Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grande Artista e Goleador

O "emagrecimento" do plantel: Balanço final

Depois de ter comparado os desempenhos de Iuri Medeiros (LINK), Francisco Geraldes (LINK), Ryan Gauld (LINK) e Daniel Podence (LINK) com os dos jogadores das respectivas posições que integram o plantel de Jorge Jesus, chega a hora de dizer o que eu faria neste mercado de Janeiro.

Abstive-me antes de o fazer mas agora não resisto à tentação.

 

Na baliza estamos bem servidos. No centro da defesa também e, numa perspectiva economicista, eu "desfazia-me" de Douglas (para mim, o mais fraco dos quatro).

Nas laterais, caso consigamos reforçar ambas com jogadores que nos resolvam os problemas actuais, dois ou três terão de sair, já que há ainda Jonathan Silva. Confesso que ainda comparei os números de André Geraldes com os dos nossos quatro laterais e a performance defensiva é idêntica, ao contrário da ofensiva. Não posso afirmar peremptoriamente que André Geraldes não serve mas mantenho o meu feeling que não é suficiente para as nossas ambições e lhe faltam atributos ofensivos essenciais na interpretação do modelo de Jesus. 

No meio-campo, é evidente que Meli e Petrovic não têm espaço. Praticamente não jogaram e devem sair. Eu vendia também Elias.

A minha pequena revolução fazia-a nas posições de ataque. Castaignos, André e Markovic revelaram-se insuficientes para as nossas ambições e Bryan Ruiz nem parece o mesmo da época passada. Bruno César deve assumir de vez a posição de extremo e precisamos de contrabalançar alguma experiência com mais irreverência. Acabei por não incluir Podence no plantel, pois considero mais benéfico que continue a jogar com regularidade em Moreira de Cónegos.

A grande questão aqui é: a direcção tem capacidade financeira para reforçar já a equipa para o que resta desta temporada mas também a pensar na próxima?

Se tiver (e dadas as mais-valias vindas das vendas de João Mário e Slimani, admito que sim), eu fazia isto:

1.png

Os empréstimos de Joel Campbell, Markovic e Meli seriam suspensos imediatamente.

Ricardo Esgaio e Luc Castaignos seriam emprestados.

Azbe Jug, Douglas, Jefferson, Marvin, Petrovic, Elias e André seriam vendidos.

Há ainda a hipótese de saída de algum dos campeões europeus... Excepto no caso de Rui Patrício (Pedro Silva assumiria em definitivo o lugar de número dois da baliza, atrás de Beto), teríamos de ir ao mercado procurar jogadores que substituíssem as vagas deixadas por Adrien ou William. Só admito a saída de um dos três e, neste caso, parece-me evidente que teríamos capacidade para os investimentos que proponho.

 

Hans Hateboer é lateral direito do Groningen e internacional sub-21 holandês. É alto (1.88m) e um defensor com elevada propensão ofensiva. Termina contrato em Junho de 2017 e parece-me uma boa opção a baixo custo. Está avaliado em 1M€ (fonte: transfermarkt).

 

Emiliano Insúa dispensa apresentações. Vem de duas épocas com muitos jogos no Estugarda, depois de uma fase de menor fulgor, após a saída do Sporting. Tenho visto alguns jogos e parece-me estar de volta aos bons momentos. Termina contrato em Junho de 2018, factor que pode fazer baixar os 3.5M€ de valor de mercado (fonte: transfermarkt). Além disto, conhece bem o Clube e a Liga Portuguesa.

 

Ricardo Quaresma termina contrato no final da temporada e está numa das melhores fases da carreira. Apesar dos 33 anos, apresenta um rendimento extraordinário, para o qual considero que o seleccionador Fernando Santos muito terá contribuído. É amigo de Jesus, Bruno de Carvalho já confidenciou que gostava que voltasse a Alvalade e tenho a certeza que os 4M€ que vale (fonte: transfermarkt) poderiam perfeitamente ser negociados. Depois de Nani, seria bom ter mais um regresso.

 

Sébastien Haller é um dos meus fetiches. O ponta-de-lança dos sub-21 franceses é titularíssimo no Utrecht, onde está há dois anos. Tem 37 golos e 14 assistências em 79 jogos e, aos 22 anos, está pronto para "dar o salto". Tem contrato até Junho de 2019 e os 8M€ que vale (fonte: transfermarkt) o seu passe valeriam a pena. Sendo um "9" puro, Haller não se sente desconfortável a vir buscar a bola atrás nem a cair nas alas. Por isto, poderia até ser encarado como o parceiro de Bas Dost, já que julgo que se adaptaria bem às movimentações pedidas ao segundo avançado. Além disso, é forte na reacção à perda e tem "nervo" para defender a primeira fase de construção adversária. Caso assumisse a titularidade ao lado de Dost, teríamos Ronaldo Tavares e Pedro Marques na "cobertura" (não equaciono Leonardo Ruiz, pois acho que o Sporting não exercerá a opção de compra).

 

E isto não é brincar ao FM fazer prospecção. :)

Sigam-me no facebook e no twitter.

O "emagrecimento" do plantel: Daniel Podence

Embora ache Daniel Podence dos menos preparados para regressar entre os jogadores da nossa formação actualmente emprestados, parece-me interessante verificar se os dados estatísticos "validam" a sua presença no plantel.

Assumo que a minha escolha, a seguir a Iuri Medeiros, seria Carlos Mané mas as particularidades do seu contrato de empréstimo inviabilizam o seu regresso no imediato.

Podence tem muito a melhorar mas é o único com capacidade para fazer descansar Gelson, mantendo alguém com características semelhantes em campo.

Sei que muitos o vêem como segundo avançado mas, para mim, Podence é extremo (é nessa posição que tem sido utilizado no Moreirense). O confronto físico com defesas centrais cada vez mais corpulentos prejudica-o e as alas protegem-no melhor das suas insuficiências. 

Usarei os mesmos termos de comparação que usei para Iuri. Vamos aos números:

Daniel Podence.png

Em golos e assistências Podence aproxima-se muito do rendimento de Bryan e Campbell. Tal como no caso de Iuri, os números ofensivos não desiludem. Remata mais do que os costa-riquenhos, é, de todos, o que mais passes para ocasião faz por jogo e arrisca o drible na mesma medida que Gelson.

Podence não cruza tanto como Bryan ou Campbell, sobretudo por ter no Moreirense tarefas que visam a exploração do espaço interior. Podence parte sempre da ala para o meio, onde muitas vezes acaba por fazer de segundo avançado (ora, isto é precisamente o tipo de movimentação que o sistema de Jorge Jesus pede).

É no plano defensivo que Podence deve trabalhar mais. Os seus números são, de todos, os mais modestos e a ajuda aos laterais (sobretudo aos nossos) é muito importante.

No geral, mais uma vez, não vejo Podence muito inferior a Bryan ou Campbell mas assumo que vejo com bons olhos a sua permanência no Moreirense, onde jogará mais. Todavia, "balanço" sempre que penso nas alternativas a Gelson e parece-me razoável que Podence pudesse ser uma delas.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O "emagrecimento" do plantel: Ryan Gauld

Depois de Iuri Medeiros e Francisco Geraldes, chegou a vez de ver se os números Ryan Gauld comprovam também que é uma alternativa mais válida do que as que temos neste momento no plantel.

José Couceiro usou Gauld como "10", no apoio directo ao ponta de lança. No modelo de Jesus não há um "10", por isso resolvi comparar o escocês com três jogadores que fizeram a posição de 2º avançado.

Deixei de fora Castaignos, pois só tem 60 minutos no campeonato. André, embora seja mais um ponta-de-lança do que um segundo avançado, já jogou algumas vezes ao lado de Bas Dost.

Vejamos:

Ryan Gauld.png

Fez bem a Ryan Gauld o tempo que passou na B a jogar a "8". Não perdeu as suas capacidades inatas e ganhou uma agressividade e capacidade defensiva que não possuía.

As estatísticas não mentem. No geral, Gauld suplanta os números de André e Markovic e rivaliza bem com os de Alan Ruiz, que domina em absoluto as estatísticas ofensivas. É o argentino quem mais remata e dá a rematar (Gauld iguala o número de passes para ocasião por jogo - 0.8), contudo, nem ele nem Gauld têm qualquer golo marcado, ao contrário de André e Markovic (1 cada).

 

Gauld é, de todos, o que mais passes faz por jogo, fruto de uma maior procura pela posse de bola (característica que Alan Ruiz também possui).

No plano defensivo, o escocês mostra porque está bem mais perto de nos dar aquela capacidade de pressão e recuperação de bola em zonas adiantadas que o modelo de Jorge Jesus tanto precisa para ser eficaz. Gauld tem mais do dobro das acções defensivas dos três "rivais" e parece-me claro que poderia acrescentar mais do que têm feito André, Markovic ou Castaignos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O "emagrecimento" do plantel: Francisco Geraldes

Depois de ontem ter começado por comparar a performance de Iuri Medeiros com os três extremos mais utilizados do plantel do Sporting (AQUI), seguimos hoje com Francisco Geraldes.

Francisco Geraldes.png

Quase nem valia a pena comparar as estatísticas de Chico Geraldes com as de Elias mas até é bom que se possa substanciar a "coisa". Claro que Elias tem muito menos utilização que Geraldes ou Adrien mas, mesmo assim, são dados muito pobres, os do brasileiro. Podia olhar o médio emprestado ao Moreirense como um médio ala, na linha daquilo que foi João Mário, mas acho que é muito mais jogador de zonas interiores do que de corredor.

Elias lidera o ranking de acerto no passe, sobretudo porque pouco arrisca. Um passe seguro tem sempre mais possibilidades de acerto. De todos, é também o que menos faltas faz, o que considero um dado negativo, visto que denota falta de intensidade defensiva, ainda mais numa equipa que, pelo risco com que joga, muitas vezes tem de recorrer à falta.

 

Se Geraldes cabia no plantel? Óbvio! Lidera todos os parâmetros ofensivos e perde por pouco para Adrien no plano defensivo. Dos três apresentados, Chico é o que mais remata, o que mais oportunidades cria, o que mais arrisca a finta e aquele que mais faltas sofre.

Adrien tem em média 4.5 acções defensivas por jogo, enquanto que Geraldes se fica pelas 3.5. Mesmo jogando menos e na maior parte das vezes vindo do banco, Elias fica-se pelas 0.9 por jogo.

 

Parece-me óbvio que, para além da análise subjectiva de quem vê os jogos e testemunha o potencial e qualidade de Chico Geraldes, os números comprovam o nível elevado a que joga.

No próximo post, veremos se os números de Ryan Gauld justificam aquilo que penso dele.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O "emagrecimento" do plantel: Iuri Medeiros

Bruno de Carvalho afirmou num post no facebook que o plantel será encurtado para fazer face à situação competitiva em que nos encontramos, em que apenas disputamos uma das quatro competições em que entrámos.

Na minha opinião, o plantel nem precisará de reforços para colmatar lacunas, pois temos essas mais-valias nos nossos quadros. 

Dizer simplesmente que Iuri Medeiros, Francisco Geraldes, Ryan Gauld e Daniel Podence fariam mais do que alguns dos jogadores do nosso plantel pode ser considerada uma análise subjectiva, por estar sujeita aos meus gostos pessoais ou inúmeros outros factores menos "palpáveis".

Assim sendo, vamos a números. Começo com Iuri Medeiros (dados do site whoscored.com):

Iuri Medeiros.png

É evidente a análise dos números se torna num mero exercício aritmético, até porque o estilo de jogo ou caudal ofensivo do Boavista nada tem a ver com o do Sporting mas, tentemos ser objectivos.

 

Os números de golos e assistências não diferem muito dos apresentados pelos extremos mais utilizados do nosso plantel.

Iuri é, juntamente com Bryan Ruiz, aquele que mais passes para ocasião faz por jogo. No entanto, faz menos 12 passes por jogo do que o costa-riquenho, o que lhe limita as oportunidades de ser mais bem sucedido no parâmetro anterior.

A baixa taxa de sucesso no passe deve-se à menor segurança na posse do jogo do Boavista, pelo que, considero a disparidade dos números perfeitamente normal.

Nos parâmetros defensivos (defeito que vejo apontar indiscriminadamente ao açoriano) vejo números semelhantes aos dos três jogadores comparados e parece-me que se tem criado um mito relativamente ao pouco empenho do jogador nas tarefas defensivas (ou isso ou não vêm os jogos e, por isso, pouca legitimidade têm para criticar).

 

De todos, Iuri é mais parecido com Bryan Ruiz. Mais cerebral, lê o jogo como poucos. Não imprime no jogo a velocidade de Campbell ou Gelson nem traz a imprevisibilidade que ambos aportam, embora seja forte no 1x1. Usa sobretudo a sua qualidade de passe para queimar linhas e traria uma qualidade na marcação de todas as bolas paradas que nenhum jogador do nosso plantel possui. Neste momento, tendo a conta a forma de Bryan Ruiz, acho que Iuri poderia ter um impacto muito positivo no jogo do Sporting.

Porque o post ficaria muito extenso, guardarei as análises dos restantes jogadores para as publicações seguintes. Parece-me interessante e espero que gostem.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Chaves 1-0 SPORTING CP: Há males que vêm por bem

O Sporting esta fora da Taça de Portugal e resta-nos o campeonato para disputar até final da temporada. A eliminação não surpreende, tal é o estado anímico e de forma da equipa. Na verdade, acho que a desilusão seria muito maior noutras circunstâncias. Tal e qual como estávamos, a eliminação de mais uma competição era uma tragédia à espera de acontecer.

Consumou-se e, com tudo o que de mau isso traz, há uma coisa boa. Uma vitória no jogo de ontem poderia ter aguçado a tentação de empurrar com a barriga, de achar que estava tudo bem. Assim não dá para esconder erros e debilidades.

 

Nada a apontar à entrega da equipa. Correram, esforçaram-se mas voltaram a apresentar-se perdidos em campo, sem rumo e sem uma estratégia aparente que lhe permitisse ultrapassar um adversário mais bem organizado e preparado quer nós.

O Chaves tem uma boa equipa, bem orientada e com alguns bons executantes. Nada que se compare com o valor do plantel do Sporting, muito menos o monetário. Mas o estado anímico e motivacional com que se apresentaram fizeram transparecer que os papéis estavam invertidos. Foi o Chaves que entrou a mandar e o Sporting a tentar reagir. Nós tentámos marcar sem grande estratégia e acabámos por perder num lance de bola parada, novamente nos últimos minutos, fruto de falta de concentração, de foco e de ambição. Deixámos que um lance em que tínhamos oito jogadores na área para três do adversário acabasse com a bola na nossa baliza, fruto de um cabeceamento de um jogador que nunca tinha marcado um golo.

 

Tragédia consumada, é hora de fazer auto-crítica, já que publicamente foram criticados árbitros, comunicação social e os próprios jogadores.

Há que assumir que o planeamento e gestão desta temporada foi um desastre total. Estamos em Janeiro e resta lutar pelo campeonato, com oito pontos de atraso. Vislumbrar sucesso quando as hipóteses são tão reduzidas é difícil mas isso não pode deixar que baixemos os braços, desde o Presidente aos adeptos, os únicos que me parecem praticamente isentos de culpa, pois não têm faltado com o apoio em nenhum estádio deste país.

Felizmente, estamos em Janeiro e temos, por isso, cerca de duas semanas para arrumar a casa e criar um grupo adequado à competição domingo a domingo, menos extenso e mais solidário.

 

Há que assumir sem rodeios que Bruno de Carvalho confiou em Jorge Jesus e lhe deu tudo o que este pediu para esta temporada. O Presidente errou ao fazê-lo.

Há que assumir que os jogadores contratados, excepto Beto e Bas Dost, não corresponderam às expectativas criadas e muito menos à exigência pretendida. Jorge Jesus falhou.

Há que assumir que a equipa não rendeu o esperado e, pior do que isso, não se demonstrou totalmente comprometida, coesa e determinada em todos os momentos da época. Os jogadores falharam.

 

Em cima disto, há muito a construir.

Bruno de Carvalho deve ponderar se o treinador deve ter ou não carta branca para a formulação do plantel que, em abono da verdade, nem no modelo de jogo do treinador encaixa.

Jorge Jesus deve reconsiderar as opções tomadas e analisar se fez tudo o que estava ao seu alcance para retirar de cada jogador o seu melhor em prol do colectivo. 

Os jogadores terão de unir-se, conversar, alinhar objectivos e tentar cumprí-los em prol do Clube e não pensando individualmente ou amunado perante o egocentrismo e incapacidade para assumir o erro do seu líder. É na tentativa de satisfação dos adeptos que devem encontrar as forças para continuar.

 

Posto isto há excedentários para dispensar, flops para despachar, jogadores a reavaliar e regressos a ponderar. O Sporting não precisa de um plantel de 29 jogadores. Dois por posição são mais do que suficientes e não sou eu que vou por-me aqui a opinar sobre se deviam ser estes ou aqueles.

Jorge Jesus deve colocar de parte o orgulho e decidir o que é melhor para o Clube, em vez do que mais lhe massaja o ego. Tem de deixar-se de teimosias parvas para tentar provar o que quer que seja.

Os jogadores cedidos por empréstimo que tenham cláusulas de retorno devem ser equacionados no mesmo plano que os que fazem parte do plantel. O objectivo é único: dotar o Sporting de um grupo mais forte, unido e equilibrado para atacar a segunda volta. Só o que façamos daqui para a frente importa. O que passou, passou e deve servir apenas e só para aprender e melhorar.

 

A época pode até estar totalmente perdida mas não podemos arriscar o futuro. E se Bruno de Carvalho quer fazer parte desse futuro, tem de passar essa mensagem de forma clara aos sócios. As coisas não podem ficar tal qual como estão. Está provado que o investimento (sobretudo este, totalmente falhado) deu menos resultados que o fazer "mais com menos".

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

2 de Dezembro de 1995, 4ª eliminatória da Taça de Portugal. Foi a única vez que o Sporting se deslocou a Chaves para jogar uma eliminatória da Taça de Portugal. O contexto era bem diferente do de hoje. O Sporting era segundo, a 5 pontos do Porto de Bobby Robson (só de pensar nisto, coro de raiva).

Ao intervalo o Sporting perdia 1-0, mas um bis de Paulo Alves em dois minutos virou o resultado à hora de jogo. Pedro Barbosa viria a dar outro conforto ao resultado e o Sporting acabaria na final do Jamor, após eliminar Boavista, Campomaiorense, Olhanense e Porto. No jogo decisivo, acabámos por não vencer o Benfica, num jogo marcado pelo incidente mais triste de sempre registado em estádios portugueses. Rui Mendes faleceu, vítima do arremesso de um very light, vindo dos adeptos do Benfica. O resultado era o menos importante.

 

Hoje, tal como nessa época, o Chaves poderá estar na caminhada rumo ao Jamor mas o contexto desportivo é-nos mais desfavorável que o da altura.

Vimos de jogos menos bem conseguidos, com resultados a condizer com o "cinzentismo" do futebol apresentado.

Só uma série de vitórias consecutivas poderá embalar a equipa para uma boa segunda metade da época e seria o ideal começar já hoje.

 

A maioria preferirá vencer confortavelmente. Eu tenho o coração bem treinado e aguento bem um 2-4, no prolongamento, com um hat-trick de Bas Dost e um penalti cobrado pelo Adrien (a ver se ele tira aquela cara de enterro).

Suspeito de uma inclusão de Palhinha no meio-campo, num 4-3-3 mais clássico. O resto, seria a equipa mais óbvia. Beto (embora ache que será Patrício a jogar), Esgaio, Coates, Paulo Oliveira, Jefferson, Palhinha, William, Adrien, Gelson, Bruno César e Bas Dost.

 

Ganhar mantêm a fezada que estaremos no Jamor e dará importante alento para a deslocação à Madeira.

SPOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

O que andam eles a fazer?

JONATHAN SILVA (Boca Juniors) - 1994-06-29 (22 anos) - Lateral Esquerdo

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

O Boca segue forte na pré-temporada e fará o primeiro jogo de preparação a 21, onde Guillermo Barros Schelotto pode preparar um novo figurino táctico, devido à saída de Carlitos Tévez.

Jogos - 8

Minutos - 550

Golos - 0

Assistências - 2

Classificação - 1º na Primera División / Eliminado da Taça da Argentina

* * *

TOBIAS FIGUEIREDO (CD Nacional) - 1994-02-02 (22 anos) - Defesa Central

Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 45M€

14/01/2017 (Liga NOS) - Vitória FC 1-0 NACIONAL
Tal como na semana passada, Tobias não saiu do banco de suplentes.
Resumo do Jogo

Jogos - 12

Minutos - 1000

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 17º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

FRANCISCO GERALDES (Moreirense) - 1995-04-18 (21 anos) - Médio Ofensivo / Médio Ala

Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 45M€

15/01/2017 (Liga NOS) - Porto 3-0 MOREIRENSE
Geraldes finalizou de pé esquerdo a única oportunidade do Moreirense nos primeiros 45 minutos. Casillas negou-lhe o golo. Esteve ligado ao lance do primeiro golo do jogo. Escorregou e acabou por fazer uma falta dura, da qual viria a nascer o golo de Oliver. Viu amarelo neste lance e acabou depois expulso aos 45 minutos, após uma falta em que me parece que o árbitro, com a ânsia de mostrar o vermelho, se esqueceu de analisar o contexto da mesma. É verdade que Chico agarra ostensivamente Danilo mas a jogada nem era prometedora, pois Danilo preparava-se para chocar de frente com dois defensores do Moreirense. Expulsão algo exagerada, na minha opinião.
(MaisFutebol) Nota 2/5
(GoalPoint) Nota 4.3/10
(WhoScored) Nota 4.98/10
Resumo do Jogo

Jogos - 18

Minutos - 1329

Golos - 2

Assistências - 2

Classificação - 16º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Na Final Four da Taça da Liga

* * *

DANIEL PODENCE (Moreirense) - 1995-10-21 (21 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 60M€

15/01/2017 (Liga NOS) - Porto - MOREIRENSE
Colocado na ala direita, foi no corredor central que conduziu o ataque rápido que viria a terminar no remate de Geraldes, já acima descrito. Fez isto e pouco mais nos 79 minutos que esteve em campo.
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 4/10
(WhoScored) Nota 6.02/10
Resumo do Jogo

Jogos - 15

Minutos - 1139

Golos - 3

Assistências - 2

Classificação - 16º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Na Final Four da Taça da Liga

* * *

RAFAEL BARBOSA (União da Madeira) - 1996-03-29 (20 anos) - Médio Ofensivo / Extremo

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 45M€

Rafael Barbosa regressou ao Sporting B, depois de ter passado sem sucesso pela Madeira. Razões familiares, foram o motivo oficial mas parece-me sobretudo que o empréstimo foi precipitado e a adaptação não terá corrido bem. Rafa ainda precisa de se impor na B e fará certamente jeito a João de Deus na 2ª volta do campeonato.

Jogos - 13

Minutos - 538

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 11º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

HELDON (Rio Ave) - 1988-11-14 (28 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

11/01/2017 (Taça da Liga) - RIO AVE 2-0 Sp. Covilhã
Heldon começou o jogo no banco e só entrou aos 60 minutos. Aos 65, numa incursão pela direita do ataque, serviu a bola de bandeja para Gil Dias bisar no encontro. Boa meia-hora, apesar da eliminação do Rio Ave da Taça da Liga.

15/01/2017 (Liga NOS) - Belenenses 1-0 RIO AVE
Heldon regressou à titularidade. Dificilmente passa ao lado de um jogo, pois é sempre muito solicitado pelos companheiros. Jogou na ala direita mas não foi muito feliz nas decisões tomadas. Saiu aos 76 minutos.
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 4.6/10
(WhoScored) Nota 5.97/10
Resumo do Jogo

Jogos - 21

Minutos - 1526

Golos - 2

Assistências - 3

Classificação - 8º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga / Eliminado da Liga Europa

* * *

DOMINGOS DUARTE (Belenenses) - 1995-03-10 (21 anos) - Defesa Central

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 45M€

15/01/2017 (Liga NOS) - BELENENSES 1-0 Rio Ave
Mais uma boa exibição da dupla de centrais do Belém, na qual Domingos é parte integrante. Deixou os duelos aéreos para Gonçalo Silva e assumiu mais a bola em organização e em passes longos. Muito bem a fechar os caminhos para a sua baliza. 90 minutos praticamente irrepreensíveis.
(MaisFutebol) Nota 3/5
(GoalPoint) Nota 6.3/10
(WhoScored) Nota 7.25/10
Resumo do Jogo

Jogos - 19

Minutos - 1617

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 12º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

ORIOL ROSELL (Belenenses) - 1992-07-07 (24 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

15/01/2017 (Liga NOS) - BELENENSES 1-0 Rio Ave
Rosell foi chamado por Quim Machado assim que o Belenenses marcou. Substituiu Sturgeon e entrou com a missão de reforçar o meio-campo. Tentou segurar a bola e ajudou nos equilíbrios defensivos. Cumpriu e o Belém segurou os três pontos.
(MaisFutebol) Nota 2/5
(GoalPoint) Nota -/10
(WhoScored) Nota 6.08/10
Resumo do Jogo

Jogos - 13

Minutos - 814

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 12º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

LUKAS SPALVIS (Belenenses) - 1994-07-27 (22 anos) - Ponta-de-Lança

Contrato (Junho 2018 + 3 opção) Cl. Rescisão 60M€

15/01/2017 (Liga NOS) - BELENENSES 1-0 Rio Ave
Com menos de uma semana de trabalho, Spalvis não integrou ainda a convocatória.
Resumo do Jogo

Jogos - 0

Minutos - 0

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 12º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

RYAN GAULD - 1995-12-16 (21 anos) - Médio Ofensivo

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

Não sei do que espera Bruno de Carvalho para inscrever o escocês pelo Sporting. Há males que vêm por bem.

Jogos - 10

Minutos - 681

Golos - 0

Assistências - 1

Classificação - 9º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Na Final-Four da Taça da Liga

* * *

ANDRÉ GERALDES - 1991-05-02 (25 anos) - Defesa Direito / Esquerdo

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

Olhando à performance das nossas laterais, acho que Geraldes até para a esquerda poderia passar a ser primeira opção, tais as fragilidades das opções disponíveis. Mais um que mais vale inscrever do que voltar a emprestar.

Jogos - 18

Minutos - 1650

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 9º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Na Final-Four da Taça da Liga

* * *

MIGUEL LOPES (Akhisar Belediye) - 1986-12-19 (30 anos) - Defesa Direito / Esquerdo

Contrato (Junho 2018) Cl. Rescisão 20M€

14/01/2017 (Spor Toto Super Lig) - Karabukspor 1-0 AKHISAR BELEDIYE
Miguel Lopes foi titular na lateral direita e fez um jogo razoável, sobretudo no plano defensivo. Fica ligado ao lance do golo mas a abordagem ao lance parece-me legal. Jogou os 90 minutos.
(WhoScored) Nota 6.72/10
Resumo do Jogo

Jogos - 14

Minutos - 1254

Golos - 1

Assistências - 0

Classificação - 13º na Spor Toto Super Lig / 3ª na Fase de Grupos da Taça da Turquia

* * *

CRISTIAN PONDE (Sp. Covilhã) - 1995-01-26 (21 anos) - Avançado / Ponta de Lança

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

11/01/2017 (Taça da Liga) - Rio Ave 2-0 SP. COVILHÃ
Há quase três meses que Cristian não era titular. Creio que os quase dois meses em que desapareceu das convocatórias se terão devido a problemas físicos, pois agora tem retomado normalmente ás opções de Filipe Gouveia. Apesar do resultado negativo, Ponde teve alguns bons apontamentos e criou algum perigo para a baliza dos vila-condenses, sobretudo a fechar a primeira parte. Saiu aos 76 minutos.

14/01/2017 (Ledman LigaPro) - SP. COVILHÃ 2-3 Penafiel
Cristian voltou ao banco de suplentes mas não deixou de ser opção. Entrou aos 61 minutos, com o resultado em 0-1. Jogou descaído numa das alas e a equipa melhorou. O golo sofrido nos descontos deitou por água abaixo uma boa segunda parte.

Jogos - 14

Minutos - 828

Golos - 2

Assistências - 0

Classificação - 14º na Ledman LigaPro / Nos 1/4 de final da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

FILIPE CHABY (Sp. Covilhã) - 1994-01-22 (22 anos) - Médio Ofensivo / Médio Ala Direito

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

11/01/2017 (Taça da Liga) - Rio Ave 2-0 SP. COVILHÃ
Numa equipa com muitas alterações, Gouveia não abdicou de Chaby, talvez por ter nele um elemento da sua confiança, que ajuda os restantes a render acima do esperado numa equipa de segundas linhas. Chaby foi um perigo nas bolas paradas mas o seu treinador não arriscou tê-lo em campo mais do que 57 minutos. Haviam jogos mais importantes pela frente.

14/01/2017 (Ledman LigaPro) - SP. COVILHÃ 2-3 Penafiel
Jogo muito desgastante para Chaby, até porque o Penafiel deu muito trabalho. Não se mostrou nos lances capitais do jogo mas foi sempre o elo de ligação para entrar no último reduto dos penafidelenses. Jogou os 90 ,minutos e não tenho dúvidas que estará amanhã no jogo mais importante da época, que pode colocar os serranos nas meias-finais da Taça de Portugal.

Jogos - 23

Minutos - 1629

Golos - 3

Assistências - 2

Classificação - 14º na Ledman LigaPro / Nos 1/4 de final da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

TEO GUTIERREZ (Rosario Central) - 1985-05-17 (31 anos) - Avançado / Ponta de Lança

Contrato (Junho 2018) Cl. Rescisão 40M€

Afinal Teo ficará no Rosario até ao final do empréstimo. Foi o próprio jogador que o confirmou, agradecendo a compreensão dos adeptos e garantindo que os problemas familiares (diz ele) que fizeram com que tenha tido vontade de voltar à Colômbia estão ultrapassados.

Jogos - 8

Minutos - 539

Golos - 1

Assistências - 1

Classificação - 22º no Campeonato Argentino / Na final da Taça da Argentina

* * *

HADI SACKO (Leeds United) - 1994-03-24 (22 anos) - Extremo Direito / Avançado

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

13/01/2017 (Championship) - LEEDS UNITED 1-0 Derby County
Sacko tem estado a contas com alguns problemas físicos e teme-se no Yorkshire que possa ficar afastado por muito tempo um dos melhores jogadores da equipa. Para este jogo, não integrou a convocatória.
Resumo do Jogo

Jogos - 27

Minutos - 1839

Golos - 2

Assistências - 6

Classificação - 3º no Championship / Eliminado da EFL Cup

* * *

HERNÁN BARCOS (LDU Quito) - 1984-04-11 (32 anos) - Ponta de Lança

Contrato (Junho 2017) Cl. Rescisão 60M€

Nem Brasil nem Colômbia. Barcos jogará na Colômbia, no Liga de Quito, até ao final do contrato com o Sporting, comprometendo-se depois com os colombianos por mais seis meses.

Jogos - 11

Minutos - 613

Golos - 2

Assistências - 0

Classificação - Época ainda não começou

* * *

SIMEON SLAVCHEV (Lechia Gdansk) - 1993-09-25 (22 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

A equipa do Lechia partiu para um estágio na Turquia, onde vão preparar a segunda metade da temporada.

Jogos - 9

Minutos - 797

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 2º na Ekstraklasa / Eliminado da Taça da Polónia (Puchar Polski)

* * *

FEDERICO RUIZ (Sintrense) - 1989-05-15 (27 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

15/01/2017 (Campeonato de Portugal Prio) - At. Malveira 2-3 SINTRENSE
Federico Ruiz não foi convocado.

Jogos - 3

Minutos - 105

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 3º na Série G do Campeonato de Portugal Prio / Eliminado da Taça de Portugal

* * *

EWERTON (Kaiserslautern) - 1989-03-23 (27 anos) - Defesa Central

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

11/01/2017 (Jogo de Preparação) - KAISERSLAUTERN 2-0 Elversberg
Ewerton não foi utilizado

15/01/2017 (Jogo de Preparação) - Lugano 1-2 KAISERSLAUTERN
Ewerton foi titular e jogou apenas os primeiros 45 minutos.

Jogos - 8

Minutos - 692

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 13º na 2. Bundesliga / Eliminado da Taça da Alemanha

* * *

CARLOS MANÉ (Estugarda) - 1994-03-11 (22 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2020) Cl. Rescisão 60M€

11/01/2017 (Jogo de Preparação) - Colónia 0-0 ESTUGARDA
Carlos Mané não foi utilizado.

15/01/2017 (Jogo de Preparação) - ESTUGARDA 0-0 Duisburg
Mané jogou apenas os primeiros 45 minutos.

Jogos - 11

Minutos - 962

Golos - 4

Assistências - 4

Classificação - 3º na 2. Bundesliga / Eliminado da DFB Pokal

* * *

WALLYSON (Standard Liège) - 1994-02-16 (22 anos) - Médio Centro

Contrato (Junho 2021) Cl. Rescisão 45M€

12/01/2017 (Jogo de Preparação) - B. Dortmund 3-0 STANDARD LIÈGE
Wallyson não está presente no Estágio em Espanha.

13/01/2017 (Jogo de Preparação) - STANDARD LIÈGE 3-4 Vaduz
Wallyson não está presente no Estágio em Espanha.

Jogos - 2

Minutos - 93

Golos - 0

Assistências - 0

Classificação - 8º na Jupiler Pro League / Eliminado da Cofidis Cup / Eliminado da Liga Europa / Derrotado na Supertaça

* * *

GUILHERME OLIVEIRA (Cova da Piedade) - 1995-04-12 (21 anos) - Guarda-Redes

Contrato (Junho 2019) Cl. Rescisão 45M€

14/01/2017 (Ledman LigaPro) - COVA DA PIEDADE 1-2 Benfica B
Guilherme Oliveira foi suplente não utilizado.
Resumo do Jogo

Jogos - 2

Golos Sofridos - 0

Classificação - 4º na Ledman LigaPro / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

* * *

IURI MEDEIROS (Boavista) - 1994-07-10 (22 anos) - Extremo / Avançado

Contrato (Junho 2022) Cl. Rescisão 60M€

14/01/2017 (Liga NOS) - Benfica 3-3 BOAVISTA
Digam-me um jogador no Sporting que faça um golo daquelas de livre?! Um! Digam um! - Modo Manuel Serrão, off -  Iuri é um craque. Qualidade de passe e visão e leitura de jogo perfeitas nos lances dos golos. Não lhe saiu tudo bem e até esteve menos em jogo que o habitual. Pouco tocou na bola e algumas vezes nem o conseguiu da melhor forma mas está directamente ligado aos três golos que o Boavista fez na Luz. Ajudou a defender, fechou o espaço para as subidas de André Almeida e cortou alguns lances de ataque dos encarnados. Saiu aos 78 minutos, quando se impunha a Miguel Leal segurar o empate.
(Record) Nota 4/5
(MaisFutebol) Nota 4/5
(GoalPoint) Nota 6.5/10
(WhoScored) Nota 8.51/10
Resumo do Jogo

Jogos - 15

Minutos - 1247

Golos - 2

Assistências - 5

Classificação - 11º na Liga NOS / Eliminado da Taça de Portugal / Eliminado da Taça da Liga

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Dost no encalce do melhor Liedson

Como sei que Bas Dost exige muito de si, vou ser exigente com ele. Parece-me que é mesmo o melhor depois de Jardel e isso justifica a "cobrança".

Vou comparar a sua performance nestes primeiros 23 jogos de leão ao peito com os primeiros 23 jogos de todos os que sucederam a Super Mário. Mas vou dificultar ainda mais a tarefa ao holandês... A comparação vai ser com a melhor época de cada um dos avançados ao serviço do Sporting e não com a primeira.

Como todos os que serão objecto de análise já eram titulares absolutos ao 23º jogo, opto por valorizar e organizar o ranking por tempo necessário para marcar. Vamos lá aos resultados:

1.png

Sigam-me no facebook e no twitter.

Acreditemos como o Mateus. O sonho comanda a vida.

O Mateus pediu sem saber que seria ainda melhor do que ele havia imaginado. A Fundação Sporting realizou-lhe o sonho, com a ajuda dos amigos e do Arco Iris da Sofia. A Sporting TV esteve lá para registar. A propósito, sigam a página, que vai para além da ajuda ao Mateus e contribuam com o que puderem. Isto também é ser d(o) Sporting!

Sigam a página "O Arco Iris da Sofia"

Sigam-me no facebook e no twitter.

Resultados do fim-de-semana

FUTEBOL

Seniores / Chaves 2-2 SPORTING CP / 3º lugar (Resumo do Jogo)
Seniores Fem / Fut. Benfica 2-3 SPORTING CP / 1º lugar (Resumo do Jogo)
Equipa B / Portimonense 4-0 SPORTING CP / 17º lugar
Juniores Fem / Paio Pires 2-3 SPORTING CP / 1º lugar
Juvenis / U. Leiria 0-2 SPORTING CP / 1º lugar
Juvenis Fem / Rio de Mouro 0-11 SPORTING CP / 1º lugar
Juvenis B / CAC 0-2 SPORTING CP / 3º lugar
Iniciados / SPORTING CP 10-0 Portimonense / 1º lugar (Resumo do Jogo)
Iniciados B Sub-14 / Sacavenense C 2-3 SPORTING CP / 1º lugar
Iniciados C Sub-14 / SPORTING CP 3-1 Alta de Lisboa / 1º lugar
Infantis 12 anos / Alverca 0-4 SPORTING CP / 2º lugar
Infantis 12 anos B / SPORTING CP 2-0 1º Dezembro / 2º lugar
Infantis 11 anos / Alta de Lisboa B 2-4 SPORTING CP / 1º lugar
Benjamins / SPORTING CP 20-1 Ág. Musgueira / 1º lugar
Benjamins B / Alta de Lisboa B 2-7 SPORTING CP / 1º lugar
Escolas / SPORTING CP 2-6 Reguengo / 2º lugar
Escolas B / Sacavenense 3-7 SPORTING CP / 1º lugar

 

FUTSAL

Seniores / Burinhosa 0-6 SPORTING CP / 1º lugar
Seniores Fem / Louriçal 1-3 SPORTING CP / 2º lugar (Resumo do Jogo)
Sub-20 / SPORTING CP 7-1 Burinhosa / 3º lugar (Resumo do Jogo)
Juniores Fem / SPORTING CP 2-3 Benfica / 1º lugar
Juvenis / SPORTING CP 19-0 Desp. Mata / 1º lugar
Juvenis Fem / Qta. Lombos 3-5 SPORTING CP / 1º lugar
Iniciados / SPORTING CP 5-1 Qta. Lombos / 2º lugar
Iniciados B / SPORTING CP 7-0 Póvoa Sto. Adrião / 1º lugar

 

ANDEBOL

Seniores / São Mamede 19-38 SPORTING CP / 2º lugar
Juniores / SPORTING CP 24-14 Alto Moinho / 2º lugar
Juvenis / SPORTING CP43-20 Estarreja / 1º lugar
Juvenis B / SPORTING CP 48-10 Almoçageme / 1º lugar
Iniciados B / Belenenses 23-25 SPORTING CP / 1º lugar
Infantis / SPORTING CP 31-17 Belenenses / 3º lugar
Infantis B / SPORTING CP 45-27 Colégio S. João Brito

 

HÓQUEI EM PATINS

Seniores / Forte dei Marmi 3-1 SPORTING CP / 3º lugar e eliminados da Liga Europeia (Resumo do Jogo)
Sub-20 / Alverca 6-7- SPORTING CP / 2º lugar
Equipa B / Parede B 2-6 SPORTING CP / 1º lugar
Juvenis / SPORTING CP 2-3 Benfica / 2º lugar
Iniciados / Turquel 3-2 SPORTING CP / 4º lugar
Infantis / Paço de Arcos 4-1 SPORTING CP / 1º lugar

 

TÉNIS DE MESA

Seniores Fem / SPORTING CP 3-2 GD Fazendense
Equipa B / SPORTING CP 3-2 Vitória FC

II Torneio Aberto Cidade de Caldas da Rainha

Iniciados Masculinos
1º Lugar para Tiago Abiodun

Cadetes Masculinos
3º Duarte Parreira
5º João Semedo
10º Miguel Alves

Infantis Femininos
1º Lugar para Juliana Silva

Infantis Masculinos
1º Lugar Duarte Parreira
2º Miguel Alves
3º Tiago Abiodun

Equipas Infantis Masculinos
1º Lugar / Sporting Clube de Portugal

 

BASQUETEBOL

Sub-14 / Algés 59-66 SPORTING CP / 3º lugar
Sub-14 Fem / Física 65-46 SPORTING CP / 4º lugar

 

POLO AQUÁTICO

Seniores / Naval Povoense 7-14 SPORTING CP / 3º lugar

 

RUGBY

Seniores Fem / 1ª Fase da Taça de Portugal
1ª Jornada / SPORTING CP 40-0 GDS Cascais
2ª Jornada / SPORTING CP 46-0 CR São Miguel
1/2 Final / SPORTING CP 31-0 Lifeshakers
Final / SPORTING CP 19-12 Benfica

Sub-18 / SPORTING CP 12-17 Vila da Moita

Sub-14 / Torneio Sevens ARS
Sporting "Salazar Carreira" (2º lugar, 2 vitórias, 1 empate e 1 derrota)
Sporting "Manu Assis Teixeira" (8º lugar, 1vitória e 3 derrotas)

 

ATLETISMO

Campeonato Nacional Estrada (Reacções)

Equipa Feminina vencedora da classificação colectiva

1º Jéssica Augusto 33:14m
4º Susana Godinho 35:05m
5º Ana Mafalda Ferreira 35:10m
7º Daniela Cunha 35:40m
14º Sandra Teixeira 36:53m
17º Kcénia Bougrova 37:14m
25º Lília Martins 38:32m
27º Diana Almeida 39:05m
62º Mariana Quaresma 45:12m

Equipa masculina 2º da classificação colectiva

1º Hélio Gomes 29:58m
8º Rui Teixeira 30:21m
10º Helder Santos 30:31m
11º Rui Pedro Silva 30:34m
12º José Moreira 30:35m
13º Hugo Correia 30:37m
16º Guilherme Pinto 30:45m
19º Hugo Almeida 30:57m
21º Andralino Furtado 31:06m
24º Bruno Albuquerque 31:13m
37º Ricardo Dias 31:42m
45º Fernando Serrão 32:04m
196º João Ávida 39:15m

Juniores Masculinos

26º Rúben Pinto 37:16m

Taça Portugal Velocidade e Bareiras

400m Fem / 2º Carolina Duarte 59,97s
60m barreiras / 1º Anabela Neto 9,12s
60m / 1º Carlos Nascimento 6,88s
5º Sporting CP (Femininos) / 1799 pontos

Campeonato Nacional de Marcha (Estrada - 30km)

1º João Vieira 02:38:40h

Juvenis Femininos (Estrada - 5km)

1º Catarina Santos 28:09m

Taça de Portugal de Saltos em Pista Coberta

Salto em Altura Fem / 1º Anabela Neto 1,78m
                                    3º Catarina Fonseca 1,66m
                                    6º Joana Ogura 1,60m
Salto em Altura / 1º Francisco Barreto 1,96m
                            2º Stephane Varela 1,96m
                            3º Nélson Pinto 1,92m
Salto com Vara Fem / 1º Marta Onofre 4,26m
Salto com Vara / 2º Rubem Miranda 4,55m
                           3º Gonçalo Uva 4,35m
                           5º Manuel Dias 3,90m
Salto em Comprimento Fem / 2º Shaina Mags 5,73m
                                                4º Andreia Gomes 5,37m
Salto em Comprimento / 3º Marcos Caldeira 7,10m
                                        4º Oleksandrlyashchenko 6,89m
                                        6º João Pinto 6,75m
Triplo Salto Fem / 1º Lucinda Gomes 11,63m
                             5º Joana Ogura 10,57m
Triplo Salto / 2º Carlos Veiga 15,65m
                     3º Guy Boissy 15,42m
Classificação geral feminina / 1º, com 2933 pontos
Classificação geral masculina / 1º, com 2800 pontos

Cross Internacional de Itálica (Espanha)

24º Licínio Pimentel 33:42m
26º António Silva 33:54m
27º Miguel Marques 33.57m
29º Pedro Ribeiro 34:09m
36º Youssef El Kalay 34:33m
DNS Ricardo Mateus

 

XADREZ

1ª Jornada Torneio Nacional de Mestres / António Pereira Santos (SCP) 0-1 Luís Galego
2ª Jornada Torneio Nacional de Mestres / António Pereira Santos (SCP) 0-1 Sérgio Rocha
1ª Jornada Torneio Nacional de Honra / Isabel Maria Santos (SCP) 1/2-1/2 António Fortunato
2ª Jornada Torneio Nacional de Honra / Isabel Maria Santos (SCP) 0-1 Micael Costa Santos

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Também na marcha o verde e branco esteve em destaque

João Vieira.jpg-large

João Vieira foi hoje o vencedor do campeonato nacional de marcha, na distância de 35km.

Também Catarina Santos venceu no seu escalão (juvenis) e é assim a nova campeã nacional.

Estes foram os únicos atletas do Sporting em prova, o que torna a nossa participação 100% vencedora.

Parabéns a ambos! Tem sido um grande fim-de-semana para o nosso atletismo.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Chaves 2-2 SPORTING CP: Maldito pastel de Chaves

"Muitas vezes os jogos ganham-se pelo que sentimos pelo clube e pela vontade de vencer por ele. Eu sinto o Sporting."

 

A frase é de Francisco Geraldes e traz-nos a parte do futebol que só o adepto percebe. A paixão, o amor, a entrega e a dedicação a um símbolo, habitual na bancada mas nem sempre transparecida em campo.

Ontem, demos mais uma vez uma pálida imagem daquilo que é o Sporting e até mesmo da real valia de alguns dos seus jogadores. William é mais do que mostrou. Muito mais. Adrien também. E isto custa, especialmente vindo destes, pois sabemos que sentem o clube e já demonstraram vontade de vencer por ele vezes suficientes.

 

"Sei que sinto o clube da forma que só a formação consegue sentir e que é difícil de explicar. Ninguém sua a camisola como quem a veste desde sempre."

 

Pareço um desesperado a transcrever citações de livros ou cifras como naquelas páginas de facebook. Mais uma vez, Francisco Geraldes relembra algo importante que tem faltado nos últimos tempos; suar a camisola. E tem faltado aos que a vestem desde sempre mas ainda mais a muitos dos outros.

Temos um Presidente adepto que contratou um treinador adepto que, por sua vez, tem um conjunto de jogadores composto por alguns que também torceriam pelo Clube mesmo estando de fora. De fora, precisamente o sítio onde alguns parecem querer estar, esquecendo-se que há ainda trabalho a fazer e respeito a dever a quem sofre, vibra e ama o Sporting todos os dias. Nós, os adeptos.

 

"Foda-se, que início de merda!"

 

Esta frase é minha (mas pode também ser tua) e foi proferida ontem, aos quarto minuto de jogo, quando Rafael Lopes nos coloca em posição de desvantagem após termos conhecimento do empate do líder em casa.

Nada pior que mais um jogo a correr atrás do prejuízo desde início, muito menos num terreno tão difícil quanto aquele que voltaremos a enfrentar daqui a dois dias.

 

"Tanto passe falhado"

 

Mais uma da minha autoria (sim, podem reclamar direitos de autor), que teve Adrien como principal destinatário. Num meio-campo que nos habituámos a ter como a nossa principal força, ver tanta displicência arruína as nossas possibilidades de apresentar um bom futebol, fluído e objectivo.

 

"Sempre os mesmos! Que seria de nós sem eles?!"

 

Gelson Martins e Bas Dost, obviamente. Tudo o que de melhor temos visto vem repetidamente da capacidade criativa de Gelson e do apurado faro de golo de Bas Dost. Não há quem deles sequer se aproxime nas suas posições e isso coloca-nos, de certa forma, reféns de dois jogadores, A imprevisibilidade que deveríamos dar ao jogo fica muitas vezes comprometida por a receita ser sempre a mesma: bola no menino e o holandês resolve. São sete assistências de Gelson e treze golos de Dost...só no campeonato.

 

"Uff"

 

Ir para o intervalo empatados constituía um alívio e trazia a esperança de um novo balão de oxigénio para a segunda parte, sobretudo para os primeiros minutos, onde se queria um Sporting incessantemente à procura do golo. 

 

"Porquê?"

 

Coração de Leão não tem descanso. Numa segunda parte que se esperava de velocidade e onde todas as armas seriam necessárias, Jorge Jesus terá indicado a Raúl José para lançar Bryan e André para os lugares de Alan e Campbell. Sendo verdade que nenhum dos dois fez uma exibição deslumbrante (na verdade nenhum deles entusiasmou), seria de esperar que o golo ao intervalo galvanizasse a equipa e trouxesse um pouco mais de confiança. Desperdiçar a velocidade de Campbell e a meia distância de Alan pareceu-me precipitado, sobretudo antes de ver o que dariam os primeiros dez minutos do segundo tempo. 

 

"Estava-se mesmo a ver"

 

Esta não disse, mais para afastar o fantasma, mas ecoou bem alto várias vezes na minha mente. Assim que Rúben Semedo viu o primeiro amarelo, metade da nação leonina terá dito que não acabaria o jogo. As duas substituições de Jesus ao intervalo não davam espaço de manobra. Paulo Oliveira acabaria por entrar mas não para o lugar de quem devia e, infelizmente, para completar uma defesa coxa, após uma expulsão mais que justa. O Sporting ficava a jogar com 10.

 

"Na na na na, na na na na, Bas Dost!"

 

André acabaria por se redimir do escandaloso golo que falhou, servindo Bas Dost para o 15º golo de leão ao peito. O holandês marca um golo a cada 126 minutos de competição. Em jogos da Liga, a cada 91 minutos as redes balançam. Bas Dost não merece ser, no geral, tão mal servido e, com um rendimento óptimo da equipa, já teria pelo menos mais meia dúzia de golos.

 

"Nãããããããoooo! O que é que este gajo está a fazer?!"

 

Qualquer Sportinguista que não viva no mundo da Lua e tenha consciência da realidade sabia que seriam minutos penosos até final. Abdicar de atacar, sabendo da nossa incapacidade para segurar resultados poderia ser desastroso. Tirar do jogo Bas Dost era ter a certeza que passaríamos o que restava a rezar a todos os santinhos para que o karma não voltasse a cair-nos em cima.

 

"Eu tinha avisado!"

 

Na última ronda pelos emprestados, deixei uma nota a Fábio Martins, jogador formado no Porto, que tem conseguido subir degraus seguros na carreira, graças à sua qualidade. Provavelmente nunca voltará a fazer um golo daqueles mas eu tinha alertado. Escusado será dizer que este golo surge devido a uma total apatia e inépcia na hora de reagir à chamada "segunda bola". Não há um jogador num raio de muitos metros preparado para reagir àquele ressalto de bola vindo do corte em esforço de Coates, tal como já não havia quem tivesse estorvado a acção do jogador que tentou o passe. Tudo isto numa equipa com 10 elementos, a precisar de segurar uma vantagem preciosa que manteria acessa a chama do título. O resto é talento do miúdo e um balde de água fria (ai um) tremendo que apaga a nossa chama e desanima a nossa esperança.

 

"E agora?"

 

Podia guardar este ponto para mais tarde mas isso seria empurrar com a barriga um problema evidente. Esperar por um desaire (agora ou mais tarde) na Taça não é o mais adequado, até porque, não salvando a época, a taça de Portugal é um objectivo que convém que não deixe de o ser.

Nada se mudará até terça-feira mas algo é preciso fazer depois disso. Bruno de Carvalho deu poder a Jorge Jesus. Esse poder acarreta responsabilidade e Jesus é o principal responsável do evidente mau planeamento da época. O plantel foi construído com lacunas gritantes e demasiados pontos de interrogação, que agora se mantêm. Aquilo que no início da temporada, esperançosamente, pareciam soluções, são agora problemas e está nas mãos de Bruno de Carvalho pôr termo a isto, restituindo para si a pasta do futebol e, consequentemente, retirando algum do poder a JJ. Ter tomates para tomar essa decisão poderá ser fulcral, até como medida eleitoral. É fundamental que se perceba que o Presidente não está refém do treinador. É fundamental que Jesus oiça o que ouviram os antecessores: "Os reforços estão em casa". Resta saber se alguém pega nos excedentários, muitos deles com contratos generosos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Verde e branco na estrada

1.png

Sinais positivos foram deixados no Jamor para a época que aí vem. Às vitórias de Jéssica Augusto e Hélio Gomes juntou-se a conquista colectiva das senhoras, que colocaram quatro atletas posicionadas nos sete primeiros lugares. Nos homens, a conquista colectiva fugiu para o Benfica, numa prova em que 30 segundos separaram o pelotão leonino dos benfiquistas.

Creio que esta vitória é um bom indicador para os campeonatos nacionais de corta-mato, a disputar em Março, em Torres Vedras.

As provas em pista são outra história completamente diferente, onde se espera sobretudo que os masculinos dêem mais luta que nos anos anteriores e lutem pelo título e o consequente acesso á taça dos clubes campeões europeus.

Seja como for, foi um bom início de temporada e só me preocupa e desaponta um bocadinho ver que apenas tínhamos 5 atletas inscritos em idade júnior e que, desses cinco, apenas um compareceu ou terminou a prova.

Bem sei que a maior parte da formação se faz em clubes da zona de residência dos atletas mas não quero crer que não hajam em Lisboa e arredores atletas com potencial a ser explorado por uma Academia de atletismo com a notoriedade da nossa.

Parabéns aos vencedores!

Hoje temos campeonato nacional de marcha em estrada e taça de Portugal de saltos em pista coberta. Ao todo, mais de 20 atletas em prova. Boa sorte para eles!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Hoje joga o Sporting

Por todos os motivos e mais alguns, visitar o Desportivo de Chaves encerra sempre muitas dificuldades para a equipa do Sporting. Ora porque, normalmente, lá vamos sempre no inverno, porque as arbitragens nos são adversas e até mesmo porque coisas insólitas podem acontecer.

 

Quem não se lembra da época 95/96 em que, quando o Sporting pressionava para desfazer o empate a uma bola, as luzes do estádio se apagaram e só voltaram a acender já após o período regulamentar para que o jogo se reatasse no próprio dia. Resultado: o Sporting teve de deslocar-se a Chaves duas semanas depois, dois dias antes de uma visita ao Estádio das Antas. Escusado será dizer que, para além de todo este desgaste, o árbitro da partida não deu descontos e só se jogaram 2.25 minutos, dos quais nem um foi de tempo útil de jogo.

E que tal a azia do Coroado em 98/99, quando anulou um golo e deixou escapar dois penaltis em mais um jogo que havia de terminar empatado, desta vez a duas bolas?!

Pois, para além das naturais dificuldades do estádio em si e do adversário, parece que nos estão sempre destinados alguns contratempos.

 

Em 13 visitas a Chaves para o campeonato, o Sporting só venceu quatro vezes, tendo empatado sete e perdido duas. Todas as vitórias são pela margem mínima e com grandes dificuldades.

O árbitro de hoje é Nuno Almeida, mais um árbitro/adepto que, espero eu, deixe o adepto em casa, pois o simples estatuto de árbitro já pode ser-nos prejudicial.

 

Devido ao pacto de silêncio decretado até ao jogo com o Marítimo (!), não há lista de convocados mas consta que Jesus levou todos os disponíveis para trás-os-montes, onde teremos de jogar novamente na 3ª feira.

Prevejo um jogo de luta, daqueles em que o fato de macaco pode ter de substituir o fato de gala e o futebol vistoso. Na verdade, dispenso o futebol espectáculo desde que os três pontos fiquem do nosso lado.

Provavelmente, Beto continuará a ser o dono da baliza, com Esgaio, Coates, Douglas e Jefferson a completar o sector defensivo.

William e Adrien assegurarão as despesas do meio-campo, com Gelson e Campbell nas alas. Bas Dost deverá ser acompanhado por Alan Ruiz ou Bruno César.

 

Fora as dificuldades já enumeradas, jogaremos com o resultado do jogo do Benfica, que joga primeiro e, seja qual for o desfecho da partida, trará sempre uma dose mínima de pressão adicional que, em jogos equilibrados pode ter o seu peso.

 

Espero que entremos bem no jogo, tal como fizemos em Alvalade com o Feirense pois poderemos assim tornar o jogo menos complicado.

 

SPOOOOOOOOOOOOOOOOORTING!

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Fazer regressar o Grande Sporting passa muito por aqui

Adoro atletismo! Talvez por conhecer as sensações de terminar uma prova com dificuldades mas também por já ter 'experienciado' o "poder" que uma conquista individual dá. Nunca fui federado e o único desporto que pratiquei nessa condição foi o futebol mas, graças aos corta-matos escolares e às "corridas de bairro", conheço as sensações por que passa um atleta. Talvez por isso valorize mais o esforço ou aprecie mais uma conquista.

 

Muitos não sabem, outros não ligam, mas haverá quem, como eu, valorize a modalidade que mais títulos e prestígio internacional deu ao Sporting. Não, lá fora ninguém conhece os heróis de 64 nem fazem ideia de quem seja Morais. Mas conhecem Carlos Lopes, Fernando Mamede, entre muitos outros nomes que o atletismo do Sporting deu a conhecer ao Mundo.

16 dos 24 títulos europeus do Clube foram conquistados pelo atletismo, que deu a Portugal o maior número de medalhas olímpicas, muitas delas ligadas ao Sporting, desde logo, começando por Carlos Lopes, o primeiro medalhado de ouro da história do nosso país. 

 

No nosso país, embora sejamos dominadores absolutos, com mais de duas centenas de títulos nacionais conquistados, esse domínio vem sendo ameaçado nos últimos anos onde, sobretudo o nosso escalão masculino tem tido dificuldades em se destacar.

Fruto do desinvestimento nas modalidades verificado nos últimos 20 anos e de um Clube que dirigiu para o futebol todo o dinheiro, acabando com modalidades e deixando outras à deriva ou em "piloto automático", temos agora a responsabilidade, capacidade e ambição de recuperar o tempo perdido.

Bruno de Carvalho trouxe ao Clube uma vitalidade e ambição que nunca verifiquei nas minhas cerca de duas décadas de vivência consciente do Sporting e daquilo que é ser Sportinguista.

 

Tudo isto para introduzir a disputa dos campeonatos nacionais de estrada em atletismo, prova a disputar hoje, às 15 horas, em Lisboa, com partida e chegada no Estádio Nacional do Jamor.

O Sporting marcará presença com mais de 40 atletas e tentará fazer aquilo que raramente conseguiu, tanto nos homens como nas senhoras; vencer.

 

O nacional de estrada é uma prova recente. Foi criado em 1990 e ganhou até alguma preponderância relativamente ao corta-mato, a prova mais importante e mediática das disputadas até então. Hoje, talvez devido ao proliferar das provas de estrada, acredito que o mediatismo que uma transmissão televisiva, bem como a qualidade dos atletas intervenientes, pode dar o click para o ressurgir da modalidade em Portugal que, mesmo sendo uma das que tem os mais bem sucedidos atletas, está longe de captar o interesse de novos praticantes.

 

Voltando à prova em si, o Sporting apenas venceu dois títulos individuais e um colectivo desde a sua criação. Dionísio Castro venceu a primeira edição, que coroou também o Sporting como vencedor colectivo nos homens. As mulheres nunca venceram qualquer título e, no ano passado, Rui Silva sagrou-se campeão nacional, naquele que terá sido o seu último título individual ao serviço do Sporting, antes de se mudar para o rival.

 

Hoje, teremos alguns atletas com capacidade para vencer (vários deles já coroados campeões ao serviço de outros emblemas), tanto nos homens como nas mulheres e o que espero é uma prova espectacular, com aquele ataque fulgurante no quilómetro final mas, mais importante que tudo, com uma camisola verde-e-branca a cortar a meta em primeiro lugar.

Quem puder, não deixe de passar no Jamor para apoiar os nossos.

 

Sigam-me no facebook e no twitter.

Entrevista: Francisco Geraldes

Estreou-se na Liga esta temporada, depois de 11 anos de formação e um ano na equipa B do Sporting. Como está a correr a experiência no Moreirense?
Está a correr bastante bem até agora. A nível estatístico não está a ser como ambicionava, porque só tenho dois golos e gostava de ter mais, mas o mais importante é que tenho estado a corresponder e até, se calhar, a conseguir superar as expetativas do primeiro ano.
 
E o Moreirense é o clube certo para evoluir e se mostrar ao Sporting?
Se é o certo ou não, não sei, porque nunca experimentei nenhum outro clube, mas até este momento tem corrido tudo da melhor maneira e por isso acho que é um excelente clube para evoluir e poder ganhar experiência na Liga.
 
Quando se é emprestado não há o sentimento de se estar a afastar do clube?
É um facto que acabamos por nos afastar do clube, sim, mas a política do Sporting é a de seguir os jogadores emprestados, pelo menos até hoje, e eu, porque tenho tido sempre feedback positivo do Sporting e um acompanhamento assíduo, não me posso queixar de me terem esquecido. 
 
Como foi sair de «casa»? Saiu de Lisboa pela primeira vez e do Sporting também…
Sim, foi a primeira vez e é sempre difícil. O período de adaptação não foi fácil, porque deixei tudo em Lisboa, família, amigos e o clube, mas quando a vontade de singrar é maior do que as dificuldades de estar longe, tudo é superável tendo em conta o objetivo final.
 
Chegou para ser opção de Pepa, mas Pepa saiu do comando técnico da equipa, e depois chegou Augusto Inácio, que já conhecia do Sporting. Como se lida com a mudança de treinador?
Tem de se lidar de uma forma natural porque estas situações fazem parte do desporto, e neste caso do futebol, quando os resultados não aparecem. O Pepa é um excelente treinador e de certeza que vai ter muito sucesso no futuro. Gostei de trabalhar com ele e desejo-lhe a maior sorte do mundo. Agora temos o mister Augusto Inácio que também é um grande treinador e com quem tem estado a correr tudo bem.
 
O que mudou com a troca de treinadores?
Muda sempre alguma coisa porque nenhum treinador é igual. Na forma de treinar têm métodos diferentes, mas o estilo de jogo é mais ou menos o mesmo. Em campo continuamos a fazer as mesmas coisas.
 
Tem mais liberdade com Augusto Inácio? Dá essa ideia…
Não, penso que é igual. Tenho a mesma, mas é um treinador que exige muito de mim e a cada dia que passa sinto-me melhor.
 
E jogar numa equipa com outros objetivos, diferentes dos que tinha no Sporting B, está a abrir-lhe os olhos para uma missão de sacrifício defensivo a que não estava tão habituado?
Sim, sim, isso sim. É uma realidade diferente daquela que encontrei na equipa B do Sporting, porque apesar de ser uma equipa B é sempre vista como sendo o Sporting e as equipas acabam sempre por se fechar mais. Agora é completamente o oposto. O Moreirense é que é a equipa «pequena» e, principalmente, quando joga frente aos grandes joga mais fechado e tem de explorar o contra-ataque. É diferente e isso tem sido positivo para o trabalho defensivo que, confesso, não tinha muito.
 
Gosta de marcar e, apesar de ter dito que esperava já ter marcado mais, fez dois golos importantes. Um ao Feirense, numa excelente apresentação e exibição, e outro ao FC Porto. Como foi este último golo?
Foi bom, mas acaba por ser só mais um. Mesmo assim, claro, por ter sido à equipa que foi e pelo simbolismo, de ter posto o Moreirense na meia-final, foi o mais importante de todos os que já marquei na carreira. Quando somos pequenos, pomo-nos a imaginar este tipo de golos e achamos irreal, mas consegui marcar e claro que isso me deixa satisfeito.
 
Como sportinguista, pela rivalidade, também?
(risos) Claro, como sportinguista também.
 
Esse golo colocou o Moreirense na final-four da Taça da Liga, pela primeira vez. Chegados aqui, qual é o objetivo da equipa nesta prova?
Vamos ao Algarve com a intenção de fazer as coisas o melhor possível. Quanto mais podermos sonhar e ambicionar, melhor. Já demonstrámos que nos podemos bater contra qualquer adversário e sabemos o que podemos fazer. Derrotámos o FC Porto e sabemos que não é fácil o que se segue [Benfica], mas já estarmos na meia-final é excelente. 
 
No campeonato é só a manutenção que interessa?
Sim, é obviamente que esse é o nosso objetivo. Saímos lá de baixo no último jogo e agora é continuar a subir. Já temos uma folga [pontos] maior com a vitória frente ao Belenenses e trabalhar assim será melhor. Agora vamos ao Dragão com a mesma ambição de conquistar os três pontos.
 
E tem também a ambição de marcar outra vez?
(risos) Claro, se possível.

Se marcar vai mostrar outra vez a caneleira, na qual tem a máscara do filme ‘V de Vingança’...
Sim.
 
Mostra-a sempre, porquê?
É uma questão que pode dar horas de conversa! Mostro porque muito do que penso está ali resumido. Tem tudo a ver com a mensagem do filme. Vi-o com o meu pai no cinema e marcou-me. Na altura não tanto porque com apenas 11 anos, não estava tão desperto e tão atento ao quão real, atual e verosímil é a mensagem do filme. Hoje, depois de ter estudado, ler muito e tentar perceber várias questões, identifico-me totalmente com a ideia revolucionária do filme.
 
Não se preocupa apenas com o futebol, não é? Há mais vida para além «disto»…
É. O futebol é a minha grande paixão, adoro este jogo, e não me vejo a fazer mais nada - agora sou jogador e um dia quero ser treinador, mas tal como não é o dinheiro que me move, não fecho os olhos à nossa sociedade, à política, economia, cultura…
 
É um dos nomes que se falam para regressar ao Sporting já em janeiro, já sabe alguma coisa sobre isso?
Não.
 
João Palhinha já regressou, isso motiva-o? Como vê a chamada dele por Jorge Jesus?
Claro, como disse anteriormente, no Sporting estão atentos aos emprestados e isso demonstra-o. Vejo a chamada dele à equipa principal com satisfação, felicidade e justiça. Além de ser uma excelente pessoa, como profissional ninguém tem nada a apontar-lhe. Só ele sabe o que trabalhou para conseguir ser chamado e é com todo o mérito que já lá está.
 
Perante este exemplo e pelo que tem feito sempre e, sobretudo, nestes últimos meses, acredita que também pode voltar?
Acredito, claro que sim. Foi com essa finalidade que vim para o Moreirense: com a perspetiva de voltar ao Sporting e conseguir chegar à equipa principal. O meu maior sonho - e só de imaginar me arrepio - é jogar no Sporting e em Alvalade. Cresci a ir ao estádio e a ver o Sporting jogar, a ver o André Cruz a marcar livres diretos ou o Paíto a dar uma ‘cueca’ ao Luisão no Estádio da Luz (risos). Cresci e fiz-me ainda mais sportinguista com alguns desses momentos. 
 
E acha que já está preparado para esse passo?
Acho que sim e acho que o que tenho feito tem demonstrado que posso vestir a camisola do Sporting. Além disso, porque tenho a ‘mentalidade Sporting’, que também considero importante dentro de campo. Sei que sinto o clube da forma que só a formação consegue sentir e que é difícil de explicar. Ninguém sua a camisola como quem a veste desde sempre. Muitas vezes os jogos ganham-se pelo que sentimos pelo clube e pela vontade de vencer por ele. Eu sinto o Sporting.
 
O que acha que pode acrescentar ao plantel do Sporting?
Esse sportinguismo que já falei e as minhas qualidades técnicas, claro. Sei o meu valor e aquilo que sou capaz. As minhas valências passam pela visão de jogo, qualidade de passe e também pela entrega que dou ao jogo. Dou tudo e não me limito a fazer o mais fácil.
 
Sente-me mais um 8 ou um 10?
Gosto de jogar em ambas as posições.
 
É também um jogador mais inteligente do que físico…
Sim e para mim isso no futebol é o mais importante. Claro que o físico conta, mas acho que quanto mais jogadores inteligentes uma equipa tiver mais perto está de atingir resultados e títulos. Quanto menos inteligente o jogador for mais aleatórias serão as decisões. É sempre preciso pensar mais à frente, ter noção dos espaços, das posições da equipa e dos adversários.
 
E o que é mesmo um jogador inteligente?
É aquele que melhor decide, tendo em conta o sucesso coletivo. A decisão até pode passar por uma ação individual, mas não é aquele que se cinge a seguir à risca aquilo que mandam as regras do ‘bom futebol’, como, por exemplo, procurar sempre superioridade numérica com bola. Há situações em que inteligência, aliada à criatividade, resolve os problemas que são encontrados no jogo. Mesmo sendo uma situação de dois atacantes para quatro defesas. Tem muito a ver com a capacidade de decisão, daí que quanto mais inteligentes forem, individualmente, os 11 jogadores, mais próxima está a equipa de ganhar o jogo
 
É um jogador menos individualista?
Não necessariamente, mas é por aí e pela reação e decisão. Tem a ver com a forma como vê o jogo e consegue ser rápido a tomar a decisão. Além disso, saber, como disse, onde está cada um e para onde será melhor jogar e não parar para ver e pensar o que fazer porque aí perde-se a vantagem de milésimos de segundo perante o adversário. Quem manda é quem tem a bola e o defesa vai sempre reagir àquela que for a decisão de quem ‘manda’.
 
Como é que se ganha essa inteligência?
Parte dela é já intrínseca, mas pode e deve ser sempre estimulada através de pensar o que fazer com a bola mesmo antes de a recebermos. A mim quem me ajudou muito nesse aspeto foi o João Mário. Fomos companheiros de equipa na B e ele achava que eu muitas vezes decidia só quando tinha a bola. Uma vez, num treino, chamou-me e perdeu tempo comigo. Falou-me de dois aspetos: de como controlar a bola e sobre a decisão. 

É por isso que é um dos jogadores que o Francisco admira?
Também, pela importância que teve no meu crescimento, e pelo jogador fantástico que é. É dos jogadores mais inteligentes que há atualmente. Não precisa de ser rápido, é inteligente e isso para mim é o atributo mais importante nos desportos coletivos.
 
Há muita gente a comparar o Francisco ao Adrien Silva, sobretudo nas redes sociais e quando não estão satisfeitos com o meio-campo do Sporting…
Sim, sei que muitas vezes se compara ‘o Francisco Geraldes’ ao Adrien Silva, mas também sei que somos jogadores diferentes, até porque não há jogadores iguais. Ele numas coisas é melhor, eu serei noutras. Faz parte. Mas o Adrien é o Adrien.
 
É difícil de o substituir?
Nenhum jogador é insubstituível, mas, claro, fazer a vez do Adrien não é fácil. Para mim, ele é um dos melhores box-to-box do mundo. É um pulmão incansável, que dá à equipa a estabilidade que é muito difícil de encontrar num jogador. Encontra-se num Ramires (ex-Benfica e ex-Chelsea) ou num Enzo Perez (ex-Benfica e Valencia), mas não é fácil. 
 
Curiosamente esses jogadores que já passaram pelas mãos de Jorge Jesus… já se imaginou a trabalhar com ele?
Quero vir a trabalhar, mas ainda não me imaginei. É um grande treinador, os resultados e os títulos falam por ele. O que ele já conseguiu não é fácil de conseguir: duas finais europeias, três campeonatos quase seguidos, entre outros títulos. Não é fácil.
 
Com que treinadores é que gostou de trabalhar no Sporting? 
Vários, o Sporting costuma ter grandes treinadores. Destaco o Hugo Cruz, Tiago Capaz, José Lima e João de Deus. Cada um com a sua importância. O último foi o mister João de Deus, que é um excelente treinador. Pedagogicamente é muito forte e, pelo menos, a mim mostrou-me que este não é um caminho fácil. Com a forma de ser mais rígida mostrou-me que se não fizermos por isso nenhum sucesso bate à nossa porta.
 
Internacional sub-18, 20 e 21. Falhou o último mundial de sub-20, mas ultimamente tem sido chamado para os sub-21. Sente-se certo já no próximo Europeu?
Trabalho para isso todos os dias. Tenho sido chamado e ganhado alguns minutos, espero conseguir lá estar. Serão chamados os melhores e acredito que posso estar nesse lote. Vamos ver!
 
Rui Jorge tem muitas e boas opções, não é?
Sim, acho que Portugal tem tido, também por força das equipas B, excelentes jogadores. Até mesmo na seleção A já há muitos jogadores sub-21 e que cresceram ali. Atualmente o grupo é muito forte e acho que por isso poderemos ser sempre considerados candidatos.
 
E o Francisco já pensa na seleção principal?
Não, não penso. Ainda nem me consegui impor nos sub-21, quanto mais pensar já nos AA. É preciso ir com calma.
 
Como é que tem visto o trabalho de Rui Jorge?
Como disse sobre o Jorge Jesus, os resultados falam por si. O que o Rui Jorge está a fazer na seleção é fantástico. A equipa joga bom futebol e tem apresentado resultados muito positivos, é praticamente imbatível. 
 
Todos os jogadores falam bem dele…
E só há razões, é uma excelente pessoa e é um prazer trabalhar com ele. Além do que se vê como treinador é muito direto e frontal, gosto disso.
 
Fonte: Mais Futebol

Início dos trabalhos do Sporting/Tavira (Reportagem SportingTV)

Na semana passada falei aqui do início da pré-temporada da equipa de ciclismo do Sporting/Tavira. A Sporting TV esteve lá e registou tudo em reportagem. Ora vejam:

Sigam-me no facebook e no twitter.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal