Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grande Artista e Goleador

Finalmente, Janeiro

Habitualmente Janeiro é um mês de instabilidade, pela reabertura do mercado de transferências. Sabendo dos objectivos do Sporting e tendo a certeza que não sairá nenhum dos elementos fundamentais, mais do que instabilidade, o mercado de transferências poderá permitir ao Sporting dar equilíbrio ao grupo de trabalho. É inegável que a eliminação das provas europeias permite o "emagrecimento" de um plantel inicialmente vasto e em que a abordagem ao mercado de verão se revelou, entre o deve e o haver, um falhanço.

 

Confirmadas estão as contratações de Ary Papel e Gelson Dala, bem como o regresso de João Palhinha. Os dois angolanos passarão por um período de ambientação ao futebol português, treinando e jogando com a equipa B, já Palhinha virá para ser a "sombra" de William Carvalho, algo que Petrovic nunca conseguiu ser durante a primeira metade da época.

Em sentido contrário, João Pereira está de saída e a Turquia será, em princípio, o seu destino.

 

O plantel tem neste momento 30 jogadores e parece-me urgente reduzir para um número inferior a 25, sabendo das dificuldades em colocar excedentários nesta reabertura de mercado para campeonatos onde os jogadores se valorizem e se sintam valorizados.

 

Dois guarda-redes são mais do que suficientes. Rui Patrício e Beto podem perfeitamente ser secundados por Pedro Silva e Vladimir Stojkovic, levando assim à saída de Azbe Jug

 

Com a saída de João Pereira, duvido que Esgaio, Schelotto, Jefferson e Marvin sejam suficientes para dar conta das laterais, sobretudo pela insuficiência demonstrada nestas posições e ainda mais porque João Pereira me pareceu sempre o mais capaz entre todos. É certo que Esgaio dá mostras de poder crescer neste final de época mas não sei se Jesus está disposto a "arriscar", enfrentando assim a fase decisiva da época com os mesmos que não deram conta do recado na primeira metade.

Confesso que fico dividido entre dar oportunidade aos quatro laterais de mostrar que podem fazer melhor (Marvin e Schelotto estiveram bem na segunda metade da época passada) ou reforçar efectivamente ambos os lados da defesa. Uma coisa é certa, só precisamos de quatro e, a reforçar a posição, terá de ser com mais-valias claras e não tiros no escuro, sendo que a vir alguém, outro terá de sair. Não me desagradavam os regressos de Santiago Arias e/ou Emiliano Insúa.

 

No centro da defesa temos quatro jogadores que dão garantias e o mais complicado será gerir as expectativas de todos sendo que, certamente, Douglas e Paulo Oliveira gostariam de ter jogado mais. Sobretudo o português atravessa um momento em que se arrisca a estagnar a evolução da sua carreira e é compreensível que queira sair para jogar. Em caso de saída, um empréstimo faria mais sentido pois permitiria mais facilmente reintegrar ou vender em alta o jogador. Não sendo uma posição em que se rode muito a equipa e mesmo tendo em conta os problemas físicos de Rúben Semedo, creio que ter Ivanildo Fernandes como quarto central de prevenção não seria prejudicial.

 

No meio campo, com o regresso de João Palhinha temos efectivamente uma alternativa a William Carvalho mas continuamos a não ter quem faça realmente "sombra" Adrien, o jogador mais difícil de substituir em todo o plantel. Acreditando que Elias pode assumir os poucos jogos em que o capitão não alinhará e admitindo que o mais sensato nesses casos é assumir um meio-campo a três, por forma a suprir as insuficiências do brasileiro, julgo que pode equacionar-se a saída de Petrovic e Bruno Paulista e o regresso de Meli à Argentina.

 

Nas alas é óbvio que só Gelson tem estado à altura e, a espaços, Campbell tem sido aquele que, para além do jovem português, mais tem contribuído para a dinâmica ofensiva. A forma de Bryan Ruiz, que até é o jogador ideal para a ala esquerda, tem sido insuficiente e Markovic inexistente. Bruno César, sempre que chamado a fazer a posição, esteve bem.

Contratar agora um jogador que fosse uma clara mais valia seria dispendioso e não sei se estaremos dispostos ou em condições disso. Tenho a certeza que Markovic continuará mas, por mim, regressaria a Liverpool. Matheus precisa de jogar um futebol mais competitivo do que aquele a que tem tido acesso na equipa B.

Eu fazia regressar Iuri Medeiros, por ser um extremo diferente de todos os outros que temos no plantel. Exímio marcador de bolas paradas, excelente no último passe, com boa meia-distância e mais cerebral que Gelson e Campbell.

 

Na frente de ataque o verdadeiro problema continua por resolver. Não está ainda encontrado o parceiro para Bas Dost e o regresso de Spalvis não vai resolver o problema. O lituano, para além de vir de lesão grave é mais um caso de potencial por explorar e, ainda por cima, é um 9 puro, logo, uma alternativa a Bas Dost.

Entre Alan Ruiz, Castaignos, André e Spalvis fica difícil dar um nome que convença no imediato. Alan Ruiz parece ter potencial e pode ser um caso de adaptação demorada. Castaignos parece-me mais segundo avançado ,mas não tem convencido. André e Spalvis são alternativas a Bas Dost.

Ter Campbell como segundo avançado talvez seja mesmo a solução mais sensata, levando assim à saída de Alan Ruiz ou Castaignos.

Spalvis deveria ganhar ritmo na equipa B, dispensando assim o empréstimo de Leonardo Ruiz (já que ainda há Ronaldo Tavares, Ary Papel e Pedro Marques).

 

Este seria o meu plantel para o que resta da temporada:

1.png

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal