Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

O tempo ideal

Todos os treinadores passam as épocas (sobretudo quando as coisas não correm bem) a frisar a importância do tempo de trabalho conjunto para apurar os processos colectivos.

Jorge Jesus não é diferente e, pela complexidade do seu modelo de jogo e, mais ainda, pelas nuances tácticas e dinâmicas que, já se percebeu que pretende introduzir no nosso jogo para este ano, o tempo torna-se ainda mais precioso.

 

Porquê falar nisto?

 

Porque o Sporting terá de se mexer no mercado ainda mais rapidamente que o desejável.

Com a inevitável probabilidade de enfrentar o playoff da Liga dos Campeões fora do pote dos cabeças-de-série, enfrentaremos certamente uma equipa com grande capacidade, que até será teoricamente favorita, convém chegar a esse momento da época com os processos de jogo o mais consolidados possível.

 

Já se percebeu que o Sporting venderá dois ou até mesmo os três campeões europeus de selecções do nosso plantel. Rui Patrício, William e Adrien estão na "montra" e é quase certo que nenhum cá estará em setembro. Gelson também parece fortemente assediado, embora me pareça maior a probabilidade de ficar no Sporting.

Sabendo que o Sporting só voltará a atacar o mercado com o dinheiro proveniente destas vendas, não será conveniente que as mesmas se fechem o quanto antes, em vez de andar a discutir com os pretendentes mais um milhão a cada semana que passa?
Segundo parece, o Sporting estipulou o valor de venda de cada um. Até agora, nenhum clube parece ter atingido esses valores e, a cada dia que passa, diminui a nossa margem para fazer jogo de cintura e, consequentemente, a nossa capacidade financeira que permitirá reforçar a equipa.

 

Para além disso, os nossos alvos de mercado podem fugir e isso criará o mesmo problema que parece ter-nos afectado no ano passado, onde contratámos tarde e apenas depois das vendas tardias de João Mário e Slimani, acabando assim por ter de ficar com as nossas segundas e terceiras opções de mercado.

Não podemos voltar a contratar dois jogadores para um lugar, na esperança que um deles pegue. Isso é desperdício de recursos e não serve os propósitos da equipa. Para ver se pega, experimentamos os que formamos.

Fora isto, teremos de ter em conta que os jogadores querem sair e os seus empresários sabem disso e estarão também a tratar da sua vida.

Será descabido que eu pense que um empresário pode tentar baixar o preço de um negócio para fazer subir o valor da sua comissão junto do clube comprador?

Claro que não é e, a cada dia que passa, são os clubes que compram que vão ganhando força e ficando com a faca e o queijo na mão, pois nós precisamos de vender e não podemos ficar com jogadores contrariados.

 

Se a intenção é manter os jogadores até final da pré-eliminatória da Champions, digo já que acho mal. Isso obrigará a que nos reforcemos já com o campeonato a decorrer, arriscando contar com atletas menos comprometidos com os objectivos, por causa do espectro evidente de uma saída que, inevitavelmente, coloca os jogadores numa posição de nervosismo e instabilidade emocional.

Para os jogos a doer teremos de contar com aqueles que estão comprometidos com o projecto, pelo menos até maio.

 

Para que isso aconteça e não se repitam os erros da época passada, o Sporting deve definir o plantel nas próximas duas semanas, por forma a dar tempo aos jogadores de integrar os trabalhos da equipa e adquirir os processos necessários a uma boa interpretação do modelo de jogo.

Já disse anteriormente que acho que o Sporting se mexeu atempadamente no mercado. Falta vender atempadamente para não correr o risco de, como no ano passado, vermos jogadores chegar a conta-gotas em cima do mês de setembro.

 

É esta a nossa vantagem competitiva. Sabendo que, internamente, lutaremos sempre contra muito mais do que aquilo que seria desejável, não podemos descurar estes pormenores.

Não quero com isto dizer que devamos vender em saldo mas, se há jogadores com a expectativa e a promessa de uma saída, não será um milhão a mais ou a menos que vai fazer a diferença para o nosso lado, sobretudo se isso hipotecar os mais de 10 milhões que a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões nos trarão.

 

Espero e desejo que tudo se defina rápido, obrigado e boa sorte aos que saírem e mais sorte ainda para os que venham a ingressar no maior Clube do Mundo. Se não há margem de erro nesta temporada e nos preparamos para voltar a bater recordes de investimento, mais vele que o façamos como deve ser.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

"O falso lento": O mercado, os Aurélios e os putos

Dizem que o segundo álbum é sempre o mais complicado e confesso que a veia criativa estava difícil de encontrar. Os dois temas do momento são assuntos que nunca me entusiasmam.

 

Para falar da agremiação de carnide o que não falta por essa net fora são carnidenses. O escândalo é grave, mostra o quão inquinada está a competição e o porquê de se cantar entre Sportinguistas: “Cá estaremos, cá estaremos...”. Mas, lá está, para versar sobre isso há gente muito melhor posicionada que eu.

 

Resta-nos o mercado... Aqui admito que seja defeito meu mas a silly season é uma altura do ano que abomino. Não me entendam mal, gosto tanto de um brinquedo (leia-se jogador) novo como o próximo, mas não me deixo levar pelos 7619068 nomes que fazem capas de jornal por esse país fora. Novamente, vou deixar esse trabalho para o Mais Tabaco.

 

Posto isto, a realidade nua e crua do nosso Sporting é o que mais me interessa. E nesse capitulo já me arrojo a pensar que percebo um pouco mais do assunto pois o Sporting nunca está longe dos meus pensamentos.

Desde já, estão confirmadas algumas contratações. Não querendo entrar em avaliações individuais, no computo geral, acho que reforçámos o plantel mas o 11 titular não evoluiu. Nenhuma das contratações anunciadas até agora tem lugar garantido (Coentrão e Mathieu podem vir a mudar esta analise mas até haver bacalhau, não posso contar com isso).

 

A minha grande preocupação prende-se com saídas e separo isso em 2 sub-grupos:

 

Os Aurélios: Parece-me um dado garantido que 2/3 serão transferidos. Claro que o encaixe financeiro será avultado, até porque esta direcção tem estado inexcedível nesse capitulo, mas a perda desportiva pode fazer rombo. Em relação ao Adrien, penso que acautelamos muito bem essa posição com a chegada do Bruno Fernandes mas... substituir William com Bataglia? Gelson? Rui?

Não é tarefa fácil e espero que não se caia no erro de ir buscar 3 jogadores por posição na esperança de que um pegue.

 

Os canteranos: É aqui que está a minha maior ansiedade. Quantos/quais ficam? Se o Iuri se afigura como um valor que já não se pode ignorar e Podence parece ser do agrado do treinador, os restantes têm um futuro incerto. Independentemente do que pensa o casmurro do nosso treinador, Xico Geraldes, Matheus e Mané não precisam de nascer 10xs. O Xico (e também o Gauld apesar de não ser canterano) pode preencher varias vagas no plantel sem termos que abrir os cordoes à bolsa. Mané talvez seja prudente dar-lhe mais um ano na Alemanha onde tem evoluído a olhos vistos. Por fim o Matheus, apesar da inegável qualidade, parece-me que podia beneficiar de um empréstimo numa equipa que lute por lugares Europeus em Portugal.

 

Para concluir devo dizer que é apenas a minha visão. Alias, os relatos que tenho em relação à permanência destes miúdos não são os melhores e provavelmente daqui a algumas semanas estaremos aqui a discutir a saída da larga maioria. Espero que não...

 

Semanalmente, uma vez por mês ou quando lhe apetecer, o Barbosa 08 entra por aqui a dar chocolate

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

A única mágoa que ficou deste mercado de transferências

Prometo que irei ao Bessa ver um jogo só para dar força ao Iuri. Espero que Jorge Jesus não tenha desistido dele, pois tem imensa qualidade e características únicas. Força, Medeiros!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O que ficou do fecho do mercado de transferências

Propositadamente, adiei a publicação das minhas considerações sobre a composição do plantel do Sporting após o fecho mercado de transferências.

Sabia que tinham ficado jogadores a mais e tinha bem presente a tácita afirmação de Jorge Jesus relativamente ao número de jogadores do plantel; 23 (com os 3 guarda-redes).

Assim sendo, sabendo que o programa "Bom Dia Sporting", da Sporting TV, tem por hábito acompanhar os trabalhos da equipa principal, sentei-me calmamente à espera das imagens, por manter a desconfiança relativamente ao facto de Jesus continuar a trabalhar com o mesmo número de jogadores que tinha antes do mercado abrir.

Foi assim que não me espantei por constatar que Ryan Gauld, André Geraldes, Rafael Barbosa, Bruno Paulista e Lukas Spalvis não integraram os trabalhos do plantel às ordens de Jorge Jesus.

 

Se o caso de Rafael Barbosa é normalíssimo, pois creio que possa inclusive beneficiar e ser importante na melhoria que se pretende para a equipa B, os restantes nem tanto.

Bruno Paulista, acredito, terá mercado no Brasil e Spalvis poderá recuperar algum ritmo na equipa B (embora vá tapar a evolução de Ronaldo Tavares, por exemplo) mas...o que dizer de Ryan Gauld e André Geraldes...

Vão jogar na B!? Infelizmente parece que, pelo menos, ficarão às ordens de João de Deus, confirmando-se assim o prejuízo máximo para os atletas, após o diferendo entre Sporting e Vitória FC (isto independentemente da legitimidade ou não da sua retirada do clube sadino).

Este será o plantel com que Jesus conta:

Plantel SCP.png

Dizer que são estes com que Jesus conta é relativo pois, desde o início da época que Matheus não conta, mesmo fazendo parte do plantel. Nem a saída de Markovic (que também pouco contou) me parece que venha agora mudar o estatuto do jovem brasileiro aos olhos do "mister".

Também André poderá ainda sair, pois o mercado encontra-se aberto no Brasil, o seu destino mais provável.

Concluindo, Jesus acabará por cumprir o que havia adiantado em entrevista à Sporting TV. O plantel terá 23 jogadores, mais Matheus que, espero (embora duvide), passe efectivamente a contar como opção válida.

 

De resto, é de esperar que este plantel mais curto e previsivelmente mais comprometido faça os possíveis para que, pelo menos, o 2º lugar não nos fuja. Ganhar no sábado será um passo de gigante para esse objectivo. Chegando ao 2º, pensaremos mais à frente.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O "emagrecimento" do plantel: Balanço final

Depois de ter comparado os desempenhos de Iuri Medeiros (LINK), Francisco Geraldes (LINK), Ryan Gauld (LINK) e Daniel Podence (LINK) com os dos jogadores das respectivas posições que integram o plantel de Jorge Jesus, chega a hora de dizer o que eu faria neste mercado de Janeiro.

Abstive-me antes de o fazer mas agora não resisto à tentação.

 

Na baliza estamos bem servidos. No centro da defesa também e, numa perspectiva economicista, eu "desfazia-me" de Douglas (para mim, o mais fraco dos quatro).

Nas laterais, caso consigamos reforçar ambas com jogadores que nos resolvam os problemas actuais, dois ou três terão de sair, já que há ainda Jonathan Silva. Confesso que ainda comparei os números de André Geraldes com os dos nossos quatro laterais e a performance defensiva é idêntica, ao contrário da ofensiva. Não posso afirmar peremptoriamente que André Geraldes não serve mas mantenho o meu feeling que não é suficiente para as nossas ambições e lhe faltam atributos ofensivos essenciais na interpretação do modelo de Jesus. 

No meio-campo, é evidente que Meli e Petrovic não têm espaço. Praticamente não jogaram e devem sair. Eu vendia também Elias.

A minha pequena revolução fazia-a nas posições de ataque. Castaignos, André e Markovic revelaram-se insuficientes para as nossas ambições e Bryan Ruiz nem parece o mesmo da época passada. Bruno César deve assumir de vez a posição de extremo e precisamos de contrabalançar alguma experiência com mais irreverência. Acabei por não incluir Podence no plantel, pois considero mais benéfico que continue a jogar com regularidade em Moreira de Cónegos.

A grande questão aqui é: a direcção tem capacidade financeira para reforçar já a equipa para o que resta desta temporada mas também a pensar na próxima?

Se tiver (e dadas as mais-valias vindas das vendas de João Mário e Slimani, admito que sim), eu fazia isto:

1.png

Os empréstimos de Joel Campbell, Markovic e Meli seriam suspensos imediatamente.

Ricardo Esgaio e Luc Castaignos seriam emprestados.

Azbe Jug, Douglas, Jefferson, Marvin, Petrovic, Elias e André seriam vendidos.

Há ainda a hipótese de saída de algum dos campeões europeus... Excepto no caso de Rui Patrício (Pedro Silva assumiria em definitivo o lugar de número dois da baliza, atrás de Beto), teríamos de ir ao mercado procurar jogadores que substituíssem as vagas deixadas por Adrien ou William. Só admito a saída de um dos três e, neste caso, parece-me evidente que teríamos capacidade para os investimentos que proponho.

 

Hans Hateboer é lateral direito do Groningen e internacional sub-21 holandês. É alto (1.88m) e um defensor com elevada propensão ofensiva. Termina contrato em Junho de 2017 e parece-me uma boa opção a baixo custo. Está avaliado em 1M€ (fonte: transfermarkt).

 

Emiliano Insúa dispensa apresentações. Vem de duas épocas com muitos jogos no Estugarda, depois de uma fase de menor fulgor, após a saída do Sporting. Tenho visto alguns jogos e parece-me estar de volta aos bons momentos. Termina contrato em Junho de 2018, factor que pode fazer baixar os 3.5M€ de valor de mercado (fonte: transfermarkt). Além disto, conhece bem o Clube e a Liga Portuguesa.

 

Ricardo Quaresma termina contrato no final da temporada e está numa das melhores fases da carreira. Apesar dos 33 anos, apresenta um rendimento extraordinário, para o qual considero que o seleccionador Fernando Santos muito terá contribuído. É amigo de Jesus, Bruno de Carvalho já confidenciou que gostava que voltasse a Alvalade e tenho a certeza que os 4M€ que vale (fonte: transfermarkt) poderiam perfeitamente ser negociados. Depois de Nani, seria bom ter mais um regresso.

 

Sébastien Haller é um dos meus fetiches. O ponta-de-lança dos sub-21 franceses é titularíssimo no Utrecht, onde está há dois anos. Tem 37 golos e 14 assistências em 79 jogos e, aos 22 anos, está pronto para "dar o salto". Tem contrato até Junho de 2019 e os 8M€ que vale (fonte: transfermarkt) o seu passe valeriam a pena. Sendo um "9" puro, Haller não se sente desconfortável a vir buscar a bola atrás nem a cair nas alas. Por isto, poderia até ser encarado como o parceiro de Bas Dost, já que julgo que se adaptaria bem às movimentações pedidas ao segundo avançado. Além disso, é forte na reacção à perda e tem "nervo" para defender a primeira fase de construção adversária. Caso assumisse a titularidade ao lado de Dost, teríamos Ronaldo Tavares e Pedro Marques na "cobertura" (não equaciono Leonardo Ruiz, pois acho que o Sporting não exercerá a opção de compra).

 

E isto não é brincar ao FM fazer prospecção. :)

Sigam-me no facebook e no twitter.

Enfim, fechou o mercado

Circulava desde o início da pré-temporada o desejo de Jorge Jesus em não perder mais de dois jogadores fundamentais. Assim foi.

João Mário (Inter - 40M€) e Islam Slimani (Leicester - 30M€) deixam 70 milhões de euros nos cofres de Alvalade, que podem vir a ser 80. Convém não esquecer que 25% da venda de João Mário vão para o Quality Football Ireland Limited (10 milhões) e 20% da mais-valia da venda de Slimani vão para o seu antigo clube, o Belouizdad (5,940 milhões).

Um valor recorde para o Clube e as duas maiores vendas de sempre do Sporting Clube de Portugal (a terceira é Nani - 25M€).

 

Num patamar inferior, é de elogiar a venda de Naldo por 4,5 milhões de euros, depois de o termos adquirido no ano passado por 3 milhões.

 

Desde o início que me sentia tranquilo quanto a este período de transferências. Tinha a certeza que Bruno de Carvalho quer ser campeão e, para isso, não iria certamente vender metade da equipa titular. O desejo de Jesus não só era de valorizar como seria um dos maiores passos para fazer do Sporting campeão.

Fora isto, havia que tentar reforçar posições deficitárias, dotando a equipa de mais e melhores opções para atacar todas as frentes desta época.

 

Era no reforço do plantel que estava o foco, tendo a certeza que havia mercado para qualquer um dos mais cotados jogadores do Sporting.

Desde o início se percebeu que João Mário e Slimani eram os mais prováveis encaixes para depois se atacar o mercado. O timing, tardio para uns e perfeito para mim, teve o condão de não nos deixar "descalços" antes de um clássico importantíssimo que antecedia uma paragem para as selecções, ideal para integrar os novos reforços.

 

Tudo correu como esperado e, melhor que as vendas foi a forma como se apetrechou o plantel com jogadores de clara valia e que aumentarão em muito a profundidade, qualidade e competitividade do plantel.

Confesso-me surpreendido com a nossa capacidade e a qualidade com que o fizemos. Jogadores como Bas Dost, Douglas, Campbell, Markovic, André, Castaignos e Elias vêm emprestar muita qualidade e um vasto leque de opções a Jorge Jesus.

Ficou a faltar, para mim, um defesa esquerdo mas, às tantas, depois destes primeiros dois meses da época, Jesus achou que o que tinha servia. Eu acho que pode ser curto mas é impossível apontar isto como um erro quando este defeso foi, indiscutivelmente, o melhor de sempre.

 

Num plano diferente, as rescisões de Labyad, Aquilani, Cissé, Dramé, Zezinho, Kikas, Luís Ribeiro, Mica Pinto e Jorge Silva, são excelentes notícias. Uns porque eram 'pesos mortos', outros porque não corresponderam e a maioria porque precisava de seguir o seu caminho, após muitos anos de Sporting.

 

Para terminar, o desejo de rápida integração dos reforços e a certeza que temos um plantel forte para encarar de frente todas as competições.

Plantel 16-17.jpg

Um plantel talvez demasiado longo e no qual 2/3 jogadores terão certamente poucos minutos mas que, espero, Jesus saiba gerir com mestria.

Eu quero o Sporting campeão!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Countdown

Acordei há uma hora e já vi de tudo. Desde a transferência de Rafa até ao regresso de Elias. Vou sentar-me à espera que isto acabe e falamos amanhã. Só espero que não saiam mais 5 titulares.

Imaginar o Jesus e o Bruno de Carvalho a dormirem em conchinha na SAD é quase tão perturbante como imaginar o Elias com a verde-e-branca.

Bom dia a todos e...calma.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

"Não havendo cláusula, a decisão não é dos jogadores"

Muito bem o Presidente do Sporting a explicar à 'jornaleiragem' que as coisas não são como eles querem fazer ver.

 Sigam o GAG no facebook e no twitter.

O fecho do mercado

O mais importante foi feito: colocaram-se os excedentários e reorganizou-se a equipa B.

Não considerava primordial o reforço da equipa principal.

Depois das chegadas de Bruno César, Schelotto e Zeegelaar, cada entrada estaria dependente de uma saída.

Não foi assim, mas foi quase.

A saída de Marcelo Boeck já estava acautelada desde o início da época. Azbe Jug será o fiel escudeiro de Rui Patrício.

Para a defesa ainda chegaram Sebatián Coates e Rúben Semedo, provavelmente a pensar em possíveis lesões ou castigos. Semedo tem a vantagem de poder também fazer o lugar de William Carvalho.

No meio-campo não se mexeu. O coração da equipa, que tão bem tem estado, continua intacto.

Tudo igual nas alas, onde Mané parece poder ser 'reforço' de inverno.

Na frente de ataque surgiu a maior surpresa. A chegada de Hernán Barcos levou-nos Fredy Montero e Tanaka para o Oriente. O primeiro para a China e o segundo de regresso ao Japão.

Tudo isto sem se saber se Teo está mesmo cá ou se ficou na Colômbia.

Assumindo que Tanaka já praticamente não contava quando cá estava (apesar de ser acarinhado por todos os Sportinguistas), a troca de Montero por Barcos não me deixa, para já, satisfeito. Sobretudo porque conheço Montero e sei das mais valias que nos traz (ainda por cima é diferente de todos os outros avançados).

Não foi literalmente cumprida a promessa de que não veríamos partir jogadores fundamentais e isto é apenas a minha opinião. Montero era dos mais utilizados (embora na maioria dos casos fora do 11 habitualmente titular). Era mesmo o 12º com mais minutos desta época, ou seja, a primeira opção depois dos titulares e parte num momento da época em que acho que nos seria fundamental.

Barcos é, para mim, uma total incógnita que espero que se adapte depressa e mostre a qualidade que, certamente terá. A troca por Montero, mais 5M€  (espero que tenham sido estes os contornos do negócio) não me deixa satisfeito e muito menos tranquilo mas vou dar o benefício da dúvida ao argentino.

Espero que os que partiram possam aparecer em Maio para fazer a festa com os restantes.

O fecho do mercado de transferências

Não sei o que acontecerá até ao final do mercado mas peço que não se desestabilize um grupo que tem demonstrado união em todos os aspectos.

Coloquem-se os excedentários e não se mandem embora nenhuns dos quer nos têm sido úteis.

Acordar com rumores sobre uma possível saída de Fredy Montero deixa-me com vontade de desligar a internet o dia todo.

Há que justificar as capas dos últimos dias

Como diria o outro: "A tragédia, o horror...!" ...a que se juntam uns pozinhos... Jesus está furioso e exige director desportivo. As possíveis saídas assustam o treinador do Sporting.

Calma, malta! Estão só a justificar as encomendas dos últimos dias. Fazia lá sentido dizer que eles iam todos para o Sporting e agora não justificarem mais um "roubo", mesmo depois do empresário de Marega dizer que o Sporting não fez qualquer proposta?!

Quanto ao negócio: 5 milhões por um suplente do Marítimo e uma incógnita?! Grande negócio que nós evitamos.

Talvez Bruno de Carvalho até tenha feito uma proposta...naquela onda da do Mitras.

Paga e não bufa, ó "Bufas".

Teremos de esperar mais uma semana

"Na próxima edição do Jornal, o Sporting vai divulgar todas as contas do mercado, à semelhança do que tem acontecido nas duas últimas épocas, e congratula-se por outros clubes, como o Sp. Braga, seguirem a mesma prática. Assim todos os emblemas o fizessem, em nome do rigor e da transparência no futebol."

Informação veiculada no Jornal Sporting do dia de hoje

Pelos vistos não há petróleo nem se contrata tudo a qualquer preço

E é por isto que evito comentar rumores.

Kevin-Prince Boateng não será jogador do Sporting e, na minha opinião, não fará falta.

A Sporting Clube de Portugal, Futebol, SAD, informou que após negociações com o atleta, não foi possível chegar a acordo relativamente aos seus direitos de imagem.

Não 'molhei a cueca' quando vi o seu nome associado ao Sporting, nem as notícias concretas e a sua chegada a Portugal mexeram comigo. Não sei porquê. Talvez porque, como já vos disse, estou demasiado tranquilo.

Sei que Bruno de Carvalho não venderá a alma ao diabo para ter o melhor plantel de sempre e que o rigor continuará a fazer parte da sua gestão.

Assim foi. Em nome do rigor, o Sporting não aceitou pagar aquilo que o jogador pedia pelos seus direitos de imagem (aceitava-se o dito pagamento, caso a sua esposa se prestasse a participar em campanhas do Clube ).

Siga a janela de transferências e venha a Supertaça. Começo a ficar inquieto e com vontade de ver jogar o grande Sporting!

E não houve surpresas

Acho piada àqueles que ficam a fazer refresh em tudo o que é página de desporto à espera das últimas do mercado. Nesta janela de transferências que agora terminou, acho ainda mais piada a Sportinguistas que se tenham dado a esse trabalho. Não pela 'tarefa' em si, mas sim pelas expectativas baixíssimas de movimentações para os nossos lados.

Somos um clube com limitações financeiras, com um orçamento reduzido, sob vigilância da UEFA por causa do fair-play financeiro e estavam à espera de um craque para o Sporting?

Temos lá muitos, com Nani à cabeça (que foi a melhor jogada de mercado desta temporada em Portugal).

Foi um mês de Janeiro em que recebemos uma espécie de "Querido mudei a casa", mas em versão "Querido arrumei a casa" pois, como já disse, não havendo dinheiro para renovações, limitámo-nos a arrumar e desfazer-nos (mesmo que temporariamente) de 'coisas' que não nos eram agora úteis mas que ali paradas também só ganhavam pó - espero que ninguém se ofenda com este paralelismo.

Dois jogadores saíram em definitivo. Maurício foi vendido à Lazio por 2.65M€ e Wilson Manafá foi cedido ao Beira-Mar a custo zero, tendo o Sporting ficado com 50% do passe.

Dos mais de dois milhões e meio que nos rendeu Maurício, 300m€ foram investidos no empréstimo de Ewerton, que terá os seus ordenados suportados pelos russos do Anzhi até ao final da época. Entendo este empréstimo como um período de experiência para que os responsáveis leoninos avaliem as capacidades actuais do jogador. Se corresponder às expectativas, pagaremos os 1.5M€ acordados para a compra definitiva dos direitos do jogador e teremos reforço para a próxima época pois, parece-me que Tobias já não 'descalça' do 11 inicial.

Entre compras e vendas, saldo positivo. Gastámos menos do que recebemos, reforçamos a confiança em Tobias e não ficamos mais fracos.

Yan Zihao, cujo contrato terminava no final desta temporada, rescindiu e seguirá carreira noutras paragens.

Diego Rubio e Zezinho regressaram à Academia e integrarão a equipa B.
Rubio tinha terminado o empréstimo ao Sandnes Ulf, da Noruega, equipa que desceu de divisão mas onde Rubio fez pela vida, tendo sido o melhor marcador da equipa. Confesso que vejo potencial em Rubio. Não podemos esquecer-nos que tem ainda 21 anos e que o próprio Sporting não lhe tem facilitado a vida com empréstimos que castram a evolução. Ainda não perdi a esperança no chileno e os dois golos em dois jogos pela equipa B, para já, são bons indicadores.
Zezinho regressa após quebra do contrato de empréstimo que o ligava ao AEL Limassol até ao final da temporada. Foi um empréstimo claramente falhado onde, num campeonato pouco competitivo e com as dificuldades de adaptação normais, pelo facto de ser um país e uma cultura diferente não facilitariam a sua evolução. Confesso que já o vi jogar muitas vezes e considero ser até a melhor opção para fazer sombra a William Carvalho.

No campo dos empréstimos, tentou dar-se aos visados minutos e possibilidade de evoluir ou simplesmente de competir.

Iuri Medeiros e Fabrice Fokobo seguiram para Arouca e se Pedro Emanuel conseguir fazer o que fez com Adrien e Cédric já valeu a pena.

Filipe Chaby seguiu para a Madeira e jogará na União até ao final da temporada. Fontes próximas do clube garantiram-me que Chaby está bem entregue e que, embora apresente falta de ritmo e algumas lacunas no jogo sem bola, com ela nos pés acontece magia.

Ricardo Esgaio e Salim Cissé seguiram para a Académica. Parece-me um empréstimo com objectivos diferentes. Para Esgaio uma oportunidade de evoluir, jogando num patamar mais competitivo que a 2ª Liga. Para Cissé parece-me mais uma tentativa de dar 'montra' ao jogador com vista a um possível negócio no final da temporada.

Lewis Enoh foi um dos 'tiros no escuro' do último mercado de transferências. O risco era praticamente nulo e era uma questão de ver no que dava. Veremos se mostra alguma coisa no Leixões.

Gazela, o outro 'tiro no escuro', segue para o Salgueiros 08. Este parece-me mais óbvio que não convenceu pois nem jogou na nossa equipa B nem foi possível emprestá-lo para uma equipa da 2ª Liga.

Heldon foi emprestado ao Córdoba. Neste caso pareceu-me que o empréstimo era para Capel, no entanto, nenhum clube revelou capacidade de pagar o salário do espanhol e, devido ao excesso de opções e à paulatina afirmação de Podence, sobrou para o cabo-verdiano. Que se valorize e aproveite a experiência de competir num campeonato de topo.

Wilson Eduardo saiu, após meia época na Croácia para ingressar no Ado Den Haag, da Holanda. Diferendos no Dínamo de Zagreb terão estado na origem desta mudança. Tenho dúvidas do seu valor para integrar o plantel do Sporting, por isso, espero que as coisas lhe corram bem para que possamos daí tirar dividendos e que o Wilson possa seguir a sua carreira num clube que o deseje.

Simeon Slavchev foi emprestado para o Bolton, que disputa o Championship. Gostava que tivesse ficado. Gostei do que vi, sobretudo em casa com o Boavista para a Taça da Liga. No entanto, nota-se que precisa de jogar e no Sporting só o faria a espaços. Espero que joguem muito em Inglaterra e que tenhamos box-to-box para 2015/2016. Vou estar atento.

Rúben Ribeiro, sem espaço na equipa B, foi emprestado ao Santa Clara. Não conheço muito do jogador, como tal, vou apenas desejar-lhe sorte.

Por fim, Mama Baldé, ponta-de-lança que pouco jogou na equipa B. Tendo em conta que era suplente de Enoh e Cissé, não sei se terá valor suficiente mas, como é mais um dos que pouco vi, espero que as coisas lhe corram bem em Castelo Branco, no Benfica local.

E o mercado?

Como Bruno de Carvalho disse (e bem, na minha opinião), os reforços estão no banco e na equipa B.

O Sporting tem nos seus quadros soluções para fazer frente ao que resta da temporada e confio em Marco Silva para "espremer destas laranjas" um bom sumo.

No entanto, isso não quer dizer que o Sporting não esteja activo nesta janela de transferências. Até porque acho que temos jogadores a mais, que precisam de rodar ou de mudar de ares.

Guarda-Redes:

Rui Patrício e Marcelo Boeck (Equipa Principal)
Luís Ribeiro e Guilherme Oliveira (Equipa B)

Lateral-Direito:

Cédric e Geraldes (Equipa Principal)
Mauro Riquicho e juniores, quando for necessário (Equipa B)
Miguel Lopes (emprestar, já que não o podemos vender)

Defesa-Central:

 

Paulo Oliveira, Maurício, Sarr e Tobias Figueiredo (Equipa Principal)
Ramy Rabia, Domingos Duarte, Nuno Reis e Sambinha (Equipa B) - Nuno Reis (tem propostas) e Sambinha estão em final de contrato e sairão no final da época

Lateral-Esquerdo:

Jefferson e Jonathan Silva (Equipa Principal)
Mica Pinto e João Serrano (Equipa B)
Seejou King (Vender, pois termina contrato no final da próxima temporada)

Médio-Defensivo:

William Carvalho e Uri Rosell (Equipa Principal)
Fokobo e Slavchev (Equipa B)

Médio-Centro:

Adrien, João Mário, André Martins e Ryan Gauld (Equipa Principal)
Wallyson, Chaby, Geraldes e Cristian Ponde (Equipa B)

Extremo:

Carrillo, Nani, Carlos Mané e Heldon (Equipa Principal)
Sacko, Podence, Dramé e Gelson Martins (Equipa B)
Diego Capel (Vender por qualquer valor acima de 2.5M€), Iuri Medeiros (Emprestar) e Gazela (Emprestar)

Ponta-de-Lança:

Freddy Montero, Islam Slimani e Junya Tanaka (Equipa Principal)
Cissé, José Postiga e Betinho (Se for possível que regresse do empréstimo) (Equipa B)
Enoh (Emprestar)

Resumo do período de transferências



O destaque vai, obviamente para o regresso de Nani que, por incrível que pareça, se revelou a operação menos dispendiosa para o Sporting.

No total, foram gastos quase 15M€, grande parte deles em jogadores jovens e com margem de progressão.




Na lista de saídas que acima vos deixo falta a venda de Eric Dier, que rendeu aos cofres leoninos 5M€.

No total, entres saídas em definitivo e empréstimos, o Sporting encaixou cerca de 30M€.


Em relação aos rivais, o Benfica gastou 38M€ em transferências, tendo encaixado 40M€ com as vendas e enquanto desculpam as exibições menos conseguidas com as saídas do plantel, eu relembro que o plantel mantém grande parte do onze base da época passada, sendo óbvia a menor qualidade nas segundas linhas.


O Porto desembolsou 43M€, para apetrechar o plantel de Lopetegui, enquanto que encaixou 76M€ em vendas. O plantel parece ter muitas soluções em qualidade e quantidade, mas quanto a mim, a real valia da equipa ainda está por apurar.


Nota: Podem existir erros nos valores, pois nem todas as fontes divulgam valores iguais mas, mais milhão, menos milhão, não devem fugir muito dos apresentados. Lógicamente que temos de contar também com a participação de fundos e empresários que tanto participam com valores nos jogadores comprados (casos de Porto e Benfica), como acabam por embolsar parte dos valores das transferências (algo que aconteceu com os 3 clubes, embora sem se saber bem em que dimensões - nos casos de Benfica e Porto).


Agora, role a bola, que ganhe o melhor e que o melhor seja o Sporting Clube de Portugal.

Ufa!

Foi um dia calmo para os lados de Alvalade. E ainda bem!

Se já não esperava nenhum novidade quanto a entradas no plantel, tinha algum receio que saídas de jogadores importantes pudessem deixar a equipa do Sporting fragilizada.

Tal não aconteceu e há que elogiar o presidente Bruno de Carvalho, por resistir ao assédio (que terá sido forte) e também à tentação de fazer um grande encaixe financeiro, em benefício da competitividade do plantel para as competições que disputamos.
Parece que o Arsenal deixou 27M€ em cima da mesa para levar William Carvalho (a ser verdade seria a maior venda de sempre do nosso clube), mas o internacional português manter-se-á connosco, pelo menos até Dezembro. Fico feliz por William continuar, visto que as exigências competitivas desta temporada exigem ter no plantel um jogador com a qualidade e a classe que este apresenta.

Entretanto Luka Stojanovic e Mickael Meira saíram, em definitivo, para Apollon e AEL Limassol respectivamente, ficando o Sporting com direito a 40% de uma futura transferência, no caso do jovem guarda-redes. Parecem-me dois casos em que não foi detectada a evolução desejada e foi encontrada uma solução que deixasse satisfeitas ambas as partes.
Betinho, será cedido por empréstimo ao Brentford (equipa do 2ª escalão inglês), numa tentativa de oferecer ao jogdor um patamar competitivo bem superior ao que encontraria na 2ª Liga portuguesa. Esperemos que corra bem e que o jogador regresse mais forte e capaz de ajudar a equipa principal no futuro.

Agora podemos respirar de alívio...pelo menos até ao fim do ano.

Nunca mais é amanhã!

O último dia do mercado é sempre stressante para os clubes portugueses. Somos clubes vendedores e temos jogadores de valor, que podem receber aquela proposta de última hora que nos pode deixa "de calças na mão". 
Que a meia noite chegue depressa e que ninguém se atreva a bater as cláusulas dos nossos jogadores. No entanto, bem que podiam levar o Enzo, o Gaitán, o Salvio e o Jackson ;)
As probabilidades de vitória no campeonato podem alterar-se nestas últimas horas. Se acontecer algo, que seja em casa alheia.
Dá para adiantar o relógio?

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal