Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Jesus convocou 21 jogadores para a recepção ao Moreirense de Petit, treinador que tem por hábito dificultar-nos a vida.

Entre Boavista, Tondela e Paços de Ferreira, são 6 pontos roubados ao Sporting em encontros para o campeonato. Em, seis jogos para a Liga Portuguesa, só ganhámos três a equipas orientadas pelo ex-médio internacional português. O único jogo que o Sporting venceu por uma margem superior à mínima, foi ao primeiro embate, com o Boavista, em 2014/15.

Desde que chegou ao Sporting, em quatro embates com Petit, Jorge Jesus apenas venceu um jogo, tendo empatado os outros três. Mais do que nos jogadores, veremos se este registo não pesa na forma como o nosso treinador possa abordar o encontro.

 

Seja como for, não há desculpas para um mau resultado. O Sporting é infinitamente melhor que este Moreirense, que é uma equipa com grandes carências, facilmente demonstradas pela posição na classificação geral. Os cónegos seguram a lanterna vermelha e convém que essa situação se mantenha no final desta jornada.

Jesus quis alimentar as conversas pré-jogo, entre os adeptos, que gostam sempre de fazer a sua equipa e mandar o seu "bitaite". Dos 21 convocados, três acabarão na bancada. Veremos quais.

Jogue quem jogar, vá quem for para o banco, os três pontos terão de ser nossos.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Jorge Fonseca de ouro

O "engano" do título foi propositado. Não tive a oportunidade de acompanhar a prova de Jorge Fonseca em directo e foi com grande satisfação que só esta noite soube de mais uma medalha, um ano após a última em provas do World Tour (Paris, a 12 de fevereiro de 2017).

A medalha foi de bronze mas a prestação foi de ouro. Com Jorge Fonseca há sempre espectáculo garantido. Não sou um expert em judo mas sou um apaixonado pela técnica que a modalidade exige e o espectáculo que nos proporciona. Neste aspecto, arrisco dizer que nenhuma prova de Jorge Fonseca defrauda as expectativas que a espectacularidade da modalidade sempre mantém elevadas.

 

Foram quatro vitórias, todas por ippon em cinco combates, sendo que o combate perdido nos quartos-de-final foi o mais equilibrado, onde Fonseca dominou a maior parte do tempo, tendo perdido por um waza-ari, a menos de trinta segundos do final.

O resto? Bem, o resto foi espectáculo puro e duro do melhor judoca português da actualidade. Atenção que Fonseca não é um "tipo" qualquer no panorama do judo internacional. Fecha o top 10 da sua categoria (-100kg) e é um orgulho que seja português (nasceu em São Tomé e Príncipe), mais ainda por representar o Sporting Clube de Portugal que, recordo, é medalha de bronze nos campeonatos europeus de clubes (Golden League).

 

Voltando à prova em questão, o Grand Slam de Düsseldorf, na Alemanha, Fonseca venceu o primeiro combate em 2'50'', após uma verdadeira perseguição constante ao romeno Ionut Vasian. O segundo combate terminou em apenas 13 segundos, sendo que o atleta do Sporting levou o italiano Giuliano Loporchio duas vezes ao tapete em tão curto período de tempo. O terceiro combate é o dos quartos-de-final, já acima relatado e que levou Jorge Fonseca para a luta pelo bronze, via repescagem.

Apenas o ucraniano Anton Savytskiy separava o português do combate pelo bronze e, após algumas dificuldades com a "pega", assim que conseguiu apanhar o adversário, seguiu-se mais um espectacular ippon.

O combate pela medalha de bronze traria pela primeira vez nesta competição um adversário mais cotado. O belga Toma Nikiforov é 8º do ranking mundial e Jorge Fonseca precisou apenas de 1'01'' para dar por terminado o combate, arrebatando a medalha de bronze com mais um ippon pleno de técnica e força.

 

Parabéns ao Jorge, parabéns a Portugal e parabéns ao Sporting que, embora não vá representado nestas competições, sempre sai prestigiado com a prestação dos nossos atletas.

Recordo que Anri Egutidze foi 5º em -81kg, depois de ter perdido os dois combates do final round, após uma fase preliminar perfeita, com três vitórias, uma delas sobre o nº 3 mundial. O combate da meia-final é crucial e Anri podia ter fechado com um ippon, que acabou por ser apenas waza-ari, tendo depois sofrido um ippon a menos de um minuto do fim.

Sergiu Oleinic (que julgo ter estado lesionado até há pouco tempo) não passou do primeiro combate (2ª ronda, em -66kg), onde teve o azar de ser emparelhado com o líder da hierarquia mundial, o israelita Tal Flicker, que só conseguiu levar a melhor no ponto de ouro, com um waza-ari, 6'42'' após o início do combate.

 

Fiquem com os combates dos nossos leões:

JORGE FONSECA (Medalha de Bronze)

2ª Ronda

3ª Ronda

Quartos-de-Final

Repescagem

Medalha de Bronze

 

ANRI EGUTIDZE (5º Lugar)

2ª Ronda

3ª Ronda

Quartos-de-Final

Meia-Final

Medalha de Bronze

 

SERGIU OLEINIC (Eliminado na 2ª Ronda)

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil