Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Quinta-feira de Sporting

Isto nunca pára.

Ontem o futebol, hoje o ténis de mesa e o andebol.

 

Às 18:30h a equipa de ténis de mesa, liderada por Chen Shi Chao, estreia-se na Liga dos Campeões.

O Sporting desloca-se a França para defrontar o AS Pontoise Cergy, semi-finalista em 2016/17, que conta nas suas fileiras com o português Marcos Freitas, 14º do ranking mundial.

Os leões contam nas suas fileiras com Aruna Quadri, o 35º do ranking mundial, João Monteiro, recém-regressado ao clube e 45º da hierarquia mundial, Diogo Carvalho, também ele regressado, após ter saído para o rival e Bode Abiodun.

Somos uma equipa menos cotada que os nossos adversários mas temos valor individual para contrariar o favoritismo dos franceses.

A estreia poderá ser acompanhada via streaming, no site da ETTU (link).

 

Já a equipa de Hugo Canela recebe o Porto e, em caso de vitória, ascenderá provisoriamente à liderança do campeonato andebol 1.

Benfica e Belenenses estão 100% vitoriosos e, em jornada antecipada, o Sporting pode colocar pressão sobre os dois rivais de Lisboa.

O Porto termina agora um ciclo verdadeiramente terrível no campeonato. Depois da estreia em casa com um empate diante do ABC, os dragões perderam na Madeira e na Luz. Vêm de uma vitória em casa frente ao São Bernardo, último classificado e podem hoje ficar a 6 pontos da liderança, que poderão passar a 8 no fim-de-semana.

Posto isto, apesar da carga enorme de jogos que o Sporting tem enfrentado, em virtude da participação na fase de grupos da Liga dos Campeões, a verdade é que o Porto vem ao João Rocha tremendamente pressionado. Um resultado que atrase os portistas dará um alento importante para novo jogo da Champions, no sábado, na Macedónia.

Será dificílimo para Hugo Canela fazer a gestão física do grupo mas era muito importante não perder pontos, pois este ano não teremos um campeonato a dois.

O jogo começa às 19:30h e tem transmissão em directo, simultaneamente na SportingTV e na TVI24.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

SPORTING CP 0-1 Barcelona: Battaglia inglória

É difícil evitar que esta não pareça, à semelhança dos duelos com o Real Madrid na temporada passada, mais uma vitória moral.

A verdade é que fomos quase perfeitos frente a uma das melhores equipas do Mundo e mesmo a "quase perfeição" não foi suficiente para arrecadar um ponto que fosse.

 

Se o Acuña não faz aquela falta completamente desnecessária...

Se tivéssemos evitado que aquela bola chegasse ao Suárez...

Se não tivéssemos tido o azar do remate desviar no Coates...

Se o Bas Dost tivesse rematado à baliza...

Se o árbitro não nos tentasse condicionar desde o apito inicial com uma gritante dualidade de critério...

 

Mas o futebol não é feito de "ses" e a atitude fantástica demonstrada durante todo o jogo continua a deixar-me a pensar onde ficou esta vontade na visita a Moreira de Cónegos...

Não quero parecer azedo mas a injustiça deste resultado depois do que lutámos não só me deixa frustrado como aumenta ainda mais a minha azia, depois do empate para o campeonato.

No entanto, o grande jogo realizado ontem deixa-me uma certeza quase absoluta de duas coisas:

- Vamos ganhar ao Porto

- O Bas Dost marca dois

Posto isto...jogo incrível de Battaglia. Fui dos que o achou caro, no preço e nas contrapartidas. Hoje começo a engolir tudo isso. O argentino é um enorme jogador e, neste momento, parece mais fácil vendê-lo por 30 milhões em julho do que vender o William por 45. E isto em nada belisca a qualidade do William, que vai ficando e ontem voltou a mostrar que é top. 45 milhões por ele, como está o mercado, seria uma pechincha.

Mathieu...que jogo fantástico do francês, que deve ter deixado interrogações em Valverde sobre o porquê da sua dispensa. Nós agradecemos. Para mim foi, a par de Battaglia o melhor em campo.

Não menos importante foi Rui Patrício. Enorme entre os postes e sem responsabilidades no golo. Não foi por ele que perdemos.

 

Em contraponto...Coates.

Gelson não fez um jogo ofensivamente inspirado mas pelo que ajudou Piccini (e a tarefa de acompanhar Alba não é pêra doce) merece crédito. Já Coates esteve desastrado e pareceu o destino a ditar que fosse ele a enviar a bola para o fundo das redes de Rui Patrício. Esta Mathieu não pôde salvar.

 

Agora é esperar que todo este desgaste físico e emocional não condicione a equipa para o jogo que realmente importa. No domingo recebemos o Porto e uma certeza eu tenho. Com esta atitude, concentração, comprometimento e qualidade, os dragões vão sair de Alvalade sem sequer cuspir fumo, quanto mais fogo.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil