Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Saudades!

Há que assumir sem problemas que tão cedo ou talvez nunca mais tenhamos a possibilidade de testemunhar tanto talento em tão tenra idade num jogador formado pelo Sporting Clube de Portugal.

Talvez porque o futebol mudou ou então por Cristiano Ronaldo ser único e inigualável!

Que saudades de me levantar da cadeira com um simples toque na bola!

Que não seja mais um...

O jogo de hoje entre Portugal e a Argentina tem tudo para ser um grande jogo e um excelente espectáculo e espero que não seja apenas mais um jogo de treino...

Grandes jogadores de ambas as partes e o aliciante de ver de cada um dos lados ois dos melhores jogadores do Mundo.

É incontornável o duelo individual entre Ronaldo e Messi, mas neste momento espero que se concentrem em dar um bom espectáculo, pois os votos para a Bola de Ouro já estarão, na sua grande maioria entregues, visto que as votações terminam esta 6ª feira (não me parece que alguém esteja à espera de um jogo para definir a sua opinião).

É um jogo para colocar o máximo de talento possível em campo. Do lado da Argentina temos Messi, Di Maria, Agüero e o regressado Tévez, das cores portuguesas podemos contar com a magia de Ronaldo, Nani, Quaresma ou Danny.

Temos também os conhecidos Jonathan Silva (que deixou Marcos Rojo de fora da convocatória), Enzo Pérez e Gaitán, que actuam em Portugal.

Eu apostaria no seguinte onze:

POR - ARG.png

Já agora, aposto também numa vitória portuguesa, por números expressivos, para atenuar um registo de encontros que nos é demasiado desfavorável. E um hat-trick de Ronaldo para desfazer as dúvidas dos que têm andado a dormir e ainda não enviaram o voto para o nosso CR7 que tem sido, sem margem para dúvidas, o melhor jogador do ano.

Fraquinho, mas suficiente

Ronaldo Quaresma.jpg

Foi melhor o resultado do que a exibição, aquele de ontem da selecção nacional portuguesa.

Já se esperava uma Arménia a defender com onze jogadores atrás da linha da bola e a tentar explorar o contra-ataque...foi o que aconteceu. Portugal tinha a lição estudada e Fernando Santos terá tentado fornecer à equipa as noções tácticas para que contornássemos as linhas arménias, no entanto faltou alguma dinâmica e algum acerto nos movimentos sem bola, que neste tipo de jogos são mais importantes do que o que se faz com a 'redondinha' nos pés.

Acabamos por ser felizes num lance em que estão envolvidos três jogadores que me dão um gozo tremendo poder ver na nossa selecção...Quaresma, Nani e Ronaldo! Três produtos da escola do Sporting Clube de Portugal e os três mais talentosos da nossa selecção. Tendo em conta o desempenho de Danny nos jogos da era Fernando Santos, julgo que está na hora de dar lugar ao cigano e fazer de Nani o 10 de Portugal.

Estamos neste momento em boa posição para garantir a qualificação e embora gostasse de ver um jogo com maior qualidade exibicional, desde que ganhemos, podem guardar o futebol espectáculo para o Euro francês, já agora com bons resultados também.

Entre o Algarve e Manchester

Aproxima-se mais um jogo da selecção nacional de futebol. Depois do mau início frente à Albânia, todos os jogos são de extrema importância, de forma a evitar a surpresa que seria para o Mundo ver Portugal não ir a uma grande competição.

Todo o cuidado é pouco e apesar do claro favoritismo e do facto incontornável que é contar com o melhor jogador do Mundo, nada é garantido.

O jogo com a Arménia, a disputar no Estádio Algarve é para encarar com a máxima seriedade e empenho total.

Estes são os convocados por Fernando Santos para esta dupla jornada (que contempla também o amigável com a Argentina, a disputar na cidade de Manchester, em Old Trafford):

Convocados selecção.jpg

As estreias absolutas de Tiago Gomes e Raphaël Guerreiro não são propriamente surpresas. Face à indisponibilidade dos habituais convocados para a lateral esquerda, o engenheiro não teve problemas em chamar o titular dos sub-21 e o atual titular da posição no Sporting de Braga.

Destaque para os regressos de José Bosingwa e Hélder Postiga. Confesso a minha surpresa com a chamada de Bosingwa, mas é um jogador que tem actuado sempre como titular pelo Trabzonspor e, assim sendo, estará preparado para ajudar a selecção. Hélder Postiga tem jogado regularmente desde que assinou pelo Deportivo e é um regresso que saúdo, pois é claramente a melhor solução para a nossa frente de ataque, onde Éder se mostra inoperante.

Se o jogo com a Arménia é importantíssimo, o jogo com a Argentina é desnecessário. Apesar de ser um jogo de enorme cartaz, que colocará frente-a-frente os dois jogadores que têm lutado pela bola de ouro nos últimos anos, julgo que não será a melhor forma de defender o título de melhor do Mundo de Cristiano Ronaldo.
A Argentina é vice-campeã do Mundo e tem uma equipa rotinada, enquanto que Portugal vem tentando encontrar um novo rumo, depois do descalabro do Mundial do Brasil. Se o objectivo é fazer um tira-teimas, num ano em que o prémio devia ser entregue a Cristiano Ronaldo, pois fez um ano de 2014 bem superior a Messi, este jogo pode apenas vir colocar dúvidas na cabeça de alguns mais indecisos. No entanto será um bom jogo para aferir a verdadeira capacidade da nossa selecção.

Aposto no seguinte '11' para o jogo com a Arménia:

Portugal - Arménia.jpg

 

Super CR7

Aos 29 anos, depois de uma lesão complicada e de praticamente não fazer pré-época. Depois de um primeiro jogo oficial com bons indicadores e uma lesão na Supercopa Espanhola, já se previa o pior. Era o declínio do 'monstro' previsto por muitos e desejado por outros.

Ao fim de 11 jogos oficiais, Cristiano Ronaldo está a fazer o início de época mais produtivo da sua carreira (sim, ouviram bem...de toda a carreira!). Foram 17 golos marcados em 11 jogos (12 deles nos últimos 5)!

Se o início de carreira de CR7 não fazia prever que estivéssemos na presença de um goleador, as últimas têm confirmado que Cristiano tem sido um jogador em construção e em constante evolução.

Os números não mentem e são assombrosos:

2002/2003 (Sporting CP) - 33 jogos / 5 golos

2003/2004 (Manchester United) - 40 jogos / 6 golos

2004/2005 (Manchester United) - 50 jogos / 9 golos

2005/2006 (Manchester United) - 47 jogos / 12 golos

2006/2007 (Manchester United) - 53 jogos / 23 golos

2007/2008 (Manchester United) - 49 jogos / 42 golos

2008/2009 (Manchester United) - 53 jogos / 26 golos

2009/2010 (Real Madrid) - 35 jogos / 33 golos

2010/2011 (Real Madrid) - 54 jogos / 53 golos

2011/2012 (Real Madrid) - 55 jogos / 60 golos

2012/2013 (Real Madrid) - 55 jogos / 55 golos

2013/2014 (Real Madrid) - 47 jogos / 51 golos

2014/2015 (Real Madrid) - 11 jogos / 17 golos

No Sporting e em Manchester, Ronaldo era acima de tudo um jogador que entusiasmava pelo desequilíbrio em transporte de bola, que muitas vezes iniciava as jogadas de ataque e que levantava da cadeira até o mais letárgico dos espectadores com os seus dribles estonteantes. Faltava-lhe alguma objectividade, mas sobrava-lhe talento que lhe permitiu vencer tudo na estadia em Manchester e levá-lo ao Real Madrid numa mega-operação financeira e de marketing que cedo teve o retorno, tanto na vertente financeira, quanto na desportiva.

Em Madrid têm sido sucessivamente montadas equipas à volta de Cristiano Ronaldo. Ele é a estrela da companhia, o centro do negócio e da equipa. E não defrauda as expectativas.
Deixámos de ver um extremo desequilibrdor para vermos um avançado mortífero com lampejos de magia. Desde que aterrou em Madrid, Cristiano marcou 269 golos em 257 jogos oficiais.

A prova de que nada o faz parar nem abranda a sua ambição de continuar a escrever a sua página dourada no futebol mundial é este início de temporada. A equipa foi reforçada com novos estrategas e novas estrelas e Ronaldo continua igual a si próprio. Marca a sua posição e reforça o seu estatuto todos os dias. Nunca se senta à sombra e parte à procura da sua 'sorte'.
Bale tem sido um excelente apoio para o português e têm sabido intrepertar na perfeição o seu papel de segundo plano, sendo um dos que mais vezes assiste o português, não se tentando sobrepôr a ele. Atitude que demoststra grande inteligência e vaticino-lhe grande futuro no Real, fazendo o papel que hoje é do madeirense.

Dizem alguns que lhe falta conquistar algo pela selecção. Claro que falta. Mas não faltará a todos os que o antecederam?!
Ronaldo teve o azar de no topo da sua carreira ter um conjunto de seleccionáveis de qualidade mediana que, ainda assim obtiveram bons resultados. Em 2004 e 2006 fizémos grandes resultados, mas Ronaldo era um 'menino' e não a super-estrela que é hoje. Mesmo que nunca ganhe nada pela selecção será sempre um dos maiores de sempre do futebol mundial!

Tenho pena que em Portugal não seja suficientemente valorizado. As constantes comparações com Eusébio são apenas uma forma de parte da nação benfiquista tentar massajar o ego. Ronaldo é, tal como Eusébio o foi no seu tempo, um dos melhores de sempre. Não me custa admitir a grandeza de Eusébio, embora nunca o tenha visto jogar, mas a pobreza de espírito de muitos não lhes deixa ver a realidade, apenas porque Cristiano Ronaldo nunca vestiu o vermelho dos 6 milhões e em vez disso foi criado no reino do leão.

Cristiano Ronaldo é hoje o maior símbolo nacional! Será recordado no futuro pelos sportinguistas e por muitos portuguses como hoje recordamos e ouvimos falar de Eusébio. Para os pobres de espírito, que não conseguem ver para além da cor clubística, Ronaldo será o melhor...depois de Eusébio. Para o mundo será um dos melhores de sempre!

CR7 está de volta

Deu para ver ontem, no jogo da Supertaça Europeia frente ao Sevilha, que os problemas físicos de Cristiano Ronaldo são parte do passado.

Embora esteja, como todos os outros, ainda em fase de aquecer os motores, já se nota que está como habitualmente uns furos acima da maioria e como se espera quando assim é, fez a diferença e resolveu o jogo com dois golos.

Era um dos troféus europeus que lhe faltava (o outro é a Liga Europa) e pode ser o início de uma época brilhante onde haverão muitos troféus (coletivos e individuais) que vai querer vencer, pois ambição não lhe falta.

Supertaça Europeia, Supertaça de Espanha, Liga Espanhola, Taça do Rei, Campeonato do Mundo de Clubes e Liga dos Campeões são os troféus em disputa este ano, aos quais se juntam a possibilidade de revalidar o título de melhor jogador do Mundo.

Quem disse que depois de ganhar tudo a motivação não será a mesma?! Ronaldo quer sempre mais e depois de ter batido o recorde de golos na Champions, vai querer fazer melhor esta época. Nunca nenhum clube venceu a Champions duas vezes seguidas (desde que deixou de ser Taça do Campoões Europeus) e isso é um excelente tónico. Vencer os 6 títulos e igualar o feito do Barcelona de Guardiola seria incrível e será mais um objetivo a cumprir.

Há motivos mais do que suficientes para acompanhar a época do Real Madrid, no meu caso em especial por causa de CR7, pois não sou grande simpatizante do Madrid.

Halla Ronaldo!

"Nunca pensei que poderia ser campeão do Mundo"

Estas foram palavras do nosso capitão, Cristiano Ronaldo, após o empate com os EUA. Julgo que a possibilidade lhe passou pela cabeça antes do Mundial quando afirmou que acreditava que este podia ser o ano de Portugal. Aquilo com que CR7 não contava (por desconhecimento das reais limitações inerentes à sua lesão ou por acreditar na capacidade de recuperar mais cedo que o esperado) era com a sua (e de alguns dos companheiros) incapacidade física para ajudar a seleção com o seu melhor futebol: "Nos últimos tempos não tenho estado da maneira que esperava. Para mim era fácil, bastava não vir ao Mundial e tinha terminado a época com título de campeão europeu. Estou aqui e dou a cara, como sempre. Ninguém vai ao Mundial sem querer demonstrar o seu futebol, brilhar, correr. Isso é impensável neste grupo, mas há coisas que não se conseguem, como correr mais, ou ter mais qualidade."

Ronaldo "caiu na real" e disse aquilo que quase todos os portugueses já tinham visto: "Temos que ser humildes e saber a capacidade que temos. Neste momento, há melhores seleções e melhores jogadores que os nossos. Somos uma equipa média, se calhar, sim. Seria mentir se dissesse que éramos uma seleção de topo. Temos limitações, lesões... Temos uma equipa limitadíssima!"; "Estamos frustrados e tristes. Sem estar ao melhor nível, não conseguimos competir com as equipas de topo."

CR7 falou também das possibilidades de qualificação para os oitavos-de-final, dizendo: "Matematicamente é possível, mas é uma tarefa quase impossível. No entanto, no futebol tudo pode acontecer. Estamos tristes porque queríamos fazer melhor. Queríamos dar mais, mas ainda está tudo em aberto. Vamos até ao último jogo."

Ouvi alguns comentadores a "descascar" no capitão, dizendo que este se estava a desresponsabilizar e a deitar as culpas das más prestações para o resto dos companheiros. Neste país só se aplaudem os politicamente corretos! Se o Cristiano viesse com o típico discurso de que estava tudo bem, que fora apenas mais um precalço e que tudo era possível, seria melhor?! Não acho! Ronaldo não teve medo de "pôr o dedo na ferida" mesmo que, para alguns, seja fácil apontar-lhe o dedo e vir com a conversa que ele responde melhor em campo do que em conferências de imprensa.

Cristiano Ronaldo não tem, de facto, o dom da palavra mas disse aquilo que todos os outros e sobretudo o nosso selecionador nunca terá coragem de admitir: Não somos uma equipa de topo!

 

Eu e CR7

Leem o título e pensam: "Mas o que é que este gajo tem em comum com o Cristiano Ronaldo?" Nada, excepto aquilo de que certamente só eu me recordo.

Joguei futebol federado desde os 10 anos e aos 13 surguiu a oportunidade de ir treinar ao Sporting Clube de Portugal. Após uma observação, eu e dois colegas de equipa fomos prestar provas com o plantel de iniciados. Entrei pela mítica 10A. Num gabinete, foram-me pedidos os meus dados, transmitidos alguns valores que me ajudariam (caso viesse e vestir oficialmente a "verde e branca") e foi-me dado o exemplo do expoente máximo do que tem de ser "um jogador formado no Sporting". As palavras foram mais ou menos estas: "Miúdo, vêm cá treinar muitos jovens... se queres ficar, tens de mostrar o teu valor! Mas tens também de ter muita vontade, espírito de sacrifício e coragem. Temos aí um miúdo que veio muito novo da Madeira. Ao início foi muito complicado para ele, mas ultrapassou as dificuldades e tem um grande futuro pela frente. Se queres cá ficar, tens de ser como ele!".

Tenho 29 anos (os mesmos que Ronaldo) e, nessa altura, já se falava nele fora do círculo de Alvalade.

Equipámos com o plantel num balneário improvisado debaixo das bancadas. Seria impossível não me lembrar, pois o teto era "às escadinhas". Éramos muitos para pouco espaço e fomos equipando uns de cada vez. Vesti o equipamento de treino e esperei no corredor pelos restantes para subirmos juntos ao relvado anexo ao estádio. Subitamente, um dos jogadores dirige-se a mim:

Ele - Jogas a que posição?

Eu - Ponta de lança

Ele - (fazendo peito e olhando para um companheiro) Olha, mais um para a minha posição!

É escusado dizer quem era. O miúdo já tinha pinta e tiques de craque. Aquilo motivou-me e até fiz um bom treino (4 golos na peladinha). Ao mesmo tempo, foi-me permitido assistir a um treino daquele que é hoje o melhor do mundo. A bola era dele, só dele, e ninguém lha tirava. Foi demais!

Não fiquei porque não bastava ser bom, teria de ser craque, fora de série. No fundo, teria de ser "apenas" como o miúdo da Madeira.

Voltei a treinar no Sporting aos 16 anos, mas não foi igual... Deu para espreitar os cantos da nova Academia de Alcochete e para vestir um novinho equipamento do Sporting, com o 7 nas costas (o meu preferido)! Não foi de forma oficial, mas o orgulho foi o mesmo! Só faltou lá aquele miúdo magrinho e alto para me dizer que o lugar já tinha dono!

Mais sobre mim

imagem de perfil