um golo na cara do guarda-redes sueco. O prémio de melhor em campo é merecido, embora pudesse ter outros destinatários que estiveram a nível semelhante.

JOÃO MÁRIO não arriscou muito no ataque, talvez para que não fôssemos apanhados em contrapé. Faltou-lhe qualquer coisa no último terço mas, mais uma vez admito, que pode ter a ver com instruções de Rui Jorge. Defensivamente, cumpriu.

IURI MEDEIROS voltou a mostrar que já merece uma oportunidade como titular. Agitou o ataque e fez tremer a defesa escandinava, tendo mesmo feito a assitência para o golo de Gonçalo Paciência.

Difícil ignorar isto

William Arsenal.png

Não gosto de comentar rumores, mas...

39.8M€ a pronto + 11.9M€ em cláusulas nem chega a ser negociável.

A cláusula de William são 45M€ e está-se a falar de valores que podem ascender aos 51.7M€!!!!!

Parece que não há nada a fazer!

Portugal de verde e branco

Os sete.png

Confesso-vos o meu entusiasmo pelo Europeu de sub-21 que ontem começou e hoje se inicia para Portugal.

Vejo nesta geração muita qualidade, não só, mas especialmente nos atletas do Sporting.

São os sete magníficos e vão ajudar Portugal a sagrar-se campeão europeu de sub-21, feito nunca antes alcançado.

Boa sorte, leões! Boa sorte, Portugal!

O que andam eles a fazer nas selecções?

PORTUGAL

SELECÇÃO A

Arménia 2-3 Portugal (Qual. Euro 2016) Resumo

RUI PATRÍCIO - 90/90 minutos, 2 golos sofridos
Jogo com pouco trabalho. Se no primeiro golo não tem quaisquer hipóteses de defesa, o mesmo não se pode dizer do segundo.
NANI - 90/90 minutos
Jogo muito apagado do extremo português, na linha do que nos tinha habituado neste final de temporada.
WILLIAM CARVALHO - 27/90 minutos
Entrou para serenar o meio campo após a expulsão de Tiago e cumpriu.
ADRIEN SILVA - 17/90 minutos

Foi chamado para ajudar William a segurar o 'miolo'. Pena que não se aproveitem as rotinas criadas para apostar de início nesta dupla.

PORTUGAL

SELEÃO SUB 20

Portugal 3-0 Senegal (Mundial 2015) Resumo

Portugal 4-0 Catar (Mundial 2015) Resumo

Portugal 3-1 Colômbia (Mundial 2015) Resumo

Portugal 2-1 Nova Zelândia (Mundial 2015) Resumo

Portugal 0-0 (1-3 g.p) Brasil (Mundial 2015) Resumo

GUILHERME OLIVEIRA - 0/480 minutos
Não se estreou.
DOMINGOS DUARTE - 480/480 minutos
Fez parte da dupla de centrais totalista e não desiludiu. A equipa só sofreu dois golos e nenhum teve a sua interferência directa. Demonstrou segurança no passe, bom posicionamento e excelente jogo aéreo.
MAURO RIQUICHO - 461/480 minutos
Incansável no apoio ao ataque, impressiona também pela excelente performance defensiva. Um valor emergente que vale a pena acompanhar com atenção.
GELSON MARTINS - 359/480 minutos, 2 golos e 1 assistência
Jesus terá a palavra final mas a época de Gelson na equipa B do Sporting e o Mundial de excelente nível, onde foi o maior agitador do ataque luso, suplantando mesmo Rony Lopes, a mais que provável 'estrela da companhia'. Gelson tem um drible desconcertante e impressiona pela capacidade com que coloca os companheiros em condições para finalizar. Excelente golo de trivela, frente à Nova Zelândia.

EGITO

SELECÇÃO A

Egito 2-1 Malawi (Amigável) Resumo

Egito 3-0 Tanzânia (Qual. CAN 2017) Resumo

RAMY RABIA - 180/180 minutos, 1 golo
Assumiu a titularidade nos dois jogos da sua selecção, jogando como defesa central. Cumpriu o 10º jogo internacional e marcou, frente à Tanzânia, o seu segundo golo.

ARGÉLIA

SELECÇÃO A

Argélia 4-0 Seicheles (Qual. CAN 2017) Resumo

ISLAM SLIMANI - 85/90 minutos, 1 golo
No primeiro jogo de apuramento para o CAN 2017, Slimani deixou a sua marca. Abriu o activo com um excelente golpe de cabeça.

PERU

SELECÇÃO A

Perú 1-1 México (Copa América 2015) Resumo

Brasil 2-1 Perú (Copa América 2015) Resumo

ANDRÉ CARRILLO - 8/180 minutos
Depois de não ter sido opção no amigável frente ao México, Carrillo entrou quase no final da partida com o Brasil, com o intuito de refrescar a frente de ataque. Acabou por coincidir com o período em que os brasileiros chegaram à vitória e a 'culebra' não deixou a sua marca no jogo.

Artistas e goleadores

Actualizo hoje as estatísticas quanto a golos, assistências e influência na equipa principal do Sporting.
Recordo que os números apresentados englobam todas as competições em que a equipa principal participa.
De frisar também para os que pela primeira vez a acompanham que os pontos que dicidem qual o jogador mais influente são calculados da seguinte forma: golo (1 ponto); assistência (0.5 pontos)

MELHOR MARCADOR

Nani / Freddy Montero / Slimani 10 golos
André Carrillo / Carlos Mané 7 golos
João Mário 6 golos
Junya Tanaka / Adrien Silva 5 golos
Paulo Oliveira 3 golos
Jefferson / Jonathan Silva / Ryan Gauld / Tobias 2 golos
William / Capel / A. Martins / Sarr / Heldon / Dramé 1 golo

 

MELHOR ASSISTENTE

1º  André Carrillo 12 assistências
Jefferson 10 assistências
Nani 7 assistências
Tanaka 4 assistências
Slimani / João Mário / William Carvalho  3 assistências
Montero / Adrien / Carlos Mané / Capel / Cédric 2 assistências
Jonathan Silva / A. Martins / Esgaio / Wallyson 1 assistência

 

O MAIS INFLUENTE

Nani 13.5 pontos
Carrillo 13 pontos
Slimani 11.5 pontos
Freddy Montero

11 pontos

Carlos Mané 8 pontos
João Mário 7.5 pontos
Jefferson / Tanaka 7 pontos
Adrien Silva 6 pontos
Paulo Oliveira 3 pontos
10º Jonathan Silva / William Carvalho 2.5 pontos
11º Capel / Ryan Gauld / Tobias 2 pontos
12º André Martins 1.5 pontos
13º Cédric / Sarr / Heldon / Dramé 1 ponto
14º Ricardo Esgaio / Wallyson 0.5 pontos

 

Artistas e Goleadores

Actualizo hoje as estatísticas quanto a golos, assistências e influência na equipa principal do Sporting.
Recordo que os números apresentados englobam todas as competições em que a equipa principal participa.
De frisar também para os que pela primeira vez a acompanham que os pontos que dicidem qual o jogador mais influente são calculados da seguinte forma: golo (1 ponto); assistência (0.5 pontos)

MELHOR MARCADOR

Freddy Montero 10 golos
Islam Slimani 9 golos
Nani 8 golos
André Carrillo 7 golos
João Mário 6 golos
Adrien / Carlos Mané 5 golos
Junya Tanaka 4 golos
Paulo Oliveira 3 golos
Jonathan Silva / Ryan Gauld 2 golos
10º Jefferson / Capel / A. Martins / Sarr / Heldon / Dramé / Tobias 1 golo

 

MELHOR ASSISTENTE

1º  André Carrillo 11 assistências
Jefferson 8 assistências
Nani 6 assistências
Tanaka 4 assistências
Slimani / João Mário / William Carvalho  3 assistências
Montero / Adrien / Carlos Mané / Capel / Cédric 2 assistências
Jonathan Silva / A. Martins / Esgaio / Wallyson 1 assistência

 

O MAIS INFLUENTE

André Carrillo 12.5 pontos
Nani / Freddy Montero 11 pontos
Slimani 10.5 pontos
João Mário

7.5 pontos

Adrien Silva / Tanaka / Carlos Mané 6 pontos
Jefferson 5 pontos
Paulo Oliveira 3 pontos
Jonathan Silva 2,5 pontos
Diego Capel / Ryan Gauld 2 pontos
10º André Martins / William Carvalho 1.5 pontos
11º Cédric / Sarr / Heldon / Dramé / Tobias 1 pontos
12º Ricardo Esgaio / Wallyson 0.5 pontos

 

Rescaldo da jornada internacional

Após a dupla jornada das selecções, vejamos a utilização dos nossos jogadores em cada uma delas:

PORTUGAL

Rui Patrício: 2 jogos (1D 1V); 180 minutos / 2 golos sofridos
Cédric Soares: 2 jogos (1D 1V); 180 minutos
William Carvalho: 2 jogos (1D 1V); 135 minutos
Adrien Silva: Não utilizado
João Mário: 2 jogos (1D 1V); 36 minutos
Nani: 2 jogos (1D 1V); 136 minutos

PORTUGAL SUB-21

Paulo Oliveira: 2 jogos (2V); 180 minutos
Ricardo Esgaio: 2 jogos (2V); 180 minutos
Tobias Figueiredo: Não utilizado
Carlos Mané: 2 jogos (2V); 74 minutos / 1 golo marcado
Iuri Medeiros: 2 jogos (2V); 49 minutos

ESCÓCIA

Ryan Gauld: Não utilizado

JAPÃO

Junya Tanaka: 1 jogo (1D); 70 minutos

BULGÁRIA

Simeon Slavchev: Não utilizado

PERÚ

André Carrillo: 1 jogo (1D); 86 minutos

CABO VERDE

Héldon: 2 jogos (1V 1D); 1 golo marcado

ARGÉLIA

Islam Slimani: 2 jogos (2V); 112 minutos / 1 golo marcado

Jornada positiva para os sportinguistas. Nem todos os jogos deram vitória, nem todos os jogadores jogaram, mas três marcaram golos e o melhor de tudo é que nenhum se lesionou (embora Slimani tenha apresentado queixas).

André Cruz: "Achavam que Bruno de Carvalho era meio louco"

"Muitos não acreditavam que o Sporting podia fazer uma temporada assim, até pelos anos anteriores em que teve dificuldades, gastou muito e não teve resultados. O Bruno (de Carvalho) chegou e deu um corte em tudo, as pessoas com quem conversei achavam que ele era meio louco, que aquilo não se podia fazer. No final, deu resultado e o Sporting tem grandes jogadores revelados", disse em declarações à Antena 1, destacando William Carvalho, que pode ser "uma revelação" no Campeonato do Mundo.

Sir William Carvalho

O post de hoje serve apenas para dar os parabéns à única pessoa que vi fazer uma análise correta (e completa) à exibição do William no jogo com a Irlanda.

Parabéns ao Roberto Baggio do blog, Lateral Esquerdo. Sublime e imparcial análise (ao contrário dos nossos jornais desportivos a quem deve fazer confusão jogar alguém do Sporting na nossa seleção).

Aqui seguem os links:

William

Esteve Lento

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal