Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grande Artista e Goleador

Nocentini disse "presente"

No Alto da Senhora da Graça, apenas Rinaldo Nocentini respondeu à altura do poderio da W52/FCPorto, que colocou quatro ciclistas entre os primeiros oito da etapa.

O italiano perdeu apenas 3 segundos para o camisola amarela Raul Alarcón, que assim reforçou a sua liderança na Volta.

Alejandro Marque não conseguiu aguentar o ritmo dos últimos quilómetros e perdeu 19 segundos e a sua 2ª posição na geral individual.

 

Para quem não viu a etapa, o resultado, mesmo negativo, pode parecer animador mas não me parece que seja (espero enganar-me).

Nocentini parece estar este ano melhor do que no ano passado. Conhece os adversários e os terrenos onde compete e isso, certamente, ajuda a uma melhoria na sua performance.

Pelo contrário, esperava melhor de Marque, que até já venceu a Volta a Portugal.

 

Voltando à aparente ilusão de equilíbrio de forças, parece-me este ano mais evidente que as coisas se resolverão entre Sporting/Tavira e W52/FCPorto. A EFAPEL parece claramente mais fraca e, para isso, em muito contribui a ausência de Joni Brandão, que reforçou o Sporting/Tavira mas acabou por desfalcar a equipa a uma semana da prova mais importante do ano.

Na etapa de ontem ficou mais uma vez evidente que a W52/FCPorto é mais forte. Dominaram toda a subida, nunca deixaram que ninguém chegasse à frente do grupo onde seguia o camisola amarela e atacaram quando bem entenderam. Apenas Nocentini teve capacidade de resposta, mas não de forma a, atempadamente, chegar à frente da corrida.

 

Verifica-se já um padrão na prova, o mesmo do ano passado. O Porto tem capacidade mais do que suficiente para controlar os adversários mas não quer dizer que não venham a ter um dia mau. Nós é que não poderemos dar-nos a esse "luxo".

Com mais três chegadas em alto até final, há que ir amealhando segundos até ao contra-relógio final, onde fará a diferença quem tiver mais força nas pernas.

A 9ª etapa, com chegada em alto após passagem pela Torre, na Serra da Estrela, tem contornos de decisiva.

É ganhar tempo até lá e dar tudo no contra-relógio.

 

Hoje, a etapa parte de Boticas em direcção a Viana do Castelo, terminando em alto, no Santuário de Santa Lúzia, uma subida curta e pouco violenta mas onde se podem perder ou ganhar escassos segundos. Veremos como estão as pernas, após o esforço despendido ontem.

 

Classificação geral individual:

1º Raul Alarcón (W52/FCPorto)
2º RINALDO NOCENTINI (SPORTING/TAVIRA) +0'25''
3º Amaro Antunes (W52/FCPorto) +0'29''
4º ALEJANDRO MARQUE (SPORTING/TAVIRA) +0'35''
5º Vicente de Mateos (Louletano/Hospital de Loulé) +0'43''
...
18º FREDERICO FIGUEIREDO (SPORTING/TAVIRA) +2'22''
32º JESÚS EZQUERRA (SPORTING/TAVIRA) +4'54''
35º LUÍS FERNANDES (SPORTING/TAVIRA) +5'31''
81º MÁRIO GONZALEZ (SPORTING/TAVIRA) +36'47''
97º VÁLTER PEREIRA (SPORTING/TAVIRA) +47'48''
103º FÁBIO SILVESTRE (SPORTING/TAVIRA) +50'46''

 

Classificação geral por equipas:

1º W52/FCPorto 
2º SPORTING/TAVIRA +1'22''

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal