Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Hoje joga o Sporting

Vem aí o Arouca e, sempre que me lembro desta localidade, há duas coisas que me vêm à memória: a famosa posta e Fredy Montero, o colombiano que deu as boas vindas à 1ª Liga aos arouquenses, com um hat-trick de golos de todos os feitios.

Por mim, assinava já um resultado idêntico. Foi 5-1, já agora, para os mais esquecidos, e era a estreia de Leonardo Jardim em jogos oficiais pelo Sporting.

 

Hoje, o Sporting recebe um Arouca europeu (embora já eliminado), a tentar sair da crise que tem sido este início de temporada.

Os comandados de Lito Vidigal vêm de duas vitórias consecutivas (uma para a Liga e outra para a Taça CTT), feito inédito nesta época, onde só venceram 3 vezes, nenhuma delas fora de casa. Fora, são 5 derrotas e 2 empates (um deles na Liga Europa). Ou seja, fora de casa, o Arouca tem um ponto conquistado na Liga, em Belém, e convém que assim se mantenha.

 

Para isso, será necessário um Sporting de alto nível, com eficácia suficiente para evitar sustos. Uma entrada forte, é o que se pede sempre, por forma a evitar aqueles já "tradicionais" jogos em Alvalade em que acabamos a correr desenfreadamente atrás dos resultados.

É não sofrer e, de preferência, marcar cedo.

Curioso também para ver se Jesus mantêm o figurino táctico de Dortmund ou volta à forma habitual. Acredito mais na segunda opção mas sem certezas absolutas.

É provável que acabe por jogar João Pereira, tendo em conta a forma como Schelotto terminou o jogo na Alemanha. Marvin deve manter a titularidade na lateral esquerda, agora que até garantiu presença na selecção holandesa. Resta saber se teremos um duo ou um trio no centro da defesa já que, no meio, certamente voltaremos a ver William e Adrien juntos. Gelson e Bas Dost também estarão e os restantes, logo se vê quem serão.

 

Quem não vai faltar, são os Sportinguistas. Certamente mais uma casa acima dos 40 mil, com o entusiasmo de ver, finalmente, uma vitória do Sporting, algo que não acontece há quatro jogos.

O Mundo sabe que nós estaremos lá para os apoiar e só queremos que eles suem a camisola e façam golo(s).

Quanto ao Clássico, não pensemos nele. Não é tempo de olhar para cima, até que o primeiro lugar esteja dependente de nós. Para já, olhemos para a frente.

 

NOTA: Não se esqueçam de levar um cobertor para a acção de solidariedade promovida pela Fundação Sporting, em benefício dos sem-abrigo

 

SPOOOOOOOOOOOORTING!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O regresso ao palco maior

Penso que todos concordam se disser que o hóquei em patins é hoje uma modalidade muito menos mediática em Portugal do que no passado, mesmo que continuemos a ter/ser dos melhores do Mundo.

Eu comecei por ignorar, por me passar ao lado, para ser hoje um apaixonado da modalidade "do pau". Depois do futebol, tenho o futsal e o hóquei em patins em pé de igualdade. Não diria que deixasse de ver o futebol para ver o hóquei mas preferia que a SportingTV ontem tivesse transmitido o hóquei, em detrimento da equipa B.

Sempre vi com paixão e atenção os duelos da nossa selecção nacional mas os grandes responsáveis pelo entusiasmo pela modalidade são os heróis de 2014, com Nuno Lopes à cabeça, seguido por cada um dos que, em campo, fizeram história no primeiro ano do regresso da modalidade oficialmente ao Clube.

Alguns deles ainda ontem nos representaram no regresso à mais alta roda europeia, os outros têm um cantinho no meu coração, onde os guardo com apreço e enorme respeito por terem preenchido a mais bela página vivida enquanto Sportinguista.

Já vi dois títulos nacionais de futebol mas nada me alegrou e emocionou como a conquista da CERS de 2013/14. Se provas forem necessárias de que o Sporting não é um Clube de futebol, podem guardar esta.

 

Ora bem...ontem o hóquei regressou à Liga Europeia (antiga Taça dos Campeões Europeus), a Champions da modalidade, e fê-lo da melhor forma: pavilhão cheio, adeptos entusiastas, uma boa exibição e uma vitória de goleada.

Perfeito!

Importa dizer que o Sporting se assume como candidato à vitória na prova, num momento em que o hóquei português parece ganhar sobre o espanhol um ascendente nunca antes visto (se estiver a dizer alguma parvoíce, alguém melhor informado que me corrija). Nos últimos dois anos, os portugueses venceram três das quatro provas europeias (Liga Europeia e Taça CERS) e este ano voltam a ser favoritos às vitórias finais. Qualquer dos quatro representantes na Liga Europeia a deseja vencer e o Óquei de Barcelos será um dos principais favoritos à vitória na CERS.

Esta é a sétima presença do Sporting na prova, que venceu uma vez nas seis participações anteriores (podem saber toda a história da única vitória, AQUI). Foi mesmo o Sporting, a primeira equipa portuguesa a vencer uma competição europeia de clubes, rompendo o domínio esmagador dos espanhóis. Nas cinco presenças restantes, três presenças nas meias-finais e outra final, desta vez perdida.

Nesta, que é apenas a sétima presença na mais importante prova de clubes da Europa, o Sporting pode manter ou melhorar um registo impressionante na prova, para uma equipa com tão poucas participações. Recordo que, só finais, o Benfica tem 7 e o Porto 12, com bastantes mais anos de modalidade que nós e grande parte delas durante a nossa ausência. O Benfica é o campeão europeu em título e o Porto vem de uma série de 8 finais perdidas nos últimos 20 anos.

Só quatro equipas portuguesas venceram a Liga Europeia: Sporting CP (1), FC Porto (2), Benfica (2) e OC Barcelos (1). As restantes 45 edições tiveram 44 vencedores espanhóis e um italiano (numa final jogada em Portugal).

Na última participação na prova, em 1988/89, o Sporting foi finalista vencido e, agora, 27 anos depois, estamos de regresso para voltar a tomar de assalto o título de reis do "velho continente", que em 89 escapou à equipa comandada por um dos maiores símbolos do Sporting; António Livramento.

 

A expectativa é elevada para esta época mas, para mim, considero-a moderada. O Sporting tem sabido dar os passos certos no aumento da sua competitividade e, ano após ano, tem subido um degrau, aproximando-se do topo. Como disse, há 27 anos que não estávamos na Liga Europeia e, da minha parte, haverá sempre exigência mas sem nunca perder a noção desta realidade.

Ontem, com uma grande equipa, liderada pelo melhor guarda-redes do Mundo e, entre outros, reforçada com o melhor jogador de campo da última década, o Sporting venceu sem problemas os franceses do Quévert e disputará certamente a passagem à fase seguinte com o Reus e o Forte dei Marmi, este último desfalcado de Pedro Gil, o nosso mais sonante reforço para esta época.

O grande destaque da partida vai para os três golos de João Pinto, o nosso capitão e um dos eternos heróis de 2014.

Segue-se a recepção ao Paço de Arcos, na próxima quarta-feira, e o exigente teste em Barcelos, no próximo fim-de-semana. Depois, será um duelo com a Sanjoanense, em casa, a mediar o segundo jogo da Liga Europeia, na Catalunha, frente ao Reus.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Parabéns, Madjer!

Pela segunda vez consecutiva e quarta na carreira, o capitão leonino e da selecção volta a ser eleito o melhor de todos.

O anúncio foi feito ontem à tarde, no Dubai, numa organização da Beach Soccer Worldwide, e contou com os votos dos capitães de equipa e seleccionadores.

Em declarações exclusivas ao Jornal Sporting, Madjer mostrou-se radiante com a segunda eleição consecutiva (a quarta da carreira) e revelou a dedicatória especial: "Sou apenas o rosto visível de tantos profissionais que trabalham comigo e dedico este prémio à minha família e a todos os portugueses. Mesmo não sendo a primeira vez que sou agraciado com este prémio, recebê-lo tem sempre a sensação de ser uma estreia. Sobretudo por se tratar do reconhecimento global do meu trabalho pelos meus pares. De todo o Mundo", admitiu o capitão leonino e da Selecção Nacional.

A cerimónia premiou ainda o seleccionador português Mário Narciso como o melhor treinador, assim como Bruno Xavier, jogador do Sporting na temporada passada e Elinton Andrade, o luso-brasileiro que defende a baliza portuguesa como o melhor guarda-redes. Tanto Madjer como Bruno Xavier e Elinton foram, naturalmente, incluídos no melhor cinco do Mundo.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal