Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Déjà vu: um dia repleto de Sporting

Eu já vi este filme! Não tentem dizer-me que não...

Os rapazes de verde-e-branco de patins calçados e stick em punho. Uma meia-final em casa do adversário. O Reus como possível oponente na final.

Eu já vi este filme! E fiquei muito feliz no final!

 

Admito, o Sporting não é o favorito a vencer a Liga Europeia de hóquei em patins. Do outro lado está a equipa do Porto, crónico finalista (sempre vencido desde a nova designação) e actual líder do campeonato nacional. 

O Porto tem oito finais perdidas nos últimos vinte e um anos, duas delas perdidas em casa. Uma para o Bercelona (o último dos presentes na final-four deste ano) e outra para o Benfica.

Resumindo, teremos de ultrapassar a equipa da casa, campeã nacional em título e líder do nosso campeonato para depois nos cruzarmos com o campeão europeu ou o actual campeão espanhol, que também lidera destacado a OK Liga deste ano.

 

O Sporting é o underdog e já se deu bem com este estatuto.

Eu já vi este filme! E acaba com o levantar de uma taça e pessoas a chorar de alegria. No ringue e em casa.

Não tenham medo de ser felizes!

 

Mas nem só de uma meia-final europeia se faz este, sábado, que tem três derbies decisivos, dois deles em meias-finais da taça de Portugal. As equipas masculina e feminina tentarão, em Gondomar, ultrapassar o eterno rival e marcar ambos presença nas respectivas finais da prova rainha.

Também a contar para a Taça de Portugal joga a equipa de futebol feminino, que enfrentará o Estoril, um osso que se tem mostrado bem duro de roer.

 

Mas há mais, muito mais, como se pode comprovar com uma Agenda Leonina (link) com 49 eventos desportivos para acompanhar este sábado.

 

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Dia da liberdade também é dia de Sporting

Começo por, mais uma vez, lamentar a falta de informação nas páginas do Sporting, seja na oficial do Clube como na das respectivas modalidades.

Para além disso, lamento que a Sporting TV volte a ignorar um dia com 21 (pelo menos) eventos desportivos do Clube, não se esforçando por transmitir em directo nenhum dos 11 eventos que o Sporting disputa em sua casa.

Agenda 1.png

Agenda 2.png

Agenda 3.png

Agenda 4.png

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Não há margem de erro. O Sporting já tem 53 jogos disputados esta época mas faltam apenas mais seis que, se tudo correr bem, serão sete. 

Há, neste momento, um desgaste tremendo entre os jogadores mais utilizadose, para se ter uma noção, em 2015/16, a média de minutos de utilização entre os 15 jogadores mais utilizados era de 2617 (semelhante aos 2595 da temporada passada). Este ano Jesus sobrecarregou os 15 mais utilizados com, em média, mais de 3000 minutos (3006, para ser mais preciso).

Hoje temos 11 jogadores com mais de 3000 minutos de jogo, enquanto que, nas duas temporadas anteriores, apenas 5 ultrapassaram essa fasquia em cada época. Sinal claro de menor rotatividade, numa temporada em que se preparou tudo para ter um plantel mais profundo mas onde muitos jogadores nunca foram opção para Jorge Jesus. As lesões limitaram essa rotatividade mas não são desculpa para que tenhamos o restante do plantel com menos de 1400 minutos cada.

 

Seja como for, não é já tempo de fazer essa rotatividade. Há que assumir que Jesus apostou sempre nos que mais confiava e vai continuar a fazê-lo, admitindo que isso possa ter consequências na preparação da próxima época, visto que Rui Patrício, Sebastián Coates, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Marcos Acuña acabarão a época com mais de 4000 minutos disputados e um Mundial pela frente, antes de se voltarem a apresentar em Alcochete para a pré-temporada.

Que sirva de exemplo para o futuro e não se voltem a cometer os mesmos erros, nem de gestão nem de abordagem ao mercado. O Sporting tem jogadores de valor nos seus quadros que merecem mais tempo de utilização e melhores oportunidades para evoluir e nos ajudar.

 

Hoje teremos um jogo muito complicado. O Belenenses de Silas empatou em casa com o Benfica e venceu o Porto. Iremos a Belém com avisos sérios e a saber com que contar.

Teremos de fazer o que nenhum dos rivais conseguiu e ganhar pontos a algum deles ou a ambos, visto que se defrontam duas horas antes, no Estádio do Benfica.

É importante garantir o segundo lugar para preparar a próxima temporada com a Champions em pano de fundo. Eu acredito que voltaremos a ouvir o hino da Champions em 2018/19!

 

Consulta toda a actividade na Agenda Leonina (link). Há mais motivos de interesse.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Agenda Leonina

Agenda 1.png

Agenda 2.png

Agenda 3.png

Agenda 4.png

Agenda 5.png

 

GUIA TORNEIOS DE PÁSCOA - FUTEBOL

 

SUB-14 / TORNEIO INTERNACIONAL CD VF ROSÁRIO
11:15h - SPORTING CP vs Dínamo de Moscovo - FINAL (Relato LINK)

SUB-17 / ABN AMRO FUTURE CUP
12:30h - SPORTING CP vs Sydney FC - FASE GRUPOS

SUB-17 / TORNEIO INTERNACIONAL REAL SOCIEDAD
15:30h - SPORTING CP vs Real Sociedad - 3º GrB vs 1º GrA

SUB-13 / TORNEIO INTERNACIONAL PONTINHA
16:30h - SPORTING CP vs Levante - FINAL (Live - SPORT TV 1)

SUB-13 / TORNEIO INTERNACIONAL REAL SOCIEDAD
19:00h - SPORTING CP vs Real Madrid - FASE GRUPOS

 

FUTEBOL DE PRAIA / SESIMBRA CUP
12:00h - SPORTING CP vs Casa Benfica Loures - FINAL (Live LINK)

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

O prato forte é o derby

Já depois de Anri Egutidze mostrar a força do leão na Alemanha (se bater o pé ao nº 3 do Mundo, tudo poderá acontecer...), será a vez do futsal, com quatro campeões da Europa de cada lado, nos oferecer o prato forte do dia; o derby eterno, o jogo de todas as emoções, aquele que todos querem ganhar. 

Depois, o goalball regressará à Sporting TV, o hóquei aquecerá o João Rocha, o voleibol enfrentará o Espinho na Nave (que não é a saudosa), o andebol voltará a preencher as bancadas da nossa "Nave" futurista e as miúdas da bola espalharão magia na quadra e no relvado.

(Este é um bom momento para consultares a Agenda Leonina e veres aquilo que não queres perder num dia tão cheio, que não vais saber para onde te virar - LINK)

 

Voltemos ao petisco do dia, que pode ser gourmet ou até vegan, consoante o gosto de cada um.

Em 30 jogos oficiais esta temporada, o Sporting de Nuno Dias só perdeu um jogo, tendo ganho os outros 29. Essa derrota significou um troféu perdido e por aqui se vê a exigência que reina na secção de futsal. Uma derrota que significou a perda de um título para o rival e um balão de oxigénio para os seus jogadores, à época algo descrentes das suas capacidades.

 

Desde que Nuno Dias chegou ao Sporting, em 2012, temos sido hegemónicos, muitas vezes demolidores. 

A nossa superioridade é de tal maneira evidente (e palpável) que seria de esperar um desnível maior nos embates com o eterno rival, no entanto, desde 2012 o Sporting tem apenas mais cinco vitórias que o Benfica. Dos oito empates, quatro resultaram em vitórias para os encarnados nas grandes penalidades e o Sporting apenas foi feliz por uma vez em ocasião idêntica. As vitórias nas penalidades equilibram a contenda, tendo o Sporting uma vantagem de duas vitórias sobre as águias (16 vs 14).

 

Três destas vitórias foram esta temporada (os encarnados perderam quatro jogos no total) e permitiram a Nuno Dias passar finalmente para a frente de Joel Rocha nos confrontos directos (se contarmos com os desempates nas penalidades, Joel Rocha continua a ter vantagem). Desde que o treinador do Benfica trocou o Fundão por Lisboa que o Sporting de Nuno Dias deixou de ser avassalador nos derbies (6 vitórias, 1 empate e 2 derrotas nas duas épocas anteriores) e tem mostrado algumas dificuldades em ultrapassar o rival, mesmo tendo sempre mais qualidade individual e colectiva.

Os jogos são sempre "taco-a-taco" e geralmente decididos nos detalhes, acabando com um empate ou uma vitória pela margem mínima. Foi assim em 18 dos 24 jogos, sinal do equilíbrio de forças que têm sido os embates com o Benfica desde então.

 

Joel Rocha, tenho de o dizer, é um homem inteligente na abordagem aos jogos connosco. Sabe que é inferior, não arrisca, explora o erro e entrega as despesas do jogo ao Sporting, que se sente confortável a assumir o jogo mas, perante adversários mais capazes que os habituais (como o Benfica), a exposição ao erro que um jogo de domínio constante provoca faz com que o Benfica aproveite melhor os nossos erros, nunca se expondo da mesma forma que nós.

O senhor do pullover é um borrado e nunca saberemos se arriscaria tentar dominar o Sporting durante a maior parte dos 40 minutos. Eu acredito que ele nunca teria essa ousadia, nem que os jogadores de um lado e outro trocassem de camisolas por um dia e, também por isso, acho que Nuno Dias deveria ter um plano B, que deixasse mais a nu as fragilidades dos encarnados, que são bastantes mais e mais evidentes que as nossas.

 

Há muito tempo que defendo a oferta do mesmo veneno ao nosso adversário, em períodos mais largos do jogo e não apenas por força do Benfica, aqui e ali, se conseguir colocar "por cima" no jogo.

Dar a bola aos encarnados é um renegar da nossa matriz de jogo, daquilo que Nuno Dias trouxe desde o início para este Sporting, um verdadeiro contra-senso mas não estará na hora de provocar mais o erro e deixar o Benfica mais desconfortável no jogo? Eu acho que sim.

Se conseguirmos alternar o nosso jogo habitual com períodos de maior iniciativa ofensiva do Benfica, acredito que estaremos mais perto de vincar a nossa superioridade, consubstanciando-a em números mais expressivos.

O Benfica não gosta de assumir o jogo nos encontros com equipas superiores. Não se sente confortável nesse registo. Pelo contrário, nota-se uma certa tranquilidade quando assume uma postura expectante e defensiva, explorando sobretudo o ataque rápido, nos momentos de desequilíbrio do adversário.

É por isto que Nuno Dias, enquanto treinador do Sporting, só tem mais uma vitória que o Benfica de Joel Rocha. Está na hora de os obrigar a, aqui e ali, provar do próprio veneno e isso vai deixá-los tão "atarantados" que estaremos mais próximos de ganhar os jogos folgadamente.

 

Teremos jogadores experientes e mais do que habituados a estes jogos de ambos os lados e aqueles que melhor explorarem os detalhes, as debilidades do conjunto oposto, estarão mais perto de ser felizes.

Hoje espero que volte a cair para o nosso lado e, se querem uma estatística positiva, em sete jogos na Luz desde que é Joel Rocha o treinador, o Sporting ganhou mais vezes do que perdeu (3 vs 2), tendo empatado por duas ocasiões.

Que seja uma boa forma de começar a tarde, que se estenderá até à noite com muitos motivos de interesse no universo leonino. O difícil vai ser acompanhar tudo.

 

SPOOOOOOOOOOOOORTING!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Dér(bi)

Hoje é dia de dérbi...a dobrar. O voleibol desloca-se à Luz para defender a liderança e o hóquei em patins recebe o Benfica também com o propósito de manter a liderança e a invencibilidade na prova.

Os jogos vão sobrepor-se e obrigarão todos nós a manter o PC, tablet ou telemóvel em funcionamento, ao mesmo tempo que acompanharemos, na Sporting TV, o hóquei (18h). O voleibol tem transmissão às 17h, na BTV.

 

No voleibol, Hugo Silva, treinador do Sporting, frisou que a equipa tem crescido e que a receita para hoje passa por continuar a fazer o jogo que tem feito nos restantes encontros, ressalvando que foi alguma ingenuidade nos momentos de maior stress competitivo que levaram o último dérbi a cair para o lado do Benfica.

Até agora, e após o regresso do Sporting à modalidade, foram dois os dérbis que se realizaram entre águias e leões. O primeiro no Pavilhão João Rocha, a abrir o campeonato, que caiu para o Sporting, e o segundo, no Pavilhão da Luz, para os oitavos de final da Taça de Portugal, que caiu para o Benfica.

Nestes dois jogos, três curiosidades que saltam à vista. Ambos os jogos terminaram 3x1, ambos caíram para a equipa visitada e ambos tiveram um set decidido nas vantagens, acima dos 30 pontos.

Agora, no Dia de Reis, Benfica e Sporting jogam o desempate e a liderança no Pavilhão da Luz. Liderança essa que passou para o poder dos leões antes do Natal, quando acertou calendário com o São Mamede. O Sporting leva uma derrota na prova (com o Espinho) e o Benfica leva duas, numa diferença que está fixada num ponto.

Os dados estão lançados e há, pelo menos, uma certeza. Este será um embate entre dois históricos emblemas do panorama desportivo nacional, de onde apenas um sairá vencedor... e líder.

 

No hóquei, invicto, o Sporting recebe o Benfica que, não esqueçamos, é uma equipa mais habituada a momentos de decisão e grande pressão, tendo recentemente vencido a Taça Intercontinental, frente ao actual campeão europeu, o Reus, de Espanha.

«Se não nos permitirmos sonhar é porque estamos a fazer qualquer coisa mal. Mas o título é mais do que um sonho. É trabalho, qualidade, responsabilidade, compromisso e atitude. Um conjunto de argumentos que temos demonstrado. No sábado vamos disputar o dérbi dos dérbis. Ainda assim, se pensarmos de forma pragmática, que é a forma como gosto de pensar, este é um encontro que vale três pontos. Trabalhar em cima de vitórias é diferente. Até agora, não conhecemos outro resultado, daí o facto de haver boa disposição, pese embora a responsabilidade esteja sempre presente»

Estas foram as declarações de Paulo Freitas, treinador do Sporting, na antevisão ao dérbi.

O Sporting só sabe vencer mas ainda não encontrou pela frente nenhuma das verdadeiras dificuldades deste campeonato, enquanto que o Benfica terminará hoje o ciclo de confrontos entre os principais candidatos ao título sendo que, até ao momento, empatou com Oliveirense e venceu o Porto, actual campeão nacional e vencedor, já esta época, da Supertaça.

Tenho expectativas elevadas para este encontro e para esta equipa de hóquei em patins, que me parece finalmente equilibrada e construída com maior realismo. Sendo que a maior parte dos melhores atacantes a nível mundial alinham nos rivais, o Sporting apostou mais forte na defesa, com jogadores de grande valia e sentido de compromisso.

A equipa de Paulo Freitas é a melhor defesa do hóquei em patins europeu e está na hora de colocar verdadeiramente à prova esse estatuto, frente a uma equipa que não se tem apresentado tão poderosa no ataque como em épocas anteriores.

Há, no entanto, que ter em atenção o tridente ofensivo composto por João Rodrigues, o espanhol Adroher e o argentino Nicolía sendo que, no caso do último, teremos ainda de contar com elaborados números de ilusionismo, nos quais algumas duplas de árbitros nacionais continuam a cair ou a participar (não se percebe bem).

Seja como for, acredito muito na nossa coesão e capacidade de sofrer a defender, confiando em cada um dos intervenientes.

Se há modalidade que vivo com a mesma intensidade do futebol, é o hóquei em patins. Estou com um nervoso miudinho idêntico (talvez até superior) ao da passada quarta-feira.

 

Agenda Leonina.png

Se quiserem consultar a Agenda Leonina completa para o dia de hoje (e seguintes), podem fazê-lo AQUI.

Bom fim-de-semana!

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil