Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Avassaladoras

Foi de forma contundente que as nossas leoas "despacharam" o 5º classificado da Liga Allianz. O Estoril não teve forças para parar a verdadeira máquina trituradora em que se tornou a equipa liderada por Nuno Cristóvão.

Destaque para o poker de Diana Silva (e em especial para o terceiro golo - grande execução) e para o golo 100 no campeonato, marcado também por Diana Silva, ao fechar a contagem pessoal. Antes disso marcaram Matilde Figueiras e Tatiana Pinto, sendo que Ana Capeta fechou as contas com o 0-7, o 101º golo no campeonato.

 

Para se perceber melhor a dimensão deste rolo compressor, foi a 19ª vitória consecutiva em todas as competições (16ª no campeonato), com um score de 102-7. Sim, cento e dois golos marcados e apenas sete sofridos. No total da época, são 123 golos marcados e 11 sofridos em 24 jogos (média de 5.13 golos contra 0.46 sofridos), 22 vitórias e 2 empates.

 

Com estes quatro golos, Diana Silva atingiu a média de um golo por jogo (21 golos em 21 jogos), Solange Carvalhas continua a ser a líder da tabela das melhores marcadoras do campeonato (33 golos em 23 jogos) e Ana Capeta (titular em 12 dos 18 jogos em que participou) leva já um não menos impressionante registo de 16 golos em 18 encontros.

 

O título está cada vez mais perto e já parece uma inevitabilidade, quando faltam apenas cinco jogos para o final do campeonato e quatro deles se jogarão em casa.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O encarnado que mancha o desporto português

Será coincidência que, este ano, hajam casos de arbitragem em derbies no futebol, hóquei em patins e andebol? Mais um ponto em comum aos jogos com casos é o clube prejudicado. O Sporting, pois claro. 

 

Era para ter falado disto ontem mas não tive tempo.

Infelizmente não pude ver o jogo. Estava em viagem e foi através do "Game Center" da Federação Portuguesa de Andebol que fui acompanhando o resultado.

Só soube do erro pelas redes sociais, no caso, um post no facebook do nosso atleta, Edmilson Araújo. Tinha de ver o que se passou e foi o que fiz (felizmente o jogo está disponível no youtube).

 

Depois de uma ida para intervalo com os encarnados na liderança por dois golos, a coisa adivinhava-se difícil para o nosso lado.

Só aos 16 minutos do segundo tempo voltámos a empatar a partida, que foi de parada e resposta até ao final do jogo. A vantagem foi sempre caindo para o lado dos da casa e apenas a 10 minutos do final conseguimos a primeira vantagem da segunda parte.

Continuou o golo cá e lá, sempre com as vantagens a surgirem do lado do Sporting.

O caso do jogo ganha mais peso porque acontece na fase decisiva, em que já sobrariam poucos ataques para ambos os lados e numa fase de desacerto de ambas as equipas, que tinham acabado de desperdiçar dois ataques cada.

 

A 2.57 minutos do final, Frankis Carol surge isolado após um roubo de bola de Edmilson Araújo. Como é normal, não falha. O golo colocaria o Sporting na frente por 27-28 mas acabaria por ser o Benfica a adiantar-se no ataque seguinte, ganhando assim o ascendente no marcador e no estado anímico. Afinal, não restariam mais de um par de ataques para cada lado até final do encontro.

 

Como disse, foi nas redes sociais que me deparei com isto. Era a foto de um frame da transmissão, bastante elucidativa para ser admitida como prova. Mas ver o vídeo dá sempre outros pormenores.

O jogador do Benfica pede infracção do jogador do Sporting levantando os braços (no caso, até parece pedir passos - infracção que não existiu, bem como qualquer outra) e o árbitro imediatamente anula o lance, alegando violação da área.

É evidente que a violação da área não existiu, bem como é evidente que o árbitro está bem posicionado para analisar o lance, pois tem a visão completamente desimpedida. Terá sido a pedido?

 

O que é certo é que o Sporting perdeu a hipótese de somar mais um ponto e vê assim ainda mais dificultadas as contas do título. A cinco jornadas do fim, o Porto está à distância de quatro pontos e só uma vitória em casa que anule a desvantagem no confronto directo (30-28 no Dragão Caixa) e outras quatro, esperando que os nortenhos percam mais uma vez nos dão a oportunidade de festejar no final. É certo que o Porto joga três fora e dois em casa e nós o oposto mas o título estará praticamente entregue, sendo que o segundo lugar nunca estará em risco.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil