Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Não é apenas mais um jogo... É o derby dos derbies, o jogo mais apaixonante de Portugal e aquele que ninguém quer perder.

De um lado, a confiança de uma equipa que vai em primeiro e que, embora humilde, não tem medo de se assumir.

Do outro, as dúvidas de adeptos e treinador, que não se sabe se darão finalmente em vitória ou apenas em mais uma derrota.

De um lado, um onze previsível, uma ideia de jogo clara e, também por isso, uma estratégia transparente para o adversário.

Do outro, um onze de incertezas e inseguranças. Uma espécie de totoloto que um dia há-de sair.

Isto nada tem de bazófia.

Sinto um Sporting seguro e um Benfica ansioso.

Claro que derby é derby e só um vence... e podemos não ser nós.

Estou ciente disso e preparado para todos os cenários mas, confiante em mais uma vitória e em mais um passo rumo a um dos objectivos da época.

É bom sentir que se vai para um derby seguro e confiante.

É bom ver que o sentimento que nos assolava a cada derby nos últimos anos, está do outro lado.

Isso deve-se a Jesus que, com uma ideia de jogo clara e transparente consegue sempre, mesmo com as cartas em cima da mesa, baralhar o jogo do adversário.

O estilo de jogo das suas equipas é demais conhecido mas dificílimo de contrariar. Eficiente como poucos.

Era isso que mais me assustava a cada derby mas, agora, esses medos estão do outro lado.

Agora, é hora de voltar a afiar as garras e esfrangalhar o milhafre, nem que seja apenas por um golo.

SPOOOOOOOOOOOOOOORTING!

Curiosidades sobre os derbies na Taça

No geral, a balança dos derbies inclina ligeiramente para o lado dos encarnados mas, se nos cingirmos apenas aos jogos jogados em Alvalade, naturalmente, o domínio é verde e branco.

69 vitórias, 27 empates e 41 derrotas. 

Não é o que devia ser mas, ainda assim, é-nos favorável. No entanto, comprova a venha máxima de que derby é jogo de tripla e, a verdade, é que o é ainda mais quando jogado em nossa casa.

No entanto, se falarmos apenas em duelos a contar para fases preliminares da Taça de Portugal disputados no Estádio José Alvalade, o caso muda de figura e o Sporting domina em toda a linha.

Taça em casa.png

 

O Sporting não perde em casa, frente ao Benfica, para a Taça de Portugal, desde 1963.

Sim, há mais de 50 anos que o Benfica não vence em Alvalade para a Taça de Portugal e mesmo essa derrota não significou eliminação, pois as meias-finais disputavam-se a duas mãos e o Sporting virou a eliminatória na Luz.

Na verdade, nenhuma das duas derrotas em casa nos retiraram da Taça de Portugal, pois a outra, em 1945, foi no primeiro de três jogos que haveriam de colocar o Sporting em mais uma final do Jamor.

Apenas uma das vitórias (1959) não nos levou à fase seguinte, em mais uma meia-final a duas mãos, perdida na Luz por um golo de diferença.

Foram 5 as partidas disputadas em Alvalade para a prova raínha nestes últimos 50 anos e todas deram vitória leonina.

Curioso que nenhum dos 14 jogos se decidiu nas grandes penalidades e só um deles precisou de prolongamento (1976).

O resultado que mais se verificou foi 3-0 (por três vezes) e foram 6 as vezes que conseguimos vencer sem sofrer golos.

O último dos confrontos em nossa casa foi o memorável 5-3, em 2008, com uma reviravolta fantástica, depois de estarmos a perder por 0-2 ao intervalo.

Uma coisa é certa, se a tradição ainda for o que era, teremos golos durante o tempo em que a eliminatória de discutir no relvado do José Alvalade. Só por uma vez o jogo chegou ao final dos 90 minutos a zeros (1976) e Libânio encarregou-se de carimbar a vitória do Sporting no prolongamento.

A média é de 2.5 golos marcados por jogo e de apenas 0.9 golos sofridos mas...tudo isto não passa de estatística.

Estatística que o Sporting quererá no sábado avolumar e que o Benfica tudo fará para contrariar.

Aconteça o que acontecer, que seja o Sporting a vencer.

Não há duas sem três

A primeira, foi em campo neutro...

...A segunda,  no terreno do adversário...

...esperamos pela terceira, em nossa casa.

O último da Taça,  em nossa casa, foi assim...

Dá para repetir? ;)

Benfica 0 SPORTING CP 3: Classe, qualidade e eficácia

Foi uma noite perfeita, histórica e só não foi inesquecível porque a equipa (a única que se apresentou no relvado da Luz) do Sporting preferiu gerir o resultado a avolumá-lo (que, diga-se, mesmo sem grande esforço podia ter acontecido).

A gestão do jogo foi simplesmente perfeita, antes, durante e depois.

A poupança na Liga Europa dos elementos que jogaram ontem não pode ser ignorada. Todos estavam a 100% e todos tinham a noção que não haveriam desculpas para faltar com a entrega, garra e concentração.

Foi o que aconteceu. Uma equipa (a do Sporting) que entrou focada no objectivo, concentrada no jogo, confiante nas suas capacidades e foi até algo 'arrogante' para com o adversário.

Os jogadores sabiam perfeitamente que, cumprindo as ordens de Jesus, sairiam do jogo com os três pontos e isso foi patente em todas as acções do jogo.

O único momento de desconcentração foi mesmo aquele de Naldo, num momento em que o jogo já estava no último terço.

Até foi o Benfica que entrou melhor. Não criando perigo mas acercando-se do último reduto dos leões e Gonçalo Guedes foi o agitador dos primeiros 5 minutos, colocando em sentido João Pereira.

Quando aos 9 minutos, Teo Gutiérrez inaugurou o marcador o Sporting ganhou ainda mais confiança e o Benfica acabou.

Controlo perfeito do jogo, quer com bola, quer sem ela e rapidamente se percebeu de que lado estava o domínio. A bola era entregue ao Benfica de forma propositada, forçando o erro e aproveitando para fazer estragos nas transições rápidas. Jesus sabe das dificuldades do Benfica em sair a jogar em futebol apoiado desde a sua área e condicionou todo o meio campo dos encarnados por forma a forçar a pressão ou o jogo directo.

Quando não saíamos em transição, controlávamos em posse de bola, que mais parecia um encantamento, até voltarmos a sair em velocidade.

Foi isto durante toda a primeira parte e os lances dos golos surgiram todos em lances rápidos e objectivos.

Foi assim que Slimani fez o 2-0, num cabeceamento exemplar e que Ruiz matou o jogo com o 3-0, a nove minutos do intervalo.

A partir daqui, faltava saber por quantos o Sporting iria vencer e se o Benfica iria reagir.

Assim que vi Rui Vitória meter mais um médio defensivo ao intervalo, recostei-me no sofá e limitei-me a observar uma gestão exemplar do jogo, dos seus ritmos e do resultado por parte da equipa (e que grande equipa, não me canso de referir) do Sporting.

Foi na segunda parte que os tiques de malvadez do Sporting foram ainda maiores e a humilhação se consumou, sobretudo porque o Sporting podia ter partido para uma goleada histórica (a maior de sempre em casa do rival cifra-se em 5 golos sem resposta - 36/37 e 41/42) mas preferiu dar baile, sem grande objectividade, como quer dizendo "já chega!".

No final do jogo os jogadores e o treinador agiram com naturalidade, sem euforias e cientes que mais não fizeram do que ganhar 3 pontos. Importantes, por serem frente a um rival directo e em sua própria casa, mas não mais do que 3 pontos numa vitória que se espera, seja cada vez mais natural (a verdade é que já são quatro 'derbies' seguidos sem conhecer o sabor da derrota).

Destaque para os adeptos do Sporting, que se ouviram durante 90 minutos e não apenas em 3, mesmo que fossem apenas 5% da lotação do estádio. Foram enormes e o verdadeiro 12º jogador!

Agulhas viradas para o Estoril, que é tão importante quanto foi este.

Hoje joga o Sporting

11012548_10153091580686555_699740325774309764_n.pn

Queria escrever algo interessante ou motivante mas a veia criativa está bloqueada. Só penso nos 'onzes' de cada lado e na bola a rolar.

À hora que escrevo já é difícil sossegar. São duas da manhã na hora nova e já se sente a tensão e nervosismo de um derby importante. Não porque decida alguma coisa mas porque pode ser um importante tónico para os próximos jogos e uma machadada forte nas ambições do adversário.

A verdade é que assumimos as nossas responsabilidades mas o peso do jogo estará do lado do Benfica. Porque parte atrás e porque joga em casa.

Mas derby é derby e será sempre um jogo de tripla.

Jorge Jesus tem a equipa mais fresca do que Rui Vitória mas isso nada quer dizer à partida. Espero que dê os seus frutos adoptando um jogo mais intenso mas isso, só por si, não aporta à partida qualquer vantagem face ao adversário, que até teve bastante tempo de descanso entre jogos.

Muita da nossa eficácia defensiva será avaliada pela capacidade da nossa equipa em travar Gaitán, que se encontra em grande forma e representa metade (para não dizer mais) do caudal ofensivo do Benfica, e Jonas que, com a sua inteligência e capacidade de decisão pode decidir qualquer partida.

Muito provavelmente, Jesus privilegiará a experiência e apenas Rui Patrício transitará do onze inicial que venceu o Skënderbeu para a Liga Europa.

João Pereira e Jefferson devem ocupar as laterais.

Paulo Oliveira e Naldo regressarão ao centro da defesa.

William e Adrien formarão a dupla de meio-campo, enquanto que as alas talvez acabem entregues a João Mário e Ruiz (caso esteja totalmente apto). João Mário terá papel determinante na ajuda a João Pereira que terá pela frente Gaitán.

Na frente, e com a tarefa de 'furar' as redes de Júlio César, estarão Slimani e Teo Gutiérrez.

Depois, teremos um banco de boas opções, todos com ritmo de jogo e moral em alta.

Tudo parece perfeito mas falta que os jogadores correspondam em campo e façam aquilo que todos queremos: 3 pontos!

Agora vou entrar em estágio.

SPOOOOOOOOOORTING!

Hoje joga o Sporting...e há uma Taça para ganhar!

Nada no dia de hoje é definitivo. É o primeiro jogo oficial da época que coincide com a disputa de um título. E ainda bem! Pois isso só é possível quando o que o antecedeu significou a conquista de outro.

O Sporting, actual detentor da Taça de Portugal, defronta o Benfica, campeão nacional (na verdade, bi-campeão nacional).

Claro que, volto a repetir, o jogo de hoje nada define no que à nossa época diz respeito. Não será o início nem o fim de nada mas, porra, é um derby. E quem é que não se importa de perder um derby?!

Ninguém gosta de perder no mais emocionante jogo deste país. Na verdade, todos querem vencer o derby dos derbies. Aquele jogo que define uma semana. Se ganhamos, passamos 7 dias de sorriso nos lábios…se perdemos ninguém nos vê os dentes!

Jorge Jesus sabe disto. Conhece o adversário como poucos alguma vez conheceram um. Sabe as suas forças e fraquezas e, se tiver a capacidade de o analisar friamente, passará à nossa equipa as sensações certas para levar a Supertaça para o Museu Mundo Sporting.

Não estou extremamente confiante mas sinto-me motivado. Motivado a apoiar a equipa e a, também eu, fazer bem o meu trabalho. Incentivarei e vibrarei com o jogo. Sentirei cada emoção como as de um derby devem ser vividas e tenho as melhores sensações para o jogo de hoje, mesmo sabendo que o adversário tem valor.

Devo confessar que tenho um bom feelling para esta época e, agora sim, acho que começar com um título pode ser o tónico ideal. Porque a cara de quem vence não é igual à de quem perde. Porque a moral dos vencedores contrasta com o desânimo dos vencidos.

Há que prolongar ao máximo as boas sensações deste início de temporada e, mais do que um feelling, sinto algo premonitório que se apressa para fazer justiça, para nos fazer felizes, para mostrar a Portugal e ao Mundo a verdadeira essência de um Clube, grande e vencedor, tão grande como os maiores da Europa.

Sobra o campeonato

O Sporting perdeu hoje o derby de futsal por 2-1 e está fora da luta pela Taça de Portugal.

O jogo foi equilibrado e podia ter pendido para qualquer um dos lados, no entanto, dá ideia que este Sporting pode discutir o resultado com qualquer equipa do Mundo (como se viu na UEFA Futsal Cup) mas tem neste momento défice de talento individual.

O que quero dizer com isto é que o Sporting é neste momento uma equipa consistente e muito competente a quem falta algum individualismo. Na ausência de Paulinho, que é dos que faz a diferença, sobretudo pela sua velocidade tornámo-nos mais previsíveis.

Depois, julgo que faz falta sangue novo à equipa. Alguma irreverência para contrabalançar com a experiência que temos em demasia.

Será importante no play-off que defendamos ainda melhor, pois não temos o power ofensivo de outras temporadas.

Déo e Divanei fazem muita falta e, embora tenhamos acertado na contratação de Diogo (em algumas coisas semelhante a Divanei), falta-nos um Déo para partir para cima, sem medo, no um-para-um.

Somos bi-campeões, continuamos a ser competitivos e a ter qualidade mas estamos mais previsíveis e fáceis de anular.

Há que compensar isso com mais garra, união e concentração. Só assim seremos tri-campeões.

 

Entretanto, a nossa equipa B, continua a vencer e convencer.

Mais uma vitória fora, frente ao Porto B, que nos pode deixar no segundo lugar da 2ª Liga.

O golo foi de Wallyson e, neste momento, está ultrapassado o máximo de pontos na 2ª Liga, estabelecido na época passada.

Julgo que, mais do que pensar em compras, devemos olhar seriamente para esta equipa B na tentativa de reforçar a equipa principal. Acredito que o treinador na equipa principal terá boas dores de cabeça para construir o plantel para 2015/2016.

Haverá melhor maneira de começar o dia?

Não, não há!

Derby é derby!

O jogo mais apaixonante de Portugal, ainda mais se a bola se jogar com os pés.

É o caso e, mais especificamente, dentro de um pavilhão.

Sporting e Benfica defrontam-se hoje, às 10.45 da manhã. Em disputa está a presença na final da Taça de Portugal.

O ambiente calmo e de amizade publicitado nos últimos dias não vai existir.

Vai ser duro e teremos de ser leões para vencer.

Vencendo, vai ter aquele gostinho sempre especial.

Eu acredito!

Quero começar o dia com um sorriso nos lábios.

SPOOOOOOOOOOOORTING!

Hoje é dia de derby

Não, não estou enganado mas, para quem está em estágio há uma semana até podia estar.

Hoje Sporting e Benfica defrontam-se na Luz em futsal. Espero um bom jogo e que a diferença de sete pontos entre as duas equipas, em nosso desfavor, faça com que o adversário jogue aberto e na disputa do resultado, ao contrário do que fez na primeira volta, em Odivelas. Se assim for, tenho quase a certeza de que venceremos o derby.

Já vencemos na Luz e já lá fomos campeões. Não sou dos que desvaloriza estes jogos com a desculpa de que "no play-off é que conta". Isso é desculpa de mau perdedor.

Quero ganhar e se perder que isso aconteça porque quisemos, de facto, ganhar fazendo por isso dentro de campo.

É uma boa forma de aquecer para o grande derby de amanhã.

Sporting, tu vais vencer!

Nunca mais é domingo

Será possível passar uma semana em estágio?! É! Raio do tempo que não passa!

Vejam a preview que o NSEBZ nos dá a conhecer através do seu canal do youtube.

 

#EuVouLáEstar

...e vamos ganhar!

Os derbys jogados em casa no novo milénio nem sempre nos têm sido favoráveis, mas acredito que o deste domingo vai equilibrar as contas. Sim, equilibrar. Desde 2000, vencemos 6, empatámos 4 e perdemos por 7 vezes.

Confio que este domingo vamos iniciar uma senda de vitória em derbys. 

Porém, curiosamente, é no campeonato que a nossa percentagem de vitórias é mais baixa (40% de vitórias, 19% de empates; 29% de derrotas) mas nem isso me retira a confiança. A título de curiosidade, em todas as outras competições vencemos 68% dos derbys em nossa casa e no caso específico da Taça de Portugal temos uma estrondosa taxa de 88% de vitórias.

Estes foram os derbys do novo milénio e os respectivos marcadores dos golos, com destaque para Liédson, um verdadeiro caçador de águias.

SCP - SLB Novo milénio.png

Espero que Montero volte a marcar e que possamos novamente festejar num derby com casa cheia.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal