Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

Guillem, o leão!

Hoje, o hóquei em patins recebe em Alverca o Paço de Arcos (às 21 horas, em directo na Sporting TV), depois de ter entrado a vencer na Liga Europeia.

Um jogo tão importante como qualquer outro porque, num campeonato que se decide na regularidade, cada três pontos valem o mesmo, sejam com o Paço de Arcos ou os rivais mais directos.

 

Na verdade, esta nota introdutória, embora importante, serve para falar daquilo que, primeiro, julgo ser um exemplo de aculturação e integração e, segundo, de competência, dado o que me foi permitido constatar acerca do nosso novo treinador, Guillem Pérez.

É sabido o meu profundo apreço e admiração por Nuno Lopes, pelo seu Sportinguismo e por aquilo que, desportivamente, deu ao Sporting. Gostava que tivesse tido mais uma oportunidade, pois acho que o plantel do ano passado não era suficiente para os objectivos irrealistas a que nos propusemos mas, a partir do momento em que foi anunciado Guillem Pérez como novo treinador, fui lesto a manifestar o meu apoio, sendo certo que serão os resultados finais a determinar a sua competência.

 

Feito este aparte, esta publicação tem o intuito de destacar uma coisa que me irrita profundamente nos profissionais das várias áreas e em especial os jogadores de futebol que vêm para Portugal, algo que Guillem Pérez não descurou e, a meu ver, é importantíssimo tanto para a integração no país como para ganhar o respeito e admiração de quem o acolhe. Era muito fácil a um espanhol vir para cá a falar a língua dele (que todos nós percebemos - uns melhores que outros) mas Pérez fez questão de trazer um português fluente, de conhecer a cultura desportiva do Clube e a sua história que, tenho a certeza, se revelaram determinantes para marcar a diferença no grupo e entre os adeptos (pelo menos os mais atentos).

Não só demonstra conhecimento da realidade actual e passada do Sporting como parece ter interiorizado aquilo que é o nosso verdadeiro ADN, a nossa forma de estar.

Ontem tive a oportunidade de o ouvir, mais uma vez, desta feita no programa Pavilhão Sporting, da Sporting TV. O espanhol demonstra um respeito máximo pelos adversários mas faz algo que, a meu ver, devia ser transversal a todas as modalidades do Clube; não pensa nos adversário antes de pensar em si próprio, na sua equipa.

Disse Guillem Pérez que os adversários não lhe interessam nada para além daquilo que é o estudo semanal do oponente seguinte, demonstrando assim respeito igual por todos e foco total na sua equipa. Privilegia a auto-crítica e o trabalho ao foco no adversário e isso, na minha opinião, reflecte na perfeição aquilo que é a nossa identidade enquanto Clube e é algo que não se identifica em todas as secções.

 

Não sei se Guillem terá ou não sucesso de leão ao peito mas sei que, para já, causou em mim muito boa impressão e, como se sabe, não há duas oportunidades para causar uma boa primeira impressão. Para além disto, o Sporting tem demonstrado qualidade de jogo e entrega, embora o técnico espanhol diga que pretende muito mais e melhor e que todos os jogos serão encarados da mesma forma, apenas a pensar na vitória.

 

Hoje, espero mais uma.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal