Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

O campeão bisou

O Sporting sagrou-se bi-campeão de futsal e solidificou a sua hegemonia na modalidade, totalizando agora 14 campeonatos nacionais, 6 deles nos últimos 8 anos.

Desde que o Benfica entrou na modalidade, em 2001, só agora o Sporting conseguiu ultrapassar o rival em número de títulos nacionais durante o período em coincidiram na modalidade (8 títulos para o Sporting, 7 para o Benfica e 1 para o Freixieiro).

 

Com a chegada de Nuno Dias o Sporting vive um período de hegemonia pelo qual não passava desde os primórdios da competição. São 4 campeonatos nacionais em 5 épocas e, no total, 13 títulos em 22 possíveis.

 

Esta foi a temporada mais longa de sempre, com um total de 53 jogos (o máximo anterior eram 50, em 2010/11). Na "era playoff" foi repetido o feito de 2005/06 e 2012/13, onde apenas perdemos um jogo a contar para o campeonato nacional, sendo que nessas duas épocas o Sporting teve uma carga de jogos muito inferior, disputando apenas duas competições (campeonato e taça de Portugal).

Tivemos também uma das maiores percentagens de vitórias desde que o campeonato contempla o playoff, apenas suplantada pela da temporada passada (por centésimas) e a de 2012/13.

 

João Matos foi o mais utilizado, participando em 47 dos 53 jogos da temporada.

Diego Cavinato voltou a ser o melhor marcador da fase regular e, este ano, não perdeu o título de melhor marcador do campeonato na fase a eliminar, onde voltou a ser o melhor marcador da equipa, mesmo sem ter marcado em nenhum dos 4 jogos da final. Abanou as redes por 47 vezes, mais 6 que no ano passado e, desta vez, com uma média superior a 1 golo por jogo (1.12).

Alex Merlim, o único dos nossos jogadores nomeado entre os melhores jogadores de futsal do Mundo, esteve este ano mais ao nível esperado nos jogos decisivos, onde marcou 6 golos nos 6 jogos entre a meia-final e a final (no ano passado tinha marcado apenas 2 nos 7 últimos jogos da nossa Liga).

 

Para além do campeonato, vencemos também a taça da Liga e fomos vice-campeões europeus (à terceira será de vez).

 

Ao Nuno Dias e a toda a sua equipa técnica, ao Miguel Albuquerque e restante estrutura directiva do futsal e principalmente aos jogadores, o meu muito obrigado!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Está aí o baluarte do crescimento do Sporting

"O Sporting é um clube de modalidades que tem futebol enquanto os outros são clubes de futebol com modalidades"

 

A frase é de Paulo Faria, ex-jogador de andebol do Sporting, campeão na "Nave" e treinador da equipa vencedora da primeira Taça Challenge da nossa história.

Faria puxa a brasa à sua sardinha mas, se há clubes onde na maior parte das vezes as modalidades são vistas como os parentes pobres da instituição, muitas vezes pelos próprios atletas, é bom saber que nem só de fora se sente a importância do ecletismo do Sporting.

 

O ecletismo é bandeira, convicção mas tem sido também, nas últimas décadas, a tábua de salvação de uma franja de adeptos, muitos deles até que nunca meteram os pés num pavilhão no tempo da "casa às costas". Os constantes fracassos do futebol fizeram das modalidades um refúgio e uma parte ainda mais importante da alma do Clube.

A frase de Paulo Faria mostra que, lá dentro, mesmo sem pavilhão, jogadores e treinadores sentem-se acompanhados e acarinhados pelos Sportinguistas.

O Pavilhão está aí para acender o rastilho que o próprio João Rocha fez questão de atiçar entre 1973 a 1986.

Avizinham-se tempos de prosperidade para os lados de Alvalade (agora sim, faz sentido dizer isto, relativamente às modalidades).

Tempos em que a nossa tábua de salvação ameaça ser mais do que isso e deve mesmo assustar os "meninos" do futebol.

Os Sportinguistas têm uma nova "menina dos olhos" (ou menino, neste caso) e, sobretudo nestes primeiros tempos, as modalidades serão ainda mais comparadas ao futebol.

 

A responsabilidade aumenta para o futsal, andebol, hóquei em patins e o regressado andebol, enquanto o basquetebol continua a caminhar de forma segura para um regresso, também ele vigoroso.

O facto de haver neste momento uma casa com condições de topo, obriga a que o rendimento acompanhe essa melhoria de condições de trabalho.

Da nossa parte, resta apoiar ainda mais e mostrar que o Pavilhão fazia mesmo falta, que os dias de Sporting, vividos de manhã à noite, eram algo de que o nosso Clube precisava como de pão para a boca.

 

O Grande Sporting está de volta mas, para que isso seja evidente aos olhos de todos, sobretudo aos daqueles que não poderão ser presença assídua no Pavilhão João Rocha, o papel da Sporting TV ganha ainda maior relevância.

É para ver jogos que a maioria passa pelo nosso canal de televisão e, um pavilhão do mais moderno que existe em Portugal, exige mais e melhores transmissões televisivas. É para ver os nossos jogar que os Sportinguistas querem ligar a Sporting TV e não apenas para ver programas de entretenimento ou blocos informativos com demasiada opinião.

A Sporting TV deve servir cada vez mais para dar a ver os nossos atletas e para informar e documentar tudo o que eles fazem, joguem no João Rocha, na Escola Secundária do Lumiar ou no Pavilhão do Livramento.

Sim, porque continuaremos a necessitar de alugar pavilhões para os demais escalões de formação e porque, também esses atletas gostam de sentir o apoio, o carinho e o reconhecimento da nossa parte.

Por isso, fica aqui mais um reparo à Sporting TV;

"O Sporting é um clube de modalidades que tem futebol" e, por isso, não queremos um fim-de-semana sem jogos na TV quando, no hóquei, tivemos três clássicos em nossa casa (sub-17, sub-15 e sub-13) e o futsal arrecadou o seu primeiro título nacional feminino (juniores).

Os Sportinguistas querem acompanhar as nossas equipas, mesmo as mais jovens e os nossos atletas gostam desse reconhecimento dado pelo nosso canal e também se sentem mais motivados por isso.

Que o Pavilhão João Rocha seja palco de muitas alegrias e ajude a que o nosso canal de televisão preste um serviço ainda melhor aos Sportinguistas.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Futsal feminino vence o primeiro título nacional da sua história

As juniores femininas disputaram entre a passada sexta-feira e a tarde de ontem a fase final da Taça Nacional de Futsal e venceram as campeãs em título no último jogo, arrecadando assim para as vitrines do Museu Mundo Sporting o primeiro título nacional do futsal feminino leonino.

Depois de uma vitória por 4-1 sobre o GCR Nun'Álvares, foi a vez de derrotar o CR Golpilheira por 3-2. No terceiro e último jogo, onde a equipa que saísse vitoriosa levantaria o tão desejado troféu, assistiu-se a um grande jogo equilibrado, onde a vitória sorriu às nossas miúdas por 4-3.

Matilde Vicente, Carolina Lilu, Ana Ribeiro, Soraia Quaresma, Marisa Lucas, Ester Mais, Beatriz Santos, Laura Ferreira, Mariana Ferreira, Bruna Raposo, Beatriz Silva, Marisa Amorim e Antónia Covaci ficam assim com o seu nome na história do Sporting, tendo contribuído para a primeira de muitas conquistas que, esperemos, possam vir no futuro, quem sabe com a contribuição de algumas delas.

 

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O primeiro já está

Os comandados de Nuno Dias resolveram sem grandes problemas o primeiro jogo a final da Liga SportZone. Numa primeira parte muito boa, que levava a acreditar até num resultado mais folgado, o Sporting não deu chances ao Braga e o resultado pecava até por escasso no final dos primeiros 20 minutos.

 

Na segunda parte o Braga criou mais dificuldades mas o Sporting, mesmo sem precisar de se apresentar em grande nível, controlou sempre a partida, terminando o jogo com um 3-1 favorável, com sinais positivos para o jogo em Braga, na próxima quarta-feira.

 

Nota final: Que golão do Diogo!

Sigam-me no facebook e no twitter.

 

O primeiro jogo de um título que pode resolver-se em três actos

Eis que chega um dos momentos da temporada. O Sporting inicia hoje a disputa do título nacional de futsal. A final da Liga SportZone começa a jogar-se às 21 horas e o adversário, não sendo o que se esperava, chegou à decisão final por mérito, eliminando o Benfica por 2-0.

O Sporting de Braga marcará assim presença, juntamente com o Sporting, na UEFA Futsal Cup da próxima temporada mas, antes disso, falta apurar o campeão nacional da época 2016/17.

 

O Sporting chega à final do campeonato sem qualquer derrota na Liga SportZone e com apenas duas derrotas em toda a temporada (a Supertaça e a final da UEFA Futsal Cup).

Vencida a fase regular com extrema facilidade e tendo chegado à final sem sobressaltos, o Sporting tem do seu lado o favoritismo teórico. 

Temos melhor equipa, melhores jogadores, melhor treinador e melhores adeptos e o Braga, que na temporada passada vendeu bem cara cada derrota averbada connosco (duas pela margem mínima e uma no prolongamento, para além de um empate na fase regular e uma derrota por penaltis no playoff), não conseguiu este ano colocar-nos as mesmas dificuldades da temporada passada. Após o empate a quatro bolas em Braga, seguiram-se duas vitórias inequívocas. 5-2 na segunda volta da fase regular da Liga e 6-1 nos quartos-de-final da Taça da Liga, que viríamos a vencer.

 

Não quero com isto dizer que será fácil ou que o Braga não criará dificuldades mas não posso também ignorar o nosso claro favoritismo bem como a maior profundidade do plantel que, mesmo não podendo ser usado na sua totalidade em cada jogo, permite a Nuno Dias manter a equipa mais fresca numa semana em que se jogarão três jogos muito intensos.

O facto de termos de deixar de fora três jogadores não formados localmente em cada encontro tem como ponto negativo a qualidade que fica na bancada mas não deixa de ser uma vantagem, não só por estarem mais frescos para ser usados no jogo seguinte como pelas nuances técnico-tácticas que estas mudanças podem introduzir na dinâmica da equipa, baralhando assim um Braga que estaria mais "encaixado" caso soubesse sempre o que esperar.

 

Para além disto, não duvido que Nuno Dias estudou exaustivamente os últimos jogos do Braga, sobretudo os da meia-final do playoff, e terá certamente na manga algumas surpresas para resolver esta final em três jogos.

Hoje, em Odivelas, teremos a primeira de três finais e, pese embora a hora adiantada, teremos um pavilhão cheio e fervoroso no apoio aos rapazes de verde-e-branco.

 

Vamos, Sporting!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Festa a triplicar no escalão de juvenis

E. no futebol masculino, estamos a uma vitória do título, enquanto que, no hóquei, disputaremos a final-four com Benfica, Porto e Valongo.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Obrigado, campeões!

"Allez, allez...allez Sporting allez, allez Sporting allez..."

O cântico continua a ecoar na minha cabeça e a euforia teima em ficar em mim. Apetece cantar e saltar por ti, seja em casa, no autocarro ou no caminho para a escola do mais velho.

 

Ainda hoje isto vai ter de acalmar. Vou tentar fazê-lo enquanto escrevo estas linhas. Caso contrário, pouco conseguirei dizer...

 

Zupo, começo por ti. Não mostraste competência para gerir o grupo mas tiveste a capacidade de formar um plantel de grande nível. A maior parte deles não tinha vindo se não fosses tu o treinador. Obrigado por isso!

 

Canela, esta equipa deve-te tudo. Tu sabias desde sempre qual era o problema desta equipa. Simplesmente nunca pareceu que, enquanto adjunto, tivesses liberdade para fazer aquilo que devia ter sido ele a pedir-te que fizesses para ajudar.

Hoje temos uma equipa. Ganhámos um grupo de jogadores que, pese embora os momentos de medo ou insegurança, viu na tua crença a luz para acender neles a esperança de que era possível.

A forma inteligente como geriste o plantel, como devolveste a alegria ao grupo, foi fundamental para este sucesso.

Tivemos sorte? Claro que tivemos. Porque ela sabe proteger os campeões. E tu és um campeão (bi-campeão, agora).

 

Rapazes...parabéns, malta! Enfrentar esta semana era só para homens a sério. Depois de termos falhado, voltado a tentar e de termos falhado novamente, só podíamos tentar mais uma vez. 

Não enjeitaram a oportunidade, foram felizes e fizeram-nos felizes a nós. Não faltou esforço, a vossa dedicação foi enorme, sente-se a devoção, a glória é merecida.

Ontem foi preciso gente de coragem, homens com tomates. Na primeira parte foram Bozovic, Asanin que estiveram em evidência. Um a marcar, outro e defender. Kopco e Bosko (sobretudo eles) fartaram-se de "brigar" na defesa.

Na segunda parte vimos o rival vir para cima de nós e fraquejámos. O público soube perceber que estava na hora de entrar em acção e, não que o apoio tivesse alguma vez faltado, durante os 60 minutos, naqueles minutos finais foi preponderante. Até a água atirada teve um efeito positivo na equipa, pois permitiu aos jogadores respirar e acalmar. Estávamos mais cansados que eles e naquele período do jogo em que a bola queima. Tempo de aparecerem as estrelas. Ruesga chamou a si toda a responsabilidade (nem tinha feito um grande jogo até então) e mostrou que os melhores têm de estar nos momentos de decisão. Aqueles dois golos foram decisivos mas sobretudo o primeiro, porque foi um grande golo e porque a equipa estava com imensas dificuldades em finalizar.

Neste momento era Cudic que estava na baliza e, justiça seja feita, aquela defesa tinha de ser ele a fazê-la. Depois do que havia acontecido no jogo com o Porto, tenho a certeza que ser decisivo neste jogo ajudou Aljosa a tirar aquele peso das costas.

 

No final, ganhámos. Somos campeões! Comunhão plena entre adeptos e equipa. Lágrimas...de lá e de cá.

 

Manuel Gaspar, Edmilson, João Pinto, Frankis, Carneiro, Pedroso, Zabic, Oneto, Portela, Tavares, Solha e Bruno Gaspar. Parabéns a todos vocês e aos já acima citados. Estão na história do nosso Clube e espero que continuem a engrancedê-la.

 

Está morto o borrego. Agora é celebrar e aproveitar o banquete. Obrigado, campeões!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Follow the leader. He know how it is.

Neste momento, com um jogo tão decisivo daqui a pouco, não consigo escrever nada de jeito. É seguir o Canela, que ele sabe o que é chegar, ver e vencer.

Força, equipa!

Eu quero o Sporting campeão!

 

SPOOOOOOOOOOORTING!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Parabéns, campeões!

Não o fiz anteontem e, por isso, começo por vocês. Miguel Almeida, Chen Shi Chao, Aruna Quadri, Diogo Chen, Bode Abiodun e João Seduvem. Director, treinador e jogadores do nosso ténis de mesa que, na passada sexta-feira venceram a quinta competição nacional consecutiva e se sagraram bi-campeões nacionais.

O Sporting a mostrar a sua excelente escola de mesa-tenistas que, ladeados por outros grandes atletas formam uma equipa praticamente imbatível.

Foi o 34º título do ténis de mesa do Sporting Clube de Portugal. Parabéns a todos os que o tornaram possível!

 

Ontem foi um dia fantástico e, perdoem-me os mais velhos, mas começo pelos miúdos. Nestas idades não é o mais importante mas muitos parabéns às equipas de benjamins e infantis pelos títulos distritais alcançados, em disputas bastante niveladas com o eterno rival.

Continuem a divertir-se a jogar futebol, aproveitem e festejem todas as vossas conquistas. Vocês são o futuro do Clube.

 

Deixo o melhor para o fim e sigo com os juniores que, para mim, sem surpresa e com todo o mérito são os novos campeões nacionais, tendo feito a festa em casa do bi-campeão do escalão.

Uma geração fantástica, com alguns dos campeões de juvenis do ano passado, parte deles campeões europeus de selecções no escalão sub-17.

Grande trabalho de Tiago Fernandes e da sua equipa técnica e grande empenho e dedicação de todos os jogadores que, juntos, alcançaram a glória merecida.

Parabéns a todos e, agora, assumo que já estou em pulgas com aquilo que será o destino de todos na próxima época, entre a equipa principal, equipa B, empréstimos ou mesmo a continuação no escalão, sendo evidente que, na minha opinião, alguns precisam de saltar etapas.

Têm a palavra os responsáveis do Clube. O futuro de cada um está entregue aos próprios. A partir daqui só ficam os mais fortes, aptos, inteligentes e empenhados. Boa sorte a todos!

 

Termino com o 25º título europeu da história do Sporting, 2º no andebol, que repetiu a conquista de 2010 na Taça Challenge.

O Sporting provou em em jogo o favoritismo teórico e não deu hipóteses aos romenos do Potaissa Turda, cilindrados em Lisboa por nove golos de diferença e derrotados em casa com seis golos à maior.

Demonstração clara de força e a evidência que este Sporting tem plantel com qualidade para outros voos.

Mas não se pense que foi fácil apenas pelas diferenças de qualidade entre as equipas. O Sporting foi sério, respeitou os adversários e deu tudo para não deixar escapar este troféu.

Especialmente nos dois jogos da final e mais ainda no jogo de ontem, viu-se na equipa um foco total nas tarefas a desempenhar em campo, garantindo que o adversário não sonharia nunca com uma reviravolta. 

No final, ganhámos categoricamente na Roménia, um dos países com maior tradição na Taça Challenge que, no final, viu os seus adeptos de pé, rendidos à qualidade da maior potência desportiva de Portugal.

 

Uma palavra especial ao nosso treinador, Hugo Canela. Assim que este assumiu a equipa, apenas nos primeiros três jogos sentiu-se um ambiente diferente. As mudanças implementadas rapidamente melhoraram a prestação da equipa que chega a esta fase da temporada com hipóteses de fazer um inédito "triplete". O Professor ganhou o meu respeito com a forma desassombrada com que na temporada passada não poupou os seus atletas nem analisou a temporada com "paninhos quentes". A mudança de mentalidade parece estar a acontecer. O Sporting voltou aos títulos e esperemos que esta possa vir a ser uma semana histórica. Aconteça o que acontecer, o "mister" tem a minha confiança para a próxima temporada.

 

Aos jogadores, todos, sem excepção, o meu obrigado! Foram de um profissionalismo e empenho extremos ontem, têm-no sido esta temporada, mesmo nos momentos maus, onde nunca ninguém se escondeu, num grupo que sempre deu a cara.

Esse mérito ninguém vos pode tirar. São homens de carácter e, talvez por isso, foram bafejados com a pontinha de sorte que por vezes nos tem faltado.

Quarta-feira poderemos aproveitar essa sorte (que também deu trabalho, como é óbvio) e recuperar um título nacional que não vencemos há demasiado tempo. Está nas vossas mãos e, se já duvidei antes que pudéssemos alcançá-lo, tenho agora mais "certezas" de que será uma realidade.

Vocês merecem!

 

Nota final para a menos mediática mas não menos importante (por todos os motivos e mais alguns) vitória no campeonato nacional de goalball, onde o Sporting fez primeiro e segundo lugar e se sagrou bi-campeão, depois da vitória no ano passado, época de estreia da modalidade no Clube. Parabéns a todos!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Paralelismos de uma história por escrever

Há tanto que une Hugo Canela, actual treinador leonino, a Paulo Faria, o treinador da equipa que venceu o único troféu europeu do andebol do Sporting, a Taça Challenge, em 2009/10.

Ambos representaram o Sporting enquanto jogadores. 

Ambos ganharam títulos em campo.

Ambos saíram para um dia voltar, integrando equipas técnicas.

Paulo Faria treinou o Sporting durante duas épocas. Foi inclusive treinador de Hugo Canela na última época que fez como jogador no Sporting (e foram 10, no total).

Conseguirá hoje Canela repetir o feito de Faria?

Tomara que sim.

 

O Sporting deste ano não teve de suar como o de então para garantir lugar na final. Em 2009/10, os quartos-de-final foram ultrapassados com vantagem por um golo no conjunto das duas mãos (Stiinta Bacau, Roménia), as meias-finais encerraram com vantagem de dois golos (RD Slovan, Eslovénia) e a histórica final terminou com duas vitórias (algo que não havíamos conseguido nas duas eliminatórias anteriores) e três golos de vantagem (MMTS Kwidzyn, Polónia).

 

Até ao momento, o Sporting venceu todos os jogos no percurso desta Taça Challenge e ultrapassou todos os adversários com vantagens superiores a dez golos de diferença. Mesmo no primeiro jogo desta final, a diferença foi de nove golos.

Mas o conforto dessa vantagem ganha em casa não nos pode permitir relaxar, mais não seja porque o adversário vem de uma meia-final onde recuperou em casa uma desvantagem de oito golos encaixados fora.

 

Teremos esta semana duas finais que nos podem valer dois títulos. Hugo Canela e o fantástico plantel que lidera podem fazer num ano aquilo que Paulo Faria teve que fazer entre os anos de jogador e treinador; ganhar a Challenge e quebrar o longo jejum sem um título máximo nacional.

Paulo Faria era jogador do Sporting no ano do último título (excluindo os dois títulos averbados pelo clube durante o diferendo entre Liga e Federação - 2004/05 e 2005/06) e foi o treinador que guiou uma equipa que nada venceu internamente mas que conquistou uma, até hoje, inédita competição europeia.

É hora de honrar os heróis de 2010 (quatro deles ainda cá estão e podem repetir a conquista - Solha, Portela, João Pinto e Bosko), e fazer mais uma vez história, imitando aquilo que o ABC fez na temporada passada, quando venceu a Challenge e o Campeonato.

 

Eu acredito!

Sigam-me no facebook e no twitter.

A primeira "final" está ganha

O céu estava "carregado", a prometer chuva "da grossa" e bem convidativo a um serão no sofá.

Nah! Era o nosso Sporting e era um jogo de tudo ou nada. Uma vitória e estávamos na luta. Qualquer outro resultado e estaríamos "mortos".

No pavilhão do Águas Santas, umas sete dezenas de leões, só na bancada afecta ao clube visitante. São assim os jogos no norte do país. Poucos mas bons. Apaixonados e fiéis. Não vou tantas vezes quantas queria aos jogos das modalidades mas, sempre que vou, sinto um Sporting diferente. É sempre especial.

Gargantas afinadas. Só uma dezena canta mas as restantes marcam o ritmo ao som das palmas (também fazem falta). Não é futebol mas a malta não se cala. É o Sporting! É para apoiar até ao fim.

 

Entrámos mal no jogo. Cedo os da casa ganham quatro de vantagem. Adivinhava-se um jogo difícil. Algum nervosismo, muitas falhas técnicas e desacerto na hora de finalizar. 

Estávamos no minuto 12 e tínhamos uma montanha para escalar. Só dentro dos últimos 10 minutos do primeiro tempo começámos a encurtar a distância. Tudo começa numa defesa de Cudic. Canela pára o jogo, a agressividade defensiva melhorou. Golo nosso, bloco defensivo a funcionar, golo em contra-ataque, nova posse de bola e novo golo. Jogo empatado.

O Águas Santas ainda passou para a frente mas Carlos Ruesga mostrou o porquê de o termos ido contratar e fez dois golos importantíssimos no último minuto, levando assim o jogo empatado para o intervalo.

 

A entrada no segundo tempo foi forte, o Sporting saiu com bola e passou para a frente e, desde aí, o jogo só voltou a estar empatado por duas vezes, a última das quais aos 40 minutos de jogo. Daí para a frente, foi a experiência dos nossos jogadores a gerir o jogo e a vantagem, que acabou por se avolumar nos minutos finais, fruto de uma maior eficácia mas sobretudo de muitas precipitações ofensivas da equipa da casa, que falhou alguns remates, parte deles defendidos por Cudic, que esteve muito bem.

Tempo para observar de perto a classe e qualidade impressionante de Ruesga, que marcou mais um golaço daqueles óptimos para um GIF, caso o jogo tivesse sido televisionado. Não foi e, assim, guardo para mim uma excelente execução técnica onde a bola, que partiu da altura do joelho, acabou no ângulo da baliza dos da casa.

 

Excelente exibição de Carlos Ruesga, sem dúvida o melhor em campo, bem secundado por Nikcevic, um treinador e um motivador dentro de campo, tal como Cudic, a defender algumas bolas em momentos importantes.

Frankis pouco jogou e no período que esteve em campo revelou muita impaciência e alguma precipitação nas suas acções. Carlos Carneiro, Francisco Tavares e Asanin nem foram utilizados e Igor Zabic também teve pouco tempo de jogo.

Boa gestão do plantel por parte de Hugo Canela, com vista ao decisivo jogo do próximo fim-de-semana, em casa, com o Porto.

 

Fiquem com um "cheirinho" do ambiente em Águas Santas e os instantes finais da partida:

Sigam-me no facebook e no twitter.

Começa hoje o ciclo infernal que nos pode dar três títulos

Serão sete (que se espera que sejam oito) jogos em pouco mais de três semanas.

 

10.05 Águas Santas (f) 
13.05 Porto (c)
17.05 Madeira (f)
21.05 Turda (c) Final da Taça Challenge
27.05 Turda (f) Final da Taça Challenge
31.05 Benfica (c)
3-4.06 Final-Four Taça Portugal

 

Tudo jogos de exigência máxima, até à meia-final da Taça de Portugal, com o Avanca, o menos credenciado de todos os adversários.

Para o campeonato, são históricas as dificuldades das idas a Águas Santas e à Madeira. Teremos de estar ao melhor nível já hoje, para poder passar para a frente do campeonato no fim-de-semana, onde teremos de vencer o Porto por mais de dois golos de diferença (vencer por dois atira o desempate para a diferença de golos total onde, neste momento, temos desvantagem de sete golos).

Sobre as recepções a Porto e Benfica, nem é preciso falar. São clássicos e embora tenhamos sempre revelado facilidades perante o Benfica, não será fácil jogar com eles um jogo que poderá dar o título e onde viremos de um grande desgaste acumulado. Mas, até lá, muita água terá de correr por baixo do moinho.

Hoje, a norte, num pavilhão pequeno onde o público costuma ser fervoroso e o ambiente adverso para quem o visita, teremos de fazer das fraquezas forças e mostrar já no inicio deste ciclo que estamos fortes para vencer tudo.

Um resultado que não seja a vitória acaba praticamente com as nossas aspirações ao título e, por isso, todo o apoio é pouco. Os Sportinguistas do norte têm uma força especial e acredito que os que forem a Águas Santas empurrarão a equipa para a vitória.

 

Num dia em que parecem ter terminado os rumores sobre a contratação de Carlos Resende, visto que foi noticiado um eventual acordo do treinador português com o Benfica, vejo esta notícia como um um ponto estabilizador.

O Sporting tem treinador. Hugo Canela tem feito, a meu ver, um bom trabalho e, conquistando o título nacional ou até mesmo dois dos três títulos em disputa, terá a porta aberta à continuidade (esperando naturalmente que possamos manter a maioria dos jogadores do plantel, que são de grande qualidade).

 

Tempo de reunir, lutar e vencer. A seca pode acabar este ano.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Râguebi feminino carimba título com mais uma vitória

Muitos parabéns às nossas leoas, à equipa técnica e a toda a secção de râguebi pelo título nacional de sevens!
Este é mesmo um fim-de-semana para as mulheres, depois da qualificação para a final do campeonato nacional por parte da equipa júnior feminina de futebol.
Fiquem com os vídeos dos jogos de hoje, das reacções e dos festejos pela conquista de mais um título para o Sporting Clube de Portugal.

Sigam-me no facebook e no twitter.

O ciclo infernal e o volte-face surpreendente

Confirma-se o que aqui havia adiantado há uns dias. A Federação Portuguesa de Andebol já definiu as datas para as próximas três jornadas do Campeonato Nacional Andebol 1 e este é o calendário:

10/5 (21h): Águas Santas - SPORTING CP

13/5 (18h): SPORTING CP - Porto

17/5 (19h): Madeira SAD - SPORTING CP

 

Depois deste ciclo de três jogos numa semana, começará a disputar-se a final da Taça Challenge e é aqui que surge a surpresa inesperada. Os islandeses do Valur que tinham vencido, em casa, os romenos do Potaissa Turda por oito golos de diferença não resistiram ao favoritismo inicial dos romenos que, na Roménia, venceram por nove golos, numa recuperação excepcional.

Assim, defrontar-se-ão nos dias 20 (Lisboa) e 27 (Turda, Roménia) dois dos favoritos iniciais à vitória na prova e, a final mais acessível que eu já previa com os islandeses dá assim lugar a dois jogos muito mais competitivos e que colocarão à prova a nossa equipa numa fase muito complicada da época.

 

Uma coisa é certa; até final da temporada, cada jogo será uma final.

 

Relativamente ao campeonato, sobra-nos a última jornada, para além das três acima calendarizadas. A jornada final está marcada para o dia 27 (o mesmo que a 2ª mão da final da Challenge) e só o nosso percurso no campeonato ditará se a antecipamos ou adiamos (creio que isto também dependerá do Benfica, que previsivelmente não facilitará as coisas para o nosso lado, mesmo que não tenha nada a vencer até final da época - ou talvez o faça por isso mesmo).
No caso de chegarmos mesmo à última jornada com o campeão nacional por definir, seria de esperar que a FPA tivesse a sensatez de adiar o encontro para a semana seguinte, tal como fez na temporada passada, em que ABC e Benfica disputaram entre si a final da Taça Challenge.

 

Voltando aos romenos, nossos adversários na Europa, são um clube recente, que apenas chegou à 1ª Liga romena em 2011. Daí para cá, classificaram-se sempre entre os oito primeiros na fase regular do seu campeonato e foram semi-finalistas nos play-off das últimas duas temporadas, fase para onde voltaram a classificar-se este ano.
Convém elucidar que o campeonato romeno é tão ou mais mais competitivo que o português, embora surja duas posições abaixo do nosso no ranking EHF e conheceu três campeões diferentes nas três últimas temporadas.

 

A experiência dos nossos jogadores é superior à dos romenos mas, até historicamente, as equipas romenas têm tradição na Challenge Cup, tendo mesmo vencido cinco das últimas dez edições (sempre que se apresentaram na final, as equipas romenas venceram e a única que não o conseguiu, defrontou outra equipa do seu país).
Prevejo uma final muito equilibrada, onde o sorteio nos foi desfavorável, levando a decisão da eliminatória para a Roménia, num pavilhão pequeno, onde o público exercerá tremenda pressão sobre nós e a equipa de arbitragem. 

 

Tempo de aferir a "fibra" de Hugo Canela e do seu plantel. Tempo de fazer do Sporting vencedor, estatuto que nos vem fugido nos últimos anos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Não deixei de acreditar em vocês

Os últimos dois dias foram tramados. Muito pouco tempo para ver ou escrever o que quer que seja. O único tempo livre foi guardado para a final da UEFA Futsal Cup, a grande desilusão do fim-de-semana.

Mas o facto de ter sido uma grande desilusão não tolda a minha memória. 

Todas as grandes equipas têm um ou dois dias maus por ano. Falhámos. E tivemos um desses dias maus num dia em que teríamos de ser perfeitos para sermos felizes.

 

Não sei se foram muitos ou poucos os presentes no aeroporto ou em Alvalade, aquando da chegada a Lisboa, mas todos foram poucos. 

Esta equipa merece todo o nosso apoio e admiração. Continuamos a ser um dos melhores da Europa e o título é uma questão de tempo.

 

Aos directores e equipa técnica: continuem este rumo de exigência e investimento na qualidade. Se continuarmos a ter plantéis de qualidade, acabaremos por juntar o tão ansiado troféu às vitrines do nosso Museu.

Aos jogadores, certamente os mais tristes e os que mais queriam vencer: força, muita força! Não há um único Sportinguista consciente que tenha a lata de vos apontar o dedo. Foram perfeitos na meia-final e tiveram um dia mau anteontem. Eu acredito em vocês e, sabendo que um dia mau já lá vai, não tenho dúvidas que acabaremos a época com mais dois títulos. Quanto à UEFA Futsal Cup...para o ano tentamos outra vez. É isso que fazem os leões. Tentam sempre mais uma vez, tenham ou não sido bem sucedidos na anterior.

 

(O futebol não vi - a não ser o resumo - mas não há muito a dizer. Bas Dost. Tentarei ver o jogo entretanto para depois tecer alguns comentários)

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Andebol confirma mais uma final europeia

Foi sem surpresa que o Sporting confirmou ontem a presença na final da Challenge Cup de andebol e poderá assim voltar a tentar vencer uma prova que já ganhou em 2010.

 

Não menosprezando o feito dos nossos leões,  nada fizemos até agora a que não estivéssemos "obrigados".

Com adversários de menor valia e três eliminatórias jogadas na totalidade em casa, de estranhar seria que não estivéssemos nos jogos decisivos, já que desde o início que éramos um dos favoritos à vitória final.

 

De realçar o empenho e profissionalismo com que todo o plantel encarou cada jogo e cada eliminatória,  todas elas vencidas por uma diferença superior a 10 golos no conjunto das duas mãos. 

 

O jogo de ontem não fugiu à regra e a vitória foi esmagadora, mesmo dando-nos ao luxo de todos terem minutos de jogo, inclusive jogadores em idade júnior. 

 

Hugo Canela pode agora centrar atenções no campeonato, onde se avizinha um ciclo de jogos complicado.

Parabéns a toda a equipa, treinadores e restante staff pela qualificação para mais um final europeia (depois do futsal, que joga hoje o derradeiro desafio)!

 

Fiquem com o que falta jogar até final a temporada:

10/5: Águas Santas - SPORTING CP (Campeonato)

13/5: SPORTING CP - Porto (Campeonato)

17/5 ? : Madeira SAD - SPORTING CP (Campeonato)

20/5: SPORTING CP - Valur / Potaissa Turda (Final Challenge Cup)

23/5 ? : SPORTING CP - Benfica (Campeonato)

27/5: Valur / Potaissa Turda - SPORTING CP (Final Challenge Cup)

3/6: Avanca - SPORTING CP (1/2 Final Taça Portugal)

4/6 (em caso de apuramento): SPORTING CP - ABC / Porto (Final Taça Portugal)

NOTA: Os jogos marcados com "?" estão agendados para os mesmos dias da final da Challenge Cup e terão de ser reagendados (antecipando ou adiando). No caso da Madeira prevejo que seja antecipado, porque dá mais jeito e não creio que os madeirenses dificultem as coisas,  no caso do jogo com o Benfica dependerá de vários factores. É a última jornada do campeonato e, se nada estiver decidido, as coisas podem até precipitar um adiamento para depois da Taça de Portugal (já que mais do que um jogo teria de realizar-se em simultâneo). Caso esteja o título entregue, penso que tenhamos de antecipar já que, certamente, o Benfica se recusará a adiar o jogo.

 

Boa sorte a toda a equipa para o que falta! Será um ciclo exigente mas temos três competições onde apenas dependemos de nós para as conquistar. Força, malta!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal