Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

Moreirense 1-1 SPORTING CP: A carroça à frente dos bois

Detesto dizer, "eu avisei".

 

Embora se tenha "cansado" de frisar que só pensava num jogo de cada vez, foi Jesus a passar à equipa o sinal de que já se jogavam os próximos dois jogos em Moreira de Cónegos.

Frente a uma equipa que ia entregar a bola e a iniciativa de jogo e que ia defender junta e agressiva no seu meio campo, pedia-se um onze com maior dinâmica e mais capacidade para desmobilizar o bloco defensivo dos cónegos.

Não tenho dúvidas da utilidade de Bruno César em alguns momentos mas o brasileiro nunca pode ser opção inicial para uma das alas ofensivas. Não quando há melhores opções para oferecer a tal dinâmica e a criatividade que faltam ao "chuta-chuta", que ultimamente já nem à alcunha faz jus.

Juntar Alan Ruiz a Bruno César é meio caminho andado para dar uma parte de avanço ao adversário, como acabou por acontecer.

 

Juntando a isto um Bruno Fernandes com funções que não lhe assentam tão bem e que caem que nem uma luva ao suplente Battaglia, tivemos a receita para 45 minutos de pura desinspiração, "mastigados" e até algo enfadonhos.

 

Ao intervalo entrou Doumbia para o lugar de Alan Ruiz mas, só por si, isso não resolvia todos os nossos problemas. Havia pressa mas teimavam em faltar ideias. Ideias que surgiriam muito mais fluidas se Bruno Fernandes jogasse mais "solto" e se Bruno César tivesse também ficado no balneário (nada contra o brasileiro, atenção).

 

O Moreirense acabou por ser o primeiro a marcar, colocando ainda mais pressão sobre o Sporting, que passaria a jogar mais rápido mas nem sempre tomando as melhores decisões. 

O golo do empate acaba por surgir num lance de bola parada em que me parece, verdade seja dita, que não deveria ter sido assinalado pontapé de canto a nosso favor.

 

A talhe de foice, aproveito para comentar a péssima arbitragem de Luís Godinho e seus pares (os que estavam em campo, já que os outros nada podiam fazer para a evitar).

À semelhança do que vem acontecido noutros jogos, foi demasiado permissivo com as entradas do nosso adversário e acabou por distribuir todos os cartões na segunda parte (a maioria na parte final do jogo), a maior parte deles para o Sporting (!!!).

Mal auxiliado no lance em que corta o ataque ao Moreirense, com dois jogadores com meio campo e apenas Rui Patrício pela frente (convém ressalvar que, embora a bola entre na baliza, há muito que o árbitro tinha apitado e que Rui Patrício se havia alheado do lance).

Mal no lance de Bas Dost com Jhonatan, em que o holandês não faz qualquer falta, antes de Alan Ruiz cabecear para o fundo das redes (também aqui o árbitro apita antes da bola entrar mas, caso não o tivesse feito, teríamos um golo anulado pois aquela bola entraria sempre).

Volta a estar mal no já descrito lance que dá o golo do Sporting.

 

Depois do golo do empate, na minha opinião, Jesus volta a estar mal. Quando parecia ainda mais importante a presença de Bruno Fernandes em campo (mesmo que até ao momento não parecesse inspirado) e quando se impunha a, já de si tardia, saída de Bruno César, foi o português que saiu para a entrada de Battaglia (gestão para quarta-feira, quando o jogo nem estava na nossa mão?!).

Ganhámos agressividade mas não houve acréscimo de criatividade e clarividência na frente. Doumbia não é um "armador" de jogo e, percebendo que Jesus não quis abdicar de Bas Dost, até pelo que ofereceu sempre nos duelos aéreos, eu digo que "nem sempre é com mais avançados em campo que se chega ao golo" (as palavras até são do próprio mestre da táctica).

 

A entrada de Iuri para o lugar de Bruno César aos 73 (!!) minutos já é mais em desespero de causa. Admitindo sem qualquer problema que Iuri podia ter feito melhor nos 20 minutos que esteve em campo, recuso-me a apontar-lhe o dedo por ter falhado alguns passes, que tantos outros falharam antes dele ter entrado.

Sim, é verdade que tivemos ocasiões para ganhar o jogo (Gelson, porra!) mas não é menos verdade que acabámos com o resultado que merecíamos.

 

Nada está perdido e estamos apenas à sétima jornada mas continuo a achar que são nestes jogos que se ganham ou perdem os campeonatos

Agora, já que colocou a carroça à frente dos bois, espero que o Barça saia "atropelado" (1-0 chega) de Alvalade e que isso não prejudique a abordagem à recepção ao Porto.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Assumido o erro, faltou um pedido de desculpas

Está levantado o meu bloqueio na página oficial do facebook do Sporting Clube de Portugal.

Vou assumir que houve um espertinho qualquer que, na tentativa de "mostrar serviço", meteu os pés pelas mãos.

Não houve pedido de desculpas mas houve bom senso. O erro foi "assumido".

Perdoado mas não esquecido. Siga!

 

PS: Do jogo em Moreira de Cónegos falo mais tarde.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

É nestes jogos que se ganham os campeonatos. 

Frente a um adversário do fundo da tabela e sobretudo por ser antes do jogo com o Barcelona para a Champions, o perigo é enorme.

Perigo de haver quem, por inconscientemente não querer perder um jogo como a recepção ao Barça, não coloque toda a intensidade nos duelos ou não dê tudo naquele último pique.

Claro que isto não pode acontecer mas, em alguns casos, é algo que foge ao controlo dos jogadores.

 

Uma equipa mentalmente preparada, não facilitará e será segura defensivamente o suficiente para que um golo baste para trazer os três pontos de Moreira de Cónegos.

A tal mentalidade de campeão que Jesus tanto fala tem de estar lá hoje, bem presente e vincada.

 

Tenho a certeza que o nosso treinador irá gerir todos quantos se encontrem com algum tipo de limitação, mesmo que mínima. É importante que, quem jogue, esgote as reservas de energia, entrega e querer.

É nestes jogos que se fazem os campeões!

 

Vamos, Sporting!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Agenda Leonina

Agenda 1.png

Agenda 2.png

Agenda 3.png

Agenda 4.png

Agenda 5.png

VOLEIBOL - Vólei TV (LINK)

 HÓQUEI EM PATINS - HP TV (LINK)

Sigam-me no facebook e no twitter.

O que andam eles a fazer?

JEFFERSON (Sp. Braga) - 1988-07-05 (29 anos) - Defesa Esquerdo
Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 45M€
14/09/2017 (Liga Europa) - Hoffenheim 1-2 SP. BRAGA
Num jogo em que Ricardo Esgaio assistiu para ambos os golos do Braga, Jefferson não foi convocado.
Resumo do Jogo
17/09/2017 (Liga NOS) - SP. BRAGA 2-1 Vitória SC
Jefferson voltou a ficar de fora dos eleitos de Abel.
Resumo do Jogo
20/09/2017 (Taça da Liga) - Benfica 1-1 SP. BRAGA
Jefferson regressou aos convocados e foi titular na lateral esquerda. Assistiu, na marcação de um pontapé de canto, Ricardo Ferreira, que marcou o único golo dos bracarenses na partida. Jogou os 90 minutos.
Resumo do Jogo
Jogos - 8
Minutos - 750
Golos - 0
Assistências - 1
Classificação - 6º na Liga NOS / 1º na fase de grupos da Liga Europa / 1º na fase de grupos da Taça CTT
* * *
MAMA BALDÉ (Desp. Aves) - 1995-11-06 (21 anos) - Defesa Direito
Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 45M€
16/09/2017 (Liga NOS) - Marítimo 2-1 DESP. AVES
Mama Baldé foi titular como lateral direito e, pese embora as más condições do terreno, não se acanhou na hora de subir e descer pelo terreno. Deu profundidade ao seu flanco mas, curiosamente nunca tentou o cruzamento, tendo rematado por quatro vezes. Jogou os 90 minutos.
(Record) Nota 3/5
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 5.7/10
(WhoScored) Nota 6.34/10
Resumo do Jogo
Jogos - 2
Minutos - 116
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 18º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
RYAN GAULD (Desp. Aves) - 1995-12-16 (21 anos) - Médio Centro / Avançado
Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€
16/09/2017 (Liga NOS) - Marítimo 2-1 DESP. AVES
Com apenas 1:30min de jogo, Gauld tenta fazer um cruzamento na ala esquerda e fica imediatamente agarrado à face posterior da coxa esquerda. Acabou por sair apenas aos 8 minutos mas, para ele, o jogo acabou bem antes disso.
(Record) Nota 0/5
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota -/10
(WhoScored) Nota 6.13/10
Resumo do Jogo
Jogos - 6
Minutos - 225
Golos - 1
Assistências - 0
Classificação - 18º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
DOMINGOS DUARTE (Desp. Chaves) - 1995-03-10 (22 anos) - Defesa Central
Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 45M€
18/09/2017 (Liga NOS) - DESP. CHAVES 3-0 Moreirense
Domingos Duarte foi titular e, durante os 90 minutos foi o espelho do rigor, da concentração e da autoridade no centro da defesa flaviense. Sem exuberância mas com eficácia, limpou praticamente tudo o que lhe apareceu pela frente.
(Record) Nota 3/5
(A Bola) Nota 6/10
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 5.4/10
(WhoScored) Nota 6.91/10
Resumo do Jogo
Jogos - 6
Minutos - 540
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 17º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
MATHEUS PEREIRA (Desp. Chaves) - 1996-05-05 (21 anos) - Extremo Direito / Esquerdo
Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 60M€
18/09/2017 (Liga NOS) - DESP. CHAVES 3-0 Moreirense
Matheus Pereira cumpriu o último jogo de castigo.
Resumo do Jogo
Jogos - 4
Minutos - 245
Golos - 0
Assistências - 1
Classificação - 17º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
LEONARDO RUIZ (Boavista) - 1996-04-18 (21 anos) - Ponta-de-Lança
Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 60M€
16/09/2017 (Liga NOS) - BOAVISTA 2-1 Benfica
Leonardo Ruiz não foi opção no primeiro jogo de Jorge Simão e ficou de fora dos convocados.
Resumo do Jogo
Jogos - 5
Minutos - 320
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 13º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
FRANCISCO GERALDES (Rio Ave) - 1995-04-18 (22 anos) - Médio Centro / Ofensivo
Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 45M€
17/09/2017 (Liga NOS) - RIO AVE 1-2 FC Porto
Francisco Geraldes cumpriu castigo, após expulsão na jornada anterior.
Resumo do Jogo
Jogos - 6
Minutos - 428
Golos - 1
Assistências - 0
Classificação - 5º na Liga NOS / Apurado para a fase de grupos da Taça CTT
* * *
ANDRÉ GERALDES (Belenenses) - 1991-05-02 (26 anos) - Defesa Esquerdo / Direito
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
17/09/2017 (Liga NOS) - BELENENSES 2-1 Estoril
André Geraldes foi titular na lateral direita e fez um jogo modesto. Escondeu-se em demasia, pareceu sempre retraído e deu pouca profundidade ofensiva deu à sua ala. Foi substituído por Tiago Caeiro aos 71 minutos e o avançado marcou dois minutos depois. Uma alteração que se revelou acertada.
(A Bola) Nota 5/10
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 5.2/10
(WhoScored) Nota 6.49/10
Resumo do Jogo
Jogos - 4
Minutos - 268
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 8º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT
* * *
ORIOL ROSELL (Portimonense) - 1992-07-07 (25 anos) - Médio Centro
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
18/09/2017 (Liga NOS) - PORTIMONENSE 2-1 Feirense
Rosell ficou no banco de suplentes e foi chamado por Vítor Oliveira aos 71 minutos para equilibrar o meio-campo e segurar a magra vantagem perante um Feirense que estava a arriscar tudo na procura do empate. Objectivo conseguido.
(Record) Nota 1/5
(A Bola) Nota 5/10
(MaisFutebol) Nota 2/5
(GoalPoint) Nota 4.9/10
(WhoScored) Nota 5.92/10
Resumo do Jogo
Jogos - 2
Minutos - 30
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 13º na Liga NOS / Apurado para a fase de grupos da Taça CTT
* * *
HÉLDON (Vitória SC) - 1988-11-14 (28 anos) - Extremo / Avançado
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
14/09/2017 (Liga Europa) - VITÓRIA SC 1-1 Red Bull Salzburg
Héldon começou no banco e foi chamado aos 66 minutos. Entrou bem, veloz e tirou um cruzamento cheio de veneno ao qual ninguém chegou para a emenda.
(Record) Nota 3/5
(WhoScored) Nota 5.91/10
Resumo do Jogo
17/09/2017 (Liga NOS) - Sp. Braga 2-1 VITÓRIA SC
Héldon entrou ao intervalo mas a sua chegada ao jogo não teve o efeito que Pedro Martins esperaria. Sem rasgo.
(A Bola) Nota 4/10
(GoalPoint) Nota 5.1/10
(WhoScored) Nota 6.29/10
Resumo do Jogo
Jogos - 3
Minutos - 76
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 9º na Liga NOS / 3º na fase de grupos da Liga Europa / Na fase de grupos da Taça da Liga
* * *
PEDRO EMPIS (Académica) - 1997-02-01 (20 anos) - Defesa Esquerdo / Direito
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
16/09/2017 (Ledman LigaPro) - ACADÉMICA 4-2 Sporting B
Pedro Empis não pôde ser opção, por se encontrar emprestado pelo Sporting.
Resumo do Jogo
Jogos - 5
Minutos - 289
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 8º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga
* * *
RICARDO GUIMARÃES "GUIMA" (Académica) - 1995-11-14 (21 anos) - Médio Centro
Contrato (Junho 2019)
16/09/2017 (Ledman LigaPro) - ACADÉMICA 4-2 Sporting B
Vinculado ao Sporting, Guima também ficou de fora dos convocados.
Resumo do Jogo
Jogos - 6
Minutos - 469
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 8º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga
* * *
FABRICE FOKOBO (Real SC) - 1994-01-25 (23 anos) - Defesa Central / Médio Defensivo
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
17/09/2017 (Ledman LigaPro) - REAL SC 3-1 Penafiel
Fokobo foi titular e jogou os 90 minutos.
Jogos - 2
Minutos - 180
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 17º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga
* * *
LUÍS ELÓI (Sintrense) - 1996-03-10 (21 anos) - Extremo Esquerdo / Direito
Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 45M€
17/09/2017 (Campeonato de Portugal) - SINTRENSE 1-2 Vilafranquense
Luís Elói foi suplente a entrou aos 72 minutos para o lugar de Pipas. A entrada logo após o golo do empate, por parte do Vilafranquense acabou por não levar a equipa rumo à vitória e acabaram por ser os forasteiros a fazer a festa.
Resumo do Jogo
Jogos - 6
Minutos - 272
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 13º na Série D do Campeonato de Portugal / Eliminado do Torneio de Abertura da AFL / Apurado para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal
* * *
JEFFERSON ENCADA (Olhanense) - 1998-04-17 (19 anos) - Extremo Esquerdo / Direito
Contrato (Junho 2022)
17/09/2017 (Campeonato de Portugal) - Lusitano VRSA 2-3 OLHANENSE
Jefferson voltou a ser suplente mas desta vez foi chamado logo aos 17 minutos, fruto da lesão de João Pedro. Tal como na semana passada, o jogador emprestado pelo Sporting foi um dos principais dinamizadores do ataque olhanense. A terminar a primeira parte surge isolado e é travado em falta, ficando o Lusitano a jogar com 10 jogadores. O Olhanense já perdia e viria a sofrer o 2-0. Logo de seguida, solto na ala direita, Jefferson atira a bola à trave. O jovem extremo não tem medo de assumir e pediu a bola a cada instante. Já pela esquerda, é ele que assiste para o golo do empate e, novamente na ala direita, tem papel decisivo no lance que, aos 95 minutos decide o jogo a favor do Olhanense. Boa exibição!
Resumo do Jogo
Jogos - 2
Minutos - 118
Golos - 1
Assistências - 1
Classificação - 2º na Série E do Campeonato de Portugal / Apurado para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal
* * *
LUKAS SPALVIS (Kaiserslautern) - 1994-07-27 (22 anos) - Ponta-de-Lança
Contrato (Junho 2018 + 3 épocas opção) Cl. Rescisão 60M€
16/09/2017 (2. Bundesliga) - Sandhausen 1-0 KAISERSLAUTERN
Lukas Spalvis foi suplente utilizado. Entrou aos 66 minutos mas esteve sempre demasiado isolado na frente de ataque. Tirando um remate já em tempo de descontos, poucas bolas teve para participar no jogo.
(WhoScored) Nota 5.89/10
(Kicker) Nota -/6 (1>6)
Resumo do Jogo
19/09/2017 (2. Bundesliga) - KAISERSLAUTERN 0-2 Erzgebirge Aue
Lukas Spalvis voltou a ser suplente mas, desta vez, saltou do banco ao intervalo. O segundo golo sofrido logo ao abrir do segundo tempo condicionou muito o jogo dos da casa, que tentaram mas nem sempre escolheram os melhores caminhos para a baliza adversária. Spalvis voltou a parecer uma ilha no ataque do Kaiserslautern mas fez dois remates enquadrados, ambos de cabeça. Num deles podia ter feito melhor.
(WhoScored) Nota 6.14/10
(Kicker) Nota 5/6 (1>6)
Resumo do Jogo
Jogos - 5
Minutos - 143
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 18º na 2. Bundesliga / Apurado para a 2ª Eliminatória da DFB Pokal
* * *
CARLOS MANÉ (Estugarda) - 1994-03-11 (22 anos) - Extremo / Avançado
Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€
16/09/2017 (Bundesliga) - ESTUGARDA 1-0 Wolfsburgo
Mané está lesionado.
Resumo do Jogo
19/09/2017 (Bundesliga) - Borussia Monchengladbach 2-0 ESTUGARDA
Mané está lesionado.
Resumo do Jogo
Jogos - 0
Minutos - 0
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 12º na Bundesliga
* * *
BRUNO PAULISTA (Vasco da Gama) - 1995-08-21 (21 anos) - Médio Centro
Contrato (Junho 2021)
17/09/2017 (Brasileirão) - Corinthians 1-0 VASCO DA GAMA
Bruno Paulista não saiu do banco de suplentes.
Resumo do Jogo
Jogos - 8
Minutos - 401
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 9º lugar no Brasileirão / Semi-Finalista do Campeonato Carioca / Eliminado da Copa do Brasil
* * *
LUC CASTAIGNOS (Vitesse) - 1992-09-27 (24 anos) - Ponta-de-Lança
Contrato (Junho 2019 + 2 épocas opção) Cl. Rescisão 60M€
14/09/2017 (Liga Europa) - VITESSE 2-3 Lazio
Mesmo depois do golo no jogo anterior, Castaignos regressou ao banco de suplentes. Foi o primeiro a entrar, vindo do banco mas apenas aos 79 minutos. Não teve impacto no jogo.
(WhoScored) Nota 5.83/10
Resumo do Jogo
17/09/2017 (Eredivisie) - VITESSE 1-1 VVV-Venlo
Mais uma vez suplente, Castaignos foi chamado ao jogo ao minuto 71. Pouco tocou na bola e a única oportunidade para finalizar foi de cabeça, na sequência de um canto. Atirou muito desviado do alvo.
(WhoScored) Nota 6.02/10
Resumo do Jogo
20/09/2017 (Taça da Holanda) - AVV Swift 0-0 (5-3 g.p) VITESSE
Castaignos foi titular e fez um único remate (defendido) em 65 minutos em campo, minuto no qual foi substituído por Matavz.
Jogos - 7
Minutos - 222
Golos - 1
Assistências - 0
Classificação - 5º na Eredivisie / Derrotados na Supertaça Holandesa / 3º na fase de grupos da Liga Europa / Eliminado da Taça da Holanda
* * *
SIMEON SLAVCHEV (Lechia Gdansk) - 1993-09-25 (23 anos) - Médio Centro
Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€
18/09/2017 (Ekstraklasa) - LECHIA GDANSK 3-3 Jagiellonia
Não sei se Slavchev terá sido despenalizado da expulsão (injusta, a meu ver) da semana passada mas o certo é que jogou e foi titular como médio mais defensivo. Destacou-se no segundo golo, onde recuperou a bola que viria a entrar nas redes da baliza adversária, devolvendo a esperança aos da casa. Jogou os 90 minutos.
(SportInteria) Nota 2.2/6
Resumo do Jogo
Jogos - 1
Minutos - 40
Golos - 0
Assistências - 0
Classificação - 12º na Ekstraklasa / Eliminado da Taça da Polónia
 
Sigam-me no facebook e no twitter.

O Sporting não era dos sócios?

Pensei bem se faria ou não esta publicação.

Esta terça-feira não me apercebi do teor do vídeo apresentado antes do jogo. Por causa da rotina nocturna, que inclui deitar dois miúdos que nunca têm vontade de ir para a cama, não vi a segunda parte do jogo.

Resolvi retomar o encontro assim que os dois "anjinhos" estivessem a descansar. Assim fiz e, como tal, só mais tarde retomei a habitual ronda pela internet.

 

Alguns amigos comentaram comigo a publicação do tal vídeo também nas redes sociais do Clube, bem como o facto de um vasto rol de criticas ter acabado por levar à decisão de apagar a publicação.

Sensato, pensei eu. Pelo menos assim assumia-se o erro e passava-se à frente.

No entanto, mais tarde, o vídeo voltou a ser publicado, como que em tom de desafio aos insatisfeitos, num claro acto de egoísmo e narcisismo.

 

Acabei por ver o vídeo, apenas por curiosidade, para aferir se as criticas eram ou não legítimas, embora confiasse nas pessoas que comigo tinham partilhado a sua opinião. 

Ora...o vídeo é mauzinho. Som terrível, interpretação fraca e uma operação de marketing mascarada com a intenção apenas de dar uma notícia pessoal, que nada tem a ver com o Sporting nem interessa especialmente à grande maioria dos Sportinguistas.

Antes de mais, pelos motivos mencionados, o vídeo envergonha o Presidente. Consequentemente, envergonha os principais activos da instituição que Bruno de Carvalho lidera, os sócios. Sócios que o elegeram por larga maioria para servir o Clube e não para se servir dele para promoção pessoal.

 

Não vale a pena agora pegarem comigo por ser picuinhas, dizendo que isto pode perfeitamente ser ignorado, ou por ser irrelevante. Podia, caso fosse um acto isolado. Mas não foi. É apenas mais um episódio revelador de traços de personalidade que não são compatíveis com aquilo que Bruno de Carvalho nos prometeu enquanto candidato.

O Sporting é o mais importante, não o seu Presidente, o seu treinador ou qualquer jogador.

 

Sendo o Sporting e os seus sócios o mais importante, o mais chocante estava por vir. 

Visto o vídeo no facebook que, portanto, está sujeito a partilhas, likes e comentários, dei a minha opinião.

O que eu disse? Que, sendo 17 horas, era mais importante que informassem os Sportinguistas, por exemplo, do onze da equipa B que já jogava em Arouca do que estarem a passar comentários a pente fino para bloquear muitos dos utilizadores que criticaram o vídeo (esta informação tinha-a retirado de relatos no twitter e no facebook, de conhecidos e desconhecidos). Ah...acrescentei que, em si, o vídeo era uma vergonha.

Resultado? Tal como muitos dos utilizadores, fui bloqueado e estou impedido de gostar ou comentar publicações, tanto da minha página pessoal (de onde fiz o comentário) como da página do blog, da qual sou responsável.

 

E é este o Sporting actual. Em nada semelhante àquele que Bruno de Carvalho nos prometeu. Desunido por se fazer exactamente aquilo que o Presidente pediu aquando da sua eleição. Por se estar presente, por se estar atento, por se participar, por se criticar (e a crítica pode sempre ser positiva ou negativa, construtiva ou destrutiva mas, em nenhum dos casos, censurável - até porque estamos a falar de redes sociais e de um estado livre).

Bloquear sócios, adeptos ou meros curiosos na página do Clube é um sinal alarmante de que, quem manda, se está a confundir com o próprio Clube. E não vale a pena dizer que o Presidente não tem nada a ver com isto porque, no fim de contas, como líder, é ele o responsável. O Sporting não é Bruno de Carvalho nem vice-versa.

 

Sou sócio há quatro anos. Foi o impulso positivo que Bruno de Carvalho trouxe ao Clube que me levaram a querer fazer parte dele de forma mais activa. Votei nas últimas eleições e depositei os meus votos na lista que encabeçava. Como voto de confiança e agradecimento pelo trabalho realizado. 

Não deixarei nunca de elogiar o fantástico trabalho de gestão e crescimento que tem sido realizado no Clube mas não apoio este tipo de liderança.

É triste verificar que se catalogam Sportinguistas e se rastreiam os mesmos, interessando os que apoiam e gostam de tudo e marginalizando os que criticam, mesmo que o façam pontualmente. Triste, revoltante e inaceitável.

 

Por morar longe, espero que alguém leve este tema à próxima Assembleia Geral. É importante que os silenciados voltem a ter voz, mesmo que nas redes sociais, pois nem toda a gente tem possibilidade de se deslocar a uma AG, sobretudo quando estas se têm realizado em dias pouco facilitadores à presença dos sócios, sobretudo dos que não moram em Lisboa e arredores.

Assim sendo, continuarei a dar a minha opinião aqui, posiviva ou negativa, sobre o dia-a-dia do Clube, a apoiar as várias equipas, seja no norte do país ou em deslocações à nossa casa e tentarei não faltar com o trabalho de informação aos Sportinguistas que tantos consideram importante neste espaço.

 

Esta publicação impunha-se. Dispensáveis eram as acções que me levaram a escrevê-lo.

Sporting Sempre!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

SPORTING CP 0-0 Marítimo: Ahhh...Doumbia...

A verdade é que foi um bom jogo da equipa do Sporting. Em termos de qualidade de jogo e até de intensidade, sem ser o ideal, foi melhor do que aquilo que eu esperava. Faltaram os golos, não por falta de oportunidades.

O essencial foi amplamente conseguido. Os jogadores mostraram que estão aptos e são capazes de ajudar o Sporting na mesma medida (ou quase) daqueles que o têm feito mais frequentemente.

 

Jonathan (para mim, o melhor em campo) voltou a mostrar que, de quando em vez, Coentrão pode sair para ir fumar um cigarrito e Ristovski foi uma agradável surpresa para quem, como eu, nunca o tinha visto jogar.

Os centrais estiveram bem e Petrovic mostrou que nem sempre a primeira imagem é a que fica (ninguém me tira da cabeça que aquele sérvio enorme que cá andou na pré-época 2016/2017 era outra pessoa).

Alan Ruiz foi, durante grande parte do tempo em que esteve em campo, um dos melhores e dou por mim a perguntar se dá para fazer isto mais vezes e de forma mais consistente, mesmo que a intensidade deste jogo não tenha sido a intensidade normal da maioria dos jogos. O Bruno Fernandes telefonou e diz que não dá.

 

Num plano inferior estiveram:

Salin que, como tinha dito ontem, não acrescentará mais do que aquilo que Pedro Silva poderia acrescentar. Jogo de pés fraco e algum nervosismo que espero só ter acontecido por ser dia de estreia.

Mattheus Oliveira e Iuri Medeiros fizeram ambos uma primeira parte fraca e apagada, com o brasileiro a começar a espreguiçar-se ainda no final do primeiro tempo, enquanto que o português só acordou já na segunda parte. As substituições de ambos já vinham no papel desde o intervalo e é pena, pois ambos estavam a subir de forma quando saíram. Eu tinha esperado mais um pouco para os substituir.

Bruno César fez um jogo como lhe é habitual sempre que nos últimos tempo actua na ala esquerda ofensiva. A sua incapacidade em ganhar lances no 1x1 torna a sua presença em campo muitas vezes dispensável.

 

Guardo Doumbia para o fim porque apareceu sempre no sítio certo para fazer a coisa errada. Com isto enquadro a sua exibição na parte dos que corresponderam ou dos que ficaram aquém? Não sei, e por isso falo dele como o carteiro que apareceu sempre nos sítios certos à hora certa mas que se enganou no destinatário da maioria da correspondência. Foi pena, pois teve nos pés (e na cabeça) oportunidades suficientes para construir um resultado positivo. Caso esteja a guardar os golos para ocasiões mais importantes, perdoo-o. Se não for o caso, um dia vou cobrar-lhe estes.

 

Os jogadores que entraram deram mais alguma dinâmica mas não trouxeram grandes ideias. 

 

Voltando ao essencial, não comprometemos o apuramento para a final-four da Taça da Liga e ainda ganhámos opções para ajudar nas competições que realmente são importantes.

Bom jogo, bom teste aos menos utilizados e boas "dores de cabeça" para Jesus.

Venha o Moreirense!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Eu sou JJ

Já expliquei na publicação anterior algumas das opções que tomaria para hoje. Este seria o meu onze:

11.png

PEDRO SILVA - Por mim teria dispensado a vinda de Salin, embora compreenda a segurança que é ter um guarda-redes experiente pronto para qualquer eventualidade. No entanto, se sempre tivesse sido assim, não tínhamos Patrício. Confio em Pedro Silva e, entre ele e Luís Maximiano está o próximo "Rui Patrício".

 

RISTOVSKI - Piccini precisa de descansar e é a melhor altura para ver o que pode valer Ristovski.

 

TOBIAS e ANDRÉ PINTO - Simples gestão de esforço da dupla titular e, em simultâneo, uma oportunidade para ambos mostrarem serviço.

 

JONATHAN - O argentino vai fazer muitos minutos este ano. A gestão da condição física de Coentrão nestes primeiros meses terá de ser criteriosa se o queremos na melhor forma na fase decisiva da temporada.

 

PETROVIC - É, salvas a devidas distâncias, o mais parecido que temos com William Carvalho. Embora William esteja mais "folgado" que os demais habituais titulares, faz sentido dar confiança a outros.

 

PALHINHA - Seria Mattheus Oliveira aquele que, naturalmente, faria parelha com Petrovic ou Palhinha mas, dado que as opções para o apoio ao avançado são Alan Ruiz, Podence e Gelson Dala, acho mais seguro ter Palhinha como homem do trabalho sujo, deixando a construção ofensiva mais a cargo do sérvio.

 

IURI MEDEIROS - Nem há necessidade de justificar. Foi titular no último jogo, esteve bem e merece voltar a jogar.

 

BRUNO CÉSAR - Podia escolher um jogador mais vertical ou virtuoso mas o brasileiro seria importante na ajuda a Jonathan e no equilíbrio do meio-campo. É a melhor escolha para o lugar.

 

GELSON DALA - Se Podence não viesse de lesão, seria ele o escolhido. Assim, guardava o "rato atómico" (sem ofensa) para a segunda parte e dava uma oportunidade a Dala.

 

DOUMBIA - Mais um caso em que se nota uma opção natural. Vai repartir muitos minutos com Dost e este jogo é para ele.

 

Correndo tudo bem, teríamos no banco Podence, Alan e Mattheus para entrar, poupando assim a utilização de Mathieu, Acuña e Battaglia, que também estão entre os convocados (o que resta é Salin, o outro guarda-redes).

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Este é daqueles jogos em que não sabemos bem com o que contar. Com um onze previsivelmente diferente do habitual, há sempre a possibilidade de, no meio dos que querem mostrar serviço, haja alguém desmotivado ou claramente fora de ritmo. Isso pode afectar a prestação colectiva mas há atenuante do adversário também poder vir a apresentar alterações ao seu onze base.

 

Independentemente do onze, há sempre a obrigação de procurar a vitória do primeiro ao último minuto e, embora o Sporting assuma vontade de conquistar a Taça da Liga (CTT), esta será sempre uma competição que a maioria dos adeptos do Sporting encarará com alguma "ligeireza". Em caso de sucesso, "porreiro" mas, a haver insucesso, que seja nesta competição.

 

Jesus certamente aproveitará para testar outros jogadores, que terão um misto de oportunidade e de presente envenenado, pois não é fácil mostrar serviço num onze sem rotinas. Claro que eles treinam juntos e prepararam o jogo mas não é a mesma coisa que ter já um conjunto de jogos competitivos para criar automatismos.

 

A qualificação para a final-four é para decidir nos próximos dois meses (a segunda jornada joga-se no final de outubro e a última no final de novembro) e isso significa que parte dos jogadores que alinharão hoje praticamente só terão estes três jogos para mostrar se são opções válidas. A pressão adicional que isso cria não pode nunca ser superior à motivação de defender o Sporting em campo. São jogos bons para aferir o grau de comprometimento das "segundas linhas". Mas acredito que temos um plantel unido, focado nos objectivos colectivos e pronto a dar resposta a qualquer eventualidade.

 

É no centro da defesa que estão as minhas maiores dúvidas. Tobias veio de uma época difícil em que não deu para progredir mas, embora não seja um Rúben Semedo, tem valor. André Pinto ainda terá de responder à exigência de um clube incomparável ao Braga.

No final de contas, se Jesus rodar mesmo toda a equipa, teremos uma defesa com quatro elementos que nunca foram titulares no Sporting, três dos quais a fazer a sua estreia em jogos oficiais.

 

Curioso para ver se Jesus tenta manter a organização ofensiva e opta por Petrovic, mais capaz na construção, ou se dá oportunidade a Palhinha, um elemento mais de combate, que facilitaria a tarefa dos defesas.

Eu não descartaria a opção de jogar com Petrovic e Palhinha, com o segundo mais adiantado, a fazer o trabalho que nas épocas anteriores era Adrien a fazer, sobretudo porque o terceiro elemento do meio provavelmente será Alan Ruiz que, por norma, ajuda menos nas tarefas defensivas. A outra opção à dupla mais defensiva é optar apenas por um, dando o outro lugar do "miolo a Mattheus Oliveira.

Nas alas devem jogar Iuri e Bruno César e na frente Doumbia.

 

Espero que arrumemos a qualificação nos primeiros dois jogos em casa, de preferência com uma diferença de golos que nos deixe confortáveis para "inventar" um pouco mais no último jogo, em Belém.

Gostava de ainda ver jogar Gelson Dala, Pedro Silva e um ou outro elemento da equipa B. Bem sei que não é muito o estilo de Jesus mas, com a qualificação decidida em dois jogos, pode ser que...

 

Seja como for, nada de pôr a carroça à frente dos bois. Para já é só um jogo e três pontos que estão em disputa e estou curioso para ver o que faremos hoje.

 

SPOOOOOOOOOOOOORTING!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

SPORTING CP 2-0 Tondela: Sem nota artística? O caraças!

Se os golos de Mathieu e Bruno Fernandes não valeram pela nota artística de todo um jogo que se assemelhasse a um bailado de uma das maiores academias do Mundo, vou ali e já volto.

 

Não foi um jogo bem jogado. Teve lampejos de qualidade de algumas individualidades até ao segundo golo, melhorou depois, não sei se porque a equipa descontraiu e porque o Tondela baixou os braços se pelo simples facto de Alan Ruiz já não se encontrar em campo...fica a dúvida.

 

A verdade é que nem todos os jogos terão o brilhantismo do de Guimarães e, para um aspirante a campeão, será necessário que a nota artística surja em doses mínimas mas suficientes para resolver jogos como o de sábado, onde faltou inspiração colectiva mas não faltou brilhantismo, mesmo que momentâneo, por parte de algumas individualidades.

 

Não foi o caso de William Carvalho, que me leva a agradecer a todos os tubarões europeus, mais todo e qualquer clube endinheirado de meio da tabela de algumas Ligas o facto de não terem resolvido largar 45 milhões de euros por um dos melhores do Mundo na sua posição.

Sir Carvalho é um regalo para a vista. Talvez seja o meu "Barbosa". Aquele que, qual Quinito, eu pagaria para ver jogar todos os dias no meu quintal, caso o tivesse. 

A forma como William retira aos adversários a possibilidade de progredir, como lança os companheiros no ataque, mas sobretudo como sai de forma limpa e em estilo de toda e qualquer situação de aperto é algo pelo qual eu pagaria, só por si.

William ficou (contrariado, para alguns) e ainda bem. Numa equipa com mais qualidade individual do que as antecessoras terá muito maiores probabilidades de cumprir o objectivo de ser campeão no Sporting, clube que o formou, bem como a uma das estrelas maiores do futebol mundial, que ontem se fez notar em Alvalade.

 

Cristiano Ronaldo regressou a casa para ver o Sporting jogar e deliciou-se com o golaço de Mathieu, certamente não menos do que com o golão de Bruno Fernandes, que teima em dar-nos um por jogo e para todos os gostos. 

 

Para a história fica um borrego morto (o Sporting nunca tinha ganho ao Tondela em casa), três pontos amealhados, dois golos de belo efeito, a estreia de Iuri Medeiros como titular (o primeiro de muitos, espero eu) e uma semana para preparar dois jogos, o próximo dos quais propício à utilização dos que têm jogado menos. Venha ele (o Marítimo, para a Taça da Liga), antes da visita a Moreira de Cónegos, para o campeonato.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Felizmente, Petit já não é treinador do Tondela. Confio que foi a sua presença no banco que tornou tão aziagas ambas as visitas dos tondelenses a Alvalade.

Hoje é Pepa quem treina o actual 12º classificado da Liga NOS, que vem de um empate em casa frente ao Paços de Ferreira.

 

O Sporting vem num grande momento, com momentos exuberantes e algumas desconcentrações mas com sete vitórias em oito jogos oficiais e cinco em cinco na Liga Portuguesa.

A facilidade com que temos sofrido golos nos últimos jogos, em contraste com os primeiros encontros da temporada, certamente mereceu atenção de Jorge Jesus, que quererá regressar às vitórias sem sofrer.

 

O Sporting tem sete habituais titulares com a maior parte dos minutos jogados nas oito partidas oficiais até ao momento e há a expectativa para ver se Jesus gere a condição física de algum dos elementos dos quais não tem abdicado.

Rui Patrício e Coates são os únicos totalistas mas Mathieu, Piccini, Battaglia, Acuña e Gelson Martins têm também bastantes minutos nas pernas.

 

Uma coisa é certa. Apenas em caso de extrema necessidade vejo JJ abdicar de algum destes jogadores e talvez o mais prudente seja mesmo entrar com o onze habitual e, caso as coisas corram de feição, haverá então tempo para gerir a condição física de alguns jogadores durante o segundo tempo.

Além disso, há Taça da Liga a meio da semana, fundamental para moralizar os menos utilizados, que poderão assim mostrar serviço.

 

Cláudio Ramos é um daqueles guarda-redes de engate. A cumprir a sétima temporada em Tondela, já faz parte da mobília.

O experiente Ricardo Costa deu a esta equipa uma elevada dose de maturidade e Tomané parece querer confirmar o potencial que mostrou aquando do seu aparecimento, no Vitória Sport Clube.

Pepa gosta que as suas equipas tenham bola e não abdicará disso na totalidade. Certamente montará uma estratégia baseada no aproveitar dos erros do Sporting, mais na expectativa, mas é de esperar um Tondela objectivo e a tentar jogar rápido.

 

Prevejo troca entre Doumbia e Bas Dost, com a entrada do holandês no onze. Bruno Fernandes, o melhor jogador do mês de Agosto na nossa Liga, continuará a ser peça-chave na nossa estratégia ofensiva, onde Gelson continuará a ter o papel de colocar em água a cabeça dos defensores adversários.

Com maior ou menor dificuldade, não podemos deixar fugir estes três pontos, numa jornada onde espero dificuldades para Benfica e Porto. Ficar isolado na frente do campeonato seria um importante balão de confiança para o grupo, que me parece bastante coeso e motivado para fazer história.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Agenda Leonina

Agenda 1.png

Agenda 2.png

Agenda 3.png

Agenda 4.png

Judo (LINK)

Triatlo (LINK)

Rugby (LINK)

Futebol Feminino (LINK)

Andebol (LINK)

Ténis de Mesa (LINK)

Sigam-me no facebook e no twitter.

O que andam eles a fazer?

JEFFERSON (Sp. Braga) - 1988-07-05 (29 anos) - Defesa Esquerdo

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 45M€

10/09/2017 (Liga NOS) - Vitória FC 2-0 SP. BRAGA
Jefferson foi titular na lateral esquerda e assumiu alguma preponderância na marcação de bolas paradas. Deu duas bolas de golo (uma num livre lateral e outra de bola corrida),ambas desperdiçadas e jogou os 90 minutos.
(Record) Nota 2/5
(MaisFutebol) Nota 2/5
(GoalPoint) Nota 6.1/10
(WhoScored) Nota 6.79/10
Resumo do Jogo

Jogos - 7

Minutos - 660

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 10º na Liga NOS / Apurado para a fase de grupos da Liga Europa / Apurado para a fase de grupos da Taça CTT

* * *

MAMA BALDÉ (Desp. Aves) - 1995-11-06 (21 anos) - Defesa Direito

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 45M€

10/09/2017 (Liga NOS) - DESP. AVES 2-1 Belenenses
Ricardo Soares promovou seis alterações no onze e Mama Baldé, tal como eu já tinha prognosticado, foi titular na lateral direita. Seguro a defender, foi sempre uma seta apontada ao último reduto dos do Restelo. Tentou o golo aos 17 minutos, mas o remate de pé esquerdo saiu por cima. A parvoíce que fez quase imediatamente a seguir não mancha uma exibição positiva...porque a bola não entrou. O atraso para Quim (regressado à 1ª Liga) saiu com demasiada força e directo ao poste. Foi por pouco que um jogador do Belenenses não emendou junto à linha de golo. Perdeu o duelo no ar, no lance do golo do Belenenses mas isso não faz dele culpado. Jogou os 90 minutos.
(GoalPoint) Nota 5.7/10
(WhoScored) Nota 7.66/10
Resumo do Jogo

Jogos - 2

Minutos - 116

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 18º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

RYAN GAULD (Desp. Aves) - 1995-12-16 (21 anos) - Médio Centro / Avançado

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

10/09/2017 (Liga NOS) - DESP. AVES 2-1 Belenenses
Gauld escapou à revolução operada no onze avense e foi um dos cinco que manteve o lugar como titular. Voltou a partir da ala esquerda mas está longe de ter as típicas tarefas de um extremo. O escocês há muito que mostrou que não está no futebol para ser o centro das atenções. Faz tudo de forma simples, prática, inteligente e sempre com sentido colectivo. Fica naturalmente ligado à história do jogo por ter marcado o golo da vitória do Aves mas a sua exibição foi muito para além do golo. Eficácia ao nível do passe, quatro passes para ocasião de golo, um dos que mais acções defensivas efectivas realizou em campo e, sem surpresas, o homem do jogo, mesmo que Salvador Agra tenha marcado o primeiro e assistido para o tento decisivo de Gauld. Jogou os 90 minutos.
(GoalPoint) Nota 8/10 *MVP
(WhoScored) Nota 8.45/10 *MVP
Resumo do Jogo

Jogos - 5

Minutos - 217

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 13º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

DOMINGOS DUARTE (Desp. Chaves) - 1995-03-10 (22 anos) - Defesa Central

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 45M€

09/09/2017 (Liga NOS) - FC Porto 3-0 DESP. CHAVES
Domingos Duarte foi titular no centro da defesa e terá sido o elemento mais competente do seu sector. Fechou bem a sua zona de acção e foi eficaz, sobretudo jogando em antecipação. Não teve responsabilidade directa em nenhum dos golos e jogou os 90 minutos.
(Record) Nota 3/5
(Correio da Manhã) Nota 5/10
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 4.6/10
(WhoScored) Nota 5.94/10
Resumo do Jogo

Jogos - 5

Minutos - 450

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 18º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

MATHEUS PEREIRA (Desp. Chaves) - 1996-05-05 (21 anos) - Extremo Direito / Esquerdo

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 60M€

09/09/2017 (Liga NOS) - FC Porto 3-0 DESP. CHAVES
Castigado após a expulsão no encontro da Taça da Liga, Matheus ficou de fora dos convocados. Na próxima jornada da Liga, cumprirá o último jogo de castigo.
Resumo do Jogo

Jogos - 4

Minutos - 245

Golos - 0

Assistências - 1

Classificação - 18º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

LEONARDO RUIZ (Boavista) - 1996-04-18 (21 anos) - Ponta-de-Lança

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 60M€

10/09/2017 (Liga NOS) - Vitória SC 1-0 BOAVISTA
A exibição de Leonardo Ruiz na Taça da Liga não terá mesmo agradado ao treinador, que deixou o colombiano de fora dos convocados. Entretanto, o Boavista encontra-se sem treinador, após Miguel Leal ter colocado o cargo à disposição.
Resumo do Jogo

Jogos - 5

Minutos - 320

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 16º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

FRANCISCO GERALDES (Rio Ave) - 1995-04-18 (22 anos) - Médio Centro / Ofensivo

Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 45M€

09/09/2017 (Liga NOS) - Marítimo 1-0 RIO AVE
Francisco Geraldes foi titular mas todo o plano inicial de jogo do Rio Ave, que em muito passa pela qualidade do jogador emprestado pelo Sporting, ficou comprometido aos 24 minutos quando, de forma imprudente, Chico atingiu violentamente um jogador do Marítimo e viu o cartão vermelho directo. Bem expulso.
(Record) Nota 0/5
(Correio da Manhã) Nota 0/10
(MaisFutebol) Nota 1/5
(GoalPoint) Nota 4.2/10
(WhoScored) Nota 5.24/10
Resumo do Jogo

Jogos - 6

Minutos - 428

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 5º na Liga NOS / Apurado para a fase de grupos da Taça CTT

* * *

ANDRÉ GERALDES (Belenenses) - 1991-05-02 (26 anos) - Defesa Esquerdo / Direito

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

10/09/2017 (Liga NOS) - Desp. Aves 2-1 BELENENSES
André Geraldes foi titular na lateral direita e teve algumas dificuldades com Ryan Gauld, sobretudo por o raio de acção do escocês não se limitar à ala que este estava encarregue de vigiar. Não teve expressão ofensiva e foi sem surpresa que, assim que Domingos Paciência teve de arriscar, foi ele uma das "vítimas". Saiu aos 62 minutos.
(GoalPoint) Nota 5.4/10
(WhoScored) Nota 6.44/10
Resumo do Jogo

Jogos - 3

Minutos - 197

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 14º na Liga NOS / Eliminado da Taça CTT

* * *

ORIOL ROSELL (Portimonense) - 1992-07-07 (25 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

08/09/2017 (Liga NOS) - Benfica 2-1 PORTIMONENSE
Rosell foi convocado mas acabou por não sair do banco de suplentes.
Resumo do Jogo

Jogos - 1

Minutos - 11

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 15º na Liga NOS / Apurado para a fase de grupos da Taça CTT

* * *

HÉLDON (Vitória SC) - 1988-11-14 (28 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

10/09/2017 (Liga NOS) - VITÓRIA SC 1-0 Boavista
Héldon entrou apenas aos 83 minutos, para a ovação ao homem do jogo, o colombiano Rincón. Foram 10 minutos em campo sem acções de registo.
(Record) Nota 1/5
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota -/10
(WhoScored) Nota 6.29/10
Resumo do Jogo

Jogos - 1

Minutos - 7

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 7º na Liga NOS / Na fase de grupos da Liga Europa / Na fase de grupos da Taça da Liga

* * *

PEDRO EMPIS (Académica) - 1997-02-01 (20 anos) - Defesa Esquerdo / Direito

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

09/09/2017 (Ledman LigaPro) - Vitória SC "B" 0-3 ACADÉMICA
Pedro Empis ficou de fora dos convocados.
Resumo do Jogo

Jogos - 5

Minutos - 289

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 12º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga

* * *

RICARDO GUIMARÃES "GUIMA" (Académica) - 1995-11-14 (21 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2019)

09/09/2017 (Ledman LigaPro) - Vitória SC "B" 0-3 ACADÉMICA
Guima foi preterido no onze inicial mas Ivo Vieira chamou-o ao intervalo para o lugar do sul-coreano, Mun Ki. Deu consistência à zona intermediária dos estudantes, que saíram de Guimarães com uma vitória expressiva.
(Record) Nota 3/5
Resumo do Jogo

Jogos - 6

Minutos - 469

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 12º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga

* * *

FABRICE FOKOBO (Real SC) - 1994-01-25 (23 anos) - Defesa Central / Médio Defensivo

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

08/09/2017 (Ledman LigaPro) - Benfica B 3-0 REAL SC
Fokobo foi titular como médio defensivo mas está claramente sem ritmo, pesado e molengão. Jogou os 90 minutos e arrastou-se, na maior parte do tempo.
(Record) Nota 1/5
Resumo do Jogo

Jogos - 1

Minutos - 90

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 19º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça da Liga

* * *

LUÍS ELÓI (Sintrense) - 1996-03-10 (21 anos) - Extremo Esquerdo / Direito

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 45M€

10/09/2017 (Campeonato de Portugal) - 1º Dezembro 3-2 SINTRENSE
Luís Elói foi suplente no derby de Sintra. Chamado aos 60 minutos, num momento em que a sua equipa vencia por 1-2, acabou por entrar no momento de maior caudal ofensivo dos da casa. A sua entrada foi infrutífera e não teve impacto no jogo.
Resumo do Jogo

Jogos - 5

Minutos - 254

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 9º na Série D do Campeonato de Portugal / Eliminado do Torneio de Abertura da AFL / Apurado para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal

* * *

JEFFERSON ENCADA (Olhanense) - 1998-04-17 (19 anos) - Extremo Esquerdo / Direito

Contrato (Junho 2022)

10/09/2017 (Campeonato de Portugal) - OLHANENSE 1-0 Louletano
Jefferson foi suplente mas, ao intervalo, insatisfeito com a eficácia da equipa, o treinador do Olhanense chamou o jovem jogador do Sporting. Encada não só deu mais velocidade ao jogo dos de Olhão como resolveu o jogo, apontando o único golo do encontro num remate de belo efeito. Não podia ter pedido melhor estreia.
Resumo do Jogo

Jogos - 1

Minutos - 45

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 3º na Série E do Campeonato de Portugal / Apurado para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal

* * *

LUKAS SPALVIS (Kaiserslautern) - 1994-07-27 (22 anos) - Ponta-de-Lança

Contrato (Junho 2018 + 3 épocas opção) Cl. Rescisão 60M€

09/09/2017 (2. Bundesliga) - Holstein Kiel 2-1 KAISERSLAUTERN
Lukas Spalvis estava convocado para a partida mas um atraso de 5 minutos para o encontro da equipa, antes do jogo retirou-o da convocatória. Excesso de zelo por parte do treinador, Norbert Meier ou falta de profissionalismo de Spalvis? Acho que o técnico do Kaiserslautern pode ter exagerado, sobretudo se se tratar de um acto isolado.

Jogos - 3

Minutos - 74

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 17º na 2. Bundesliga / Apurado para a 2ª Eliminatória da DFB Pokal

* * *

CARLOS MANÉ (Estugarda) - 1994-03-11 (22 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

10/09/2017 (Bundesliga) - Schalke 04 3-1 ESTUGARDA
Mané continua a recuperar da lesão que no ano passado o afastou da competição por vários meses. 

Jogos - 0

Minutos - 0

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 14º na Bundesliga

* * *

BRUNO PAULISTA (Vasco da Gama) - 1995-08-21 (21 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2021)

09/09/2017 (Brasileirão) - VASCO DA GAMA 1-0 Grêmio
Bruno Paulista foi suplente utilizado. Entrou aos 69 minutos e não demorou a criar perigo. Aos 77 minutos construiu e finalizou a melhor oportunidade de golo do Vasco no segundo tempo mas Marcelo Grohe negou o golo ao médio emprestado pelo Sporting.
(NetVasco) Nota 6.27/10
(WhoScored) Nota 6.53/10
(FutAnalysis) Nota 4.8/10
Resumo do Jogo

Jogos - 8

Minutos - 401

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 8º lugar no Brasileirão / Semi-Finalista do Campeonato Carioca / Eliminado da Copa do Brasil

* * *

LUC CASTAIGNOS (Vitesse) - 1992-09-27 (24 anos) - Ponta-de-Lança

Contrato (Junho 2019 + 2 épocas opção) Cl. Rescisão 60M€

09/09/2017 (Eredivisie) - Excelsior 0-3 Vitesse
Castaignos estreou-se como titular na Liga holandesa e correspondeu com um golo mesmo a fechar a primeira parte, aproveitando uma saída em falso do guarda-redes adversário na sequência de um pontapé de canto. Não esteve muito em jogo mas fez aquilo que se pede a um avançado; marcou um golo em apenas dois remates. Foi substituído aos 68 minutos. 
(WhoScored) Nota 6.53/10
Resumo do Jogo

Jogos - 4

Minutos - 127

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 2º na Eredivisie / Derrotados na Supertaça Holandesa / Na fase de grupos da Liga Europa

* * *

SIMEON SLAVCHEV (Lechia Gdansk) - 1993-09-25 (23 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

11/09/2017 (Ekstraklasa) - Piast Gliwice 1-2 LECHIA GDANSK
Slavchev foi titular pela primeira vez mas teve uma estreia azarada que, felizmente, não afectou o resultado que a equipa procurava. Foi expulso na primeira parte (40'), por acumulação de amarelos, numa decisão que, com algum bom senso poderia ter sido evitada. Slavchev escorrega e, desamparado, sem qualquer intenção, acaba por atingir um adversário. O jogo acabaria por ser resolvido por uma estrela made in Seixal Lab...Romário Baldé (grande golo, por acaso).
(SportInteria) Nota 2.4/6
Resumo do Jogo

Jogos - 1

Minutos - 40

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 11º na Ekstraklasa / Eliminado da Taça da Polónia

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Olympiacos 2-3 SPORTING CP: Ainda houve tempo para o Sporting ser Sporting

Desta vez Jesus esteve bem na análise ao jogo. Os minutos finais tiram a cereja do topo do bolo mas nada mais. Dois minutos de desatenção não beliscam nem um pouco o mérito da grande exibição realizada no Estádio Georgios Karaiskakis.

Importa dizer que, nas últimas três temporadas, o Olympiacos tem apenas 7 derrotas em casa em todas as competições e, excepto duas derrotas por 0-3, frente a Arsenal e Bayern de Munique, ninguém marcou três golos no Piréu. Em 2014/15, os gregos venceram mesmo na fase de grupos a Juventus (que viria a ser finalista) e o Atlético de Madrid (que chegou aos quartos-de-final da Champions). Temos de recuar até 2013/14 para encontrar uma equipa que tenha marcado mais do que três golos em casa do crónico campeão grego; foi o Paris SG (1-4), numa fase de grupos em que o Olympiacos até se apurou para as eliminatórias finais, tendo derrotado o Manchester United por 2-0 nos oitavos-de-final (acabaram por perder 3-0 em Inglaterra).

Isto apenas para demonstrar que não é qualquer equipa que vai ao Piréu jogar da forma afirmativa e letal, com a qualidade que o Sporting ontem apresentou.

 

Sem qualquer tipo de exagero, o resultado certo ao intervalo seria de 5-0, isto ainda com margem para erros na finalização.

Jesus surpreendeu (ou não) com Doumbia na frente e o costa-marfinense voltou a mostrar o porquê da sua utilidade no plantel. Dois golos, divididos por 182 minutos, em cinco participações. Um golo a cada 91 minutos. Um golo por cada jogo em que foi titular. 32 jogos na Liga dos Campeões, 19 golos marcados. Isto diz muito da experiência e da performance do avançado contratado à Roma na prova máxima de clubes da UEFA.

Esta contagem só aumentou porque Marcos Acuña, sem ser exuberante mas mostrando a sua enorme utilidade em vários momentos do jogo, rubricou o seu quinto passe para golo em oito jogos pelo Sporting.

Tudo isto em apenas um minuto de jogo. Não poderíamos ter pedido melhor entrada em campo.

 

Treze minutos; segundo remate, segundo golo. Rui Patrício soca a bola após um lance de bola parada no nosso último terço, Bruno Fernandes divide a segunda bola, esta sobra para Doumbia que assiste Gelson Martins para o 0-2.

O extremo formado no Sporting correu meio campo com a bola nos pés e ninguém conseguiu, sem bola, atingir a velocidade suficiente para o apanhar...nem o próprio Doumbia, que a certa altura desistiu de tentar acompanhar o colega. 

Quinto golo de Gelson esta temporada, registo que, em apenas oito jogos, o coloca a apenas dois golos do seu melhor (sete golos em cada uma das temporadas anteriores).

 

Tempo para o azar e o desperdício. Bruno Fernandes atira ao poste, Doumbia e Coates falham oportunidades para ampliar a vantagem e, já mais perto do final do primeiro tempo, Gelson volta a atirar ao ferro da baliza de Kapino.

Logo de seguida, o 0-3. Coates isola brilhantemente Bruno Fernandes que, em esforço, consegue desviar com a delicadeza suficiente para praticamente matar o jogo antes do intervalo. Cinco golos em oito jogos, tantos como em toda a temporada passada na Sampdoria, a melhor da sua carreira no que a este dado estatístico diz respeito (Alan Ruiz fez sete em 26 jogos, no ano passado).

 

O intervalo trouxe um Sporting mais preocupado em controlar o jogo do que em mostrar a objectividade do primeiro tempo.

Os remates só apareceram já com Bas Dost no lugar de Doumbia e bem perto do final do encontro. Num minuto Bas Dost enviou mais uma bola à trave e permitiu mais uma defesa ao guarda-redes grego.

 

Dois minutos depois Filipe Pardo faz o 1-3, para reduzir de seguida o resultado, cifrado no 2-3 final. Injusto e nada revelador do que se passou em campo, mas a lembrar-nos que no Sporting nenhum jogo está ganho antes do árbitro apitar.

 

Destaque merecido para Doumbia, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Coates. Sobretudo estes, mas mais houve que estiveram em muito bom plano.

Segue-se o Tondela, num embate que me coloca num estado de nervos bem superior a um jogo da Champions. No entanto...oito jogos, sete vitórias e um empate que em nada comprometeu os nossos objectivos. Que continue assim.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

"O falso lento": Equilíbrio parte I

5 jornadas, 5 vitorias. Acesso à Liga dos campeões garantido. 
Todo e qualquer pensamento de Sportinguista que se preze, começa aqui. Dito isto estas ultimas semanas foram recheadas de muitos mais acontecimentos dignos de registo. Para além das enumeras vitorias em modalidades como o Futsal, o Andebol e Fut. Feminino, foi também tempo para o fecho do mercado, apresentação do R&C e ainda uma entrevista do líder máximo do clube, Bruno de Carvalho. O titulo deste texto refere-se essencialmente a estas ultimas que dividirei em 2 partes: a composição do plantel e de seguida o R&C e a famigerada entrevista.  
 
Plantel 2017/2018: 

Como premissa declaro já que, no global, vejo um plantel muito mais equilibrado do que a época anterior. Mais e melhores alternativas em todos os sectores, corrigimos as lacunas nas laterais, um meio campo que permite rodar alguns jogadores e ainda uma alternativa muito valida no frente de ataque. E o que é que perdemos? Rúben Semedo foi rendido por Mathieu e não será por aí o problema ate porque na minha opinião ficamos com um central que nesta fase dá mais garantias de sucesso imediato e realizamos um encaixe financeiro importante com um activo que demorava em dar o salto que o permita jogar consistentemente num clube com outras aspirações.  
Perdemos também o nosso capitão: Adrien Silva. é da mais elementar justiça salientar o facto de, enquanto jogador, a conduta do Adrien ter sido a todos os níveis irrepreensível. Suou, jogou, correu e lutou como um leão todos os minutos em que envergou a verde-e-branca. Só por isso, já merece o nosso respeito. Conseguiu ser durante muito tempo a alma da equipa em campo. Mas (e tinha que haver um mas) confesso que para mim borrou a pintura como capitão em duas ocasiões o ano passado. Primeiro ao tentar forcar a saída em período idêntico mas numa altura em que o Sporting não se tinha minimamente precavido para a sua saída; ao contrario deste ano em que a 8 voltou a ser vestida por um jogador de classe. Depois no ultimo jogo da época, quando virou as costas aos adeptos e seguiu para os balneários logo pós o apito final. Esses adeptos que viajaram milhares de km para gritar o nome dele e do Sporting. Deixa-me saudades como jogador e como guerreiro mas, como capitão não esteve à altura dos gigantes que já envergaram aquela braçadeira. Podia ter sido ídolo mas pelos vistos as suas prioridades eram outras. Que seja. Sem rancor, sem dramas mas com um pouco de desilusão do que poderia ter sido a sua historia no Sporting.  
Vaticino portanto uma época superior à ultima. Próxima do que fizemos no primeiro ano de JJ. E se esse ano só com colinho nos venceram, este ano será mais difícil, por via do VAR, que nos prejudiquem à descarada. Até porque o investimento a isso obriga e a postura de BdC e JJ também. Mas isso fica para a Parte II. 

PS: Consumou-se também o receio de que falei antes, a saída do Chico Geraldes. Já contra o Steua em casa lamentei a sua saída mas no final fizemos uma segunda mão de excelente nível. Só me resta desejar que seja sempre assim. Geraldes vai fazer falta mas desde que o Sporting ganhe, cá estarei para o ano, pronto a recebê-lo para o seu ano de afirmação. 

 

Semanalmente, uma vez por mês ou quando lhe apetecer, o Barbosa 08 entra por aqui a dar chocolate

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Nélson Évora: "Sou o mais velho, mas não sou o mais gasto"

Entrevista a Diogo Pombo e José Carlos Carvalho, do Tribuna Expresso, transcrita abaixo (link original)

 

Se pudéssemos resumir Nelson Évora numa expressão, usaríamos “competitivo”. Ou então “confiante”. Mas nem uma nem outra definem este saltador completo e complexo, eloquente e destemido. “Um atleta de topo tem de ser um pouco louco. E nunca pode hesitar.”

O que pensaste enquanto estavas a correr para aquele salto?
Pensei em pequenos detalhes técnicos que estava a apanhar, que estava tudo a correr muito bem e que era o momento ideal para os explorar. Por ironia, o atleta que mais dificuldades teve em competir era o que, se calhar, estava em melhor forma para estar ali. E o resultado só não foi melhor porque não calhou. Acreditei durante toda a prova que podia ir mais além.

Sabias que aquele salto ia ser bom? Ou ainda és apanhado de surpresa?
Os atletas que lutam pelas medalhas têm sempre um sentimento de que podem ganhar. É a única coisa que me passa pela cabeça. No momento H, há que soltar e deixar tudo fluir de forma natural. O atleta que menos hesita, menos dúvidas tem, é o que ganha. Se fui terceiro [classificado] é porque hesitei mais do que dois atletas.

Li que disseste que um atleta é 95% a parte mental e 5% a parte física.
Há muito trabalho psicológico quando nos preparamos para um grande momento. Não queremos falar, desejamos que tudo corra bem, não podemos ficar ansiosos com uma coisa qualquer. No próprio dia, entro numa espécie de transe antes da prova e preparo-me para dar o melhor e fazer o que nunca fiz naquele dia.

Quais foram as alturas da tua carreira em que esse transe foi perturbado?
É sempre perturbado pelas lesões. Sei que tenho de executar um movimento que é antinatural para o ser humano, o triplo salto — correr o mais rápido, a x quilómetros por hora e a mais de 10 metros por segundo, e sofrer um impacto acima dos 700 quilos em cada perna no momento dos saltos. Se tiver uma pequena dor, ela vai-se multiplicar por muito, e nós sentimos isso. A dor é o que nos faz sair desse transe. Se não tivermos dor, estamos a pensar em atingir o impossível.

Quando partiste a perna e chegou a ser uma hipótese amputá-la, como ultrapassaste a parte do receio?
[Ri-se] Vou dar a mesma resposta de sempre: com a paixão por aquilo que faço. Acredito que estou predestinado a fazer história e, nesses momentos de maior drama, mantive-me calmo. As pessoas que mais amo também ajudaram, sem dúvida, e conseguiram passar a mensagem certa no momento certo. Ajudou muito. Talvez tenha ultrapassado esse momento de forma um pouco inconsciente. Só mais tarde, quando caí em mim, é que realmente tive a noção do que me podia ter acontecido.

Porque forçaste o treino?
Não, porque podia ter de amputar uma perna e estava completamente tranquilo em casa, com uma infeção, a sair-me pus pela perna e a dizer: “Não, isto vai passar, calma, quero é jogar PlayStation com os meus amigos” [solta uma gargalhada]. Um atleta também tem de ter uma dose de loucura, não pode temer. Depois de acontecer algo, se mudamos aquilo que nos fez chegar lá, nunca mais seremos os mesmos. Um atleta inteligente tem de saber que há coisas em que não pode mexer.

No outro dia partilhaste isto nas redes sociais: “A vitória e o fracasso são dois impossíveis. É necessário recebê-los com idêntica serenidade e com uma saudável dose de desdém.”
Quando caímos, temos de nos levantar mais rapidamente do que os outros acham que vamos conseguir. Já caí, e quando muitos pensam que ainda estamos lá em baixo, a lamber as feridas, já estamos lá em cima. Quando ganho acontece isso, quando perco também.

Como assim?
Quando fui campeão olímpico tive 48 horas para desfrutar. Estive 48 horas nas nuvens. Mas, depois, já só pensava nos 18 metros, no que vinha a seguir. Naquele momento, o meu foco já não eram as medalhas, era quebrar a barreira dos 18 metros. Trabalhei de forma louca e acabei por arranjar uma lesão que me incomodou anos mais tarde. Mas um atleta tem de ser assim. Não deve hesitar.

Quando hesitaste pela última vez?
Quando hesitei, falhei [ri-se].

A última vez que falhaste, então...
Na primeira vez que pude falhar, quando todos acharam que ia falhar, foi o momento em que não hesitei.

Quando foste para Espanha, treinar com Iván Pedroso?
Sim. Tive uma notícia às 19h [que João Ganço queria deixar de ser o seu treinador] e no dia seguinte, às 8h, estava a apanhar um avião.

Era uma coisa planeada?
Não tinha pensado nisso. Estive desde as 20h até às 7h a pensar no que ia fazer. Às 8h estava no avião.

Já tinhas tido um contacto próximo com Iván Pedroso?
Vou dizer-te o que ninguém sabe: apanhei o avião, e o Iván Pedroso nem estava em Espanha, estava em Cuba. Quando lá cheguei, ele soube que estava à procura dele, e foi aí que estabelecemos contacto. Fui para Espanha, não hesitei. “Ah, será que ele está, será que não está?” Nem quis saber. “Ele vive onde? Guadalajara. Vou bater à porta de todas as casas até o encontrar.” Saí, aluguei um carro, procurei por ele, “o Iván não está”, “o Iván está de férias em Cuba”. Pronto, desfrutei de mais dois dias de férias e voltei mais tarde.

Não te intimidou abordar alguém com tantas medalhas como ele?
Era um ídolo meu, mas, simplesmente, percebeu desde o primeiro momento que eu sou uma pessoa determinada. Não hesitou em dizer que sim. Se hesitasse, ficaria talvez um pouco de pé atrás. Antes da conversa terminar, a linguagem corporal dele já era: “Tu já estás aqui.” Uma pessoa inteligente, numa conversa entre dois adultos, capta estas coisas. “Vais viver onde?”, perguntava-me. “Ainda não disseste que sim e já estás a perguntar onde vou viver?” O Iván não hesitou, e isso foi importante para quebrar algumas barreiras e diferenças, sendo ele cubano e eu português. Não sendo um jovem atleta, mudei a minha vida toda.

O que tens aprendido mais com ele?
Ele é loucamente ambicioso por medalhas e recordes. Mas de alguma forma é irónico: procurou tanto chocar o mundo que acabou a carreira com um recorde pessoal normal, 8,70 metros. E diz-me: “Nélson, já viste quantos atletas tenho hoje acima de mim? Qualquer palhaço me passa.” Eu olho para ele e penso: “A sério?” E digo-lhe que, quando penso em salto em comprimento, não penso no Mike Powell ou no Carl Lewis, mas no Iván Pedroso. Todos os que fazem atletismo, quando pensam no movimento do salto em comprimento, no atleta, no show, pensam nele.

Ou seja, o que partilham é essa fome de querer mais.
Ele quer sempre chegar lá e sabe que não é qualquer atleta que consegue aguentar essa fome no estômago. Mas sei que a essência de tudo é essa fome, não te confortares com um recorde. Cheguei lá [a Guadalajara] muito mal fisicamente, mas depois comecei a bater os meus recordes e a ficar entusiasmado. E ele: “Ei, calma, isto não é nada, tens de ir muito mais além.” Se eu achava que já era bastante ambicioso e humilde, ele conseguiu dar-me outra realidade. E ganhou muito mais medalhas do que eu, portanto não posso duvidar [volta a rir-se].

Estiveste 25 anos com João Ganço. Notaste muitas diferenças?
Este meu primeiro ano com o Iván correu como correu: fui medalha de ouro no Campeonato da Europa e de bronze no Mundial, disputando três ou quatro competições. Melhor só se tivesse ganho o ouro no Mundial. Acredito que o próximo ano possa correr melhor, tenho a certeza que vai correr.

E em termos de estilo?
São vivências diferentes. Eu e o professor Ganço crescemos juntos desde Odivelas até aos maiores palcos, até aos Jogos Olímpicos. Cresci graças a ele, e ele cresceu graças a mim. Tudo o que aprendi foi com ele, e vice-versa. Fui o primeiro atleta dele com experiência internacional; ele foi saltador em altura. A diferença entre um e o outro é essa — o Iván tem o movimento no corpo. Temos uma linguagem comum. Um treinador que nunca tenha sentido o que é a dor de errar ao fazer um triplo salto ou um treino de triplo salto não sabe. Só se eu abrir a boca para falar.

Falaste com João Ganço durante o Mundial?
Sim, falámos. Não da vida profissional, porque seguimos caminhos diferentes, mas falámos, sim. Foram 25 anos juntos e, como já disse, passei mais tempo com ele do que com a minha própria família. Mesmo no Natal, estava desde as 14h até às 19h do dia 24 com a família dele e só então ia para casa jantar com a minha família.

Não hesitaste em trocar o Benfica pelo Sporting?
Tinha as minhas respostas todas. Se estou aqui e não quero responder a uma pergunta, tu vais perceber, não é? Se hesitar em responder a essa pergunta, vais sentir que não quero responder. E, como não és uma pessoa de receber respostas politicamente corretas, vais mudar de assunto, não vais?

É provável, sim.
Pronto, tens aí a tua resposta. Quando alguém não nos quer, porque é que vamos ficar lá? Não hesitei, segui o meu caminho. Se não me querem, porque hei de ficar?

Deduzo que saibas que essa decisão ia ser polémica...
Sabia que ia rebentar como uma bomba. Tive um período em que não estava cá em Portugal e quando voltei pus as coisas em cima da mesa, disse sim, não, sim, não, e pronto, tive a minha resposta... Foi duro, não vou mentir, passei uma vida inteira no Benfica. Mas acabou, tive de seguir o meu caminho. O meu lugar ali já não fazia sentido.

Soube-te bem o facto de estares em Espanha nessa altura da polémica?
Por muito que as pessoas pensem que já estava tudo a ser preparado, garanto que não estava. Primeiro caiu uma coisa, depois outra, e eu tive poucas horas para reagir. “Vou sempre fazer atletismo e vou sempre ganhar medalhas, seja onde for. Vou fazer por isso”, foi o que pensei. Acabou a época e fiquei com duas medalhas ao peito. E no próximo ano, se Deus quiser, continuarei a ganhar mais medalhas.

E a vida em Guadalajara, como é?
É boa, mais pacata. É um sonho, posso dizê-lo, é um privilégio poder conviver com atletas tão bons e ser desafiado todos os dias.

Dá para perceber que, mesmo com tantos anos de carreira, ficaste deslumbrado com esta nova etapa.
Acho que temos sempre de aceitar da melhor forma os novos projetos, temos de vivê-los de forma intensa, caso contrário não valeria a pena mudar. Não foi algo que planeei nem o que idealizei para o final da carreira, mudar de país e viver num sítio pacato, deixar a minha casa e a minha família, para apenas pensar em saltar, correr, comer e descansar e fazer tudo em loop durante 11 meses por ano. Farei com que este sacrifício valha a pena.

Sabe bem andar na rua e ninguém te reconhecer?
A única coisa que me sabe bem em Espanha é não apanhar gente ignorante em relação ao desporto e à vida, a abordarem-me sobre coisas que não sabem, que não entendem. Mas ser abordado e ser reconhecido por aquilo que faço é o mais gratificante que existe. Saber que os portugueses gostam de mim por representar as nossas cores por esse mundo fora é algo de que nunca me vou fartar. Agora, pessoas ignorantes, pessoas parvas, que não entendem nem a sua própria vida, como é que vão entender a dos outros? Aí, sim, sinto-me sortudo por estar longe.

Quantos saltos tens ainda dentro de ti?
Tenho saltos enormes, nem eu sabia que tinha saltos tão grandes para dar. Estou muito feliz por sentir isso e muito grato ao Iván por fazer esse Nelson acordar outra vez. Fez-me acreditar. Não lho digo todos os dias, mas quando estou mais emocional digo-lhe isso, e ele pede-me para parar, porque não quer chorar [ri-se].

Vais chegar aos próximos JO com 36 anos. Estás preparado para que te chamem velho, como aconteceu agora?
Sou o mais velho, mas não sou o mais gasto. Nesta prova era, talvez, o atleta com mais saúde. Estavam todos com cremes para os joelhos, todos com pés doridos, e eu ali, a olhar para eles, sem sentir nada e a pensar: “Se eu sou o veterano, vocês estão muito mal! Quando chegarem à minha idade estão lixados.” Quando chegar aos Jogos de 2020, com 36 anos, se estiver como estou hoje, não vou hesitar em dizer que vou lá para ganhar a medalha de ouro.

Gostas de fazer campanhas publicitárias?
Sim, sem dúvida, já as faço há alguns anos. Nós, atletas, estamos sempre muito dentro do que é este tipo de promoção, quando lançam uma sapatilha nova, por exemplo. Por isso, no meu caso, tenho à vontade e sinto-me bastante bem.

És vaidoso?
Sou, sou, um bocadinho, mas não muito, só o q.b. Preocupo-me com a minha imagem, sem dúvida, como acho que todos nos temos de preocupar um pouco. Cuidar do nosso corpo e ter um pouco esta filosofia, sem ser exagerado. Tudo o que é exagerado acaba por estragar. Mas, dado que trabalho com o meu corpo, tenho de ter mais cuidado com ele do que uma pessoa a quem tanto faz. Mas mesmo essas pessoas têm de ter um pouco de atenção.

E a dar entrevistas, falar com jornalistas, estás à vontade?
Sim, já fiz muitas entrevistas, até mais do que competições. É engraçado, porque é sempre um desafio. Ou acabamos por responder o que já respondemos muitas vezes ou somos surpreendidos com perguntas e pontos de vista diferentes.

Agora, nos Mundiais, resolveste não falar com jornalistas. Porquê?
Não tinha nada que falar. Resolvi não falar porque os jornalistas acabam por não dizer a verdade. Foi uma forma de protesto. Querem vender a qualquer custo, e eu, estando no estrangeiro e sendo consumidor daquilo que sai em Portugal, fico indignado. Não só com o que se fartaram de falar sobre mim, mas a verdade é que o trabalho do jornalista é informar e não somente dar o ponto de vista do que sabe que vai vender mais ou tentar ser polémico, pondo coisas que não foram ditas pelas pessoas. Por isso, já que o fizeram durante toda uma época — mais no início, sem dúvida —, achei que, se escrevem sempre o que eles querem, então porque hei de abrir a minha boca para falar aquilo que penso? Depois disso, cada um tira as suas ilações. Cada vez mais entendo os atletas, os superfamosos, que optam por não falar. E o silêncio é a melhor resposta que podemos dar muitas vezes.

Isso foi mais uma coisa contra a qual saltaste?
Não. O meu propósito, a minha carreira, estão além disso. Eu próprio, nas minhas redes sociais, partilhei um vídeo do Denzel Washington que falava nisso. Um bom jornalista tem é de informar. A sua arte é dar um pequeno toque daquilo que sabe fazer, um ponto de vista diferente da mesma informação.

No estilo de escrita?
Sim, ou abordar o assunto de forma diferente. Mas não, o que vende é o que interessa, e na realidade é isso que fazem. E é triste. O meu trabalho é saltar, é entrar na pista, correr, saltar, se ganhar, ganhei, senão, da próxima vez, correrá melhor e ponto final. Essas são as regras do jogo [ri-se um pouco].

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Boa semana a todos! :)

Ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah!

Sigam-me no facebook e no twitter.

Feirense 2-3 SPORTING CP: Aguenta, coração de leão

Minuto 90+5: Sem grandes motivos para acreditar, não sei bem porquê, não estava descrente.

Tinha motivos para isso. Após Artur Soares Dias apitar para a marca de grande penalidade, o meu puto (o mais velho) perguntou o que se passava.

Expliquei que, se o Bas Dost marcasse, ganhavamos o jogo.

"E eu posso ajudar?"

"Claro, filho! Todos somos poucos."

"Então...vai Sporting. Corre como uma doninha e marca o golo (não sei se a escolha da doninha era mais uma arma para distrair os guarda-redes)."

As palavras de incentivo continuaram e acabámos todos a festejar (aí o mais novo já participou).

 

Encarei com desconfiança o facto de não termos no banco nenhum lateral.

A lesão de Piccini acabou por ser o facto mais relevante da primeira parte, onde a única oportunidade de golo foi para o Feirense, fruto de uma desatenção de Mathieu.

A escolha de Alan Ruiz para substituir o italiano acaba por fazer sentido mas a forma do argentino não é a melhor. 

A primeira parte acabou por encerrar com 45 minutos melancólicos, em que a equipa não apresentou ideias para furar a boa organização defensiva feirense.

 

A segunda parte trouxe um Sporting diferente. Mais pressionate, mais inspirado e, por isso, com maior capacidade para criar perigo.

O golo de Coates fez-nos explodir de alegria e a classe de Bruno Fernandes fez-me respirar de alívio (confesso que, aqui, não temi o que viria a seguir).

Imediatamente, falei para Jesus (como se ele me pudesse ouvir); "Tira o Alan Ruiz!" 

Não o fiz apenas pela falta de ritmo do argentino ou pela exibição desinspirada.

A partir daqui seria preciso sofrer, porque era evidente que Nuno Manta ia soltar as amarras (que não foram demasiado apertadas, porque o Feirense nunca se limitou a defender) da sua equipa.

 

Abro este parêntesis para voltar a Alan Ruiz. O argentino é bom de bola, interpreta bem as movimentações ofensivas mas não sabe ocupar o espaço a defender. 

Pior que isso, falta-lhe espírito de sacrifício e de entreajuda. Não é o tipo de jogador que veremos a dar "o último pique da sua vida". Esse, ficará sempre para o próximo jogo e não aponto isto propriamente como um defeito. Alan Ruiz não é o tipo de jogador que se sacrifique. Nunca foi e, quando o contratamos, acredito que soubéssemos isso.

 

É por isso que, assim que Bruno Fernandes fez a bola sobrevoar Caio, eu teria lançado Iuri Medeiros em campo.

Jesus tem utilizado muitas vezes o açoriano na esquerda mas, caso isto fosse o Football Manager, a esquerda seria aquele pontinho verde onde diria "competente". Iuri sabe fazer a posição mas não é onde mais rende, sobretudo pela sua capacidade de explorar o espaço interior. "Natural" seria o que diria nos pontinhos verdes à direita e ao centro do meio-campo ofensivo.

 

A verdade é que o Feirense respondeu de seguida e Jesus não sentiu o soar dos alarmes.

Só o 2-2 fez soar a campainha, mas já havia pouco tempo para recuperar.

O discernimento já não era o do início do segundo tempo e sentia-se a pressão.

As entradas de Iuri e Doumbia para os lugares de Alan Ruiz e Marcos Acuña eram já em desespero mas correram bem. 

Mesmo sem a melhor ligação com companheiros (ambos só integraram o plantel nesta época) ambos trouxeram empenho e vontade de alterar o cenário de perda de pontos.

Foi ver o Iuri a perseguir adversários até à área de Rui Patrício, Doumbia a vir buscar a bola ao meio-campo defensivo e o português a criar perigo...pela direita, pois claro.

 

No final, haveria de ser Coates a voltar a chamar a si os holofotes. Recebeu de Bas Dost e sofreu falta, que haveria de ser o holandês a cobrar, contra a vontade de Jesus mas para alegria de todos.

Três pontos na algibeira e mais um final feliz antes da visita à Grécia.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Jogo difícil, o de hoje em Santa Maria da Feira. Porque vimos de um ciclo complicado que acabou de forma positiva, porque a esse ciclo sucedeu uma paragem para as selecções e porque este é o início de mais um ciclo competitivo apertado e importante, a que se segue a estreia na Liga dos Campeões, frente ao mais directo rival pela continuidade na Europa.

 

O mais importante para o jogo de hoje é garantir que o aspecto mental está bem trabalhado. Só com a mentalidade e foco essencial se trarão os três pontos da Feira.

O Feirense está num bom momento, ainda não perdeu esta época e, em casa, desde que Nuno Manta assumiu o comando da equipa, contam por vitórias sete dos doze jogos em casa, tendo apenas perdido frente ao Boavista, Benfica e Braga.

 

Escusado será dizer que, na deslocação à Feira, o Sporting não venceu na temporada passada, tendo mesmo deixado a norte todos os pontos em disputa naquele penoso final de época.

Todo o cuidado é pouco e o foco tem de ser em tudo fazer para somar mais três pontos, mantendo assim a liderança da Liga NOS.

 

Nuno Manta tem andado à procura das melhores soluções ofensivas e mudou a frente de ataque nos últimos três jogos. Peter Etebo é o único elemento comum a todos os jogos na frente de ataque. 

A defesa tem-se mantido praticamente estanque e, na lateral esquerda, Kakuba manterá o lugar ocupado após a lesão de Barge.

Cris Santos, Tiago Silva e Babanco têm sido os esteios da equipa, formando um meio-campo coeso e de qualidade.

 

Será pelas alas que me parece que podemos ser mais incisivos, explorando assim da melhor forma as debilidades da equipa da Feira. Jean Sony e Kakuba não são defensores de excelência e, por isso, desaconselho a Jesus a opção conservadora de lançar Bruno César no lugar de Acuña. Caso o argentino esteja efectivamente fatigado, apostaria em Iuri Medeiros para, com a sua qualidade de passe, servir da melhor forma aquele que me parece a melhor opção para definir os lances de ataque da equipa; Bas Dost.

 

Vai ser um jogo de luta, difícil, competitivo e só uma equipa focada e solidária sairá do Marcolino de Castro com um sorriso nos lábios.

Vamos, Sporting!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal