Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

A época do andebol do leão

SENIORES

2014/15 - 2º

2015/16 - 4º

JUNIORES

2014/15 - Campeão Nacional

2015/16 - 6º na Fase Final

JUVENIS

2014/15 - Fase de Apuramento

2015/16 - 4º na Fase Final

INICIADOS

2014/15 - 6º na Fase Final

2015/16 - 2º na Fase Final

INFANTIS

2014/15 - 1º no encontro nacional

2015/16 - 11º no encontro nacional

 

A época do nosso andebol foi um completo desastre. Nenhum escalão conquistou um título nacional e embora todos tenham disputado as fases finais das competições, a maioria ficou longe de alcançar resultados satisfatórios.

 

Começando pelos seniores, Zupo Equisoain não fez melhor na sua época de estreia do que Frederico Santos havia feito na época em que se despediu do Clube. A falta de títulos do treinador português em 2014/15 foi acompanhada por Zupo, que nada venceu em 2015/16, tendo o espanhol ficado mais longe da decisão no campeonato nacional.

 

Na formação, os dois títulos de 2014/15 (juniores e infantis) esfumaram-se nesta temporada. Nenhum dos escalões de formação venceu, embora os iniciados tenham ficado a dois golos do sucesso. Juvenis e iniciados, ainda assim, melhoraram as suas prestações face ao ano anterior, enquanto que os juniores e os infantis, estiveram bastante aquém do exigido.

 

Quanto ao lançamento desta temporada, e sabendo nós da autêntica revolução que levará o plantel sénior, são de esperar claras melhorias de rendimento, mais não seja porque os reforços de peso a isso obrigam. O Sporting fará um investimento avultado para voltar aos títulos e nem as competições internacionais escaparão à fome do leão.

Dou o meu benefício da dúvida a Zupo, que trabalhou num primeiro ano com um plantel de qualidade mas que não foi formado por si. Assim sendo, dou a primeira época como de adaptação ao Clube e à realidade competitiva portuguesa, esperando muito mais da que se segue, em que a margem de erro será drasticamente reduzida.

 

Quanto aos escalões de formação, há que continuar a trabalhar na prospecção, tentando dotar as equipas dos melhores atletas possíveis, tendo a certeza que temos nas nossas fileiras muitos com qualidade e vontade de fazer uma época de 2016/17 melhor que a anterior.

 

Farei o resumo da época do hóquei em patins lá mais para a frente pois, neste momento, faltam 4 jornadas para terminar a fase final do campeonato nacional de sub-20, onde o Sporting é 3º, a apenas 3 pontos do líder.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Dia de correr ao quiosque

Reportagem do início dos trabalhos da equipa sénior, da festa de campeões dos juvenis, um suplemento da III Gala Honoris Sporting e duas entrevistas, de Nuno Cristóvão (treinador da equipa de futebol feminino) e de Miguel Albuquerque (director do futsal leonino).

 

Deixo um pequeno excerto da entrevista (muito interessante) de Nuno Cristóvão, que deixa água na boca sobre o projecto de futebol feminino do Sporting.

"As jogadoras irão ter condições que nunca na vida alguém teve em Portugal. Nem eu, quando fui seleccionador entre 2000 e 2004, tive os privilégios que terei no Sporting. Acredito que tudo isto, a médio prazo, faça a diferença. Logo no primeiro dia percebi o compromisso sério do Sporting em desenvolver uma estrutura que se quer ganhadora."

 

Mesmo que na edição digital, mais uma vez, não tenha podido ler o Jornal completo (sempre que há um suplemento isto acontece e já me cansei de reclamar), podem acreditar que vale a pena comprar.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

A bola já rolou em Alcochete

No primeiro dia de treinos da temporada 2016/17, Jorge Jesus contou com 31 dos 32 jogadores disponíveis (apenas Wallyson não integrou a sessão de treino, por se encontrar a recuperar de uma lesão).

A sessão foi marcada pela carga ligeira, boa disposição e uma peladinha onde Daniel Podence protagonizou o momento da tarde.

 

 

Depois do treino, Jorge Jesus falou à Sporting TV, numa espécie de resumo do treino e lançamento desta temporada.

 

 

Para os mais curiosos, ficam os 20 minutos de treino transmitidos em directo na Sporting TV, que permitem vislumbrar alguns bons pormenores de Gauld e Barcos, entre outros.

 

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

A época de futsal do leão

SENIORES

2014/15 - 2º / Vencedores da Supertaça

2015/16 - Campeões Nacionais / Vencedores da Taça de Honra, Taça da Liga e Taça de Portugal

SENIORES FEMININOS

2014/15 - Campeões Distritais / Vencedores da Taça Nacional

2015/16 - 2º no Campeonato Nacional

JUNIORES

2014/15 - Campeões Nacionais

2015/16 - Campeões Nacionais

JUNIORES FEMININOS

2014/15 - 3º no Distrital

2015/16 - 2º no Distrital / 3º na Taça Nacional

JUVENIS

2014/15 - 2º no Distrital / Vencedores da Taça Nacional

2015/16 - Campeões Distritais / Vencedores da Taça Nacional

JUVENIS FEMININOS

2014/15 - 4º

2015/16 - Campeões Distritais

INICIADOS

2014/15 - Campeões Distritais

2015/16 - Campeões Distritais

INFANTIS

2014/15 - 3º

2015/16 - 2º

BENJAMINS

2014/15 - Campeões Distritais

2015/16 - Campeões Distritais

 

Foram 10 títulos em 14 possíveis. Um ano de luxo para o nosso futsal que conseguiu melhorar os resultados da época passada em todos os escalões.

 

Apenas os infantis masculinos e as juniores femininas não venceram qualquer título, tendo os infantis perdido o campeonato distrital pela diferença de golos e as juniores perdido o distrital na 'negra' e a Taça Nacional apenas por 2 pontos.

 

Guardo o destaque especial para o que fez a equipa de Nuno Dias, conquistando todas as competições em que entrou.

 

A menção honrosa vai para todas as equipas femininas do Clube, em especial para a equipa sénior que, em 3 anos atinge o topo do futebol nacional. Depois de vencer a 1ª divisão distrital de Lisboa no 1º ano, em que chegou também aos 1/4 final da taça de Portugal, subiu a fasquia e, no segundo ano, venceu a Divisão de Honra de Lisboa, a Taça Nacional e chegou só caiu na 1/2 final da taça de Portugal. Este ano fomos quem mais luta deu ao Vermoim, na disputa do título nacional, e jogamos duas finais (a da taça de honra e a da taça de Portugal), embora tenhamos perdido ambas. Quanto às juniores e às juvenis, apenas no segundo ano de existência, melhoraram as suas performances, tendo mesmo as juvenis alcançado o título distrital.

 

Será difícil fazer melhor na próxima época mas a secção liderada por Miguel Albuquerque há muito que nos habituou a exigência máxima e cultura de vitória transversal a todos os escalões.

Espera-se o título nunca antes alcançado (depois da presença em várias final-four), a UEFA Futsal Cup e, já agora, a estreia das seniores femininas como campeãs nacionais.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

A época de futebol do leão

SENIORES

2014/15 - 3º (76 pontos) / Vencedor da Taça de Portugal

2015/16 - 2º (86 pontos) / Vencedor da Supertaça

EQUIPA B

2014/15 - 5º (78 pontos)

2015/16 - 10º (65 pontos)

JUNIORES

2014/15 - 2º (27 pontos)

2015/16 - 2º (28 pontos)

JUVENIS

2014/15 - Fora da fase final

2015/16 - Campeões Nacionais (13 pontos)

JUVENIS B

2014/15 - Campeões Distritais (84 pontos)

2015/16 - 2º (71 pontos)

INICIADOS

2014/15 - Campeões Nacionais (15 pontos)

2015/16 - 3º (7 pontos)

INICIADOS B

2014/15 - 2º (78 pontos)

2015/16 - Campeões Distritais (83 pontos)

INICIADOS C

2014/15 - 2º (10 pontos)

2015/16 - 3º (39 pontos)

INFANTIS

2014/15 - Campeões Distritais (83 pontos)

2015/16 - Campeões Distritais (36 pontos)

INFANTIS B

2014/15 - 2º

2015/16 - 5º

BENJAMINS

2014/15 - 2º

2015/16 - 2º

ESCOLAS

2014/15 - 3º

2015/16 - 2º

 

Depois de feito o levantamento global daquilo que foi a época de todos os escalões de formação, diria que nada se alterou de 2014/15 para 2015/16.

Vencemos o mesmo número de títulos nacionais e distritais, embora em escalões etários diferentes do ano passado.

 

Os iniciados, campeões nacionais em 2014/15, passaram o título aos juvenis em 2015/16.

O Sporting venceu apenas um título nacional (juvenis), enquanto que Benfica (seniores e iniciados) e Porto (equipa b e juniores) venceram dois cada um.

 

Nos títulos distritais, foram os iniciados b (sub-14) que receberam dos juvenis (sub-16) o estatuto de campeões, enquanto que os infantis revalidaram o título.

Curioso o facto de apenas o Sporting disputar o campeonato distrital de infantis em futebol de 11 e de 7, enquanto que o Benfica só disputa o de 7 (onde o campeão foi o Belenenses e o Sporting não foi além do 5º lugar, após ter vencido a fase regular na mesma série do Benfica).

 

Nos dois escalões mais baixos, o Benfica domina por completo, mesmo que depois se tenham vindo a verificar vitórias leoninas em importantes torneios nacionais e internacionais (a verdade é que, nestas idades, os 'ovos' ainda são como os kinder - só depois de abertos é que sabemos se a surpresa é boa ou má, e ainda faltam uns anos para abrir estes).

 

As épocas de 2014/15 e 2015/16 equivaleram-se e espera-se, naturalmente, uma melhoria para o ano, de preferência com o título de futebol sénior, que há tanto tempo nos foge.

 

Em jeito de introdução a 2016/17, sinto que temos qualidade para vencer em todos os escalões que competem nos campeonatos nacionais, mas prevejo maiores dificuldades para a equipa B (que terá uma equipa muito jovem mas que será interessante de seguir) e para os juvenis (que embora mantenham alguns dos actuais campeões nacionais, verão subir de escalão uma 'fornada' muito forte do rival que actua no Seixal).

 

Farei hoje e amanhã um resumo idêntico para as restantes modalidades colectivas mais importantes, bem como o respectivo balanço e lançamento da nova época.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

O que andam eles a fazer?

JUNYA TANAKA (Kashiwa Reysol) - 1987-07-15 (28 anos) - Avançado / Ponta-de-Lança

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 60M€

25/06/2016 (J-League) - KASHIWA REYSOL - Shonan Bellmare (1-1) Tanaka começou o jogo no banco e entrou aos 55 minutos, com um nulo para ambas as equipas. Colocado sobre a esquerda numa linha avançada a dois, Tanaka criou perigo assim que entrou mas a equipa denotou sempre algum nervosismo. Essa instabilidade emocional acabou por custar a desvantagem no jogo. O Kashiwa ainda empatou mas não conseguiu travar a série de 5 jogos sem vencer. Tanaka não deu muito nas vistas.
Resumo do Jogo

Jogos - 18

Minutos - 947

Golos - 3

Assistências - 1

Classificação - 7º na J-League / 4º no Grupo B da Nabisco Cup

 * * *

SAMBINHA (New England Revolution) - 1992-09-23 (23 anos) - Defesa Central

Contrato (Junho 2018) Cl. Rescisão 45M€

26/06/2016 (MLS) - DC United - NEW ENGLAND REVOLUTION (2-0) Sambinha foi suplente não utilizado e os Revs continuam em dificuldades na conferência este e têm apenas 4 vitórias em 16 encontros.
Resumo do Jogo

Jogos - 2

Minutos - 91

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 8º na Conferência Este da MLS / Nos oitavos-de-final da Taça de Abertura

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Venha a Polónia

Só agora tive tempo para me debruçar sobre o apuramento da selecção portuguesa para os quartos-de-final do Euro. O onze apresentado por Fernando Santos aumentou ligeiramente o meu entusiasmo em torno do jogo com a Croácia, sobretudo por me parecer que aumentava as nossas hipóteses de fazer boa figura.

Fui dos que muito criticou as opções e a qualidade de jogo da nossa selecção nos primeiros três jogos, onde uma prestação miserável e uma sorte dos diabos nos colocou na fase a eliminar.

 

Se acho que podíamos  e devíamos jogar melhor na fase de grupos, sobretudo porque aumentaria o entusiasmo dos portugueses e o respeito por parte dos adversários, não alinho no 'coro' que insiste num estilo de jogo tendencialmente ofensivo e de ataque continuado nesta fase do campeonato da Europa.

É uma fase a eliminar e o mínimo erro pode ser fatal. A verdade é que, como 'outsiders' que somos (mesmo tendo tido a sorte de calhar no lado 'bom' da tabela de acesso à grande final) não acho que encarar os jogos como uma equipa super-favorita nos beneficie.

 

Especificamente, este jogo com a Croácia exigia uma grande capacidade de anular as individualidades croatas (sobretudo Modric e Rakitic). Só assim se anulariam as possibilidades de Mandzukic receber jogo em condições e a eficácia desta estratégia reduziria em muito as possibilidades de sucesso do adversário.

Achei a estratégia adequada para um jogo em que o que queríamos era passar uma eliminatória. 

No entanto, questiono (mais uma vez) a utilização de André Gomes de início. Num jogo em que pretendíamos fazer 'mossa' em ataque rápido, rapidez (de execução e de movimentos) é tudo o que Gomes não tem e eu teria usado Quaresma, Éder (recuando Nani) ou Renato Sanches de início.

 

Compreendo aqueles que gostavam de ver um estilo de jogo mais apelativo, mais apoiado e menos de 'equilíbrios' e transições mas acho a estratégia adequada àquilo que são as características da nossa equipa. Não somos uma Alemanha (quanto a mim, a principal favorita) e nem o facto de termos entre nós o melhor do Mundo nos dá conforto suficiente para atacar durante a maior parte do tempo (até porque Ronaldo, na posição em que está a jogar, vai sempre precisar de metros entre a última linha defensiva e a baliza).

 

Neste jogo em específico, as equipas anularam-se. O jogo disputou-se a meio campo e houveram duas oportunidades claras de golo, ambas no mesmo minuto. Na primeira, Rui Patrício foi gigante e, no contra-ataque (só podia ter sido assim ou de bola parada) marcámos o golo que nos deu a vitória e a passagem.

A saída de Adrien (com o espectro dos penaltis a pairar) para a entrada de Danilo (nem William nem o próprio Danilo se dão bem com alguém ao lado) não fez qualquer sentido e desequilibrou o nosso 'miolo'. Eu nem teria gastado a terceira substituição, a não ser para queimar tempo, no caso do resultado nos ser favorável, como acabou por ser, mas...com Fernando Santos é de esperar sempre algo à 'grega'.

Embora algo aborrecido, achei o jogo tacticamente interessante de seguir. Os nossos centrais e os médios foram excelentes e determinantes para o cumprimento do plano de jogo.

 

Frente à Polónia, acho que uma estratégia idêntica nos poderá beneficiar, desta vez com Nani no lugar de André Gomes, entrando Éder para a frente de ataque e libertando mais Ronaldo para jogar de frente para a baliza. Éder servirá para fixar os centrais e funcionar como 'pivot' para CR7 ser mais influente no nosso jogo. Os polacos são um adversário colectivamente ao nosso nível e com algumas individualidades com bastante valor. É repetir a receita e tentar marcar mais cedo, sabendo que temos o joker cigano no banco.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Resultados do fim-de-semana

FUTEBOL

JUVENIS

SPORTING CP 3-0 Braga

Espreitem o post d'O Artista do Dia para ver os golos

 

FUTSAL

JUNIORES FEMININOS

Rest. Avintenses 1-5 SPORTING CP

SPORTING CP 4-7 Benfica

Nun'Álvares 6-6 SPORTING CP

O Sporting ficou em 3º na fase final

JUVENIS

SPORTING CP 4-3 Caxinas

São João 1-4 SPORTING CP

SPORTING CP 3-2 Benfica

O Sporting é tetra-campeão nacional

 

HÓQUEI EM PATINS

JUNIORES

SPORTING CP 7-2 Porto

O Sporting mantêm-se no 3º lugar, em igualdade pontual com o 2º (Benfica) e a 3 pontos do líder, OC Barcelos

 

CANOAGEM

EMANUEL SILVA - CAMPEONATOS DA EUROPA DE VELOCIDADE

K2 1000m qual. - 2º (apurado para a 1/2 final)

K2 1000m 1/2 final - 5º (apurado para a final B)

K2 1000m final B - 1º

K4 1000m qual. - 3º (apurado final A)

K4 1000m final A - 4º

K2 500m - 3º (apurado final A)

K2 500m - 6º

Em preparação para os Jogos Olímpicos, Emanuel Silva ter-se-á apresentado num pico mais baixo de forma.

 

CICLISMO

CAMPEONATOS NACIONAIS DE ESTRADA SUB-23 - CONTRA-RELÓGIO INDIVIDUAL

RAFAEL LOURENÇO - 12º, a 3'05'' do vencedor

CAMPEONATOS NACIONAIS DE ESTRADA SUB-23 - PROVA EM LINHA

JÚLIO GONÇALVES - 4º, a 0'34'' do vencedor

RAFAEL LOURENÇO - 17º, a uma volta do vencedor

CAMPEONATOS NACIONAIS DE ESTRADA ELITE - CONTRA-RELÓGIO INDIVIDUAL

HUGO SABIDO - 8º, a 3'35'' do vencedor

CAMPEONATOS NACIONAIS DE ESTRADA ELITE - PROVA EM LINHA

DAVID LIVRAMENTO - 13º, a 8'39'' do vencedor

VALTER PEREIRA - 40º, a uma volta do vencedor

LUÍS FERNANDES - 41º, a uma volta do vencedor

HUGO SABIDO - 42º, a uma volta do vencedor

 

ATLETISMO

CAMPEONATOS DE PORTUGAL E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23

MASCULINO

EDUARDO MBENGANI (5000m) - 1º (14:13.74m)

JOÃO VIEIRA (10km marcha) - 1º (41:24.07m)

SANDY MARTINS (800m) - 1º (1:52.07m)

DAVID LIMA (200m) - 1º (20.88s)

FEMININO

VÂNIA SILVA (Lançamento do martelo) - 1º (57.35m)

PATRÍCIA MAMONA (Triplo salto) - 1º (14.53m)

CÁTIA AZEVEDO (400m) - 1º (52.96s)

IRINA RODRIGUES (Lançamento do disco) - 1º (61.03m)

LORENE BAZOLO (100m) - 1º (11.40s)

LORENE BAZOLO (200m) - 1º (23.86s)

VERA BARBOSA (400m barreiras) - 1º (57.70s)

SALOMÉ AFONSO (800m) - 1º (2:10.81m)

OLÍMPIA BARBOSA (100m barreiras) - 1º (13.46s)

MARTA ONOFRE (Salto com vara) - 1º (4.38m - Recorde dos campeonatos)

ANABELA NETO (Salto em altura) - 1º (1.74m)

15 campeões nacionais, entre muitos pódios que podem consultar aqui

 

TRIATLO

TRIATLO DE CAMINHA - CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES

GERAL

CARLOS DA CRUZ - 15º, na geral e 3º, no escalão V1 (5:11.20h)

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Formar a ganhar

Parabéns aos novos campeões nacionais de juvenis. Após uma época praticamente irrepreensível e de domínio total, chegaram os merecidos festejos.

Depois de uma primeira fase sem derrotas, seguiu-se uma segunda fase em que voltamos a ser líderes com apenas uma derrota. Na terceira fase, voltámos a perder apenas um jogo (o primeiro) e corremos atrás do título, sempre firmes e com qualidade.

Grande trabalho de João Couto e deste fantástico plantel, recheado de talento individual e espírito colectivo.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

O mata-mata

Acabou a margem de erro. Hoje alguém vai para casa e, se Fernando Santos quer mesmo ficar até ao fim, convém não inventar, sobretudo no meio-campo.

Se a coisa correr como tem corrido, pode ser que a estrelinha nos acompanhe (e o Ronaldo esteja 'on fire') e empatemos, rumo a mais uma qualificação.

Força, Portugal!

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Isto sim, já mexe comigo

Depois de saber que Gelson Martins, Rúben Semedo e João Palhinha já se treinam na Academia sobre as ordens de Jorge Jesus que, tal como os três pupilos, abdicou de uma das semanas de férias, chega a hora de começarem a regressar os restantes jogadores, que se apresentarão ao trabalho na próxima semana.

 

Ezequiel Schelotto já está em Portugal e falou em exclusivo para a Sporting TV.

A pré-temporada já mexe e o 'bichinho' já morde.

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Juvenis a um ponto do título

Com a vitória de hoje no Seixal, o Sporting coloca-se em posição privilegiada para festejar um título que, depois do tetra-campeonato em 2006/07, não voltou a Alcochete.

João Couto, um ano e meio depois do regresso ao Sporting, justifica as valências que sempre lhe foram reconhecidas no Clube, onde sempre foi bem sucedido.

 

Ontem, no Seixal, o Sporting entrou numa atitude expectante que, infelizmente tenho detectado em vários jogos de vários escalões, muitas vezes mesmo em jogos em casa. Vou fugir um pouco ao tema do jogo para comentar aquilo que tenho observado. Talvez devido à clara noção da aproximação dos rivais em termos de condições/qualidade dos seus técnicos e jogadores, tenho notado que, por vezes, o Sporting altera a sua matriz de jogo em jogos em que defronta o Benfica (com o Porto não tenho notado o mesmo). Essa alteração quase sempre nos prejudica e só quando voltamos a acreditar em nós próprios mostramos todo o nosso potencial e qualidade.

Ontem, isso voltou a verificar-se. Num plantel recheado de qualidade, nada inferior ao do rival, não gostei de ver a nossa equipa a jogar em contra-ataque e sem um ponta-de-lança de raiz. Foi isso que aconteceu na 1ª parte e, ao intervalo, o resultado era-nos desfavorável por 1-0.

 

Só quando soltámos Elves Baldé na sua posição de raiz e fixámos Rafael Leão na frente de ataque o nosso futebol sobressaiu. Dominámos por completo os últimos 30 minutos, marcámos 3 golos e podíamos ter feito mais. Ataque rápido, mas organizado. Nada de defesa baixa nem receio do adversário. Respeito, sempre. Medo, nunca.

O que aconteceu no Seixal foi um festival de futebol rápido e objectivo com Elves Baldé e Rafael Leão como principais protagonistas. Elves tem algo de Gelson Martins e Leão tem semelhanças com Ronaldo Tavares.

Rafael Leão foi mesmo a chave do encontro e, aproveitando a qualidade de Elves sobre a esquerda, estava criado o dínamo que viria a derrotar as águias, levadas ao tapete com dois golos de Leão em 5 minutos.

Algo apagado numa primeira fase da época, Rafael Leão, um dos recentes campeões europeus de sub-17, tem mostrado serviço nesta fase final e apontou o 5º golo nesta fase decisiva. Quase metade dos golos da equipa e quase sempre partindo de uma posição de suplente utilizado.

 

Com uma jornada por realizar (o Sporting recebe o Braga e o Benfica desloca-se ao Olival, para defrontar o Porto), basta ao Sporting um empate para trazer de volta o título para Alcochete e dividir mais uma vez os títulos da formação com os rivais (Porto venceu nos juniores e o Benfica nos iniciados - já na época passada havia sido distribuído um título para cada um).

 

Seguem o resumo do jogo e as palavras de João Couto após o mesmo e espero que o titulo seja uma realidade no próximo domingo, às 11 horas, na Academia Sporting.

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Deixem-se de tretas, força nas canetas, dignifiquem Portugal

Este é até agora o Euro da treta, para Portugal.

O treinador da treta, cheio de tretas, que prefere dizer que faz e acontece em vez de fazer com que aconteça.

O futebol da treta, sem chama, sem objectividade, sem estratégia, claramente à espera de um milagre.

Milagre que se espera que saia dos pés (ou qualquer outra parte do corpo) de Cristiano Ronaldo, que vê assim em cima de si toda a responsabilidade de sucesso da selecção.

Está na hora de nos deixarmos de tretas.

Na hora do seleccionador se deixar de falsas promessas e mostrar que não está lá apenas para agradar a terceiros.

Na hora de meter os melhores em campo e tentar que as individualidades formem uma equipa.

Na hora de, em equipa, mostrarmos que podemos ser candidatos a algo mais do que a ir para casa ao fim de 3 jogos, mesmo que a sorte se tenha encarregue de tornar esse um 'feito' quase impossível.

Deixem-se de tretas, sejam dignos e orgulhem Portugal.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Obrigado, Nuno!

Nuno Dias, treinador de futsal do Sporting, é um case study no desporto português. Mais um auto-didacta que criou o seu próprio método de treino que, comprovadamente, dá resultados quando aplicado na prática.

 

Quando com pouco mais de 30 anos deixou de ser jogador para orientar a equipa do Instituto D. João V, nada fazia prever o sucesso alcançado hoje.

Em quatro épocas, Nuno Dias conduziu o Instituto a quatro presenças no playoff. Fez 7º (34 pontos) na primeira época, 8º (36 pontos) na segunda, 4º (45 pontos, com presença nas meias-finais do playoff) na terceira e 5º (47 pontos e nova presença nas meias do playoff) na quarta e última época.

Um percurso crescente, melhorando sempre a pontuação da sua equipa e durante o qual atingiu por uma vez as meias-finais da Taça de Portugal, tendo sido afastado nos restantes anos em prolongamentos ou diferenças tangenciais.

 

O Sporting e os responsáveis da secção souberam ler os sinais e, após uma aventura de um ano na Rússia como adjunto de Paulo Tavares (actual técnico do Braga/AAUM), chegou ao Sporting com ambição mas sem currículo.

Aquilo que a início poderia parecer uma aposta de risco, foi uma aposta ganha e tem hoje como resultado um treinador de futsal de topo. Na minha opinião, um dos melhores do Mundo, dos mais meticulosos e dos que melhor trabalha a componente motivacional e emocional do jogo.

 

Nuno Dias não demorou a mostrar serviço. Campeão em época de estreia e vencedor da Taça de Portugal, cilindrou a concorrência e, em 39 jogos, o Sporting apenas empatou um e perdeu outro. Foram 213 golos marcados e 58 sofridos. 100% de aproveitamento nas competições em que participou.

 

Na segunda época, a criação da Taça de Honra da AFL veio proporcionar um arranque de época com um título, a que se seguiu a Supertaça. 2 títulos, e ainda só estávamos na pré-época. A UEFA Futsal Cup não correu como pretendido e não passámos da ronda de Elite, organizada por nós. A Taça de Portugal não foi revalidada, após eliminação na primeira ronda, por penaltis, com o Fundão mas o bi-campeonato viria a coroar mais uma época de sucesso. 229-87 em golos. Apenas 3 derrotas em toda a época e 60% de aproveitamento nas competições em que participou.

 

A terceira temporada trazia o foco natural na UEFA Futsal Cup. Um sonho antigo ainda por concretizar. Depois de perdermos a Taça de Honra nas penalidades, vencemos a Supertaça por contundentes 7-0 ao Fundão. A memorável final-four da UEFA Futsal Cup, jogada num Meo Arena que mais parecia Alvalade, voltou a não acabar como queríamos. Derrota com o Barcelona nas meias-finais e 3º lugar final, após goleada no jogo em que ninguém quer participar. Não sei se isso acabou por afectar o resto da temporada mas, o que é certo, é que acabámos em 2º na Liga e eliminados nas meias-finais da Taça. 197-87 em golos, revelava que faltava poder de fogo no ataque. Anormal, o Sporting de Nuno Dias só vencer 20% das competições e logo a menos importante das 5 em que participou.

 

Havia que dar a volta e regressar com mais força. Nuno Dias havia renovado o seu contrato a meio da época anterior e, depois de identificadas as lacunas da equipa, vieram reforços de peso que pretendiam dar esse poder de fogo que havia faltado no ataque. O resultado foi o que todos facilmente relembramos e que culminou com a recuperação do título de campeão nacional, esta semana. Foram 4 vitórias em outras tantas competições (Taça de Honra, Taça da Liga, Taça de Portugal e Liga SportZone), apenas duas derrotas em toda a época e 222-50 em golos. 100% de aproveitamento em dois dos quatro anos em que orientou a equipa leonina.

 

Claro que tudo isto apenas foi possível com profissionais de topo que, em campo, não deixaram os créditos em mãos alheias e trabalharam muito para personificar a ideia do treinador e restante equipa técnica, com vista ao sucesso do Clube e a alegria dos seus adeptos.

 

Para o ano, atacaremos a UEFA Futsal Cup com outra força, com um plantel mais forte e equilibrado e mantendo o foco na revalidação do título de campeão português.

 

Até ver, em quatro épocas, 10 títulos em 16 possíveis. Hegemonia em Portugal, 3 títulos de campeão nacional, 2 taças de Portugal, 2 Supertaças, 1 taça da Liga e 2 taças de Honra da AFL.

 

Falta a conquista Europeia. Eu acredito. Obrigado, Nuno, por tão bem servires o Sporting Clube de Portugal.

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal