Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Vamos, Rinaldo! Vamos, Sporting / Tavira!

É hoje o grande dia da Volta a Portugal. Não é o decisivo, apenas porque amanhã se corre a derradeira etapa, em Viseu, onde o contra-relógio revelará em definitivo o nome do vencedor da Volta deste ano.

 

Rinaldo Nocentini apresenta-se como o único homem do Sporting / Tavira com aspirações na classificação geral e, neste momento, com apenas 19 segundos a separá-lo de Raul Alarcón, da W52 / FCPorto, tudo é possível.

Alejandro Marque é o segundo leão melhor classificado. Fecha o top 10, a 2.08 minutos do líder da prova e, embora aparentemente afastado dos lugares da frente, espera-se que seja hoje um importante apoio ao italiano, 3º da geral e chafe-de-fila da equipa leonina de Tavira.

 

Estes dois poderão contar com a forte oposição do "comboio" da W52 / FCPorto (que tem quatro ciclistas entre os primeiros sete homens da geral individual), com Vicente de Mateos (em excelente momento de forma) e Rui Sousa (em despedida do ciclismo), entre outros, especialmente da EFAPEL.

 

Hoje era o dia em que o ausente Joni Brandão seria mais importante no apoio a Nocentini. Esta seria a etapa em que Brandão levaria consigo o italiano serra acima, para depois ambos discutirem a etapa na Guarda, deixando o contra-relógio final a cargo de Alejandro Marque e esperando que Nocentini se defendesse o melhor possível num terreno onde sabe fazê-lo.

As expectativas para o contra-relógio mantêm-se e a dúvida prende-se com o facto de não sabermos se Marque terá hoje capacidade ou indicações para levar Nocentini fresco até à subida final, onde só um restrito grupo de ciclistas chegará na frente.

 

O italiano já mostrou que pode andar sempre junto dos melhores mas, caso tenha de o fazer sozinho, sobretudo na Torre, não sei se terá capacidade para aguentar o desgaste que os azuis-e-brancos implicarão aos mais directos adversários.

Para os mais esquecidos recordo que, no ano passado, embora a etapa tivesse contornos e circunstâncias diferentes (com duas passagens na Torre), Nocentini perdeu na Guarda a possibilidade de lutar por algo, atrasando-se na segunda subida à Torre e terminando a etapa a perder para cima de 20 minutos.

 

Certo que o Nocentini deste ano não é o do ano passado. Não teve quedas, fez uma temporada com resultados interessantes e apresenta-se em boa forma para os dias decisivos da prova mais importante do calendário nacional.

Estes factores ajudam a alimentar a esperança numa surpresa que, ainda assim, se afigura como pouco provável para a maioria dos conhecedores da modalidade, sobretudo do panorama nacional.

Resta-nos a nossa fé e a moral deNocentini, que parece estar em alta.

Noce.png

Força, Noce! Vence por nós!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O Sporting-Tavira no Tour?

WP_009262.jpg

Foram apenas uns segundos...segundos que me trouxeram a nostalgia de tempos que não tive a oportunidade de vivenciar.

Parecia um sonho. Durante uns segundos a camisola do Sporting-Tavira passou em directo na emissão do Tour de França, a maior prova velocipédica de estrada do Mundo.

Por momentos, a nossa camisola foi vista em todo o Mundo, graças a Fábio Aru, mas sobretudo a Rinaldo Nocentini, que havia subido ao pódio umas semanas antes, nos campeonatos nacionais italianos, onde foi terceiro na prova que consagrou Aru como campeão transalpino.

Aru acabaria por ganhar a etapa, onde não voltei a ver a verde-e-branca, com muita pena minha.

Talvez um dia voltemos, não por intermédio de terceiros. Deixem-me sonhar...

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Rinaldo Nocentini vence Troféu Joaquim Agostinho

Foi uma etapa muito difícil. Tive uma grande equipa, que trabalhou muito e bem. A dada altura fiquei sozinho, mas já perto da subida final dois colegas juntaram-se à frente e puderam ajudar. Esta vitória é muito importante para mim, por que é a primeira em seis anos, e é muito importante para a equipa, por ser a primeira da época. Tem sabor especial vencer a prova que lembra Joaquim Agostinho, que era um símbolo do Sporting”, afirmou Nocentini após a vitória no 39º Troféu Joaquim Agostinho.

 

Não podia ter sido de outra forma. Muito esforço, dedicação e devoção, antes da merecida glória.

 

Rinaldo Nocentini, numa demonstração de classe e sangue frio, controlou os adversários, sendo o sétimo classificado tirada, um resultado suficiente para ganhar a corrida. O torriense Hernãni Broco (LA Alumínios-Antarte) foi o segundo classificado, a 24 segundos, e o espanhol Raul Alarcón (W52-FC Porto) fechou o pódio, a 26 segundos.

 

Seguem as classificações da etapa e da geral individual, que actualizarei mais tarde com os restantes atletas do Sporting:

 

ETAPA

1.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), 3h48m41s (Média: 38,569 km/h)
2.º Guillaume Almeida (Rádio Popular-Boavista), +00'05''
3.º Aldemar Reyes (Manzana Postobon), +00'07''
4.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), +00'07''
5.º Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte), +00'07''
6.º João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), +00'09''
7.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), +00'09''
8.º Thomas Lebas (Bridgestone Anchor), +00'11''
9.º Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte), +00'11''
10.º Henrique Casimiro (Efapel), +00'14''

 

GERAL INDIVIDUAL

1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 13h00m18s
2.º Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte), +00'24''
3.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), +00'26''
4.º João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), +00'26''
5.º Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte), +00'54''
6.º Mikel Bizkarra (Euskadi Basque Country-Murias), +00'59''
7.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), +00'59''
8.º Henrique Casimiro (Efapel), +01'01''
9.º José de Segóvia (Louletano-Hospital de Loulé), +01'02''
10.º Aldemar Reyes (Manzana Postobon), +01'54''

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Troféu Joaquim Agostinho: Nocentini segura a amarela

Dia complicado para o pelotão do Sporting/Tavira. Numa etapa com muitas mexidas no pelotão, os ciclistas leoninos foram obrigados a muito e desgastante trabalho para não deixar fugir a amarela do seu líder.

Rinaldo Nocentini mostrou-se satisfeito com a prestação dos companheiros e revelou-se confiante para a etapa final de amanhã: "Hoje foi difícil controlar a corrida, mas a equipa trabalhou bem. Estou convencido de que a etapa de amanhã será mais fácil de controlar. Só espero que a equipa recupere do esforço de hoje, porque eu sinto-me bem e a meta em alto favorece-me".

 

Seguem as classificações da etapa e geral:

 

ETAPA

1.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), 4h00m56s
2.º António Barbio (Efapel), +00'05''
3.º Sergey Shilov (Lokosphinx), +00'05''
16.º Rinaldo Nocentini (Sporting/Tavira), +00'05''
53.º David de la Fuente (Sporting/Tavira), +05'22''
65.º Jesus Esquerra (Sporting/Tavira), +08'54''
79.º Hugo Sabido (Sporting/Tavira), +14'06''
80.º Mario Gonzalez (Sporting/Tavira), +14'41''
93.º Shaun-Nick Bester (Sporting/Tavira), +24'14''
94.º Júlio Gonçalves (Sporting/Tavira), +24'14''

 

GERAL INDIVIDUAL

1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 9h11m28s
2.º João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), +00'26''
3.º Hernâni Broco (LA Alumínios-Antarte), +00'26''
4.º Raul Alarcón (W52-FC Porto), +00'28''
5.º José de Segóvia (Louletano-Hospital de Loulé), +00'39''
36.º David de la Fuente (Sporting/Tavira), +08'02''
48.º Jesus Esquerra (Sporting/Tavira), +12'42''
67.º Hugo Sabido (Sporting/Tavira), +18'13''
78.º Mario Gonzalez (Sporting/Tavira), +23'12''
87.º Júlio Gonçalves (Sporting/Tavira), +28'34''
88.º Shaun-Nick Bester (Sporting/Tavira), +30'04''

 

Na classificação geral por equipas, o Sporting/Tavira abdicou de fazer um melhor resultado em prol da manutenção da camisola amarela, que poderá dar à equipa a primeira vitória individual desde o seu regresso e logo numa prova tão emblemática, que homenageia o maior símbolo da modalidade e um dos maiores do Sporting Clube de Portugal. Descemos para a 11ª posição da geral.

 

Com a chegada em alto de amanhã, Nocentini poderá, para além da manutenção da tão ambicionada amarela, conquistar a azul da montanha. Na ligação de 147 quilómetros entre Atougia da Baleia e o Parque Eólico da Carvoeira, a meta coincide com uma contagem de montanha de terceira categoria, mas antes de ali chegarem os corredores terão de ultrapassar outras duas subidas pontuáveis para a classificação dos trepadores.

 

Uma vitória amanhã pode mesmo ser um excelente prenúncio para a Volta a Portugal que se avizinha.

 

Fiquem com o resumo da etapa:

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal