Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

A Gala e o aniversário do nosso Grande Amor

A Gala cumpriu o seu propósito. Homenageou os que tão bem nos serviram, entretiveram "qb" quem a viu e apresentou os equipamentos para a época 2017/18, mais uma novidade relacionada com Yazalde, trazida por Marius Niculae.

 

Comecemos pelos homenageados da noite, com o Galardão Honoris Sporting:

 

FUTEBOL

Treinador do Ano: Nuno Cristóvão (Seniores Femininos)
Equipa do Ano: Seniores Futebol Feminino
Jogadora Revelação do Ano: Inês Pereira (Futebol Feminino)
Jogadora do Ano: Solange Carvalhas (Seniores Femininos)
Jogador Revelação do Ano: Daniel Podence (Seniores Masculinos)
Jogador do Ano: Bas Dost (Seniores Masculinos)

MODALIDADES

Equipa do Ano: Andebol (Seniores)
Atleta Revelação do Ano: Edgar Varela (Futsal)
Atleta Feminina do Ano: Patrícia Mamona (Atletismo)
Atleta Masculino do Ano: Carlos Ruesga (Andebol)
Treinador do Ano: Hugo Canela (Andebol)
Dirigente do Ano: Jorge Sousa (Andebol)

UNIVERSO SPORTING

Iniciativa do Ano: Fundação Sporting (Heróis de Portugal)
Funcionário do Ano: José António: Departamento de Sócios
Núcleo e Delegação do Ano: Núcleo do Sporting Clube de Portugal de Famalicão (N.º 261, fundado a 1/12/2014)
Sócio do Ano: Vítor Araújo (sócio n.º 2487, desde 1964)
Parceiro do Ano: ROFF (Futsal)
Escola Academia Sporting: Escola Academia de Algés

CATEGORIAS ESPECIAIS

Prémio Saudade: Mário Moniz Pereira e Manolo Vidal
Prémio Carreira: Olga Alves (Ginástica)
Prémio Classe Honra: Visconde de Alvalade

 

Seguimos com os equipamentos e a novidade que homenageia Yazalde:

Equipamentos 17-18.png

Equipamentos 17-18 1.png

 

Equipamentos 17-18 2.png

 

Continuo com os parabéns ao Sporting Clube de Portugal, por mais um ano de vida e de história. São já 111, com muito para contar.

Deixo-vos um vídeo realizado pelo pessoal da Rapaziada 1906 e o Mapa da Rota de Leão, que pode preencher o dia de hoje de todos os Sportinguistas:

 

Rota de Leão.png

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

#ONatalÉVerde

Numa quadra sempre dedicada à família não podia esquecer a família leonina, com quem partilho todos os dias este espaço e não só. A todos os que aqui vêm, aos que passam nas redes sociais, aos que partilham comigo a nossa casa e o amor a este Grande Clube, um feliz Natal, com votos de boas festas.

Em especial aos meus amigos e amigas Sportinguistas, muitos deles descobertos por esta blogosfera fora, um muito obrigado por tudo! Pelos momentos de partilha, nos bons momentos e naqueles mais angustiantes. Vocês estiveram em todos e vão continuar a estar.

Hoje, a minha consoada será passada com os de sangue mas os sinceros votos de uma boa consoada são também para todos vós.

FELIZ E VERDE NATAL PARA TODOS!

Feliz Natal.png

Sigam-me no facebook e no twitter.

Regresso a casa

Estadio_Jose_Alvalade_Wonderful_Atmosphere_Sportin

Que saudades do meu (nosso) José Alvalade. Ainda não será hoje que as mato, não presencialmente.

Estar com os amigos, a grande família leonina, cantar "O Mundo sabe que...", ver os rapazes de verde e branco e sair com vontade de voltar.

Ainda não será hoje mas para a semana não falto. Estarei presente para homenagear os 5 Violinos e ver jogar o nosso grande amor.

 

Este será um ano complicado, em que o hábito dos últimos dois custará a sair de mim. Não te abandono mas será difícil não estar aí tantas vezes como tenho estado. Estarei quando puder e apoiarei como sempre. Irei quando puder com a alegria de todos os dias.

 

Hoje é o primeiro dia do que resta desta época. É em nossa casa que a temporada começa a sério, mesmo que o jogo seja ainda a 'brincar'. Sintam o calor do José Alvalade, deixem-nos contentes e renovem a nossa esperança, este ano, tão ou mais forte que nos anteriores.

 

Vamos lá, rapaziada!

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

01-07-1906

Há anos, a data não me dizia nada. Aprendi a amar o Sporting como qualquer criança, sem prestar atenção ao detalhe, sem viver esta paixão no dia a dia, que por vezes nos consome.

 

O Sporting era vivido todos os dias, com uma bola nos pés, imitando aqueles que uma ou duas vezes por semana faziam na TV aquilo que eu sonhava fazer um dia.

 

Era viver longe, sem as vivências do estádio, com equipamentos feitos em casa, posters colados no quarto e relatos feitos na rua, muitas vezes jogando sozinho. Marcando sempre que o Sporting tinha a bola e fazendo o pior possível sempre que era o 'adversário' que a conduzia.

 

Um amor alimentado pela força do Oceano, a técnica do Balakov e a frieza do Cadete. Ídolos do passado que se acumulariam com o passar dos anos. Um presente já lingínquo que se alimentava do passado, vivido nas leituras de um livro com a história do Sporting, gasto de tantas vezes lido.

 

Um amor que cresceu num vazio de títulos, numa terra de rivais. Onde poucos eram do Sporting e onde quase nenhuns entendiam o porquê de eu o ser.

 

Nasce-se Sportinguista. Ajudou ter um pai e um avô que me souberam mostrar a força de um leão, que me disseram que este nunca desiste e está sempre pronto para se levantar outra vez. Mas só com o 'berço' se explica um amor que nasce e cresce no meio do insucesso repetido, do desespero e da tristeza a cada título perdido.

 

Só um amor inigualável explica a esperança renovada a cada nova época. Cada jogo vivido com a mesma intensidade, independentemente da classificação e das hipóteses de sucesso.

 

As alegrias, também as vivi. Não tinha, infelizmente, a maturidade para as entender, viver e encaixar como aquilo que representaram. Uma noite colado à TV a ver a festa que eu nunca fiz. Um mar verde e branco de norte a sul de Portugal que impressionou mesmo que vivido à distância.

 

Hoje este amor é diferente, á prova de tudo, consciente. Algo que só a maturidade e a experiência ajudam a vivenciar.

 

Hoje, meu amor, passados todos estes anos, as esperanças continuam a renovar-se a cada ano, com a certeza que os melhores momentos da tua história ainda estão para vir e que eu estarei cá para os viver.

 

Parabéns, meu amor! Parabéns, Sporting! E obrigado por tudo!

 

Sigam o GAG no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

E é isto a cada regresso a casa...

Só queremos chegar, rever os amigos, cantar com eles e ver o Sporting vencer.

Nem sempre corre bem mas o amor e a entrega são as mesmas de sempre.

O Mundo sabe que agora é diferente.

O Mundo sabe que cantamos a plenos pulmões ao nosso amor.

Isso, já ninguém nos tira.

Cantamos... unidos, emocionados, arrepiados...

Dizemos que acreditamos nos rapazes e que estaremos ali para o que der e vier.

Hoje não será diferente...

Só queremos chegar, rever os amigos, cantar com eles e ver o Sporting vencer.

 

Nós acreditamos em vocês e hoje, vou cantar isto ainda com mais força.

O Mundo sabe porquê...

SPORTING CP 3-2 Braga: uma 'remontada' épica

Eu tinha avisado ontem...o Braga sabe defender e, connosco, fê-lo em bloco baixo, só arriscando pressionar no próprio meio campo.

Eu tinha avisado...o Braga sabe jogar em ataque rápido, usa para isso processos simples e tem jogadores rápidos e de qualidade que ajudam (e muito) a dar-nos alguns calafrios.

Foi assim que, sem qualquer problema, entregaram o domínio total do jogo ao Sporting e se limitaram a tentar chegar à área de Rui Patrício em jogadas rápidas, aproveitando bem alguns erros a que o nosso estilo de jogo é propenso.

Os primeiros lances de perigo surgem de duas desatenções de Jefferson e William Carvalho. Na primeira, Wilson Eduardo não acertou na baliza. Na segunda, Rui Patrício teve de mostrar serviço.

Na primeira parte, ofensivamente, o Braga só existiu nestes primeiros cinco minutos e nos últimos cinco (pena que com efeitos diferentes dos que acabei de mencionar).

Entre estes dois períodos, as melhores situações de golo foram do Sporting, por João Mário, que só não finalizou melhor porque a bola lhe sobrou para o pior pé, por Slimani, que complicou uma finalização que se queria simples e por Paulo Oliveira, que cabeceou de forma violenta ao poste da baliza de Kritciuk, que havia defendido as duas ocasiões anteriores.

Já diz o povo que, quem não marca, sofre. E assim foi.

Ambos os golos que haveriam de colocar o Braga em vantagem por 0-2 ao intervalo têm um denominador comum: Jefferson, que num deles tem a 'colaboração' de Adrien e no outro de William Carvalho.

No primeiro golo, o alívio de William é o possível, tendo em conta a trajectória da bola e o posicionamento do jogador (correcto, diga-se). O resto, é 'sono' de Jefferson (que se deixa antecipar) e Adrien (que está demasiado longe de Wilson para que possa estorvar a sua acção).

Curiosamente, é no momento do 0-2 que o Sporting começa a vencer o jogo. Imediatamente após o golo de Rafa (que também tem mérito do próprio e de Rui Fonte, que desposiciona totalmente Paulo Oliveira) o vulcão de Alvalade mostrou a sua força e a palestra de Jorge Jesus começou com aquelas gargantas a cantar "Só eu sei, porque não fico em casa".

Os adeptos sabiam que ia valer a pena e, na segunda parte, os jogadores acabaram por fazer valer o bilhete.

Era preciso arriscar para virar um resultado de dois golos frente a este Braga e Jorge Jesus não esperou. William ficou no balneário (porque já tinha amarelo e era, naquela altura, o elemento mais 'descartável' do nosso meio-campo).

Jesus sabia que a pressão ia fazer moça e que Gelson ia ser importante para isso.

A segunda parte é poética.

A toada do jogo não se altera. O Sporting domina e o Braga tenta explorar o ataque rápido, nunca com mais de três homens.

A primeira oportunidade, não estava ainda completo o terceiro minuto, esteve nos pés de Ruiz, servido por Slimani, que havia recebido de Gelson. Tal como nas oportunidades anteriores, o ressalto vindo do guarda-redes não nos é favorável mas estava dado o primeiro aviso.

Logo a seguir, Pedro Santos volta a por Patrício à prova, após mais um deslize (literalmente) de Jefferson. O Braga mostrava também que estava pronto a aproveitar os nossos erros.

Quase dez minutos de futebol algo atabalhoado de ambas as partes e Jesus percebe que este não é o dia de Bruno César. Fredy Montero está na linha lateral, preparado para entrar, quando o cruzamento de Gelson é travado pelo braço de André Pinto. Grande penalidade bem assinalada, que Adrien não desperdiça. Mais do que nunca, as esperanças reacendem. Grita-se o amor ao Sporting! É possível!

Montero entra para o lugar de 'chuta-chuta'. O golo não altera nada. Ainda estamos em desvantagem.

Na primeira vez que toca na bola, Montero isola Slimani. Kritciuk chega primeiro.

Neste momento, o Braga já abusa do anti-jogo. Era um bom sinal. Sentiram o golo. Fonseca troca de avançados. Nada muda na estratégia do Braga.

Montero tenta um passe picado, ganha a segunda bola e ataca a área. Segunda grande-penalidade, desta vez não assinalada mais uma vez com um jogador do Braga a jogar a bola com a mão no interior da área (desta vez foi Ricardo Ferreira).

Ruiz coloca de bandeja na cabeça de Slimani, mesmo como ele gosta. O argelino desperdiça, o público desespera, o Braga respira de alívio. A pressão está a subir de tom.

Montero tenta mais um passe picado. Não resultou mas eu sentia a sua confiança.

Minuto 70. Mais um aviso. Gelson combina com Ruiz, remata, o russo defende e, na recarga, Slimani volta a acertar no boneco. Está quase...já cheira a golo em Alvalade!

João Mário tem uma entrada dura que devia ter valido cartão amarelo. Não vou discutir nem esmiuçar a arbitragem mas, para os lampiões (sejam do sul ou do norte) que exigiam a expulsão do jogador do Sporting, recomendo que revejam as três faltas de Ricardo Ferreira até ao lance que origina a grande-penalidade não assinalada. E fico-me por aqui.

Wilson Eduardo sai ovacionado após marcar um golo em mais um regresso a 'casa'.

Faltam quinze minutos para o final. 

Para os menos desatentos, o lance do golo de Fredy Montero surge após uma troca de bola de quase um minuto, em que a bola passa pelos três corredores e por nove dos onze jogadores do Sporting em campo (só Rui Patrício e Bryan Ruiz não participaram no lance). Só Fredy Montero transformaria um remate de Jefferson numa assistência, tornando o que parecia difícil em fácil. Pé direito para receber e esquerdo para rematar, sem pedir licença, com a potência e direcção certas. Estava feito o empate e eu estava eufórico. Foi o golo que mais festejei e que mais tranquilo me deixou.

Porquê? Slimani ainda não tinha marcado e tínhamos um quarto de hora para tomar de assalto a baliza dos bracarenses.

Paulo Oliveira tenta o tiro do meio da rua. Sai por cima e está na hora de apostar na qualidade de passe e veia goleadora de Aquilani. João Mário é o 'sacrificado'. Faltam dez minutos para o final.

Seguem-se cinco minutos em que abrandámos a pressão (os homens não são de ferro) e o Braga teve mais bola, embora se sentisse desconfortável com ela. Este momento de jogo haveria de culminar com o recém-entrado Marcelo Goiano a isolar Rafa que, na cara de Rui Patrício viu o guarda-redes leoninio ser aquilo que é...o Rei! Mancha monumental, a mostrar aquilo que vale...pontos.

O Sporting volta a carregar a anunciam-se mais de 42 mil em Alvalade. O melhor, ainda estava para vir.

Patrício emenda um erro de Naldo e antecipa-se a Stojilkovic. Falta um minuto para os 90 e o publico ainda acredita.

Ruiz também e mostra porque é que nunca sai. Mais uma redondinha na cabeça de Slimani que, desta vez, não perdoa e escreve o último verso de um poema épico.

Estava feito o 3-2. Estava virado o jogo em menos de 45 minutos e eu só dizia ao meu puto: "Filho, este ano somos campeões! Este é o ano do Sporting!"

Podia nomear um homem do jogo e vou fazê-lo: Jorge Jesus.

Pela mestria como leu o jogo e mexeu na equipa, pela forma como cantou com os mais de 40 mil, pela forma louca como festejou a vitória.

Jesus é treinador do Sporting de corpo e alma. Vive e entrega-se ao jogo como se jogasse e, embora não tenha marcado um golo, esta vitória é dele. Dele e daqueles 40 e tal mil leões que nunca desistiram e acreditaram sempre.

SPORTING CP 2-0 Porto: Regresso autoritário à liderança

Estava confiante na vitória. Senti-me ansioso durante o dia mas, assim que pus os pés na nossa casa, o vulcão de Alvalade, senti-me calmo.

Aquela calma e tranquilidade fez-me ter ainda mais certeza na vitória. Ouvir 47 mil gargantas a cantar a plenos pulmões "O Mundo sabe que..." fez-me sentir que o destino daquele jogo só podia ser um.

Aquilo que aconteceu ontem em Alvalade, protagonizado pelos adeptos do Sporting foi único e inesquecível!

O Sporting entrou forte, mandão e o Porto agressivo e intenso. Foi uma primeira parte interessante, dividida e com o perigo a rondar ambas as balizas mas onde o Sporting pareceu sempre estar em posição dominante.

O golo de Slimani, após livre cobrado por Jefferson, colocava ainda antes da meia hora justiça no resultado.

Na minha cabeça, a vitória era uma certeza e quando Rui Patrício voltou a mostrar escassos minutos depois porque é um dos melhores do Mundo, tive a certeza que nem seria preciso sofrer, porque a nossa baliza ficaria a zeros.

Parece fácil dizer isto no fim mas, quem viu o jogo comigo, sabe que me cansei de o repetir durante os 90 minutos.

Faltava saber por quantos ganharíamos e foi pena que não tivessem sido mais.

Grande exibição na segunda parte onde, na minha opinião, adensámos o domínio e controlamos perfeitamente o jogo e o adversário, mantendo-o quase sempre longe da nossa área. Soubemos dar os flancos sem nos expor-mos em demasia, protegendo sempre a zona central, onde Naldo foi imperial (não me canso de dizer o quão bom é ter 3 centrais deste nível - já agora, espero que Tobias recupere rápido).

Depois, Adrien, o motor do nosso meio-campo. Não é William que está pior. Adrien é que está uns bons furos acima e consegue muitas das vezes evidenciar-se mesmo sobre o Sir. O meio-campo do Sporting é de grande nível e, mais uma vez, há alternativas credíveis para além destes dois. Voltando a Adrien, a sua exibição teve de tudo: raça, entrega, entreajuda, qualidade, definição e só lhe faltou o golo, naquele remate que esbarrou no poste e João Mário esbanjou na recarga.

Antes disto, já Slimani havia ficado a dever um golo, num gesto técnico deficiente, no lance que parecia de mais fácil definição entre os três flagrantes que teve. No entanto, não posso queixar-me. Dois golos em três oportunidades flagrantes de golo é fantástico e mais do que justo para aquilo que Slimani trabalhou em todo o jogo.

O argelino é um poço de força, energia e entrega. Alia a isso uma cada vez melhor capacidade para definir os lances e prepara-se para dinamitar o seu máximo de golos por temporada ao serviço do Sporting. Hoje, não tenho dúvidas que Slimani está na 2ª linha de pontas-de-lança mundiais e que poucos seriam os clubes que enjeitariam a possibilidade de contar com ele nas suas fileiras. É hoje claramente mais jogador do que no ano passado e isso deve-se a Jesus e à capacidade incrível de trabalho do argelino, que lhe permite evoluir todos os dias.

E assim se junta a tríade que, para mim, mais se destacou em mais uma noite mágica em Alvalade, que bateu também o recorde de assistência em jogos oficiais (49382 - o anterior era de 49076): Naldo, Adrien e Slimani, apenas ligeiramente acima de todos os outros, que estiveram sem excepção em bom plano.

Abraços, sorrisos, liderança recuperada e orgulho reposto. O Sporting é novamente e merecidamente líder do campeonato nacional.

Nota final: foi com enorme entusiasmo e alegria que aplaudi e recebi a nossa equipa de ciclismo durante o intervalo. É um sonho concretizado e, certamente, estarei por esse Portugal a saudar os leões que envergarem a mítica (e linda) verde e branca. Bem-vindos a todos e um obrigado a toda a cidade de Tavira, por se associar à maior potência desportiva nacional!

Boas entradas e Feliz 2016!

Confesso, não ligo nem um bocadinho à passagem de ano. Para mim, é um dia como qualquer outro. Mais um em que a sociedade de consumo se aproveita das pessoas para fazer mover a economia.

Nada contra mas, não contem comigo para isso.

Nem de passas gosto mas não deixo de formular alguns desejos, não necessariamente ao som das badaladas.

Um deles, naturalmente, é o mesmo do que aquele que a maioria dos que aqui vêm formularão: ver o país pintado a verde e branco lá para Maio.

Quanto a este meu espaço, que completou o seu primeiro ano civil, espero apenas continuar a fazer o que tenho feito, com paixão e amor ao Maior de Portugal, o Sporting.

Será um ano em que assumirei a tentativa de cimentar um lugar na blogosfera leonina, algo que ainda não consegui. As visitas não são em grande número (pouco mais de 100 mil, este ano) e provêm na maioria de outros blogs e dos seus blogroll. 

Aproveito para agradecer a todos os bloggers leoninos, alguns deles que tenho o prazer de ter como amigos, e endereçar a todos os que frequentam este espaço um excelente ano de 2016, especialmente aos Sportinguistas, como não podia deixar de ser.

Saudações leoninas!

Hoje joga o Sporting

«Alguém se recorda da última vez que o Sporting sofreu três derrotas consecutivas? Eu não me recordo.»

A frase é de Jorge Simão, treinador do Paços de Ferreira, e teve o condão de me despertar para várias realidades.

A primeira é que o Sporting não perdia dois jogos consecutivos desde o dia 10 de Fevereiro de 2013, naquela fatídica temporada, era Jesualdo Ferreira o treinador.

A segunda fez-me, por segundos, 'entender' o estado de depressão de alguns Sportinguistas. De facto, não estávamos habituados a perder dois jogos de forma consecutiva. De facto, isso não acontecia há quase 3 anos.

A terceira é que o Paços não irá mesmo a Alvalade participar apenas em mais um jogo da Taça da Liga.

Jorge Simão assumiu sem rodeios que vai a Alvalade para vencer e que deseja repetir a final de 2011.

Claro que ir a Alvalade para vencer não significa necessariamente que se vai jogar aberto e de 'igual para igual'.

Devemos esperar o habitual...uma equipa em bloco baixo, a jogar no nosso erro e a tentar aproveitar as transições rápidas e as bolas paradas para fazer estragos.

Da nossa parte, sem Teo, Tobias, Paulista, Mané e William (este a contas com um 'problemazinho'), Jorge Jesus assumiu que jogará com uma equipa dentro daquilo que foram as bases para a Liga Europa: um misto entre jogadores menos utilizados e alguns 'titulares'.

Em todo o caso, espero uma equipa com natural competência para levar de vencidos os 'castores'.

Com Gelson e Matheus nas alas, talvez apresentemos uma equipa apenas com um avançado, que pode até ser Tanaka.

Sem William e Paulista, parece inevitável que Adrien jogue, provavelmente secundado por Aquilani e mais um (que eu gostava que fosse Gauld ou Francisco Geraldes).

Paulo Oliveira estará certamente presente e deve ser acompanhado por Naldo. Aposto em Schelotto à direita e Esgaio à esquerda.

Boeck será quase de certeza o guarda-redes.

Voltando ao princípio da conversa, alguém se recorda da última vez que o Sporting sofreu três derrotas consecutivas?

Eu não me lembrava mas imaginava que tivesse sido naquela malvada época que, entre o terror, teve o condão de nos acordar para a realidade.

Dia 21 de outubro de 2012, o Sporting era eliminado da Taça de Portugal pelo Moreirense naquela que seria a 3ª de quatro derrotas consecutivas. Nestas quatro derrotas fomos liderados por dois treinadores diferentes (e ainda viriam a aparecer num futuro próximo mais dois), Sá Pinto e Oceano.

Nesse tempo, o Sporting jogava em média com dois portugueses por jogo, era representado por jogadores sem chama e pagos a peso de ouro. Ouro que o Sporting não tinha para lhes pagar o que lhes havia prometido. Reinava a anarquia e o descomprometimento total.

Hoje, acontece o oposto e, só por isso, tenho a certeza que todos continuarão a não se lembrar da última vez que o Sporting sofreu três derrotas consecutivas.

SPOOOOOOOOOOOOOORTING!

Sportinguista, escolhe o caminho

Este era o momento em que eu fazia um comentário ao jogo, um que, como em tantos outros, dominámos mas em que a bola não entrou.

A bola não entrou e, em dois remates, o adversário marcou. Marcou e ganhou. E nós perdemos pela primeira vez no campeonato.

Agora tu, Sportinguista, tens dois caminhos.

Ou trazes de volta fantasmas do passado, atiras a toalha ao chão e questionas tudo o que de fantástico tem sido feito, ou segues a nossa luta e continuas a apoiar o nosso amor, que tanto nos tem orgulhado.

Tu, que estavas feliz com a liderança, que defendias o Sporting acima de tudo e acossavas os rivais, não podes passar para o outro lado da barricada.

Tu, que acreditavas e vias todos os dias uma equipa comprometida, bem liderada, por um treinador competente e um Presidente sem medo, não podes deixar de acreditar.

Tu, que lá estás sempre, não vais deixar de estar, não vais deixar de apoiar e não vais regatear esforços para ter mais e melhor apoio ao teu lado.

Este é o momento em que se vêm os verdadeiros leões.

Este é o momento em que separamos leões de gatinhos.

Os leões, quero-os no estádio. Aos gatinhos, façam-se leões, porque todos fazem falta.

É tempo de unir esforços, de apoiar, de mostrar quem é do Sporting sempre.

Mostrem que os adeptos das vitórias não vestem de verde-e-branco e muito menos moram em Alvalade.

2016 será o ano do leão e não quero ver-te só na hora de festejar.

A felicidade de representar o Sporting

são tempos difíceis mas de muita coragem!

as lágrimas dos nossos jogadores no final do jogo dizem tudo sobre o que para eles representa estarem no Sporting Clube de Portugal...

fem.: CR São Miguel vs Sporting Clube de Portugal [0-101]
masc: CR São Miguel vs Sporting Clube de Portugal [20-21]

"o caminho faz-se caminhando"

in: facebook do râguebi do Sporting Clube de Portugal (modalidade amadora)

Deixem-se de merdas

Este post acaba por vir na sequência do de ontem, escrito pelo Barbosa08.

Será que os adeptos em geral já se deram conta que o que se está a fazer no Sporting é praticamente inédito?!

O Sporting está em 1º lugar no campeonato e, independentemente se conseguirá ou não manter essa posição até ao fim, não tenho dúvidas que lutará pelo título até ao final.

Ora:

No ano passado o Benfica gastou em custos com o pessoal 59 milhões de euros. O Porto 65. E o Sporting 25.

O Benfica tinha sob contrato 26 jogadores com vencimento superior a 1 milhão de euros anuais. O Porto 17. E o Sporting 5.

Destes jogadores, no Benfica, 16 ganham mais de 2 milhões de euros anuais. No porto são 12. E no Sporting 2.

Partindo destes dados objectivos e tendo em conta o investimento do Sporting este ano, posso partir do princípio que:

Entre saídas e entradas, Porto e Benfica terão dificuldades em diminuir a massa salarial e, se o conseguirem, o valor não passará de residual. O Sporting aumentará esses valores anuais para valores casa dos 30/35 milhões de euros (números de merceeiro, feitos por estimativa pois, naturalmente, excluído Jorge Jesus, desconheço os contratos dos jogadores contratados).

Assim sendo, o Sporting continuará a gastar metade ou pouco mais do que isso do que os rivais em encargos com o pessoal.

No máximo, o Sporting terá neste momento uns 8/9 jogadores a auferir valores anuais acima de 1 milhão de euros, enquanto que os rivais terão certamente entre 15 a 25 cada.

O Sporting gastou 9 milhões de euros em contratações. Porto e Benfica não divulgaram ainda os valores das contratações mas, pela análise dos jogadores contratados no exercício da época passada, posso observar que apenas em Carcela e Taarabt, o Benfica gastou 6 milhões de euros. O Porto gastou 3 milhões só em Hernâni. Faltam ainda os outros...e não são tão poucos quanto isso.

É verdade que o Sporting investiu forte, tendo em conta aquilo que era a sua matriz recente mas não o faz em valores que sequer se assemelhem aos dos rivais. A nossa dívida é inferior à dos rivais, bem como o passivo.

Tudo isto para vos dizer que o Sporting investiu e fê-lo com uma margem de erro mínima enquanto que os rivais continuam a comprar para encher plantéis alheios e satisfazer favores a agentes e fundos. Mesmo assim, oiço Sportinguistas a criticar tudo, desde a formação às políticas desportiva e financeira.

O Sporting fez um esforço para ser feliz e fazer felizes os Sportinguistas.

Por isso, saiam do sofá e detrás dos computadores. Façam-se sócios. Vão aos estádios (sobretudo ao nosso). Apoiem o Sporting e sintam-se parte um Clube que se quer assumir vencedor e que, para isso, precisa do máximo apoio possível.

Só com um estádio cheio de forma consecutiva a nossa força será sentida e respeitada num país que nos queria sempre pequeninos.

Deixem de ter vergonha. Assumam a paixão e o amor para o Clube dando e não apenas esperando receber.

Vistam a verde e branca e saiam à rua. Façam-no sempre que vos apetecer e não apenas quando o Sporting ganha.

Orgulhem-se de ser leões de corpo e alma e participem activamente na vida do Clube.

Deixem-se de merdas e desculpas esfarrapadas.

O Sporting somos nós e sem nós não há campeões!

*"Eu podia ter escrito isto": O copo meio vazio

É o velho chavão: há quem veja o copo meio cheio, e há quem o veja meio vazio. 
O que não nos falta neste momento são razões para nos inserirmos no primeiro grupo: líder isolado do campeonato; excelente plantel; o melhor treinador em Portugal; diferença pontual para os rivais (isso do jogo em atraso é muito bonito mas é preciso ganhá-lo).
Mas o que me faz escrever, é este sentimento de "copo meio vazio". 
E o que é que me faz sentir assim? A resposta está no número de adeptos presentes no último jogo: 40 140. 
Por mais que me tentem convencer, isto não é uma casa digna de uma equipa que se quer campeã. Seria fácil dizer que é muito mais que noutros jogos de semelhante importância (a importância é relativa pois ganhar ao carnide ou vencer o Arouca, vale os mesmos 3 pontos). Mas e isso chega? Eu respondo com uma pergunta: Como se sentiria um Ruiz perante uma enchente contra um Tondela? 
Não sabem? Então eu ajudo:

Por isso peço-vos, aliás, suplico:
vão a Alvalade! 
Ao sábado à tarde mas também na sexta à noite. Contra o carnide mas também contra o Moreirense. Não compareçam só quando vocês podem, compareçam quando tiverem várias razões para não poder ir (o jantar de aniversário do colega, aquela estreia de um filme, a chuva). Vão pelos 11 bravos que vão carregar nos ombros todos os nossos sonhos. 
 
Sem nós não há campeões!

Texto escrito por: Barbosa08

*Esta é uma nova rubrica no blog. Não tem dia nem hora marcada e destina-se apenas aos leitores que queiram participar de forma activa. Naturalmente, está sujeita ao envio prévio via email (que se encontra na barra lateral do blog) e a aprovação da minha parte.

Hoje joga o Sporting

11012548_10153091580686555_699740325774309764_n.pn

Queria escrever algo interessante ou motivante mas a veia criativa está bloqueada. Só penso nos 'onzes' de cada lado e na bola a rolar.

À hora que escrevo já é difícil sossegar. São duas da manhã na hora nova e já se sente a tensão e nervosismo de um derby importante. Não porque decida alguma coisa mas porque pode ser um importante tónico para os próximos jogos e uma machadada forte nas ambições do adversário.

A verdade é que assumimos as nossas responsabilidades mas o peso do jogo estará do lado do Benfica. Porque parte atrás e porque joga em casa.

Mas derby é derby e será sempre um jogo de tripla.

Jorge Jesus tem a equipa mais fresca do que Rui Vitória mas isso nada quer dizer à partida. Espero que dê os seus frutos adoptando um jogo mais intenso mas isso, só por si, não aporta à partida qualquer vantagem face ao adversário, que até teve bastante tempo de descanso entre jogos.

Muita da nossa eficácia defensiva será avaliada pela capacidade da nossa equipa em travar Gaitán, que se encontra em grande forma e representa metade (para não dizer mais) do caudal ofensivo do Benfica, e Jonas que, com a sua inteligência e capacidade de decisão pode decidir qualquer partida.

Muito provavelmente, Jesus privilegiará a experiência e apenas Rui Patrício transitará do onze inicial que venceu o Skënderbeu para a Liga Europa.

João Pereira e Jefferson devem ocupar as laterais.

Paulo Oliveira e Naldo regressarão ao centro da defesa.

William e Adrien formarão a dupla de meio-campo, enquanto que as alas talvez acabem entregues a João Mário e Ruiz (caso esteja totalmente apto). João Mário terá papel determinante na ajuda a João Pereira que terá pela frente Gaitán.

Na frente, e com a tarefa de 'furar' as redes de Júlio César, estarão Slimani e Teo Gutiérrez.

Depois, teremos um banco de boas opções, todos com ritmo de jogo e moral em alta.

Tudo parece perfeito mas falta que os jogadores correspondam em campo e façam aquilo que todos queremos: 3 pontos!

Agora vou entrar em estágio.

SPOOOOOOOOOORTING!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal