Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

O lobby continua

Desde há uns anos para cá que o Benfica tem dominado as convocatórias das selecções jovens, sobretudo nos sub-20 e inferiores.

Isto acontece sem que seja evidente um patamar de qualidade distinto daquele que os jogadores de outros clubes demonstram.

Seria de esperar, até pelo equilíbrio de valores entre as três formações, que Sporting, Benfica e Porto tivessem um número semelhante de chamadas às selecções jovens, mas não é isso que se verifica. Por um ou outro motivo, as escolhas acabam por recair maioritariamente em atletas do Benfica.

Portugal tem muitos jogadores de valor mas quem olha para as convocatórias das selecções nacionais, assiste a um domínio incompreensível da formação do Benfica relativamente às restantes.

Em semana de selecções, vejamos o panorama actual, desde os sub-17 aos sub-21 (deixarei de fora a selecção principal, pois já se encontra de fora do âmbito do futebol de formação):

Benfica (32 jogadores convocados) 

Sporting (14 jogadores convocados)

Porto (13 jogadores convocados)

A estes jogadores, acrescem 5 jogadores que jogam actualmente noutros clubes mas passaram na formação do Benfica e 3 jogadores no que respeita ao Sporting.

 

É evidente que um jogador com internacionalizações desde os sub-15 ganha um certo estatuto e que a FPF e os seus treinadores terão tendência a acompanhar o seu percurso. É também evidente que um jogador que normalmente não era chamado, vai ter mais dificuldade em sê-lo no futuro, a não ser que se revele um fora-de-série ou, no mínimo, bastante melhor que os que habitualmente são chamados e nos quais já recai uma certa confiança.

Em caso de dúvida, um treinador de formação pode ter a tendência a chamar alguém já habituado às selecções nacionais, em muitos dos casos já com um passado associado aos próprios treinadores, que passam pelos vários escalões de formação da FPF.

 

Voltando ao lobby, parece-me evidente que a formação do Benfica não é assim tão boa que justifique, em apenas quatro escalões (sub-17, sub-19, sub-20 e sub-21), mais 18 chamadas à selecção que atletas do Sporting e 19 que os atletas do Porto.

O lobby é evidente, sobretudo aos olhos de quem, como eu, acompanha o futebol de formação em Portugal.

Objectivamente e sem ponta de "clubite", os jogadores da formação do Benfica não têm uma qualidade tão superior aos do Sporting e do Porto que justifique esta discrepância. Nem vou aqui discutir se, no geral, há mais ou menos qualidade num lado ou noutro, até porque só conheço de forma mais aprofundada a formação do Sporting. Mas vejo os jogos, alguns deles entre estas três equipas...

A verdade é que os jogadores do Benfica nem sequer apresentam resultados colectivos que justifiquem chamadas em massa às selecções.

 

Nos últimos dez anos, o Benfica tem um título de juniores (o Sporting tem cinco e o Porto três), quatro de juvenis (o Sporting tem dois e o Porto três) e seis de iniciados (o Sporting tem três e o Porto um).

Benfica (11 títulos)

Sporting (10 títulos)

Porto (7 títulos)

Era, de facto, mais lógico que estes números se reflectissem minimamente nas convocatórias às selecções nacionais.

 

Porque quero defender a minha dama, vou apenas enumerar alguns jogadores do Sporting que julgo terem valor mais do que suficiente para fazer parte das selecções, mas não foram chamados (alguns nunca foram e outros há muito tempo que não o são).

Pedro Silva, Tiago Djaló, Bubacar Djaló, Pedro Ferreira, João Ricciuli, Daniel Bragança, Bernardo Sousa, Diogo Brás, Gonçalo Costa, Diogo Almeida, Eduardo Quaresma, Umaro Baldé, Félix Correia, Daniel Rodrigues, Jorge Ferreira e Bruno Tavares, só para citar alguns dos jogadores da nossa formação que não foram chamados aos trabalhos das selecções e têm valor para lá estar.

Excepto Ricciuli (que tem dupla nacionalidade) e Jorge Ferreira (chegado este ano, vindo do Vitória SC), todos têm um passado nas selecções nacionais. Um ou outro, entendo que não seja chamado, por ter menos tempo de jogo.

 

Importa também relevar que o Sporting é líder da sua série nos juniores, qualificou-se em segundo lugar para a segunda fase nos juvenis (numa série que não incluía o Benfica, que se qualificou em primeiro, com os mesmo pontos do Belenenses) e foi também líder na primeira fase de iniciados.

 

Para terminar, não coloco em causa o valor de nenhum jogador e muito menos o possível sucesso das nossas selecções nos vários compromissos futuros. As nossas selecções jovens têm apresentado bons resultados e continuarão a fazê-lo, porque em Portugal se trabalha bem na formação.

Porém, parece-me evidente uma diferença de tratamento que resulta num conjunto de escolhas que podem não ser as melhores para os respectivos escalões mas acabam a valorizar em demasia uma formação em detrimento das outras, valorização essa que não se verifica na prática, muito menos com a discrepância que os números revelam.

 

A publicidade neste blog destina-se apenas a fins solidários.
Sigam-me no facebook e no twitter.

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal