Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Matheus: talento e não só

Matheus Pereira.png

"Sim, quem me conhece sabe que, há uns anos atrás, era uma pessoa difícil de lidar. Muitos olhavam para mim e pensavam que era só mais um, que até jogava bem mas que, fora do campo, não tinha cabeça. O Sporting soube trabalhar isso comigo, colocou pessoas a acompanhar-me de perto e, com a ajuda deles, consegui mudar a minha vida. Foi também com a ajuda de Deus porque, quando me voltei para a Igreja, fui mudando e sinto-me uma pessoa diferente daquela que era, com o foco e a ambição naquilo que mais importa."

"Há várias situações boas e más que me marcam. Guardo comigo todas as experiências, mesmo as más, para me lembrar delas e não as repetir. Tive várias situações, portava-me mal, mas percebi que o objectivo de morar na Academia é estar o máximo possível concentrado nos treinos e cumprir todas as regras para chegarmos onde queremos."

Estas são apenas duas das respostas de Matheus Pereira na entrevista publicada hoje no Jornal Sporting. A entrevista é excelente e comprova algo que penso sobre Matheus. É algo instável psicologicamente e precisa de acompanhamento e carinho constantes. Está mudado em relação ao passado mas teremos de continuar atentos a ele. Esta é a prova de que nem todos são iguais e o tratamento para cada um deve ser diferenciado. Isto aplica-se a todos, sejam da equipa A ou B, para que consigamos retirar de cada um o melhor que têm para oferecer.

Matheus pode vir a ser um jogador de topo mas terá de continuar a ser acompanhado e 'gerido' com pinças.

Comprem o Jornal Sporting e leiam tudo.

Um exemplo

André Pimenta, jogador do hóquei patins do Sporting, este ano no Turquel, falou ao Jornal Sporting sobre os 12 anos de leão ao peito e de como foi difícil a caminhada até ao sucesso que foi a temporada passada.

O centro da conversa foi o pavilhão da Casa do Gaiato, a casa principal do hóquei do Sporting, desde os primeiros anos após a reactivação da secção.

"Tinha começado na Amadora, mas assim que abriram os treinos no Sporting ofereci-me por ser o Clube que é, apesar de na altura não ter bem a noção da realidade, pois era um 'cachopo'."

"O primeiro impacto não foi fácil. O pavilhão, apesar de ainda ser um 'barracão', está bem melhor do que estava quando fomos para lá. Os pais iam construindo algo mais e melhorando as condições, Verão após Verão. Foram os pais dos atletas que construíram as bancadas, puseram as tabelas, puseram o cimento do piso, pintaram as paredes, também limparam muitas 'caganitas' de pássaros, por exemplo, os balneários também eram bem mais pequenos."

Sobre o facto de o Sporting ter tido sempre equipas competitivas, André disse algo que, certamente, todos identificamos como motivo de orgulho, não podendo deixar de sorrir quando nos colocamos nesta posição, enquanto miúdos: "É quase impossível recusar um Clube com a grandeza do Sporting. A falta de condições ultrapassa-se. Chegamos à escola e dizemos que jogamos no Sporting, ninguém quer saber onde são os jogos. Isso é secundário para um miúdo, a camisola importa mais."

Ex-capitão de todos os escalões por onde passou, mesmo sem equipa sénior no Clube, não abandonou o barco: "Queria fazer crescer o projecto. Sentia que era parte integrante dele e era eu que o tinha de fazer crescer, em vez de ser o projecto a crescer para eu chegar lá. Com isto, deixei a minha imagem na história do Clube."

O Gaiato é uma lição de vida e de humildade para quem tinha de viver com aquela realidade. Pimenta recorda: "Víamos miúdos que não tinham nada e isso obrigou-nos a crescer. Lembro-me do Marco, que não tinha pais, do David Tavares, que chegou a jogar hóquei, era bom jogador, mas é melhor ainda a jogar futebol e está actualmente no Sporting, do próprio Dário que o Engenheiro Gilberto adoptou e que também joga hóquei. Lembro-me dele empoleirado nas árvores em redor do pavilhão, com uma faca de tirar manteiga. Eram miúdos que iam ver os nossos jogos e treinos e a seguir invadiam o rinque para jogar futebol. O Bebé, que jogou no Manchester United, também estava lá. Eram imensos e muitos deles, felizmente, conseguiram melhorar as suas vidas."

No entanto, Pimenta confessa que tem de ser um local a "desaparecer para bem do Clube", pois "têm de haver mais condições para os miúdos futuramente."

Infelizmente o aumento da competitividade da equipa leonina, levou à sua saída. Não sei se voltará a ter espaço no plantel mas espero que sim. Pelas qualidades técnicas, de liderança e humanas. O André é dos nossos e faz parte de um dos momentos mais belos da história do nosso hóquei em patins

Teremos de aguardar

O prometido é devido, já cantava o Rui Veloso em mais uma letra do inevitável Carlos Tê.

Infelizmente assim não foi. O Jornal Sporting faltou ao prometido e, ao contrário do esperado, não publicou o quadro com os valores das transações de jogadores deste mercado de Verão.

Assim sendo, também eu faltarei ao prometido e deixarei o anúncio dos mesmos para quando estes forem públicos, espero eu, no Jornal da próxima semana, tendo desde já a certeza que motivos de força maior terão deixado o anuncio para a próxima edição.

Teremos de esperar mais uma semana

"Na próxima edição do Jornal, o Sporting vai divulgar todas as contas do mercado, à semelhança do que tem acontecido nas duas últimas épocas, e congratula-se por outros clubes, como o Sp. Braga, seguirem a mesma prática. Assim todos os emblemas o fizessem, em nome do rigor e da transparência no futebol."

Informação veiculada no Jornal Sporting do dia de hoje

A confirmação de algo transversal a muitos dos que passam pelo Sporting

O hóquei em patins leonino começou ontem a pré-temporada. Como é habitual, realizaram-se os testes médicos e foi tempo da equipa do ano se reencontrar e tratar de começar a 'enturmar' os novos colegas de equipa.

Luís Viana e André Centeno, ainda na 3ª feira, juntaram-se ao treinador Nuno Lopes e aos colegas João Pinto, Ângelo Girão e Poka para viver e sentir o Sporting ao vivo nas bancadas do Estádio José Alvalade, onde o Sporting derrotou os russos do CSKA de Moscovo por 2-1.

João Pinto, um dos novos capitães de equipa, proferiu ontem, no primeiro dia de trabalho, palavras que, julgo eu, serão partilhadas por muitos dos que jogam ou já jogaram no Sporting:

"Desde que cheguei, o Sporting conquistou-me por completo. Não nasci do Sporting, mas vou morrer do Sporting. Vibro com todas as equipas, até com a formação do futebol. Estou rendido ao Sporting."

Rescaldo das Férias Academia Sporting

Num misto entre portugueses e chineses, foi na Academia Sporting que se passaram as férias para 43 crianças.

Entre todos, as frases que melhor definem mais uma edição do evento foram proferidas pela única menina do grupo.

Sofia Oliveira, de sete anos, joga futebol no colégio que frequenta e assume-se como especialista no drible.

Com as palavras não se mostrou diferente e deu um exemplo claro de bom gosto:

"Antes não era do Sporting mas agora acho que é o melhor Clube do Mundo. Visitámos o Estádio, tirámos muitas fotografias e achei que isto era tão giro que mudei."

"Vê lá se dás à corda, que tens de trabalhar muito"

Estas foram as primeiras palavras de Jorge Jesus dirigidas a João Pereira mas o que me deixa descansado e tranquilo é saber que este nível de exigência e rigor é igual para todos.

Em entrevista ao Jornal Sporting, João Pereira falou do regresso a Alvalade.

"Tinha (saudades). Fui muito bem tratado aqui. Toda a gente sabe como foi a minha vinda para o Clube e onde fui formado. Quando ingressei aqui pela primeira vez, falou-se muito da minha chegada mas a verdade é que saí com as pessoas a gostarem de mim, por uma coisa ou por outra. Sempre tive o apoio de toda a gente neste Clube e, infelizmente, não retribuí da melhor forma porque não ganhei nada. Acho que está na altura de poder retribuir de uma maneira melhor do que apenas com esforço e dedicação: quero poder retribuir com algum título."

Há mais frases marcantes e é bom ver como temos o mesmo João Pereira mas mais experiente e sereno.

Para ler o resto, é correr para a banca e comprar o Jornal Sporting, onde o nosso 'Manel' Fernandes também é entrevistado.

A primeira entrevista de Jorge Jesus

JJ Jornal Sporting.png

A entrevista ao nosso novo treinador, publicada no Jornal Sporting, tem várias frases fortes. Apetecia-me partilhá-la na totalidade com todos vós mas prefiro apelar, como tantas vezes faço, a que comprem o Jornal Sporting e se deliciem com as palavras do 'mister' e com uma edição especial, dedicada à II Gala Honoris Sporting.

Aqui vai só um 'cheirinho':

"Foi o primeiro embate de paixão com os adeptos do Sporting, ao longo dos anos. O Sporting é um Clube diferente, muito grande pela adesão dos seus adeptos e uma enorme paixão para todos eles. É minha intenção partilhar com eles as emoções e as alegrias que me compete dar-lhes, em conjunto com os meus jogadores e restante equipa técnica. Queremos apresentar um futebol de muita qualidade e ganhar ao domingo, que é o mais importante para transportarmos o Sporting para o patamar que todos queremos, de forma a que sejamos sérios candidatos ao título de campeão."

Destaque a quem o merece

Embora não o faça pela primeira vez, não tenho o hábito de escancarar aqui o interior do nosso Jornal Sporting.

Não gosto de o fazer, sobretudo porque acho que todos os Sportinguistas o deviam comprar com regularidade ou mesmo assiná-lo (volto a recordar, pela enésima vez, que uma assinatura digital custa apenas 22€/ano).

Adiante...

Devido ao reduzido (para não dizer, quase nulo) destaque dado ao feito das nossas leoas do basquetebol, decidi esta semana abrir uma excepção e partilhar com todos vós o artigo que esta semana integra o nosso Jornal.

Elas bem merecem!

Balanço Basquetebol.png

Obrigado José Quintela, por escreveres aquilo que eu queria dizer

José Quintela, no seu habitual editorial no Jornal Sporting, tratou de colocar em palavras aquilo que eu há uns dias tento organizar na minha cabeça para tentar explicar a alguns Sportinguistas que, eventualmente, mesmo que inconscientemente, se deixem influenciar pela ideia que 'paineleiros', adversários e comunicação social querem vender.

São gémeos.png

Olha o Jornal Sporting!

 

 

Hoje, o aperitivo que vos deixo do Jornal Sporting, é o editorial de José Quintela, o director do jornal de clubes mais antigo do Mundo.

Linguagem dos conflitos.png

 

Queres saber mais?

...

Há uma entrevista com Freddy Montero, para quem o Sporting é uma história de amor.

...

Queres mais ainda?

...

Assina o Jornal ou corre já para a banca para comprar o de hoje!

O campeão voltou

O campeão voltou.png

Ainda não assinaste o Jornal Sporting? Então estás à espera de quê? Não esperes por amanhã para ir à banca de jornais. Fá-lo já! Ou melhor...assina já e amanhã compra na mesma, pois esta é daqueles que vai valer a pena guardar em papel.

Assinatura anual digital, apenas 22€. Em papel são só 45€. Sabe tudo aqui.

Uma questão de princípio

"Vamos competir com o que temos, contrariamente a outros clubes, que vão contratar atletas estrangeiros exclusivamente para este Campeonato. Não o vamos fazer. É uma questão de princípio. Não seria muito simpático termos uma data de atletas a treinar o ano todo e, chegando a esta fase, falarmos com um espanhol amigo do Alexis Santos, por exemplo - que já estagiou em Sant Cugat há alguns meses -, para vir a Portugal dar o seu contributo e arrasarmos no Campeonato. Não me parece correcto nem positivo para a natação portuguesa, se queremos fazê-la evoluir. Como tal, não podemos criar obstáculos a isso."

Carlos Cruchinho (treinador e director técnico da natação do Sporting Clube de Portugal, na antevisão dos Campeonatos Nacionais por equipas)
Fonte: Jornal Sporting

Aproveito para dizer que vale a pena ler a entrevista completa

Diego Rubio no Jornal Sporting

Diego Rubio.png

 

A entrevista que o Jornal Sporting nos traz hoje com Diego Rubio vale o euro que a edição impressa custa.

Humildade, maturidade e gratidão, mesmo depois de um ano e meio de travessia no deserto.

Rubio não desistiu de lutar, não desiste do Sporting e fala da equipa B com o mesmo profissionalismo do que se da equipa principal se tratasse.

Para além dos predicados acima mencionados...o passado é passado, aprendeu com ele, cresceu e regressou forte e determinado. Mostra ambição para o presente na equipa B e para o futuro, que perspectiva de leão ao peito, na principal equipa.

Assim espero!

Como comecei por dizer, a entrevista vale o custo do Jornal, mas há muito mais conteúdos verde e brancos de qualidade, por isso, vai lá comprar o Jornal ou aproveita para o assinares aqui.

Mais sobre mim

imagem de perfil