Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Super Slimani!

E vão 16!

Em apenas 26 jogos e gastando menos 291 minutos do que aqueles que precisou para, na época passada, marcar 15 golos, está estabelecido um novo recorde de golos ao serviço do Sporting para o argelino e igualado o melhor registo de um avançado do Sporting desde que perdemos Ricky van Wolfwinkel (16 de Fredy Montero em 2013/2014 - o colombiano precisou de mais 346 minutos para estabelecer igual marca).

Se no registo global Slimani se destaca apenas ligeiramente dos demais avançados que o têm acompanhado, esta época está demolidor.

Aquilo que o argelino tem feito em 2015/2016 supera as marcas de Ricky van Wolfswinkel e ultrapassa os registos da maior parte das épocas de Liédson.

Ricky saiu com uma média de um golo a cada 164 minutos (a 1ª época foi a melhor, onde marcou em média a cada 148 minutos).

Liédson saiu com uma média de um golo a cada 157 minutos mas, comparando apenas as primeiras 3 épocas (tantas quantas as que Slimani completará em Maio), foram apenas 148 minutos por golo, tendo marcado um golo a cada 119 minutos na sua melhor época (a 2ª).

Finalmente temos um avançado que promete fazer esquecer ambos.

Este ano, Slimani impressiona! Um golo a cada 125 minutos. 0.62 golos por jogo.

Curioso que este registo ultrapassa mesmo os de Beto Acosta (161 minutos - 130 na época do título) e o da pior época de Super Mário Jardel no Sporting (2002/2003, onde marcou a cada 147 minutos).

Um facto curioso é que, no ano da quebra do mais longo jejum da nossa história (1999/2000), Beto Acosta precisou dos mesmos 26 jogos para marcar os primeiros 16 golos (terminou com 24).

Sendo impossível sequer que se aproxime do que foi Jardel naquela 1ª época (um golo a cada 66 minutos!! - sim, leram bem), que ao 26 jogo já levava 37 golos, é o registo de Acosta bem como os melhores de Liédson que devem servir de 'bitola' para aquilo que se espera uma época de sucesso individual e colectivo para Islam Slimani e para o Sporting Clube de Portugal.

Hoje, não duvido que Slimani fará mais de 20 golos numa época, algo que sempre disse não achar que conseguisse.

Ainda bem que me enganei.

Vitória FC 0-6 SPORTING CP: Brilhante regresso de João Mário ao Sado

É impossível falar do jogo de ontem sem dizer o nome de João Mário.

Todos se apresentaram em altíssimo nível mas o "Pantufas" esteve fora-de-série.

Esteve nas jogadas dos 6 golos e espalhou classe e intensidade em todas as acções.

Disse ontem que Bruno César seria fundamental e Slimani decisivo e não me enganei. Falhei apenas a previsão de que o Patrício seria determinante. O "Marrazes" nem chegou a aquecer...e ainda bem.

Voltando a João Mário, figura máxima do jogo, na minha opinião.

Está na jogada do primeiro golo, embora numa fase algo embrionária de um lance que tem origem numa recuperação de William Carvalho e passa por João Pereira, João Mário, Adrien, volta a William que coloca em Jefferson. Depois, é o que se sabe: bola em Bruno César e Slimani a encostar.

No segundo golo, João Mário força a entrada na área em combinação com Slimani, o ressalto acaba por sobrar para Bruno César. Estava feito o segundo num 'bico' que exige mais técnica do que muitos pensam.

Já na segunda parte, à semelhança do primeiro, o lance do terceiro golo tem muito futebol de qualidade. Recuperação de Jefferson, a bola passa por Naldo, Patrício, Ruiz, Adrien, Bruno César e João Mário. É aqui que o passe de rotura sai para Ruiz que, nas costas dos defesas, cruza com conta, peso e medida para Super Slim bisar e ultrapassar o seu máximo de golos numa época.

O quarto golo é todo ele classe e inspiração de João Mário. Na hora de festejar, humildade e gratidão para com as gentes de Setúbal, que o ajudaram a crescer. Gesto bonito, coroado com uma ovação de pé por parte dos adeptos do Vitória.

No quinto golo, livre de João Mário e após um conjunto de hesitações, que levaram a que ninguém tenha tocado na bola, "Chuta-Chuta" não pediu licença e atirou a contar. Em 60 minutos, já havia feito mais do que Carrillo (quem?) em 610!

No fechar das contas, voltou a assistir com classe e timing perfeito Aquilani que, com frieza e elegância, atirou a contar para as redes de Raeder.

Para além de João Mário, houve uma equipa ligada e concentrada durante quase 90 minutos, a pressionar alto na maior parte deles e sem deixar que o Vitória tenha construído uma jogada com princípio, meio e fim em todo o encontro.

Uma das melhores exibições da época, adocicada com um empate no Dragão, que nos deixa com 4 pontos de vantagem para os dois rivais directos.

Nunca o Sporting havia amealhado 41 pontos à 16ª jornada. Recorde absoluto.

Desde 27 de Outubro de 2001, precisamente na época do último título, que não marcávamos 6 golos fora (o resultado foi exactamente o mesmo, frente ao Paços, com golos de Beto, Ricardo Sá Pinto, Mário Jardel 2x e Marius Niculae 2x).

Há 25 anos que não ganhávamos 13 dos primeiros 16 jogos do campeonato (o último treinador a conseguí-lo foi Marinho Peres em 90/91).

Está igualado o recorde mínimo de golos sofridos à 16ª jornada: 7 (a outra época em que o conseguimos foi em 89/90).

Há 46 anos que Sporting CP não tinha um aproveitamento de pontos tão elevado no campeonato ao fim de 16 jogos (85%).

Esta época tem tudo para ser memorável mas...ainda nem vai a meio.

No fim-de-semana, quero Alvalade cheio para receber o Braga e juntar mais 3 a estes 41.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal