Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Só há 34 anos

Corria a época de 1981/82, o Sporting de Malcom Allison deslocava-se a Penafiel para dobrar o segundo terço do campeonato.

Vitória por dois golos sem resposta (bis de Ademar), a 15ª em 20 jornadas (o campeonato disputava-se com 16 equipas).

O Sporting cumpria o segundo terço do campeonato sem derrotas e com 87.5% dos pontos conquistados.

É este o registo mais próximo na história a ultrapassar o actual do Sporting de Jorge Jesus. São 83.3% dos pontos averbados, o melhor registo desde 82, num ano em que o Sporting se sagrou campeão.

Nunca desde que a vitória vale três pontos (desde a época de 1995/96) o registo havia sido superior a 77.3% (em 2003/04, com Fernando Santos ao 'leme').

Exceptuado o fantástico registo de Malcom Alisson, em 81/82, e Fernando Mendes (que já havia substituído Rodrigues Dias), em 79/80, só recuando à década de 60 se encontram registos de aproveitamento superiores.

Em 79/80, à 20ª jornada, o Sporting repartia a liderança com o Porto, em 81/82, o Sporting era líder isolado já com o Benfica a sete pontos de distância. Em ambos o Sporting foi campeão.

Esta época, o segundo terço não se completa precisamente agora mas as 34 jornadas não permitem dividir de forma exacta o campeonato em três terços.

Assim sendo, o registo de 55 pontos ontem alcançado perfaz o melhor aproveitamento pontual no final do segundo terço do campeonato dos últimos 33 anos, o 3º desde 1970.

Apenas em 11 épocas o registo foi superior ao deste ano e apenas em 3 foi igual, a maior parte delas em campeonatos disputados com 14 ou menos equipas.

Por curiosidade, nas 10 épocas anteriores à que disputamos, apenas três registos superam o que o Sporting apresenta: o de Jesus, no ano passado, o de Jesus e Vítor Pereira, que repartiam a liderança em 12/13 e o de André Villas-Boas em 10/11. Em 07/08, Jesualdo Ferreira igualou o registo alcançado ontem pelo Sporting de Jesus. Em todos estes 10 campeonatos o campeão foi a ou uma das equipas que apresentavam o melhor aproveitamento ao segundo terço do campeonato.

Sim são apenas números. Não nos garantem o título mas garantem que, até agora, Jesus cumpriu com o prometido. O Sporting estará certamente até final na luta pelo título e apresenta um aproveitamento que há mais de 30 anos não se via para os lados de Alvalade.

Nos 14 anos anteriores em que o Sporting apresentava ao segundo terço do campeonato um registo igual ou superior, foi campeão em 10 deles.

2º terço.png

Nacional 0-4 SPORTING CP: Regresso seguro à liderança

Estava confiante num bom resultado mas nunca pensei que traríamos os três pontos da Madeira com tamanha facilidade.

A entrada de leão facilitou. Canto bem ganho após insistência de Zeegelaar, magistralmente executado por João Mário e 'martelado' por Slimani para o fundo das redes.

Nem deu para me enervar e quase nem deu para entusiasmar, de tão fácil que foi.

Tinha dito ontem que o Nacional tinha um dos plantéis mais fracos dos últimos anos mas esperava ver nos comandados de Manuel Machado alguma transcendência ou superação, normais sempre que alguma equipa defronta o Sporting. Claro que o Sporting demonstrou clara superioridade mas esperava mais qualquer coisa dos nacionalistas.

Assim sendo, foi um jogo tranquilo, algo a que não estamos habituados.

Adrien praticamente sentenciou a partida quando, no início da 2ª parte, transformou em golo uma grande penalidade clara.

João Mário, talvez o melhor em campo, acabou por avolumar o resultado numa recarga a um remate à barra de Slimani, o mesmo Slimani que viria a fechar as contas depois de ter mostrado novamente fome pelo golo.

A grande penalidade que dá o 0-4 e o bis de Slimani é mal assinalada mas convém dizer que o lance é muito difícil de ajuizar. Schelotto aparece em velocidade e o derrube do jogador do Nacional acaba por projectá-lo para o interior da grande área. Só à segunda repetição vi que o contacto tinha ocorrido fora da área mas nem este erro mancha uma arbitragem segura de Bruno Paixão que invalidou ainda, por indicação do auxiliar, um golo a Ruiz, que havia partido de posição legal, embora também este lance seja de difícil análise.

O fim-de-semana acabou por revelar-se perfeito e, depois de termos perdido a liderança isolada, regressamos a ela mais rápido do que esperávamos. O resultado do clássico foi o melhor possível e estamos assim com mais 3 pontos que o Benfica e 6 que o Porto.

Segue-se o embate com o Leverkusen, que antecede a recepção ao Boavista, uma das equipas que já nos retirou pontos neste campeonato.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal