Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Le Tour 2014 - Etapas 1 a 5

As primeiras 5 etapas prometiam mais do que as habituais chegadas ao sprint e aconteceu muito mais do que se esperava.

ETAPA 1

Excelente etapa de Jens Voigt que amealhou os pontos sufucientes para, no final da etapa, envergar a camisola de "rei da montanha" (a das bolas vermelhas) 17 anos depois de o ter feito pela primeira vez nesta prova (a maior diferença temporal de sempre).
Na chegada ao sprint acontece o primeiro momento marcante deste Tour. Mark Cavendish (que corria em casa, pois as primeiras 3 etapas do Tour foram no Reino Unido) com a sua habitual tentativa de se posicionar para o sprinT final, embateu noutro ciclista e caíu, tendo como consequência o abandono da prova por impossibilidades físicas. No sprint, o alemão Marcel Kittel mostrou porque é o mais forte sprinter do world tour e bateu Peter Sagan com aparente facilidade.

ETAPA 2

A etapa prometia espetáculo, com 9 contagens de montanha, num sobe e desce constante. Chegada com um pelotão menos numeroso que o habitual e à entrada do quilómetro final, Vincenzo Nibali ("O Tubarão") ataca feroz e deixa para trás a concorrência. Vence com apenas 2 segundos de vantagem, mas o suficiente para arrebatar a tão desejada camisola amarela. Rui Costa ainda esboçou uma resposta ao ataque de Nibali, mas era tarde demais.

ETAPA 3

Etapa plana que, como habitual, previa uma chegada ao sprint. Foi o que aconteceu e, mais uma vez, Kittel foi primeiro e Sagan segundo. As etapas no Reino Unido foram um sucesso, com imenso público nas estradas e, não fosse a desistência de Mark Cavendish na primeira etapa, tudo teria sido perfeito.

ETAPA 4

Hat-trick para Marcel Kittel em mais uma chegada ao sprint numa etapa em que o vencedor de 2013, Chris Froome, caiu com aparato ficando com mazelas que o poderiam limitar nos dias seguintes.

ETAPA 5

O quinto dia de prova tinha tudo para dar espetáculo que agradasse aos espectadores, pois o percurso incluía percursos em pavé (estrada em paralelos) ao bom estilo da clássica Paris-Roubaix, mas a chuva não foi amiga dos ciclistas e todo o cuidado era pouco para evitar quedas que, no entanto, se foram acumulando ao longo da etapa. Froome voltou a cair e o alerta soou na equipa Sky. O momento do Tour estava para chegar...Froome cai uma segunda vez e é obrigado a desistir, ficando a prova sem o principal candidato à vitória. Foi um momento que me deixou triste, pois estavam reunidos todos os ingredientes para um Tour fantástico. A prova perde o vencedor do ano passado mas, "the show must go on", e Contador passa para a "pole position" na lista de favoritos.

A etapa foi de uma dureza incrível e as quedas partiram o plutão em vários grupos. O camisola amarela, Vincenzo Nibali conseguiu ganhar tempo aos candidatos à vitória final. Rui Costa fez uma boa etapa, embora tenha perdido cerca de 2 minutos e Contador atrasou-se, chegando um pouco atrás de Rui Costa. O herói do dia foi o holandês Lars Boom, que venceu isolado a etapa mais dura até ao momento.

CLASSIFICAÇÃO GERAL

1. ITA  NIBALI Vincenzo 41 ASTANA PRO TEAM 20h 26' 46''  
2. DEN FUGLSANG Jakob 42 ASTANA PRO TEAM 20h 26' 48'' + 00' 02''
3. SVK SAGAN Peter 51 CANNONDALE 20h 27' 30'' + 00' 44''
4. POL KWIATKOWSKI Michal 74 OMEGA PHARMA-QUICK STEP 20h 27' 36'' + 00' 50''
5. SUI CANCELLARA Fabian 163 TREK FACTORY RACING 20h 28' 03'' + 01' 17''
6. BEL VAN DEN BROECK Jurgen 131 LOTTO-BELISOL 20h 28' 31'' + 01' 45''
7. FRA GALLOPIN Tony 134 LOTTO-BELISOL 20h 28' 31'' + 01' 45''
8. AUS PORTE Richie 7 TEAM SKY 20h 28' 40'' + 01' 54''
9. USA TALANSKY Andrew 91 GARMIN - SHARP 20h 28' 51'' + 02' 05''
10. ESP VALVERDE BELMONTE Alejandro 11 MOVISTAR TEAM 20h 28' 57'' + 02' 11''
11. FRA BARDET Romain 82 AG2R LA MONDIALE 20h 28' 57'' + 02' 11''
12. USA VAN GARDEREN Tejay 141 BMC RACING TEAM 20h 28' 57'' + 02' 11''
13. POR COSTA Rui Alberto 111 LAMPRE - MERIDA 20h 28' 57'' + 02' 11''
14. GBR THOMAS Geraint 8 TEAM SKY 20h 29' 02'' + 02' 16''
15. FRA PINOT Thibaut 127 FDJ.FR 20h 29' 11'' + 02' 25''
16. NED DUMOULIN Tom 106 TEAM GIANT-SHIMANO 20h 29' 11'' + 02' 25''
17. RUS TROFIMOV Yury 29 TEAM KATUSHA 20h 29' 11'' + 02' 25''
18. NED MOLLEMA Bauke 61 BELKIN PRO CYCLING 20h 29' 13'' + 02' 27''
19. ESP CONTADOR Alberto 31 TINKOFF-SAXO 20h 29' 23'' + 02' 37''
20. BEL BAKELANTS Jan 72 OMEGA PHARMA-QUICK STEP 20h 29' 25'' + 02' 39''

O campeão do Mundo está preparado!

Sou um fervoroso adepto de futebol, mas gosto de desporto em geral. Já aqui manifestei o meu entusiasmo pela NBA e, dentro de pouco mais de uma semana, entra em cena outra competição que me prende à TV: a volta a França em bicicleta.

Ver mosquitos com a força de elefantes em cima de uma bicicleta, que durante 3 semanas sobem e descem montanhas, por vezes de forma solitária e vigorante, outras vezes de forma lenta e penosa é algo que me apaixona! É pena que um desporto tão apaixonante tenha sido tão maltratado por todos os que nele intervieram, devido ao acesso a doping para obter resultados. Hoje toda a gente olha com desconfiança um ciclista que suba uma montanha como o Tourmalet com um ritmo vigorante, pois não saem da cabeça de ninguém os casos de Armstrong, Ulrrich, Pantani, entre outros, que mesmo sendo lendas deste desporto o mancharam para sempre.

Polémicas à parte, vi a edição do ano passado já sem esses fantasmas e espero que assim continue este ano.

Vamos ter na estrada o grande Rui Costa como chefe de fila da Lampre, envergando a camisola que todos queriam (a de atual campeão do Mundo). Depois da excelente prestação do ano passado em que ganhou 2 etapas e ainda teve de trabalhar primeiro para Valverde e depois para Quintana, o Rui percebeu que, para deixar a sua marca neste desporto e em especial no 'Tour' (que é a mais importante e emblemática prova do calendário internacional) tinha de ser protagonista e não um gregário (este é o termo para os que trabalham em prol do resultado do chefe de fila). Como tal, deixou a Movistar e assinou contrato com a Lampre (equipa que lhe reserva o estatuto de protagonista). 

Para já, mostrou que está preparado para o 'Tour'. 3ª vitória consecutiva na Volta à Suiça (um feito inédito na prova!) e demonstração de força para atacar aquilo que julgo ser um sonho do próprio e de todos os portugueses que seguem a modalidade: o pódio do 'Tour', de preferência no lugar mais alto! Força Rui!

Mais sobre mim

imagem de perfil