Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Trofense 1 Sporting CP B 1

Foi pena, pois poderíamos ter igualado a União da Madeira no 4º lugar.

Ao que parece o jogo foi de sentido único, o da baliza do Trofense. Como quem não marca, sofre, acabámos por não conseguir segurar a magra vantagem alcançada através do inevitável Diego Rubio.

Foi através de uma grande penalidade cometida por Sambinha que os da Trofa chegaram à igualdade, resultado que não se alterou até final.

Sporting CP B 1 Chaves 1

Mais uma boa exibição da nossa equipa B, frente ao primeiro classificado da 2ª Liga.

Após uma primeira parte em que o Chaves jogou melhor mas na qual soubemos ser coesos na defesa, assistimos a uma excelente segunda parte dos nossos jovens, que mostram já grande maturidade, entrosamento e dão indicadores claros de evolução.

Mais uma vez, Diego Rubio mostrou que é jogador de 1ª Liga. Grande mobilidade, bom jogo de costas para a baliza, serve bem os companheiros e faz bem aquilo que qualquer ponta-de-lança tem de saber fazer...o golo. E que grande golo marcou hoje, num tiro de fora da área.

João Palhinha surpreendeu-me novamente pela positiva. Querem ver que temos nele um substituto de William Carvalho?! Grande envergadura física, enorme capacidade de recuperação de bolas, técnica e capacidade de progressão em posse. Grande jogo do miúdo!

Muitos outros se destacaram, mas estes dois foram os que mais me encheram as medidas. 

Depois, grande treinador que temos. Nota-se trabalho, muito trabalho com estes miúdos! E agora, com um plantel mais estável é evidente que João de Deus foi uma óptima escolha para liderar esta equipa B. Tem gerido bem o plantel, antes longo, agora mais adequado em número de jogadores e tem trabalhado bem a motivação dos jovens, mesmo com a integração pontual de elementos da equipa principal.

Nota-se que a experiência adquirida como treinador de formação e as experiências positivas na 2ª Liga, bem como o facto de já ter treinado na primeira categoria do futebol português lhe deram 'bagagem' para ser, como tem mostrado, o homem certo no lugar certo.

Como tinha dito há meses, bastava ser paciente para esperar pelos resultados. Já se notam!

Discurso de exigência. Gosto muito!

Não foi um jogo bem conseguido da nossa parte. Entrámos bem e com qualidade mas depois relaxámos com o 2-0 a nosso favor, como de resto tem acontecido. Não temos tido a capacidade de sermos consistentes durante 90 minutos. O terceiro golo acabou por ser injusto porque após a expulsão baixámos as linhas defensivas e deixámos de ter ímpeto ofensivo. Podíamos ter feito mais e melhor”.

A equipa achou que estava a ser fácil. Pusemos o jogo como queríamos, a vencer desde muito cedo, mas fizemos o mais difícil através de erros individuais que poderiam ter deitado tudo a perder. Valeu-nos o grande golo do Sacko”.


João de Deus, após a vitória de ontem frente ao Beira-Mar por 3-2.

Sporting CP B 3 Beira-Mar 2

Vou aproveitar o jogo de ontem para fazer um pequeno balanço da época da nossa equipa B. 

Antes disso, devo dizer que foi uma boa vitória. Depois de uma boa entrada no jogo, 25 minutos de bom nível e de domínio sobre o adversário deixámo-nos dominar e o intervalo acabou por chegar em boa altura. Convém dizer que Wallyson e Rubio marcaram ainda dentro do primeiro quarto de hora. Dois golos com participação decisiva de Gelson Martins. O Beira-Mar reduziu ainda antes do intervalo de livre directo, após falta de Rabia que viu cartão amarelo.

Após nova falta de Rabia, desta vez dentro da área, os aveirenses restabeleceram a igualdade no marcador. O egípcio viu o segundo cartão amarelo e consequente vermelho e, mais uma vez, o Sporting viu-se a jogar com menos um, quando ainda faltavam cerca de 30 minutos para o final do encontro (situação recorrente esta temporada).

Foi tempo de reorganizar a equipa (Mica já tinha dado lugar a Riquicho). Palhilha entrou para o lugar de Geraldes para reforçar o poder defensivo do nosso meio-campo e a verdade é que passámos a ganhar mais bolas ao adversário. Com o aproximar do final do encontro e vendo que o adversário parecia satisfeito com o empate, foi João de Deus que jogou a cartada final na tentativa de ser bem sucedido. Hadi Sacko substituiu Dramé, que tinha feita até então uma exibição muito fraca e mexeu no jogo com a sua velocidade e verticalidade. Era tempo de apostar no contra-ataque e o francês revelou-se aposta ganha. Foi já dentro do período de descontos que, depois de excelente trabalho de Wallyson, o francês marcou o golo da tarde e resolveu o jogo, arrecadando os três pontos para a turma de verde-e-branco.

Podem consultar aqui o resumo do jogo de ontem.

Neste momento ocupamos o 11º lugar da tabela com 42 pontos, a dois pontos de Benfica B (5º), com mais um que o Porto B (12) e a oito de Tondela e Chaves (1º e 2º).

Equipa B 2014-2015 27J.png

 

Este era o cenário há 28ª jornada da temporada passada, a melhor em termos pontuais, desde o regresso das equipas B (recordo que este ano a 2ª Liga tem mais duas equipas, pelo que as contas no final terão de levar isso em consideração).

Equipa B 2013-2014 27J.png

 

Neste momento, e numa época bastante atribulada em que só foi possível contratar um treinador com a época a decorrer, tendo Francisco Barão assumido interinamente o cargo de treinador principal numa primeira fase do campeonato, temos apenas menos quatro pontos que na temporada transacta.

Isto numa época de grandes dificuldades, onde a dificuldade em colocar jogadores por empréstimo nos obrigou a chegar ao final do ano a trabalhar com excesso de 'mão de obra', numa situação sempre difícil de gerir para os treinadores. A chegada de João de Deus não só foi benéfica na gestão dos imensos recursos como contribuiu para estabilizar a equipa e melhorar o futebol praticado.

Com a reorganização do plantel no mercado de Janeiro, muitos jogadores saíram (a maioria por empréstimo), facto que dará ao treinador melhores condições para desenvolver o seu trabalho, que visa o desenvolvimento dos nossos jovens jogadores.

Os regressos de Rubio e Zezinho são um claro upgrade para as opções do técnico.
Rubio tem quatro golos em apenas cinco jogos e já ultrapassou as marcas de Cissé e Enoh (ambos tinham marcado apenas três golos cada um), aproximando-se de Sacko, o melhor marcador da equipa com sete tiros certeiros. Convém dizer que Rubio, depois de empréstimos castradores a equipas demasiado fracas, conseguiu evoluir em cenários totalmente desfavoráveis. Está mais jogador e mostra-se comprometido com os objectivos da equipa, em vez de chegar triste ou desmotivado pelo pouco empenho do clube na sua evolução como jogador. Espero que saibamos aproveitar o chileno que, para além de um bom jogador parece revelar um grande carácter e profissionalismo.
Já Zezinho chegou completamente fora de forma e precisará de mais tempo para mostrar o seu valor. Já mostrou no passado que tem qualidade e espero que consiga fazer sobressair todo o potencial que lhe reconheço.

Os capitães Mica Pinto e Nuno Reis parecem-me elementos importantes de estabilização desta equipa. Embora nenhum dos dois pareça ter valor suficiente para um dia se afirmarem na primeira equipa do Sporting, são ambos bons jogadores que contribuem com a experiência que falta à maioria dos colegas.

Depois há os casos de Wallyson e Ryan Gauld que cresceram muito no decorrer da temporada e mostram que podem ser opção imediata e certezas para a próxima temporada.

Ver jogadores como Francisco Geraldes, João Palhinha, Mauro Riquicho, Daniel Podence e Gelson Martins deixam-me descansado quanto ao futuro. Mostram já imensa qualidade quando estamos na presença de jogadores que realizam a sua primeira temporada como seniores.

Sacko e Rabia parecem ter valor para se poderem vir a afirmar e confesso que Dramé se mantém, para mim, uma incógnita.

Julgo que temos tudo para melhorar o registo da temporada passada, num contexto de maiores dificuldades e maior instabilidade (felizmente já substituídos por um período mais estável e potenciador dos valores individuais) e acho que podemos neste momento avaliar o trabalho de João de Deus como muito positivo e um valor a manter para o futuro.

Sporting B 0 Braga B 0

Quem vê com atenção jogos da nossa 2ª Liga, facilmente percebe que os jogos não primam pela qualidade do futebol apresentado.

No nosso caso (e no caso específico das equipas B) o que nos sobra em qualidade, falta-nos em experiência. E amigos, se há factor importante neste campeonato, é a experiência. Por isso é que a competitividade desta 2ª Liga é um pau de dois bicos, pois é uma competitividade relativa, pautada pela mediocridade, jogada muitas vezes em campos pouco próprios para apresentar um jogo de qualidade.

Por isso vejo os jogos com algum desprendimento quanto ao resultado, como se de um jogo dos juniores se tratasse.

O de ontem foi fraco em qualidade, mas bom para ver que há mais para além de Gauld, Wallyson, Esgaio ou Iuri.

Francisco Geraldes e Gelson Martins tiveram óptimos apontamentos, jogando ambos no centro do terreno. Geraldes como '8' e Gelson como um '10 vagabundo'. O resto pareceu uma manta de retalhos, mas se soubermos atentar aos pormenores e conseguirmos ver além da ponta do iceberg, facilmente descortinamos qualidade, muita qualidade.

Julgo que a política de empréstimos adoptada até ao final do fecho desta janela de transferências será muito importante para a evolução de outros jogadores menos utilizados na B e, no fim, sairão a ganhar os jogadores e o Sporting.

Sporting B 0 Benfica B 1

Onze inicial:

Luís Ribeiro, Mauro Riquicho, Nuno Reis, Ramy Rabia, Mica Pinto, Fokobo, Chaby, Iuri Medeiros, Sacko, Dramé, Cissé

Suplentes:

Guilherme Oliveira, Sambinha, Seejou King, Francisco Geraldes, Gelson Martins, Podence, Enoh

10 minutos - Com as equipas ainda a tentar encaixar uma na outra o Benfica já se adiantou, por intermédio de Fábio Cardoso, numa segunda bola ganha dentro da grande área. Resultado: 0-1

20 minutos - O Sporting já assumiu o domínio do jogo, tendo em conta que tem de correr atrás do prejuízo. Já criámos duas situações para empatar mas não finalizamos devidamente. 

30 minutos - O Sporting continua mais forte. Chega bem a zonas adiantadas mas a decisão no aproximar da área adversária nem sempre é a melhor.
Entretanto, mais uma segunda bola na nossa área e o Benfica quase faz o 0-2.

40 minutos - Sai Chaby e entra Gelson Martins

Intervalo - Jogo fraco de ambas as partes, embora os momentos de melhor futebol tenham sido do Sporting. O Benfica aproveitou bem uma desatenção da defesa leonina e vence por 0-1.

60 minutos - Sai Dramé e entra Podence.
Pressão forte e domínio total do Sporting porém, sem resultados práticos. O jogo já devia estar empatado com oportunidades tão flagrantes.
O Benfica abdicou do jogo desde que marcou o golo. É quase só pontapé para a frente.

75 minutos - Já entrou Enoh para o lugar de Mica Pinto para tentar o tudo por tudo.
Até agora não resultou e o jogo continua na mesma toada. Só dá Sporting!

Final do jogo - Uma segunda parte que foi um verdadeiro massacre, mas onde nunca houva serenidade suficiente para concretizar as inúmeras oportunidades criadas. O Sporting poderia e deveria ter ganho o jogo, no entanto, acaba por perder.

Resultado final - 0-1

Melhores exibições do Sporting: Rabia, Nuno Reis, Riquicho, Sacko, Iuri Medeiros e Gelson Martins.

Oriental 3 Sporting B 4

Regresso às vitórias da nossa equipa B. Quem por aqui passa regularmente sabe que não partilho da visão trágica que alguns têm desta equipa B, pois não me limito a olhar os resultados e avaliar por aí. É óbvio que somos inconsistentes, cometemos infantilidades mas também temos momentos positivos.

E para os profetas da desgraça, que dizia que não ganhávamos a ninguém e pior que isso, nem um golo marcávamos (sim, eu sei que não é mito o facto de estarmos há seis jogos sem marcar) hoje a equipa respondeu com quatro golos em apenas cinco remates (eficácia de 80%).

Isto não quer dizer que, agora que se ganhou, esteja tudo bem. Cometemos muitos erros, essencialmente defensivos, em grande parte motivados pelas nossas movimentações deficientes e por um posicionamento muitas vezes desadequado, mas compensamos com eficácia ofensiva, querer e união.

Foram quatro bons golos. O primeiro, de Ryan Gauld, num excelente remate de fora da área que fez a bola sobrevoar o guarda-redes do Oriental. O segundo golo chegou após uma jogada que envolveu Cissé, Dramé e que Sacko se encarregou de finalizar. Gelson Martins, embora ainda tenha algumas dificuldades quanto aos momentos de decisão (perfeitamente normais, dado a sua idade e que se encontra, como todos, em processo de evolução do seu jogo) teve a lucidez de em dois momentos tomar a decisão mais correcta ao isolar Cissé e Iuri Medeiros para os terceiro e quarto golos.

Depois foi o sofrimento habitual e as dificuldades defensivas, sobretudo em lances de bola parada, que são sempre motivo de aflição. O resultado acabou por ser uma vitória por 4-3 que acaba por premiar a nossa eficácia e elevar o estado anímico de uma equipa que estava a desanimar.

No final do jogo, foram abraços e sorrisos, perfeitamente naturais, tal como o sentimento de alívio que se viu nas caras dos nossos atletas. Sim, porque a cara de quem ganha nunca é igual à cara de quem perde. Que assim continue, embora saiba que vão vir dias bons e outros menos bons. Que continuem a trabalhar e em breve saberemos quais são os que mais têm convencido Marco Silva...é que a Taça da Liga está quase aí e poderemos ver alguns destes jogadores ter a sua oportunidade na equipa principal.

Sporting B 0 União da Madeira 1

Há que ser honesto e não analisar o jogo apenas pelo resultado. Perdemos com um dos candidatos à subida, uma equipa muito experiente que para conseguir o objectivo contratou o treinador que mais garantias de sucesso dá, não fosse ele o rei das subidas ao escalão máximo português e, consequentemente um homem que conhece esta competição como ninguém.

A verdade é que o Sporting foi superior ao União da Madeira mas perdeu, fruto de uma segunda bola num lance de bola parada.

Depois de uma boa entrada em jogo em que duas ou três boas situações criadas não ofereceram a melhor hipótese de finalização, a União da Madeira pegou no jogo depois do primeiro quarto de hora e teve até ao golo, ascendente na partida. Até ao intervalo o jogo foi um pouco incaracterístico, fruto de mais uma infantilidade de Fabrice Fokobo (digo mais uma, pois a falta de inteligência que demonstra faz com que sejam frequentes) que se expulsou por imprudência e displicência.

A segunda parte foi de domínio total do Sporting, que desperdiçou a possibilidade de empatar a partida por Ricardo Esgaio que, na marcação de uma grande penalidade permitiu a defesa do guarda-redes madeirense (uma bela defesa, diga-se). O volume ofensivo do Sporting foi elevado, não permitindo oportunidades flagrantes apenas por alguma incapacidade de decidir bem no último passe.

O jogo foi durinho e com alguma impetuosidade (principalmente da nossa parte), não podendo nenhum jogador ser acusado de falta de atitude ou intensidade. Confesso que vi alguns bons pormenores no processo ofensivo, com jogadas bem delineadas em que apenas faltou definir melhor no último terço.

Apesar da boa exibição de Salim Cissé, considero importante resgatar Betinho do empréstimo ao Burnley, pois o português não tem tido oportunidades para jogar em Inglaterra e seria, certamente, um acréscimo de qualidade a esta equipa, sobretudo pelo que pode dar na capacidade de finalizar dentro e fora da área.

Wallyson e Gauld foram, na minha opinião os melhores em campo e seguraram sozinhos o nosso meio-campo na segunda parte, atacando e defendendo sempre bem articulados.

Foi pena a derrota, mas julgo que se podem tirar algumas notas positivas deste jogo.

Atlético 5 Sporting B 0

Um fim-de-semana em que as equipas profissionais de futebol do Sporting resolveram envergonhar os adeptos com exibições das quais a maioria dos intervenientes devem, eles próprios, ter vergonha.

A eficácia do Atlético foi elevadíssima e aproveitou para, por cinco vezes, enviar a bola para o fundo das redes de Luis Ribeiro. Parece-me relevante para este desfecho a exibição inacreditavelmente fraca de Rabia, que ofereceu os primeiros dois golos ao Atlético e com isso lhes fez acreditar que bastava forçar um pouco a entrada na zona defensiva leonina, algo que aconteceu e deu frutos para os da tapadinha.

Slavchev já admitiu que tem sentido dificuldades de adaptação, prometendo que vai tentar ultrapassá-las mas não me parece que substituir o búlgaro ao intervalo em todos os jogos lhe renove a confiança.

Ryan Gauld ainda não fez um jogo na sua posição de raiz e, embora não tenha um mau rendimento numa posição mais recuada, parece-me que estamos a retirar ao escocês a criatividade que lhe é inata.

Esgaio é uma sombra do que já lhe vimos e Iuri Medeiros um caso a resolver. Se o esquerdino não treina bem e por isso não é titular (algo que julgo ser verdade) deve ser emprestado em Janeiro para que cresça em maturidade, pois é óbvio que sempre que entra é o mais esclarecido. Se não temos mão nele na Academia, pode ser que o disciplinem fora dela.

Foi um jogo mau, numa altura em que me parecia que a equipa estava a melhorar, mas será necessário muito trabalho para retirar o melhor de alguns elementos.

Sendo a equipa B o último patamar da formação e tendo em conta que o valor não abunda na nossa geração ao serviço da equipa de juniores, será importante corrigir comportamentos, ter cuidado na política de renovações dos jovens da Academia e mostrar-lhes claramente que isto é o Sporting Clube de Portugal, um clube centenário que exige respeito e abnegação sempre que se tem o prazer de envergar a camisola do leão.

NOTA: Já que falamos em formação e em casos problemáticos, aproveito para informar que Ruben Semedo foi expulso, aos 22 minutos, com um cartão vermelho directo no jogo de hoje ao serviço do Reus. Nem os ares do país vizinho fazem bem a este rapaz e não sei se não será quase um caso perdido.

Sporting B 0 Oliveirense 0

Confesso que a primeira meia hora do jogo de hoje me deixou esperanças quanto ao futuro desta equipa B. Vi movimentações com sentido no processo ofensivo e um bom sentido posicional na transição defensiva, tendo faltado apenas acutilância na área adversária. Gostava de ter visto maior capacidade no último passe, pois com essa falha, foram poucas as oportunidades de golo. Mesmo assim, após cruzamento de Ricardo Esgaio, Cissé teve nos pés a possibilidade de inaugurar o marcador, mas de forma displicente, colocou a bola nas mão do guarda-redes adversário.

A segunda parte foi algo incaracterística com muitos passes falhados e pressa a mais na tentativa de chegar a zonas de finalização, algo que, fruto de alguma intranquilidade, acabámos por fazer muito raramente.

Tendo em conta que o adversário tem aspirações à subida de divisão, tenho e dizer que o futebol praticado pelos de Oliveira de Azeméis é miserável. Frente a uma equipa como a nossa, que mesmo tendo qualidade é inexperiente, a Oliveirense limitou-se a defender e nem procurou forçar erros à nossa equipa.

Confesso que embora veja qualidades em Ryan Gauld para fazer a posição 8, não me parece neste momento o melhor lugar para ajudar a equipa. Gauld é fortíssimo no último passe e aparece bem em zonas de finalização e o papel que lhe é atribuído afasta-o de zonas mais adiantadas do terreno. No entanto, parece-me ter grande cultura táctica e se a ideia for fazer dele uma espécie de Modric, assino já por baixo (devo dizer que têm algumas semelhanças e ambos começaram por pisar terrenos mais adiantados).

Não houve ninguém que se destacasse muito dos restantes, no entanto, devo dizer que vejo em Gelson Martins um pouco do que me entusiasmou em Bruma, quando apareceu na nossa equipa B. Seguirei atentamente a sua evolução.

Pela negativa destaco apenas a incapacidade de Slavchev. O próprio já admitiu problemas de integração no futebol português, mas já é tempo de arrepiar caminho e fazer das fraquezas, forças. Anda lá Simeon, não desanimes.

O empate é um resultado negativo, sobretudo tendo em conta que só nós procuramos a vitória. Aguardo com ansiedade pelos próximos jogos, pois julgo que existem grandes possibilidades da equipa se tornar mais consistente. A finalização é um aspecto a rever e tenho a certeza que não é com Cissé e Enoh que o cenário vai mudar. Tendo em conta que o empréstimo de Betinho não lhe está a dar os minutos de jogo necessários à sua evolução, talvez seja um assunto a repensar.

Vitória por 3-0 na estreia de João de Deus

Num jogo em que só tive oportunidade de ver a segunda parte e, ao que parece, a primeira não foi famosa, João de Deus reagiu à fraca produção da equipa e, segundo palavras do próprio, na tentativa de dar mais qualidade na posse de bola leonina, fez entrar Iuri Medeiros ao intervalo.

A presença do esquerdino fez-se notar no imediato e no sexto minuto da segunda parte, o próprio Iuri festeja o 1-0, após excelente passe de Daniel Podence.

O 2-0 chegou aos 60 minutos e foi o culminar do melhor momento leonino no jogo. Os protagonistas foram os mesmos: novo excelente passe de Podence (este miúdo vai ser um caso sério), remate de Iuri defendido pelo guarda-redes e Hadi Sacko apareceu na recarga a marcar o seu primeiro golo com a camisola do Sporting.

A partir daqui os verde e brancos não voltaram a ser os mesmos e a expulsão de Tobias Figueiredo só veio dar força aos de Viseu. Convém dizer que a expulsão de Tobias tem doses iguais de injustiça (pois a falta não é merecedora de amarelo), ingenuidade (a falta é totalmente despropositada e desnecessária) e merecimento (embora a falta que origina o segundo cartão não justificasse a sua amostragem, a verdade é que não teria sido um escândalo que já tivesse sido expulso antes, tal foi a reincidência no jogo faltoso). A própria reacção à expulsão demonstra intranquilidade e descontrolo emocional, tal foi a quantidade de impropérios dirigidos ao árbitro da partida que, de resto, lhe podem valer um castigo mais pesado.

Até ao final do jogo foi um festival de oportunidades perdidas pelo Académico até que o golo acabou por aparecer...na baliza do próprio Académico. Sacko bisou e mostrou ter faro de golo, voltando a responder muito bem a numa recarga a um remate de Cissé.

Quero saudar o regresso de Nuno Reis, defesa-central a quem reconheço qualidade e que podia até integrar o plantel principal, pois para além da qualidade, tem experiência na 1ª Liga e a nível internacional (recordo que, para além e internacional sub-21, foi o capitão da equipa nacional que se sagrou vice-campeã mundial de sub-20 na Colômbia).

Mais uma vez devo dizer que é urgente arranjar um empréstimo para Iuri Medeiros para que este possa jogar num patamar competitivo superior. Nunca joga de início porque provavelmente não é o que mais se aplica nos treinos e mesmo quando joga só mostra o que sabe quando lhe apetece. Sair debaixo da saia da mãe fará com que cresça rapidamente e se torne naquilo que todos sabemos que pode vir a ser.

João de Deus tem muito trabalho pela frente e, para já, foi bom começar com uma boa vitória fora de portas (algo que há muito não acontecia).

 

Hoje joga o Sporting

Hoje é dia de menu completo! Há entrada, sopa e prato principal.

A entrada é servida às 12.30h, com os juniores a defrontarem o Maribor para a Youth League. Esperemos que abra o apetite, pois é esse o efeito que se espera de uma entrada.

Segue-se uma ligeira espera, pois a sopa é servida às 16h, em modo de encontro de 2ª Liga. Mas não espera uma sopa de 2ª. Que esteja bem temperada e que o Chaves - Sporting B nos 'forre' o estômago com uma vitória que deixe água na boca para o prato principal.

Prato principal esse, que é servido às 19.45h, horário no qual não jantávamos há uns anos. Não tenho preferência pela guarnição. Que esteja delicioso e com boa apresentação é o que desejo. A equipa principal jogará novamente a meio da semana na competição mais importante do velho continente e o adversário, o Maribor, recebe-nos em sua casa, na Eslovénia. Será óptimo entrar a vencer e é isso que todos desejamos e ambicionamos. Áqueles que temem a sobrecarga de jogos: tenham calma! Isto é normal e os nossos são tão profissionais quanto os outros (ou mais). Isso não terá qualquer influência e estes são os jogos que toda a gente quer jogar. É jogar, ganhar e focar no Gil Vicente, que é tão ou mais importante que o adversário de amanhã!

Isto sim, é um belo cardápio!

Uma tarde/noite bem passada

Hoje temos um calendário apertado. E nada melhor que um dia cheio para afastar os nervos do dérbi de logo à noite.

15.30h - Beira - Mar / Sporting CP, em directo na SportTV (2ª Liga)

17h - FC Porto / Sporting CP, em directo na ABolaTV (Final do torneio S. Mateus, em Viseu)

19h - SL Benfica / Sporting CP, em directo na BTV (1ª Liga)

Aproveitem e desfrutem dos jogos do nosso grande amor! Sporting sempre!

Tu vais vencer,

podes querer,

porque a nossa força é BRUTAL

Mais de um século

de histórias para contar

Sporting, tu nunca vais acabar!

 

Sporting B 3 Desportivo das Aves 0

Vitória clara da equipa leonina em mais um jogo mal jogado na maior parte do tempo, que só melhorou na 2ª parte, numa fase em que o Aves já tinha abdicado de discutir o jogo e o resultado.

A primeira parte foi muitíssimo fraca e jogada num ritmo extremamente lento. A este ritmo, nem os da "B" se afirmam, nem os da "A" ganham ritmo. No entanto, num lance de bola parada, o estreante Jonathan Silva inaugurou o marcador com um vedadeiro tiro de fora da área. 1-0 no fim do primeiro tempo.

Na segunda parte o ritmo foi um pouco mais intenso, mas nem por isso se jogou muito melhor. Com o 2-0, apontado com sorte por Ryan Gauld (que até fez um jogo bastante fraco) a equipa da Vila das Aves desistiu de lutar e o Sporting dominou o jogo até ao final dos 90 minutos, mas não sem antes ampliar a vantagem para 3 golos de diferença, mercê de um golo pleno de oportunidade de Enoh.

Os destaques individuais vão para o acerto entre os postes de Luis Ribeiro (2 boas defesas que muita segurança dão à linha defensiva) e a sua qualidade a jogar com os pés. Jonathan Silva mostrou que há ali potencial para se tornar num grande lateral esquerdo e marcou um grande golo. A dupla de centrais (Rabia e Tobias) esteve bem, tendo em conta que foi a primeira vez que jogaram juntos. Fokobo, voltou a mostrar que nunca será um médio defensivo aceitável. Gauld esteve muitos furos abaixo daquilo que tem mostrado e nem o golo melhorou a exibição (foi um remate de sorte, que iria para as mão de Quim, não fosse o desvio do defesa). Podence é evoluidíssimo tecnicamente, mas nem sempre tomou as melhores decisões. Mica não é um extremo e não percebo a sua inclusão numa zona tão adiantada do terreno, quando se tem Iuri Medeiros no banco (entrou na 2ª parte e pareceu-me algo desplicente e a precisar de novos ares). Slavchev jogou num ritmo bastante baixo e saiu quando estava a subir de produtividade (parece-me estar com dificuldades de adaptação e é preciso paciência com o búlgaro). Gelson Martins entrou bem, mas é um cavalo selvagem que precisa de ser domesticado, para que não abuse das acções individuais, colocando-as em benefício do coletivo.

Mais uma vitória, a 3ª consecutiva, algo que é sempre bom para elevar a moral dos jogadores.

 

Hoje é dia de observar o "lado B"

Hoje joga a equipa B do Sporting Clube de Portugal, frente ao Desportivo das Aves, uma das melhores equipas da 2ª Liga e das poucas que jogam futebol. O jogo realiza no Stadium Aurélio Pereira, às 16 horas, e tem transmissão em direto na Sporting TV.
É com alguma espectativa que aguardo pelo jogo de hoje, para ver se com uma equipa que não abusa tanto do jogo físico e direto o Sporting consegue também praticar um futebol de melhor qualidade do que o que nos têm apresentado nas primeiras jornada da 2ª Liga.
Este deve ser o último jogo para que os responsáveis do Sporting possam tirar conclusões sobre o que pretendem para cada um dos jovens da equipa B. Uns continuarão a evoluir na 2ª Liga, enquanto que outros, provavelmente, poderão seguir para empréstimos em campeonatos mais competitivos (nacionais ou estrangeiros). Restarão, no fim do jogo de hoje, qutro dias para arrumar a casa, tomando decisões que podem ser fundamentais para o futuro de alguns jovens talentos. Veremos o que acontece...

Sporting B 3 Santa Clara 1

Foi um jogo fraco aquele a que esta tarde pude assistir na Sporting TV. Apesar disso, ganhámos e isso é um bom indicador.

Começo por referir aquilo que me parece mais importante. Vejo jogadores na equipa B desconcentrados e nalguns não se nota qualquer evolução e tenho uma proposta para o modelo da equipa B.

Esta semana não foram utilizados em Coimbra, Esgaio, Mané e Tanaka (para além de Boeck). Ficaram de fora da convocatória Rabia, Jonathan Silva, Geraldes, João Mário, Slavchev, Gauld e Shikabala. De todos estes, apenas Esgaio e Gauld foram utilizados na B.

Penso que em benefício do ritmo de jogo dos jogadores da equipa principal e a bem da evolução dos jovens da equipa B, semanalmente deviam ser premiados 1 ou 2 da B com convocatórias à equipa principal e os que não joguem na primeira equipa devem rodar na B.
Será que jovens como Podence, Iuri ou Tobias não evoluíriam mais acompanhados por jogadores da equipa principal que pontualmente emprestem mais qualidade e maturidade ao jogo da equipa B? Eu acho que sim!
Imaginemos que Esgaio tinha jogado ontem em Coimbra...hoje poderíamos ter alinhado com:
Luis Ribeiro, Riquicho, Tobias, Fokobo, Jonathan Silva, João Mario, Wallyson, Gauld, Dramé, Mané e Enoh (é apenas um exemplo e cada um pode fazer o seu). Julgo que com este modelo os jogadores do plantel principal estariam sempre aptos a jogar e os jovens evoluíriam mais com a proximidade de colegas mais experientes.
(Acho que me fiz entender)

Quanto ao jogo de hoje:

- Samba não tem qualidade para jogar no Sporting

- Tobias precisa de um colega mais experiente a seu lado ou só evoluirá fora da equipa B (onde se desconcentra várias vezes). No entanto grande golo no jogo de hoje e exibição razoável.

- Fokobo não é um 6 e na melhor das hipóteses poderá ser um defesa central razoável

- Wallyson é outro que precisa de mais exigência (é um caso semelhante ao de Tobias)

- Ryan Gauld tem de ser testado na equipa principal, onde todo o seu potencial pode explodir. Se jogar na B, tem de ter um meio campo mais forte atrás de si

- Podence tem um potencial tremendo e foi o melhor em campo. Está no sítio certo para evoluir.

- Chaby e Iuri deviam ser emprestados numa equipa de 1ª Liga que lhe possa oferecer minutos de competição. Têm qualidade para mais que a 2ª Liga e no caso de Iuri, parece-me que o jogador se encontra algo desmotivado e a sua evolução em perigo de estagnar

- Dramé merece uma oportunidade na equipa principal, mesmo que seja um situação esporádica.

- Enoh não tem qualidade suficiente para um clube com a dimensão do Sporting. Tem de trabalhar muito para evoluir o necessário para vir a ser um bom avançado.

No entanto, boa vitória! Evolui-se melhor ganhando do que perdendo, mas julgo que devem equacionar-se algumas das questões que referi.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal